Notícias

Mico é encontrado morto em chácara na zona rural de Uberaba (MG)

Um mico foi encontrado morto no último sábado (1º) na MG-190, zona rural de Uberaba (MG). Segundo o Departamento de Controle de Endemias e Zoonoses, o animal estava em uma chácara e foi achado por moradores da região.

(Foto: Bruno de Almeida/Arquivo Pessoal)

A chefe do departamento, Lara Batista Rocha, disse à produção do G1 que, aparentemente, o mico não tem sinais de que tenha sido agredido ou atropelado.

O animal foi recolhido e será encaminhado para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte, onde a causa da morte de primatas é analisada.

Alerta

O surto de febre amarela no país no começo de 2018 levou moradores de algumas regiões atingidas a matarem macacos por medo da doença. Porém, o Ministério da Saúde alerta que os macacos não transmitem a doença diretamente para humanos.

Ao matar um macaco, a pessoa pode responder por maus-tratos e ser enquadrada no artigo 29 da Lei 9605/98 – Lei de crimes ambientais, com pena de detenção de seis meses a um ano, além de multa.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Macaco é encontrado morto em avenida de Uberaba (MG)

Um macaco foi encontrado morto na Avenida Orlando Rodrigues da Cunha, perto da rotatória do Parque do Mirante, em Uberaba, Minas Gerais.

Animal foi achado por populares embaixo de árvore no canteiro central (Foto: Reprodução/TV Integração)

Segundo o Departamento de Controle de Endemias e Zoonoses, o animal estava no canteiro central da avenida em baixo de uma árvore. Ele foi achado por populares que passaram pelo local.

Ainda conforme o departamento, aparentemente, o mico não apresentava sinais de que tenha sido agredido ou atropelado.

O mico foi recolhido pelo órgão e será encaminhado para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte, onde a causa da morte de primatas é analisada.

Alerta

O surto de febre amarela no país levou moradores de algumas regiões atingidas a matarem macacos por medo da doença. Porém, o Ministério da Saúde alerta que os macacos não transmitem a doença diretamente para humanos.

Ao matar um macaco, a pessoa pode responder por maus-tratos e ser enquadrada no artigo 29 da Lei 9605/98 – Lei de crimes ambientais, com pena de detenção de seis meses a um ano, além de multa.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Com sinais de atropelamento, mico é encontrado morto em Uberaba (MG)

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Animal foi encontrado na rua com sinais de atropelamento (Foto: Reprodução G1

Um mico encontrado morto na Rua Alexandre Amâncio de Souza, em Uberaba, foi recolhido por uma equipe do Departamento de Controle de Endemias e Zoonoses, nesta segunda-feira (13). De acordo com a equipe, o animal que tinha marcas de atropelamento, foi enviado para análise na Secretaria de Estado de Saúde, em Belo Horizonte.

No começo de fevereiro, dia 2, mais um caso de febre amarelo foi confirmado no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, em Sacramento. Mais tarde, em Uberaba, outra morte foi confirmada no dia 21. Dois dias depois, na manhã do dia 23 de fevereiro, um mico foi encontrado morto na BR-262 e foi enviado para exames. No início do mês, dois animais foram encontrados mortos em diferentes pontos da cidade.

Já no primeiro mês do ano, dois macacos foram encontrados mortos na zona rural do município. No Alto Paranaíba, um caso de morte de macaco por febre amarela foi confirmado no dia 15 de fevereiro, em Ibiá. Diante da situação, a Prefeitura reforçou as medidas de combate à doença.

No começo de março, os primeiros locais que registraram casos de morte por febre amarela foram: Uberlândia, Cascalho Rico e Araxá, no Alto Paranaíba. Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura de Uberlândia, o macaco com febre amarela estava morto em uma zona rural.

A Secretária de Saúde de Araxá, informou que no dia 14 de fevereiro, o macaco diagnosticado com a doença foi encontrado morto. Na última sexta-feira, a cidade de Ituiutaba teve o caso de morte de macaco por febre amarela confirmado. Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura, o macaco foi encontrado morto na zona rural, próximo ao Distrito Industrial.

​Read More
Notícias

Micos continuam sendo mortos na Gávea, no Rio

Mico encontrado na Gávea é levado para o veterinário, mas não sobrevive (Fotos/Divulgação)
Mico encontrado na Gávea é levado para o veterinário, mas não sobrevive (Fotos/Divulgação)

Na calçada da pacata rua dos Oitis, na Gávea, Zona Sul do Rio, o professor de Educação Física Joaquim Ferrari, de 47 anos, estranhou quando viu dois micos caídos, em convulsão. Intrigado, notou que outros saguis se alimentavam de um recipiente de plástico instalado em uma árvore e, em seguida, caíam, babando, e decidiu levá-los a uma clínica veterinária nas redondezas. Em minutos, os saguis definhavam, e a suspeita de envenenamento se confirmava.

