Notícias

Gatinha sobrevive milagrosamente sem um arranhão após trator passar por cima dela

Foto: RSPCA/Solent News & Photo Agency
Foto: RSPCA/Solent News & Photo Agency

Uma pequena gatinha que foi atropelado por um trator equipado com arado escapou milagrosamente ilesa do ocorrido.

A gata preta de quatro semanas de idade apenas, batizado de Meadow por oficiais da ONG RSPCA, foi encontrado enterrado em um sulco profundo de terra feito pelo arado de um fazendeiro.

Acredita-se que ela deve ter evitado por pouco os cortadores de metal do equipamento e das rodas do trator enquanto passavam diretamente sobre a gatinha filhote em um campo em Ash Green, Hants (Inglaterra).

Foto: RSPCA/Solent News & Photo Agency
Foto: RSPCA/Solent News & Photo Agency

Como a gatinha não tem microchip e a RSPCA está agora procurando por seus tutores.

Meadow agora está aos cuidados de Liz Wood, vice-gerente do abrigo Millbrook Animal Center em Chobham, Surrey, onde a gatinha foi acolhida.

Liz disse: “Um agricultor estava arando seu campo quando encontrou o pequeno Meadow caído no chão no meio da lama.

“O trator e o arado dele já haviam passado pela terra em que ela estava, então a gatinha deve ter ido parar diretamente embaixo da engenhoca mortal – é um milagre que ela tenha saído viva desse acidente, e muito mais ainda incólume”.

Foi publicado um post na internet onde a ONG pede que caso alguém reconhecesse Meadow, que entrem em contato com eles.

“Ela pode ser um animal em situação de rua que se separou de sua mãe, então se ninguém se apresentar como sendo a família dela, nós eventualmente vamos procurar por um novo lar para ela – uma vez que ela esteja grande e forte o suficiente”.

“Por enquanto, ela está morando comigo e minha outra gatinha adotiva, Sarah Beeny, que foi resgatada de dentro da cavidade de uma parede.

“Essas duas são um belo par de gatinhas aventureiros, com certeza”, disse Liz.

Ambos os gatinhos são muito jovens para terem sido separados de suas mães, o que significa que Liz tem que alimentá-los manualmente.

Os centros da RSPCA estão atualmente sobrecarregados com casos semelhantes, já que a “estação do gatinho” acontece de abril a setembro de cada ano, disse ela.

Foto: RSPCA/Solent News & Photo Agency
Foto: RSPCA/Solent News & Photo Agency

Ela acrescentou: “Com uma média de 86 gatos chegando aos nossos cuidados todos os dias e um pico durante o verão, isso destaca que o país está enfrentando uma crise de abandono de gatos com tantos felinos acabando em centros de resgate.

“Pedimos aos tutores de gatos que esterilizem seus animais domésticos para evitar filhotes indesejáveis de gatinhos”.

“Não há como negar que eles são adoráveis, mas também são trabalhosos, demorados e caros”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More