Você é o Repórter

Cão cego e idoso busca tutor sem preconceito em São Leopoldo (RS)

Um cão que é chamado de Preto precisa muito de ajuda. Ele é um cãozinho idoso, de porte médio, que foi acolhido e cuidado, mas agora precisa de uma família que possa dar a ele um lar e muito amor.

(Foto: Bicho na lente)

A questão é que o Preto além de idoso é cego, tem o maxilar quebrado e um afundamento no cérebro que provavelmente decorrente de um atropelamento.

Foi resgatado no bairro Rio dos Sinos em São Leopoldo (RS), momento em que quase foi atropelado por um caminhão. Após, precisou de muitos cuidados.

O problema é que a pessoa que o resgatou não tem condições de cuidar dele e tão pouco de pagar um veterinário. Há dois anos o cão está em um ambiente nada favorável para um animal, muito menos na condição dele. Preto fica em um espaço pequeno e úmido, que embora tenha casinha e cobertores, não é ideal para ele, e fica sozinho.

(Foto: Bicho na lente)

Ele precisa de uma família que lhe dê amor, carinho, companhia e cuidados que vá necessitar futuramente.

O Preto aguarda adoção em São Leopoldo, para adotar entre em contato com a Eliani pelo telefone (51) 99195-3545.

​Read More
Notícias

Cão é agredido e tem maxilar quebrado por homens em um churrasco

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Um cachorro de rua foi agredido e teve o maxilar praticamente arrancado por homens em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. O motivo da agressão choca mais ainda: o animal foi espancado porque teria “roubado” um pedaço de carne de um churrasco.

Logo que a ação aconteceu, o Grupo Força Animal foi avisado. “Depois de passarmos a madrugada inteira atrás dele, o encontramos muito mal”, contou Danielly Savi.

O bichinho, que parece já ter mais idade, foi resgatado e está internado em uma clínica veterinária no Santa Quitéria, em Curitiba. “Conseguimos trazê-lo e agora ele está recebendo todo o tratamento que merece. Mas está sofrendo muito, porque sente fome e não consegue comer direito”.

Logo que o animal foi resgatado, um vídeo contando a história do cachorro, que recebeu o nome de Sebastião, foi postado na página da Força Animal no Facebook. O vídeo foi visto mais de 20 mil vezes e teve mais de 1.400 compartilhamentos. No vídeo, Danielly e os integrantes do grupo fazem um desabafo e, por fim, pedem ajuda para o tratamento do animal. “Ele está todo quebrado. Não consegue se alimentar direito por causa da atrocidade que fizeram com ele e isso também está o prejudicando na respiração”, escreveu Danielly.

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

“Choro sem vergonha, quase não enxergo as letras para escrever, de tristeza e revolta por pertencer a esta raça humana, vergonha e também medo”, desabafou. De acordo com Danielly, agora o Sebastião precisa de doações. “Vamos complementar os exames, nossos veterinários pediram opiniões de especialistas, nessa semana ainda vamos levar em alguns para decidirmos se é possível operá-lo e qual técnica vamos utilizar. Mas enquanto isso, precisamos que as pessoas nos ajudem com ração pastosa, pois ele não consegue comer direito, e precisamos até de dinheiro para ajudar nos custos com o tratamento. Sozinhos não vamos conseguir”.

“Ele está disponível para receber visita. Quem quiser conhecer e ver o quanto é bonzinho, pode passar e dar um afago a este anjo que já sofreu tanto”. O Sebastião está internado na Rua João Alencar Guimarães, número 113, no Santa Quitéria. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelos telefones (41) 3503-3531, 9887-0463 ou 9686-2884.

O Sebastião precisa de doações:

– Amoxixilina + cluvalanato de potássio 500 mg ou 700mg (retirar receita na clínica)

– Ajuda para pagar os exames e tratamento

– Ração pastosa de qualidade

– Ração miudinha “mini bits” de qualidade (facilita mastigação)

– Cobertinhas

Atrás dos suspeitos

Assim como a reportagem da Tribuna tomou conhecimento sobre o caso de agressão pelas redes sociais, o delegado Fábio Machado dos Santos, de Fazenda Rio Grande, também. Isso porque de acordo com ele não foi feita nenhuma denúncia formal na delegacia sobre o episódio. Apesar disso, a polícia já trabalha para encontrar os agressores.

“O fato, até agora, é que não sabemos a data exata da agressão. O que sabemos é que, provavelmente, aconteceu no final de semana e que foi num churrasco em uma região que, segundo a própria moça que o resgatou, é perigosa”, contou o delegado.

Segundo a polícia, depois que o animal foi agredido, ele ficou na rua agonizando e o Grupo Força Animal foi acionado por moradores que se depararam com o bicho todo machucado. De qualquer forma, logo que os policiais souberam do caso, uma equipe de investigação foi mobilizada para tentar encontrar os suspeitos.

“As imagens são lamentáveis. E o que fizeram com o Sebastião é horroroso. Lamentamos mais ainda que ninguém tenha denunciado o caso à polícia”, disse Fábio Machado. A falta de denúncia na delegacia pode estar relacionada ao perigo da região onde os fatos aconteceram. “A moça que fez o resgate contou que foi até ameaçada por algumas pessoas”.

A polícia continua atrás dos autores e espera encontra-los até mesmo através de denuncias da população. “Com certeza pelo menos um morador sabe onde o crime aconteceu e pode nos contar. Essa informação é importantíssima e pode ser feita de forma anônima”, disse o delegado. O telefone da Delegacia de Fazenda Rio Grande é o 3604-8557.

Fonte: Paraná Online

​Read More