Notícias

A Arca de Brigitte Bardot é um paraíso para os animais

O projeto foi criado pela eterna musa do cinema que abandonou a carreira para se dedicar aos animais – uma tarefa que ela cumpre até hoje e na qual investiu tudo o que ganhou com sua fama

Animais domésticos, silvestres e do campo vivem nos refúgios de Brigitte Bardot na França. Foto Site Fundação Brigitte Bardot

Existe um lugar onde qualquer animal resgatado gostaria de viver. É uma série de refúgios na França que fazem parte do complexo chamado “Arca BB” ou Arca Brigitte Bardot. A “Arca BB” é administrada pela FBB – Fundação Brigitte Bardot e congrega verdadeiros paraísos para animais domésticos, silvestres e do campo. Neles estão muito bem acomodados 1.100 animais resgatados de abandono, abuso, tráfico ou matadouros.

O refúgio “Mare Auzou”, que integra a “Arca BB”, por exemplo, é uma grande propriedade cercada por florestas, composta por uma casa, um antigo estábulo e dois prédios abandonados que foram totalmente recuperados.

Cerca de 500 gatos se esparramam em meio a playgrounds e cabanas. Os 200 cães estão distribuídos de acordo com sua personalidade e estado de saúde. Cinquenta animais idosos podem passar o resto de seus dias em paz nesse recanto.

“Mare Auzou” tem ainda 100 coelhos, quase 150 roedores e 80 aves. E animais resgatados de matadouro: 60 cavalos, pôneis e burros, 20 porcos, além de ovelhas, cabras, vacas e galinhas.

Os santuários são construídos em terras cedidas por colaboradores, pois, a FBB se mantém por meio de doações. Neste vídeo é possível apreciar um pouco do “Mare Auzou”:

Em contrapartida, um triste cenário

No site da Fundação Brigitte Bardot a atriz diz: “Os animais não adotados ficam conosco até morrerem. Sem eutanásia ou gaiolas em nossos refúgios! Todos vivem em liberdade ou semiliberdade”.

A declaração da ativista faz bastante sentido já que na França ainda persiste um cenário muito triste e cruel para os animais em situação de rua: o governo mata os animais capturados e que não são adotados dentro de um prazo.

“São mais de 11 milhões de gatos vadios! Muitas vezes abusados e frequentemente capturados e sacrificados. Nosso objetivo é interromper a reprodução descontrolada, criando uma campanha nacional de esterilização e frustrar as operações de captura para fins de eutanásia, ainda muito comuns em nosso país”, diz a atriz.

Gato resgatado e que vive num dos refúgios da “Arca BB”. Foto Site Fundação Brigitte Bardot

A FBB conseguiu alterar o Código Rural para que gatos vadios esterilizados possam ser liberados em seu local de captura. Além disso, a entidade realiza campanhas de esterilização há 20 anos. Em 2018 e 2019 a FBB ajudou associações, protetores independentes e também municípios em campanhas de castração.

“Há anos repito a mesma coisa: que o abandono de um animal é crime, mas todo ano, infelizmente, tem cada vez mais abandono por conta dessa covardia de se livrar de seu animal para sair de férias. Que pena! O animal também é membro da família totalmente dependente daqueles que o adotaram e a quem ele dedica um amor infinito”, diz a atriz no site da instituição.

Assim segue o trabalho duro de uma mulher que já deixou sua marca registrada na história da proteção animal. Bardot abraça causas em diversos países há décadas. Parte dessa saga está retratada, com muita emoção, no livro “Lágrimas de Combate” – um texto que transborda sinceridade e relata várias batalhas de BB na França e pelo mundo.

Fátima ChuEcco é jornalista ambientalista e atuante na causa animal

 

 

 

​Read More
Notícias

Gato que mora na França é encontrado perdido em rua de vilarejo da Inglaterra

(da Redação)

Um gato bem viajado foi encontrado perambulando pelas ruas de um vilarejo de Northamptonshire, Inglaterra, a quase 250 quilômetros de casa, não se sabe quem é o tutor dele ou como ele foi parar ali.

Tommy, dócil e simpático foi encontrado a 250 Km de sua casa revelou o chip. Foto: reprodução Daily Mail

O gato foi resgatado por funcionários da RSPCA na segunda-feira. Eles descobriram que ele tem um microchip francês registrado em um endereço na região francesa da Normandia, com um número de telefone inexistente e que chama-se Tommy.

A porta-voz da ONG de proteção animal RSPCA,  Sarah Hart, disse que não tinha ideia de onde ele teria vindo e de como chegou ali.

“Não sei se alguém chegou com ele a partir de França, mas só não mudou o microchip ainda, ou se ele veio de férias com alguém, mas se perdeu. As possibilidades são infinitas. Ele foi encontrado perto de uma movimentada área do Canal da Mancha, ele poderia até mesmo ter fugido de um barco”, afirmou.

O trajeto que Tommy teria feito.

Tommy é um gato de sete anos, muito bonito e simpático, quando foi encontrado estava com um abcesso na perna. Ele foi levado a um veterinário para tratamento e não pode ser encaminhado para adoção a menos que seus tutores sejam encontrados. Se ninguém reclamar por ele, Tommy será posto em quarentena por seis meses antes que ele possa encontrar uma nova família.

​Read More