Notícias

Acordo prevê controle populacional de animais em Ouro Preto (MG)

Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o Ministério Público (MP) e a Prefeitura de Ouro Preto, em Minas Gerais, definiu medidas a serem colocadas em prática para promover o controle populacional de animais na cidade.

Atualmente, há cerca de 14,3 mil cachorros e 5,5 mil gatos abandonados no município, de acordo com dados do MP. Os números representam quase um terço da quantidade total de moradores da cidade, que beira os 74 mil habitantes.

Quase 20 mil animais, entre cães e gatos, estão abandonados em Ouro Preto (Foto: Thais Pimentel/G1)

Entre os 16 itens definidos no acordo, que devem ser colocados em prática pela prefeitura, estão a regularização do canil municipal, a castração massiva de animais, a implementação de ações de conscientização da população sobre guarda responsável, o registro e o controle de animais em área urbana e a fiscalização e o controle de pessoas físicas e jurídicas que comercializam cachorros e gatos. As informações são do portal G1.

Em relação às castrações, o TAC estabeleceu que aproximadamente 10% da população de cada espécie – o equivalente a 1,4 mil cachorros e 550 gatos – deve ser submetida à cirurgia de esterilização todos os anos.

A prefeitura tem um prazo de menos de quatro meses para encaminhar à Câmara Municipal um projeto de lei que determine o controle populacional dos animais domésticos que vivem no município.

Fim do sacrifício de animais saudáveis

Em 2013, segundo a administração municipal, os órgãos de controle de zoonoses deixaram de sacrificar animais saudáveis como medida de controle populacional. No entanto, o fim da prática cruel não foi acompanhado de medidas éticas – como a castração – para controlar a quantidade de animais na cidade. Com isso, houve um aumento significativo de animais abandonados.

O canil municipal abriga atualmente 40 animais. De acordo com o diretor municipal de vigilância em saúde da Prefeitura de Ouro Preto, Ricardo Martins Fortes, uma restruturação do local está sendo realizada para permitir que sejam feitos novos resgates de cachorros e gatos e a castração deles.

“Nós já começamos a fazer as esterilizações e estamos elaborando um projeto de lei que seja adequado para a cidade. Ações de conscientização também começarão a ser feitas em breve”, disse Fortes.

​Read More
Você é o Repórter

Pirata, um cão muito especial aguarda por adoção em Ouro Preto (MG)

Crispim Zuim – Projeto O Lobo Alfa
crispim@oloboalfa.com.br

Pirata é um simpático cão que desde o início de sua vida conhece pouco sobre a felicidade, carinho e amor. Sua mãe já sofria atrocidades e perdia muitos filhotes, quando não estava presa por uma corrente curta, estava solta pelas ruas, até que nunca mais foi vista. Não se sabe ao certo o que aconteceu por trás dos muros e das correntes que encarceravam Pirata e seus dois irmãos, mas é possível presumir que os animais não tiveram vida, pois foram encontrados em estado crítico de desnutrição e com muitas feridas pelo corpo.

As pessoas que conheciam Pirata diziam que o cão era cego, mas ele recebia cuidados e manejo sem esboçar reação. O cão chegou a ser examinado por um veterinário que visitou a região, e constatou que Pirata não era totalmente cego, mas que ainda tinha até 15% de sua visão, o que explica como o cão se manteve vivo em situação de rua e sem cuidados. Assim, Pirata começou a receber atenção e logo suas feridas estavam curadas e uma fina camada de gordura cobria suas costelas antes à mostra.

Divulgação
Divulgação

Mas Pirata ainda continuava a viver sem a proteção de um lar, até que foi parar em uma região de comércio e ficou “instalado” na frente de uma loja, onde passou a receber comida, água e uma coleira especial com uma mensagem que dizia: “Sou cego. Não mordo”.

Como o cão olhava de forma diferente para as pessoas, muitos o temiam e, pra salvá-lo das maldades iminentes, o aviso foi a forma encontrada para amenizar o desconforto que sua presença poderia causar. E deu certo. Com isso, ele passou a ser visto com compaixão, a ganhar afagos e até mesmo a conquistar a simpatia das pessoas.

Divulgação
Divulgação

A verdade é que o Pirata sempre foi um cãozinho muito especial, daqueles anjos que vieram ao mundo em forma de cachorro pra ajudar na evolução dos homens. Pirata, que até então estava esquecido pela vida, e que não conhecia afeto ou afago, passou a ser notado e até estimado. Aos poucos, seu comportamento assustado começou a se transformar.

Pirata e seus irmãos continuavam juntos e voltaram para onde o único lugar que eles tiveram como casa, mas a residência já estava ocupada por novos moradores que não toleravam a presença dos cães, e os espantavam com bombas, pedras e o que mais fosse possível. Restou pra eles camas frias, na terra, na grama ou onde for possível parar.

Pitara aprendeu sobre humildade, da pior maneira possível. Basta ouvir uma voz mais firme que ele se encolhe e deita, como se esperasse as pancadas da vida. Mas, ao contrário, se houve o próprio nome em tom de voz mais doce, ele se derrete. Aprendeu a interpretar as reações humanas pelo tom da voz.