“Não acreditei, num primeiro momento, que fosse envenenamento, mas quando vi que eles estavam comendo, comecei a desconfiar. Envolvi um deles no meu casaco e depois fomos pegando outros, mas não deu tempo de salvá-los. Fiquei muito triste com o sofrimento que vi e a preocupação é que crianças tenham acesso a essas substâncias”, disse o professor, visivelmente emocionado em vídeo gravado por um amigo que o acompanhava. Joaquim tentou registrar boletim de ocorrência na 15ª DP na Gávea, mas, segundo ele, agentes informaram que não poderiam receber a denúncia. Confira, no fim da página, a resposta da Polícia Civil.

Baldes com ração e veneno do qual os animais se alimentavam (Fotos/Divulgação)
Baldes com ração e veneno do qual os animais se alimentavam (Fotos/Divulgação)

Na clínica Intergavea, a minutos do ponto de envenenamento, a veterinária Lara Ferreira tentou, sem sucesso, reanimar uma família inteira de micos. Ao todo, oito animais morreram “envenenados por substâncias da classe dos organofosforados e carbamatos”, como escreveu a profissional no laudo.

micos-envenenados-na-gavea-3

No dia 2 de agosto, dois dias depois do primeiro incidente, a assessora de imprensa Patricia Bromirsky Leal se depararia com cena parecida: seis micos agonizavam, na mesma rua. Percebendo sinais de envenenamento, a jornalista partiu em busca de pontos onde as substâncias tóxicas pudessem ter sido colocadas para evitar novas mortes.

“Recolhi um dos animais, mas ele morreu antes de chegarmos ao veterinário”, lamenta Patrícia, e continua: “Depois dos micos, soube de três gatos e dois cachorros domésticos, além de um tucano” destacou Patricia.

Segundo a jornalista, há alguns anos moradores do bairro vêm se queixando da grande presença de micos na região.

“Entendo que existe um desequilíbrio, mas não é assim que devemos resolver as coisas. Além dos outros riscos que existem com o envenenamento, o sofrimento é enorme e desnecessário. Precisamos acionar as autoridades” conclui Patricia.

A denúncia de crimes ambientais pode ser feita em qualquer delegacia de polícia ou pelo Linha Verde do Disque-Denúncia 2253-1177 (capital do rio) ou 0300-253-1177 (estado do Rio, com custo de ligação local) ou para a Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais: (21) 2334-5906.

Leia, na íntegra, nota da Polícia Civil:

De acordo com o Delegado de Polícia José Alberto Pires Lage, titular da 15ª Delegacia de Polícia – Gávea, a unidade vai apurar a conduta do servidor e averiguar possível infração administrativa. Procedimento será instaurado para apurar o crime ambiental. A Corregedoria Interna da Polícia Civil já foi comunicada e também irá apurar o fato.

O cidadão que tiver qualquer dificuldade no atendimento em uma unidade pode entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC). O órgão foi criado para ampliar canal de comunicação entre a Polícia Civil e a sociedade. O serviço está disponível através dos telefones (21) 2334-8823, (21) 2334-8835 e pelo chat https://cacpcerj.pcivil.rj.gov.br/. A CAC irá entrar em contato com a vítima para prestar todo o apoio necessário e demais medidas que se fizeram cabíveis.

Fonte: Extra

​Read More
Notícias

Cadela ‘adota’ e amamenta filhotes de mico em Conquista (MG)

25
Divulgação

O amor entre animais de duas espécies diferentes não é tão comum, mas em Conquista, no Triângulo Mineiro, a história é comprovada pela relação de um amor incondicional entre a cadela Kiara e as duas macaquinhas Kika e Mel, que assumem o papel de mãe e filhas. De acordo com o veterinário e especialista em animais silvestres, Cláudio Yudi, casos como esse são muito raros.

O especialista conta que é comum os cães adotarem filhotes de gato, mas que de macacos é a primeira vez que ele presencia. “É muito raro de acontecer e dar certo, de tanto a cadela e os micos aceitarem. Nessa relação teve a sorte da cadela está saindo do cio e os filhotes estarem com fome e podendo se amamentar nela”, confirmou.

Divulgação
Divulgação

O motorista Mário Sérgio Bernardo é o dono dos animais e explicou que as macaquinhas apareceram sozinhas na residência. Ele saiu de casa para comprar uma mamadeira e quando chegou encontrou as duas mamando na Kiara, o que o deixou bastante surpreso. O apego entre elas é tão grande que mal conseguem ficar muito tempo longes umas das outras.

