Nova mudança nos matadouros de porcos promoveria ainda mais tortura e crueldade nos métodos da indústria de carne nos EUA (Foto: Pixabay)
Notícias

Ativistas lutam contra matança de porcos em sistema de alta velocidade

Mais de 40 mil defensores dos direitos animais se reuniram nos Estados Unidos para lutar contra o plano de morte de porcos da USDA, baseado em um sistema operacional de alta velocidade, o que classifica a morte como abusiva e dolorosa aos animais.

Nova mudança nos matadouros de porcos promoveria ainda mais tortura e crueldade nos métodos da indústria de carne nos EUA (Foto: Pixabay)
Nova mudança nos matadouros de porcos promoveria ainda mais tortura e crueldade nos métodos da indústria de carne nos EUA (Foto: Pixabay)

Os ativistas, que foram unidos pela Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (ASPCA), dizem que o Novo Sistema de Inspeção de Suínos [NSIS] colocaria os animais em ainda mais risco de tortura e sofrimento.

Informações do Plant Based News explicam que os novos planos dos matadouros de porcos incluem matar animais a qualquer velocidade sistemática, o que aumenta o descuido e circunstâncias cruéis do ato, o que permitiria que até 1,5 mil porcos poderiam ser mortos por hora – acima do número de 1,1 mil porcos que morrem com o sistema imposto atualmente.

Normalmente, os porcos são atordoados antes de serem mortos, para que não haja tanta dor física ou psicológica. A ASPCA alegou que as velocidades mais rápidas geram maior manuseio de animais, e a velocidade da linha pode resultar em um atordoamento menor que o comum, causando a cruel ação de enviar os porcos para a morte quando ainda em plena consciência.

De acordo com a ASPCA, um período de comentários públicos aberto pelo USDA reuniu quase 40 mil mensagens negativas de oposição à proposta nova de sistema de morte de porcos.

Suzanne McMillan, Diretora de Conteúdo – Campanha de Bem-estar Animal de Fazenda, disse ao Plant Based News: “A proposta do Novo Sistema de Inspeção de Suínos é mais uma tentativa equivocada de melhoria dos sistemas de privatização em detrimento do bem-estar animal”.

Além das proposições do próprio governo de torturar ainda mais os animais nas fazendas de indústrias de carne, agressões e crueldades realizadas em animais não é algo incomum – o que mostra ainda mais quanto a administração da indústria não se importa com o bem-estar animal.

​Read More