Artigos

Atenção ao escolher passeador!

Muitas pessoas que não têm o tempo necessário para dedicar aos passeios e socialização de seus cães contratam esses serviços, o que é ótimo, pois os cães precisam muito desses momentos para gastar energia, socializar, fazer as necessidades, se exercitar.

No entanto é necessário conhecer bem ou acompanhar de perto de vez em quando para não entregar seus animais a pessoas brutas ou desatentas.

Tenho presenciado casos onde realmente sinto pena dos animais, puxados com violência, ou então guiados por alguém totalmente ocupado no celular, que vai arrastando animais, sem perceber quando eles sinalizam que querem fazer suas necessidades.

Outro dia abordei um, que levava dois cachorrinhos de pequeno porte e não os deixava parar em nenhum poste ou matinho, por mais que eles tentassem. Puxava violentamente a guia dos pobrezinhos que, num sol escaldante vestiam roupinhas. Conversei sobre o calor, sugerindo que tirasse as roupinhas, o que ele não fez. Perguntei por que puxava com tanta força sempre que eles tentavam dar uma paradinha para suas necessidades, e ele alegou que a “dona” dos animais pediu que eles os educasse, pois eles eram terríveis!!! Quando sugeri educação por recompensa informou que ele tinha mais de 10 anos de experiência.

Nesse dia eu estava com meus animais e não pude segui-lo, para ver onde moravam aqueles desafortunados cães e “dona”. Ela, desafortunada por que está sendo enganada, pagando por um desserviço, e eles, por que estão sendo maltratados na hora que deveria ser uma das mais prazerosas do dia.

O passeio deve ser para o animal, e não para o humano. Isso faz toda a diferença.

Portanto, cuidado! Não se fiem nos “anos de experiência”. Melhor que tudo é contratar uma protetora de animais do seu bairro, que ao menos fará o serviço com amor.

​Read More
Artigos

Animais. Quem conhece, ama

Quando o assunto é defesa de animais, Nina Rosa Jacob, fundadora do Instituto Nina Rosa – Projetos por Amor à Vida – em São Paulo, não tem meias palavras: o ser humano deve respeitar os animais assim como deseja ser respeitado. É por isso que ela acredita que a criação da Delegacia do Animal é uma necessidade.
 
O que a levou à decisão de criar o Instituto Nina Rosa?

O amor pelos animais e a necessidade de servir de voz para eles. Esse amor foi revelado pela convivência com a cadela Chica. Em 1994 iniciei trabalhos de protetora solitária e voluntária em outras ONG’s. Em 2000  materializou-se o Instituto.
 
Quais as atividades básicas do Instituto Nina Rosa atualmente?

Produção de material educativo para a valorização da vida animal e educação humanitária com objetivo de informar e sensibilizar a sociedade.
 
Qual a importância de um trabalho assim numa cidade como São Paulo?

Valores como compaixão, solidariedade, respeito a seres de todas as espécies, tornaram-se imprescindíveis para a conquista de sociedade mais justa e pacífica.
 
Que leis você considera importantes em relação aos animais?

Que o ser humano abandone o especismo que vem aprendendo e praticando ao longo de muitos anos e passe a coabitar na terra com outras espécies em termos de igualdade de direitos.
 
O que ainda falta, em termos de legislação?

O que falta no Brasil é a seriedade na fiscalização do cumprimento das leis. Creio, também – a exemplo da Delegacia da Mulher –, que deveria ser implantada a Delegacia do Animal, pois a maioria dos policiais que atendem nas delegacias desconhece leis que hipoteticamente os protegem. 
O que cada um pode fazer pelos animais?

Acredito que infratores poderiam prestar (por longos períodos) serviços monitorados em abrigos de animais para terem a oportunidade de acompanhar a vida daqueles animais e suas necessidades. Acho que seria muito difícil resistir a amá-los, o que provocaria uma mudança interna.

O amor incondicional de que os animais são capazes pode ser poderosa fonte de cura. Há animais que trabalham em penitenciárias nos Estados Unidos, no sentido de despertar ou resgatar nos presidiários afeto e ternura perdidos.

Animais têm sido utilizados como produtos de alimentação, diversão, vestuário e muitas outras finalidades egoístas e imorais, visando lucro. Cada um de nós, como consumidor, pode mudar essa realidade e contribuir para libertá-los, se  optar por um consumo ético. Há que se informar e ser responsável pelas próprias escolhas.


