Notícias

Porquinha com um dia de vida é encontrada em estrada após tempestade

Suspeita-se que ela tenha sido levada até o local pela força do vento


Hayley Hyam

Uma porquinha com apenas um dia de vida pode ter sido levada pelo vento durante a tempestade Ciara, que acometeu a Europa nos últimos dias – é o que suspeita a equipe da clínica veterinária para onde ela foi levada. Encontrada em uma estrada rural, perto da aldeia de Ringland, em Norfolk, condado da Inglaterra, a porquinha pesa apenas 1,5 kg.

Após ser resgatada, ela foi levada ao Taverham Vets, clínica veterinária na mesma região. A porquinha foi batizada de Priscilla, atendida e vestida com uma roupinha verde. Com sinais de hipotermia (temperatura corporal reduzida) e baixo nível de açúcar no sangue, ela parecia inconsciente quando chegou ao local.

A enfermeira veterinária Hayley Hyam (32), disse ao site Daily Mail (12), que “ela poderia ter morrido se a tivessem deixado lá”. De acordo com a enfermeira, o procedimento adotado foi o de aquecê-la gradualmente. Quando Priscilla começou a se sentir melhor, ela foi alimentada.

Diante da suspeita de que ela tenha sido levada pelo vento, os veterinários entraram em contato com uma fazenda próxima ao local em que a porquinha foi encontrada, mas os proprietários informaram que não há porcos nessa idade morando na fazenda. Até o momento, ninguém procurou por ela.

A tempestade Ciana levou caos ao país. Ao passar pela Ilha de Wight, as rajadas de vento chegaram a 97 milhas terrestres por hora (mph). O tráfego de grande parte do país foi interrompido, vários locais foram inundados e edifícios ficaram danificados. Talvez, até porcos tenham voado durante a tempestade, se isso foi mesmo o que aconteceu com Priscilla. Quando ela foi encontrada, as rajadas de vento passavam pela região a 34 mph.

A organização de ajuda animal, Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA) está investigando o caso, mas ainda não tem pistas sobre o que aconteceu. No entanto, o conselho é que os tutores mantenham os animais de pequeno porte dentro de casa durante episódios de ventania. Em casos de risco de inundações, a recomendação é que levem os animais para o andar de cima, se possível. Aos tutores de cães, a orientação da porta-voz da RSPCA, Rachel Butler, é que as caminhadas sejam mais curtas, para evitar enfrentar mudanças repentinas de tempo.

Quando estiver totalmente recuperada, Priscilla será transferida para uma fazenda que pertence a um dos veterinários. Pelo curto período de tempo em que está na clínica, a porquinha já conquistou todos os colaboradores, especialmente Hyam. A enfermeira afirma que “todos sentirão muita falta quando ela se for”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
foca com frisbee rosa no pescoço
Home [Destaque N2], Notícias

Duas focas são resgatadas após serem encontradas com um frisbee e uma rede no pescoço

Voluntários da Friends of Horsey Seals resgataram uma foca ferida com um frisbee de plástico preso em seu pescoço em Waxham Beach, na cidade de Norfolk, Inglaterra. Uma outra foca também foi resgatada com uma rede prendendo e ferindo seu pescoço na praia de Horsey Gap, também em Norfolk. Ambos os animais agora estão se recuperando graças aos socorristas.

foca com frisbee rosa no pescoço
Foto: Friends of Horsey Seals

A foca que estava com a rede de plástico presa em seu pescoço foi transferida da praia de Horsey Gap para a East Winch RSPCA em Norfolk, na sexta-feira (11), onde receberá um banho de sal e cuidados veterinários por vários meses, e depois será enviada de volta à natureza.

A supervisora Jo Mead disse: “Tiramos a rede, ele ficou muito assustado – mas, estando tudo bem, a ferida será limpa, então vamos deixá-lo se acomodar e começar a alimentá-lo com peixe”.

foca com rede presa no pescoço
Foto: Friends of Horsey Seals

Dan Goldsmith, presidente da Marine and Wildlife Rescue, disse ter visto um aumento na frequência, agora mensal, dos casos de focas resgatadas de situações de emaranhamento e estrangulamento.

“Isso é tão triste – embora suspeite que existam mais focas lá fora, e sempre houve um problema com a poluição”, disse ele.

O presidente da Friends of Horsey Seals, Peter Ansell, disse: “Se você tivesse visto o estado de seu pescoço, você teria visto que a rede ficou presa no pescoço por meses e meses.”

“A rede tinha se entranhado em sua pele cerca de uma polegada e meia de profundidade. Eu vi a veterinária enterrando seus dedos na ferida para tentar ficar debaixo da rede para que ela pudesse cortar as cordas enroladas no pescoço do animal.”

“Não foi um trabalho simples e ele não ficou muito feliz. Eu acho que levará alguns meses para que ele se recupere, provavelmente três.”

No ano passado, os voluntários da Friends of Horsey Seals também resgataram uma foca com um frisbee preso no pescoço. Acredita-se que o animal chamado Frisbee tenha nadado com o anel de plástico em seu pescoço por até seis meses.

Ela estava faminta e desnutrida, com uma ferida gravemente profunda e infectada. Frisbee passou por cinco meses de reabilitação em um centro da RSPCA. Sua ferida foi tratada, e, como parte de sua reabilitação, recebia banhos com até 25 kg de sal diariamente.

​Read More
Notícias

Faisão anda na ponta dos pés na neve inglesa

Até a ave teve que ficar na pontinha das patas para se livrar do frio intenso

(Foto: Reprodução/Richard Brooks/Daily Mail)

Um faisão foi clicado andando de forma inusitada neste fim de semana, em um campo perto da cidade de Fakenham, na região de Norfolk, Inglaterra. A imagem foi divulgada no site Mail Online, do jornal Daily Mail.

Neste que está sendo considerado um dos invernos mais intensos do século nas ilhas britânicas, a ave teve que ficar literalmente na ponta das patas para não pisar na neve gelada que cobre os campos.

Para se ter uma ideia do frio que vem fazendo por lá, o último inverno mais gelado que o atual foi registrado em 1890, há exatos 120 anos.

Fonte: R7

​Read More