Divulgação
Divulgação

Pirata é um cachorro de porte grande. Ele não tem noção do espaço que tem e da liberdade de viver solto. Não enxerga o tamanho do mundo. Com crianças, ele é muito sociável, mas um tanto estabanado por lhe faltar noção de seu porte e força. Tem excelente mobilidade. Os 15% de visão são suficientes pra dar a ele muita independência. Ele se desloca bem e se localiza muito rápido. O cão ainda precisa muito de novos tutores, de espaço fechado, seguro e de companhia.

É o tipo de cachorro que passará o dia inteiro deitado aos pés dos tutores, se tiver oportunidade. Como nunca teve carinho e afeto, é carente e não desgruda quando sente que pode arrancar algo bom das pessoas. Ele adora tomar o solzinho da manhã, mas isso é também o reflexo das noites geladas. Poderá também passear na coleira, desde que seja coleira peitoral, pois ele não tem boas lembranças das coisas que circulavam seu pescoço. Na verdade, ele precisará de alternativas pra gastar energias, coisa que ele tem de sobra.

Divulgação
Divulgação

Pirata tem 3 anos, é carente e gosta muito mais de companhia do que de comida. É um cãozinho que nunca teve nada, e será o mais agradecido do mundo. Mesmo assim, é essencial que a família que o acolher possa lhe dar companhia em tempo integral, pois ele certamente não suportaria viver confinado e sozinho, esquecido em um quintal ou canil. Ele é sociável com outros cães, precisará apenas de atenção de alguém para monitorar as brincadeiras e também nas horas das refeições

O cão ainda vive em situação de risco, fica aos fundos de uma rua sem saída (porta de sua antiga casa), mas não é bem aceito por ali e precisa de novos tutores. Seu irmão, que também um dia esteve em pele e osso, também é um caso especial. Ele é meio torto, por conta de uma surra a pauladas que levou na rua.

Ambos parecem ter algo de boxer. Eles estão na região de Ouro Preto e Lavras Novas, mas podem ser entregues em outras cidades mais próximas. Caso alguém tenha interesse em oferecer um lar de verdade para Pirata, entre em contato.

Divulgação
Divulgação

Contato: Estefânia
(31) 98591-5369 (Oi)
(31) 99353-3306 (WhatsApp)
estefaniamahin@yahoo.com.br

​Read More
Notícias

Ouro Preto (MG) firma convênio com cidade que promove assassinato de touros

(da Redação)

A cidade de Ouro Preto (MG), patrimônio cultural da humanidade, assinou um tratado de irmanamento com Tordesilhas, cidade espanhola conhecida pelo cruel evento “Toro de la Vega”, onde um touro é morto por homens a cavalo.

Em entrevista, o secretário de Turismo de Ouro Preto, Jarbas de Avelar, afirmou que, após visitas à cidade espanhola, Ouro Preto firmou um convênio com Tordesilhas e, mesmo sabendo dos brutais eventos com assassinatos sangrentos de touros, a secretaria não relevou este fato que, segundo Avelar, é somente um “detalhe”.

O convênio visa parceria nas áreas de comércio, indústria e educação. Resta saber como uma cidade que permite tão cruel acontecimento, que vai na contramão das lutas pelos direitos animais, poderia estabelecer boas relações com qualquer cidade que preza pela ética e pela cultura.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Segundo o site da prefeitura de Ouro Preto, em matéria publicada no mês de maio, quando o acordo estava em negociação:

“No dia 16 de maio (quinta-feira), os representantes ouro-pretanos vão para Guimarães (Portugal) em busca de convênio de cooperação cultural entre as cidades. De Guimarães seguem para Tordesilhas, na Espanha, onde Jarbas e José Alberto fazem a assinatura de convênio de hermanamiento entre Ouro Preto e Tordesilhas (Espanha), acordo este que já vem sendo elaborado desde janeiro de 2013 entre o secretário de Turismo, Jarbas Avellar, e o alcaide de Tordesilhas, José Antônio Gonzáles Poncela. O objetivo é firmar laços de amizade e relação entre as duas cidades para estabelecer um interesse mútuo no comércio, indústria e educação.”

Toro de la vega

Neste sádico evento, o touro é conduzido ao campo onde homens a cavalo jogam lanças no animal até matá-lo. A pessoa que joga a lança mortal retorna com o rabo do touro preso na lança. A celebração ocorre no primeiro domingo depois de 8 de setembro e é considerada festa de interesse turístico. Este ano, a organização do evento estabeleceu normas mais rígidas para os participantes. A Câmara dos deputados debaterá na quarta-feira, dia 25 de setembro, o assunto, visando evitar situações de maus-tratos a animais, como ocorre nesta celebração.

Nota da Redação: Neste momento os cidadãos de Ouro Preto precisam se unir para protestar contra esta parceria completamente insensível à causa animal. E-mails podem (e devem) ser enviados com total repúdio para pmopgabinete@yahoo.com.br e turismo.ouropreto@gmail.com.  

​Read More