Fonte
Vida Integral

​Read More
Você é o Repórter

Minas une forças em defesa dos animais domésticos e domesticados

Movimento Mineiro pelos Direitos Animais
movimentomineiro@gmail.com

Comissão vai debater lei que trata de maus-tratos a animais

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais vai se reunir na próxima segunda-feira (30/11/09), às 14 horas, no Auditório, para debater o Projeto de Lei (PL) 4.548/98, que está tramitando no Congresso Nacional.  O PL pretende modificar o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98), que considera crime ferir, mutilar, cometer ato abusivo e maus-tratos contra animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A proposição pretende retirar a expressão “domésticos ou domesticados”, sob o argumento de que a realização de rodeios e vaquejadas tem sido prejudicados pela atual legislação.

A lei em vigor determina que serão penalizados aqueles que realizarem experiências dolorosas ou cruéis em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos. A pena é aumentada de um sexto a um terço no caso da morte do animal, varia de três meses a um ano de detenção, e multa. O deputado Durval Ângelo (PT), que solicitou a reunião, disse que pretende sensibilizar os senadores e deputados federais mineiros para que votem contra o projeto. “Quem pratica a crueldade contra animais é capaz de praticar também contra o ser humano”, defendeu o parlamentar.

Foram convidados para a reunião o ministro de Estado do Meio Ambiente, Carlos Minc; o deputado federal Ricardo Tripoli; o deputado Feliciano Filho, da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo; o desembargador Gilberto Passos de Freitas; o procurador de Justiça, Luiz Carlos Teles de Castro; o presidente da Comissão de Direitos Urbanísticos da OAB e presidente da Liga de Prevenção da Crueldade contra os animais, Edna Cardozo Dias; a atriz e membro da ONG Movimento Humanos Direitos, Letícia Sabatella; a presidente da ONG Instituto Nina Rosa, Nina Rosa Jacob; o promotor de Justiça da Comarca de São José dos Campos, Laerte Fernando Levai; e a atriz e ativista pelos direitos animais, Luisa Mell.

Fonte: Assembleia Legislativa de Minas

Animais domésticos e domesticados estão ameaçados de perderem a proteção da Lei de Crimes Ambientais.

Envie mensagem aos Deputados Mineiros reiterando solicitação de participação neste importante evento:

E-mails dos deputados estaduais de MG:

dep.adalclever.lopes@almg.gov.br, dep.adelmo.carneiro.leao@almg.gov.br, dep.ademir.lucas@almg.gov.br, dep.alberto.pinto.coelho@almg.gov.br, dep.alencar.silveira.junior@almg.gov.br,dep.almir.paraca@almg.gov.br, dep.ana.maria@almg.gov.br, dep.andre.quintao@almg.gov.br, dep.antonio.carlos.arantes@almg.gov.br,dep.antonio.genaro@almg.gov.br, dep.antonio.julio@almg.gov.br, dep.arlen.santiago@almg.gov.br,dep.braulio.braz@almg.gov.br,dep.carlin.moura@almg.gov.br, dep.carlos.gomes@almg.gov.br,dep.carlos.mosconi@almg.gov.br, dep.carlos.pimenta@almg.gov.br,dep.cecilia.ferramenta@almg.gov.br, dep.celio.moreira@almg.gov.br, dep.chico.uejo@almg.gov.br, dep.dalmo.ribeiro.silva@almg.gov.br,dep.deiro.marra@almg.gov.br, dep.delio.malheiros@almg.gov.br, dep.delvito.alves@almg.gov.br,dep.dimas.fabiano@almg.gov.br,dep.dinis.pinheiro@almg.gov.br, dep.djalma.diniz@almg.gov.br, dep.domingos.savio@almg.gov.br, dep.doutor.rinaldo@almg.gov.br,dep.doutor.ronaldo@almg.gov.br, dep.doutor.viana@almg.gov.br, dep.duarte.bechir@almg.gov.br, dep.durval.angelo@almg.gov.br,dep.elmiro.nascimento@almg.gov.br, dep.eros.biondini@almg.gov.br, dep.fabio.avelar@almg.gov.br,dep.fahim.sawan@almg.gov.br,dep.getulio.neiva@almg.gov.br, dep.gil.pereira@almg.gov.br,dep.gilberto.abramo@almg.gov.br, dep.glaucia.brandao@almg.gov.br,dep.gustavo.valadares@almg.gov.br,dep.hely.tarquinio@almg.gov.br, dep.inacio.franco@almg.gov.br, dep.irani.barbosa@almg.gov.br,dep.ivair.nogueira@almg.gov.br, dep.jayro.lessa@almg.gov.br, dep.joao.leite@almg.gov.br,dep.jose.henrique@almg.gov.br,dep.juarez.tavora@almg.gov.br, dep.juninho.araujo@almg.gov.br,dep.lafayette.andrada@almg.gov.br, dep.leonardo.moreira@almg.gov.br,dep.luiz.humberto@almg.gov.br,dep.maria.tereza.lara@almg.gov.br, dep.neider.moreira@almg.gov.br, dep.mauri.torres@almg.gov.br,dep.irani.barbosa@almg.gov.br, dep.padre.joao@almg.gov.br, dep.paulo.guedes@almg.gov.br,dep.pinduca.ferreira@almg.gov.br,dep.remolo.aloise@almg.gov.br, dep.romulo.veneroso@almg.gov.br,dep.ronaldo.magalhaes@almg.gov.br, dep.rosangela.reis@almg.gov.br,dep.ruy.muniz@almg.gov.br,dep.sargento.rodrigues@almg.gov.br, dep.savio.souza.cruz@almg.gov.br,dep.sebastiao.costa@almg.gov.br,dep.tenente.lucio@almg.gov.br, dep.tiago.ulisses@almg.gov.br,dep.vanderlei.jangrossi@almg.gov.br, dep.vanderlei.miranda@almg.gov.br,dep.walter.tosta@almg.gov.br, dep.wander.borges@almg.gov.br, dep.weliton.prado@almg.gov.br, dep.ze.maia@almg.gov.br,dep.zeze.perrella@almg.gov.br,