Conforme o veterinário, o leite da cadela é bem diferente do leite da espécie mico-estrela fêmea, mas foi suficiente pra deixar os filhotes nutridos. Sem ele, provavelmente a Kika e a Mel não teriam sobrevivido.

A cadela Kiara estava abandonada e foi adotada por Mário Sérgio em 2015. “Ela é uma prova de que os cães, mesmo rejeitados, já nascem sabendo amar e, sobretudo retribuir. O mesmo amor que eu dei pra ela, ela deu aos macacos”, finalizou Mário Sérgio.

A recomendação do Ibama é que animais silvestres não sejam criados em casa. Em casos assim, eles devem ser encaminhados a Centro de Triagem de Animais Silvestres ou para a Polícia Militar Ambiental.

Divulgação
Divulgação

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Jovem é suspeito de matar mico a facadas em praça de Juiz de Fora (MG)

Divulgação
Divulgação

Um jovem de 22 anos foi detido suspeito de matar um mico na Praça Jarbas de Lery na manhã desta quarta-feira (25), no Bairro São Mateus, em Juiz de Fora. De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar (PM), ele teve um surto psicótico e matou o animal a facadas.

Quando os policiais chegaram, o rapaz estava próximo ao animal, tranquilo. Ele teve a prisão anunciada e não apresentou resistência. A ocorrência ainda está em andamento.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Projeto em defesa do mico-leão-dourado é finalista do Prêmio Nacional de Biodiversidade

Foto: Juliana Guzzo
Foto: Juliana Guzzo

Terminou ontem a votação para eleger o projeto “Conservando a Mata Atlântica para manter uma população viável de mico-leão-dourado”, que está entre os finalistas do 1º Prêmio Nacional da Biodiversidade. Coordenado pela Associação Mico-Leão-Dourado, vários parceiros vem lutando pela causa, entre eles a Prefeitura de Casimiro de Abreu. A votação foi realizada pelo site oficial do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e o resultado será conhecido na noite da Cerimônia do Prêmio Nacional da Biodiversidade, nesta sexta-feira(22).

Concorrendo pelo júri popular com outras 17 iniciativas de várias partes do Brasil, a ONG Associação Mico-Leão-Dourado está entre as três finalistas.

Vivendo exclusivamente no interior do Estado do Rio de Janeiro, Casimiro de Abreu faz parte dos oito municípios que possuem as melhores condições ambientais para os micos viverem.

A Associação Mico-Leão-Dourado(AMLD) se dedica em aumentar a área protegida, já que um dos principais motivos para a extinção do mico é a falta de habitat. A Associação participa de estudos que defendem a ampliação das reservas da região.

De 888 iniciativas inscritas nesta 1ª edição do Prêmio Nacional da Biodiversidade, 18 concorrem a seis categorias. Academia, Empresas, Imprensa, Órgãos Públicos, Organizações Não Governamentais, e Sociedade Civil. Promovendo novas práticas na área de biodiversidade, a premiação será um grande diferencial entre as Instituições.

Fonte: Clique Diário

​Read More
Notícias

Bombeiros resgatam mico que ficou preso em linha de papagaio em BH

Mico-estrela é resgatado pelo Corpo de Bombeiros em Belo Horizonte (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Mico-estrela é resgatado pelo Corpo de Bombeiros em Belo Horizonte (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Militares do Corpo de Bombeiros resgataram, nesta terça-feira (28), um mico-estrela que ficou preso em uma linha de papagaio, em Belo Horizonte. O animal foi encontrado em uma árvore, na Rua do Ouro, no bairro Serra, na Região Centro-Sul.

Segundo a corporação, ele teve cortes e foi levado para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

De acordo com a analista ambiental do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Érika Procópio, que trabalha no centro de triagem do Ibama, o animal é uma fêmea jovem. Segundo ela, as lesões foram superficiais. Por se tratar de um animal que vive em grupos, após o tratamento, o mico vai ser integrado a um bando e devolvido à natureza.

Em Belo Horizonte, é possível encontrar micos-estrelas em diversos pontos da cidade. “Quando há perda do habitat, eles se adaptam bem ao ambiente urbano”, diz a analista ambiental. Érika ressalta que, na capital mineira, eles encontram diversas árvores e também alimentos à disposição. Entretanto, ela orienta que a população não alimente esses animais.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Mico leva choque elétrico e é resgatado em Uberaba (MG)

Animal foi encaminhado ao Hospital Veterinário de Uberaba
Animal foi encaminhado ao Hospital Veterinário de Uberaba

Militares da 5ª Companhia Independente de Meio Ambiente e Trânsito Rodoviário, resgataram um mico que foi atingido por descarga elétrica. O choque aconteceu na Rua Primo Silveira Espírito Santo no bairro Jardim Triângulo, quando o ajudante de motorista A.H.S.C., 20 anos, trabalhava na via e viu quando o mico-estrela, subiu no poste e ao encostar na rede elétrica, foi atingido pela descarga. A testemunha, pegou o animal e o levou para a Área Integradfa de Segurança Pública (Aisp) do bairro Boa Vista e entregou o animal para os militares do plantão.

