Notícias

Cachorro morre após ser exposto ao sol e calor por passeador de cães

Foto de Speedy hospitalizado | Foto: Medivet
Foto de Speedy hospitalizado | Foto: Medivet

Um cachorro doméstico da raça galgo morreu depois que um passeador de cães o levou para sair no sol escaldante do meio-dia enquanto seu tutor estava viajando.

Speedy começou a ofegar sofregamente durante a caminhada na terça-feira à hora do almoço, e sua temperatura corporal subiu para 43°C.

Mais tarde, naquela noite, ele sofreu uma convulsão e foi levado para a clínica veterinária Medivet em Hampstead, Londres (Inglaterra), onde recebeu pulverizações de água fria e foi colocado no soro intravenoso, antes de ser transferido para o Royal Veterinary College.

Um porta-voz da Medivet disse ao Daily Mail que o cão morreu de insuficiência renal e insolação extrema nesta manhã.

A tutora de Speedy, Karen Pierce, disse que não era culpada pelo que houve.

Ela disse ao Metro: “Speedy estava sob os cuidados de um passeador de cães enquanto estou no exterior”.

“Speedy não deveria ter sido exposto à altas temperaturas, pois ele é particularmente sensível ao calor”.

“Ele foi transportado em uma van com vários outros cães cujas temperaturas do corpo devem tê-lo feito sofrer terrivelmente.”

Speedy primeiro começou a ofegar e mostrar sintomas de insolação depois que ele foi levado para uma caminhada no calor do meio do dia.

Mais tarde ele entrou em colapso e teve um ataque (convulsão).

A equipe da Medivet em Hampstead, Londres, tratou o cachorro com água fria e o colocou no soro imediatamente.

Mas logo perceberam que sua condição era muito pior do que eles imaginavam.

O cachorro precisava de uma transfusão de sangue, então eles o levaram para o hospital de animais de emergência mais próximo.

Especialistas em Hendon, em Londres, continuaram a resfriá-lo em uma tentativa de impedir que seus órgãos começassem a falhar

E ele foi colocado na UTI durante a noite com um suporte de enfermagem um-para-um (acompanhado sempre de alguém).

Mas Speedy não pôde ser salvo.

A cirurgiã veterinária e parceira da filial da Medivet Hamsptead, Sarah Furminger, disse: “Infelizmente, os tutores nem sempre percebem que os seus cães sofrem de insolação, já que um dos principais sintomas é a respiração ofegante.

“Se os tutores suspeitam de insolação, é fundamental que eles ajam rapidamente e procurem orientação imediatamente para dar a seus animais domésticos a melhor chance de sobrevivência possível”.

O veterinário chefe da Medivet 24 Hour Hendon Jerry Dunne acrescentou: “Enquanto qualquer cão pode sofrer insolação, raças com pêlo espesso, nariz curto e aqueles com condições médicas pré-existentes, como obesidade, correm um risco maior”.

“Da mesma forma, cães extremamente ativos ou agitados são mais suscetíveis e devem ser vigiados cuidadosamente durante esse período de tempo excepcionalmente quente”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More