E-mails dos deputados federais de MG:

dep.ademircamilo@camara.gov.br, dep.aeltonfreitas@camara.gov.br, dep.alexandresilveira@camara.gov.br, dep.antonioandrade@camara.gov.br, dep.antonioroberto@camara.gov.br, dep.aracelydepaula@camara.gov.br, dep.bilacpinto@camara.gov.br, dep.carlosmelles@camara.gov.br, dep.carloswillian@camara.gov.br, dep.ciropedrosa@camara.gov.br, dep.edmarmoreira@camara.gov.br, dep.eduardobarbosa@camara.gov.br, dep.elismarprado@camara.gov.br, dep.fabioramalho@camara.gov.br, dep.georgehilton@camara.gov.br, dep.geraldothadeu@camara.gov.br, dep.gilmarmachado@camara.gov.br, dep.humbertosouto@camara.gov.br, dep.jaimemartins@camara.gov.br, dep.jairoataide@camara.gov.br, dep.jomoraes@camara.gov.br, dep.joaobittar@camara.gov.br, dep.joaomagalhaes@camara.gov.br, dep.josefernandoaparecidodeoliveira@camara.gov.br, dep.josesantanadevasconcellos@camara.gov.br, dep.juliodelgado@camara.gov.br, dep.laelvarella@camara.gov.br, dep.leonardomonteiro@camara.gov.br, dep.leonardoquintao@camara.gov.br, dep.lincolnportela@camara.gov.br, dep.luizfernandofaria@camara.gov.br, dep.marcioreinaldomoreira@camara.gov.br, dep.marcoslima@camara.gov.br, dep.marcosmontes@camara.gov.br, dep.marialuciacardoso@camara.gov.br, dep.mariodeoliveira@camara.gov.br, dep.marioheringer@camara.gov.br, dep.maurolopes@camara.gov.br, dep.miguelmartini@camara.gov.br, dep.miguelcorrea@camara.gov.br, dep.narciorodrigues@camara.gov.br, dep.odaircunha@camara.gov.br, dep.pauloabiackel@camara.gov.br, dep.paulodelgado@camara.gov.br, dep.paulopiau@camara.gov.br, dep.rafaelguerra@camara.gov.br, dep.reginaldolopes@camara.gov.br, dep.rodrigodecastro@camara.gov.br, dep.saraivafelipe@camara.gov.br, dep.silasbrasileiro@camara.gov.br, dep.virgilioguimaraes@camara.gov.br, dep.vitorpenido@camara.gov.br,

O Movimento Mineiro pelos Direitos Animais agradece à Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, em especial ao seu Presidente Dep. Durval Ângelo, e à sua competente Equipe de trabalho, o apoio e a oportunidade de estender discussão sobre tema de relevância nacional a diversos segmentos da sociedade mineira. Em defesa dos que não têm como fazê-lo !