Em seguida militares de uma viatura da Polícia Ambiental, foi até a Aisp e os policiais constataram que o mico ficou ferido devido à descarga. Ele foi capturado e encaminhado para o Hospital Veterinário de Uberaba, onde permanece internado.

Fonte: Jornal de Uberaba

​Read More
Notícias

Em dois dias, 6 micos são achados mortos no interior da Bahia

Ministério Público foi acionado e deve pedir que polícia abra inquérito (Foto: Acervo pessoal)
Ministério Público foi acionado e deve pedir que
polícia abra inquérito (Foto: Acervo pessoal)

Em dois dias, uma moradora da Rua da Vitória, na cidade de Cruz da Almas, localizada a 135 quilômetros de Salvador, encontrou seis micos mortos no quintal de casa. Ela, que não quis se identificar, acredita que os animais foram vítimas de envenenamento.

“Já aconteceu aqui na rua de gatos morrerem envenenados, por isso acho que a causa da morte dos micos seja a mesma”, diz.

Ela conta que na última segunda-feira (1º), encontrou dois animais, sendo que um ainda estava vivo. “Um estava agonizando no momento que eu os vi. Cheguei a dar um sulfato de atropina que uma ambientalista daqui me recomendou, mas ele acabou morrendo”, afirma.

No dia seguinte, a mulher achou mais quatro micos mortos no quintal da casa onde mora. “Fui ao Ministério Público (MP) nesta quarta (3) e apresentei uma denúncia sobre o caso”, revela.

De acordo com Jossam Santana, assistente da promotoria do MP de Cruz das Almas, a denúncia foi registrada no fim da manhã. “Como a denunciante não apresentou um possível autor do crime, o que deve ocorrer é o promotor pedir que a polícia abra uma inquérito para apurar o caso”, destaca Santana

De acordo com a Lei de Crimes Ambientais, quem for condenado por matar um animal silvestre pode pegar detenção de seis meses a um ano, além de multa.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Filhote de mico que caiu de árvore melhora e é transferido para Goiânia

Mico ganhou peso e já está saudável (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Mico ganhou peso e já está saudável (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Após receber tratamento, o filhote de mico-estrela encontrado machucado em Itumbiara, no sul de Goiás, foi encaminhado à capital, na quarta-feira (13). O animal chegou a ser levado até a praça onde foi achado para voltar a viver com a mãe, mas ainda estava frágil e não se adaptou. Agora, ele passa por um processo de readaptação no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Goiânia.

O filhote de cerca de um mês de vida foi resgatado no dia 26 de outubro, após cair de uma árvore. Bastante debilitado, o animal precisava receber hidratação à base de soro e leite a cada duas horas. Durante o tempo que ficou sob os cuidados do veterinário, o mico se recuperou e ganhou peso. Além disso, recebeu um nome: Chiquinho.

De acordo com o veterinário que cuidou do mico, Murilo Junqueira, o bicho já se recuperou, mas ainda terá de ser preparado para voltar à natureza.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Em tratamento, filhote de mico ferido ao cair de árvore ganha nome

mico-melhora2
(Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O filhote de mico-estrela resgatado após cair de árvore em Itumbiara, no sul do estado, apresenta melhora no quadro de saúde. De acordo com o veterinário Murilo Junqueira, responsável pelo tratamento, o animal continua recebendo atenção redobrada e toma leite a cada duas horas. No entanto, ele já está bem mais ativo do que quando chegou à clínica. “Ele se coça, agarra tudo o que pode e já anda”, conta.

Segundo Junqueira, o mico virou uma celebridade na cidade e ganhou até nome. “É o Chiquinho. Todo mundo pegou muito amor por ele aqui. E quando a gente sai de perto ele já começa a gritar”, afirma.

A queda aconteceu na última quarta-feira (24), porém o bicho só começou a receber tratamento dois dias depois. De acordo com o veterinário, o animal não sofreu fraturas, mas precisava de cuidados.

No último fim de semana, a Polícia Ambiental esteve na clínica para avaliar o mico, com a intenção de levá-lo para Goiânia. No entanto, como ele ainda estava debilitado, os agentes acharam melhor manter o animal na cidade.

Junqueira afirma que já tentou colocar o mico de volta na árvore da qual caiu, mas ele não conseguiu se segurar à mãe. “A gente vai ficar com ele até a próxima quarta-feira (30) para que ele fique mais forte. Aí tentaremos soltá-lo de novo”, concluiu.

Fonte: G1

​Read More