Por que comparecer à Audiência Pública – MG e defender o Art 32 /Lei Crimes Ambientais:

PRF fecha rinhas de galo no Nordeste

Deputado quer legalizar rinhas de galo

Rodeios e Farras do Boi

Vaquejada / bezerros

Puxada / cavalos

Rinhas de cães

Farra do Boi

Rodeio

Gentileza Multiplicar Esta Mensagem

Animal Doméstico – Todos os animais que são adquiridos por meios tradicionais e sistematizados de manejo e melhoramento zootécnico, tornando-se domésticos ou domesticados, possuindo características biológicas e comportamentais em estreita dependência do homem, podendo inclusive apresentar aparência variável, diferente da espécie silvestre que os originou. GAETA, Alexandre. Código de Direito Animal. Madras Editora, 2003, p. 21

Obrigação de Agir

“Nós, ativistas pelos Direitos Animais, onde quer que estejamos, e conscientes da senciência dos animais não-humanos não podemos fechar nossos olhos nem calar nossa consciência inquieta por defender os que não têm como fazê-lo. Temos obrigação de agir, lembrando que somos providos de racionalidade. Essa, que torna-se arrogante, ao ser usada para beneficiar a nossa espécie e ao considerar que as outras espécies existem para nos atender. Infelizmente, o que vemos ao nosso redor, é o uso dessa racionalidade de forma irresponsável, usando, torturando, aprisionando os outros animais que têm o mesmo direito à vida e de estar neste Planeta. A racionalidade humana é um bem precioso, que nos traz a responsabilidade maior de usar a inteligência para beneficiar tudo e todos, e não para destruir tudo e todos, incluindo a nossa própria espécie.”

MOVIMENTO MINEIRO PELOS DIREITOS ANIMAIS

“Liberdade aos Animais, ainda que tardia !”

​Read More
Você é o Repórter

Resposta à Revista Veja São Paulo

A propósito da matéria publicada na revista Veja São Paulo, no “Especial Bichos” http://vejasaopaulo.abril.com.br/revista/vejasp/edicoes/2135/especial-bichos-2135-506095.html, a ativista Nina Rosa Jacob enviou a seguinte mensagem à Redação da publicação:

Senhores,

Lamentável o elitista Especial Bichos publicado na Veja São Paulo em 21 de outubro. Lamentável para os animais, que não são elitistas nem sabem o que é isso, e  muitas vezes nem apreciam os excessos humanos a que são submetidos e os descaracterizam como animais que são.

A questão polêmica da matéria é a ideia errônea que ela transmite sobre o respeito e a responsabilidade necessárias para ser guardião de um animal de estimação. Nada a ver com quartos cheios de roupa e brinquedos, xampus importados e outras futilidades, que podem significar muito para a pessoa, como promoção social, mas que certamente significam muito pouco ou nada para o animal.

A matéria Especial Bichos, quando sai em busca de exageros e exceções, vem atrapalhar todo um trabalho protecionista voltado para os animais “de rua”, “abandonados” ou “sem lar”, que só na cidade de São Paulo são estimados em 60.000.

A reportagem apresenta uma figura distorcida do que é ser o guardião de um animal e do valor monetário exigido para ter um companheiro fiel.

As ONGs de proteção que abrigam animais e as protetoras independentes estão abarrotadas de filhotes e adultos, produto de abandono e maus-tratos de guardiões inconsequentes e mal informados.

Um especial sobre bichos que se preze, poderia sim ser muito útil, tanto para os humanos quanto para os animais em situação de risco, incentivando a compaixão e adoção; valorizando os de raça não definida e o árduo trabalho de quem se dedica a equilibrar a balança da justiça e do bem, neste mundão de valores tão comerciais.

Se a Redação não tem ideias de pauta para ajudar, poderiam ao menos não atrapalhar.

Cordialmente,

Nina Rosa Jacob

 

Envie você também sua manifestação:

Redação Veja SP – vejasp@abril.com.br

Portal Veja São Paulo – saopaulo@abril.com.br

​Read More