Notícias

Youtuber é acusado de maus-tratos após mergulhar com peixes em box de banheiro inundado

Danilo Vieira pousa para vídeo com animais no banheiro | Fonte: Youtube/Reprodução

O youtuber Danilo Vieira, do canal de variedades DVC, se tornou alvo de críticas e acusações de maus-tratos aos animais nesta semana, após publicar um vídeo em que aparece mergulhando com peixes em um box de banheiro. Na publicação, Danilo manipula os animais enquanto posa para fotos.

Segundo Danilo, a ideia do vídeo surgiu após assistir pessoas inundando o box para tomar banho. Em uma campanha para conseguir curtidas em seu canal, ele decide ir além e se propõe mergulhar com pequenos peixes, transformando o espaço em uma simulação de aquário gigante.

Na publicação, o youtuber mostra o passo a passo do projeto, em que utiliza fitas para vedadação do vidro, enche-o com água do chuveiro e mergulha com cerca de seis peixes da espécie kinguio – o popular “peixinho dourado”. Em determinado momento, Danilo aparece manuseando os animais com a mão fora da água. “Se esse vídeo chegar a 50 mil likes, eu irei fazer outros desafios aleatórios”, afirma.

Desde a publicação, realizada na última quarta-feira (1), diversos usuários da rede vêm criticando a atitude. “Quem conhece os peixes e estuda sobre eles sabe o quanto eles sofreram nesse vídeo. Tem vários erros graves, entre eles estão o cloro que vem da água de torneira e os resíduos químicos que ficam no piso do banheiro”, alerta um usuário.

O site dedicado ao aquarismo chamado Aquaa3 foi mais além, e criou uma campanha para denunciar a publicação e retirar o vídeo do ar. No texto, são apresentados argumentos sobre o porquê da “brincadeira” ser considerada como maus-tratos aos animais.

“Esse cidadão do vídeo que viemos aqui denunciar trata os peixes como quaisquer outros brinquedos inanimados, desrespeitando a vida. Além do que, os maltrata manipulando-os grosseiramente para fotografar-se numa situação, por ele considerada, engraçada: nadar com peixes dentro de um box inundado”, critica o texto.

Fonte: Diário de Pernambuco

​Read More
Notícias

Dona de pet shop é denunciada por maus-tratos a animais Cuiabá (MT)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A proprietária de um pet shop na cidade de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiaba, será denunciada à Policia Ambiental por “imperícia, maus-tratos e risco de morte animal”. O encaminhamento será feito pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária, que autuou em flagrante seu estabelecimento comercial por realizar vacinação ilegal em cães e gatos. De acordo com o artigo 8º da resolução do CFMV 682/2001, a vacinação de animais e outras práticas permitidas apenas às clinicas veterinárias é proibida aos comércios de produtos veterinários.

A empresa terá que pagar uma multa no valor de R$ 18 mil. O responsável técnico da empresa também foi autuado em R$ 6 mil por infração ao artigo 6º da mesma resolução, por permitir que o estabelecimento praticasse a vacinação. O profissional também responderá a processo ético por deixar inúmeras carteiras de vacinação previamente assinadas em branco no estabelecimento. Uma denúncia de crime contra saúde pública também será enviada ao Ministério Publico Federal.

A infração cometida pelo pet shop está descrita no artigo 32 da Lei Federal 9.605/1998. Nem ela nem ou seus funcionários possuem habilitação legal para clinicar, receitar ou administrar qualquer fármaco a animais.

O presidente do CRMV, Verton Marques, afirma que este trabalho é desenvolvido desde 2012, quando houve intensificação da fiscalização contra a prática do exercício ilegal da profissão por balconistas, assim como, a atuação irresponsável dos profissionais que se habilitam como responsáveis técnicos dos estabelecimentos. “Já foram feitas inúmeras autuações como esta, mas nunca foi constatada tamanha irresponsabilidade”, diz Marques.

Até o término de 2014, O CRMV fará a fiscalização e verificação de conformidade em todas as clinicas e consultórios do Estado de Mato Grosso, como forma de preparação para as novas exigências que entrarão em vigor com a republicação da resolução do CFMV nº1015.

Fonte: Gazeta MT

​Read More
Notícias

Servidora pública socorre aves que sofreram ferimentos ou ficaram doentes

O que fazer quando presenciamos a queda de uma ave do ninho? Ou quando os bichinhos se chocam contra os vidros da casa, ficando aturdidos? Na dúvida, ligue para a encantadora de pássaros. É assim que a servidora pública Silvana da Silva Culetto, 47 anos, é conhecida. Apaixonada por esses animais desde a infância, ela montou na própria casa um mini-ambulatório para socorrê-los. O projeto, tocado de forma independente, se chama S.O.S Passarinhos.
Silvana da Silva Culetto durante um de seus resgates

O modus operandi da socorrista é simples: aonde que vá, ela leva consigo uma bolsa especialmente preparada, contendo uma gaiola, panos, seringas e ração. Por telefone, ela se prontifica a orientar os que entram em contato. Quando a situação é grave, ela se desloca para o local — sem cobrar nada por isso. A Revista teve a oportunidade de acompanhar um desses resgates, em uma residência em Ceilândia. O pedido de socorro veio da dona de casa Ilza Moreira Marques. A vítima? Um pardal.

Não é a primeira vez que Ilza aciona os serviços da servidora pública. “Não sei cuidar dos pássaros que caem aqui na varanda de casa. São muitos. Aí eu chamo a Silvana”, justifica. Vestida a caráter, com botinas, um macacão confortável e um chapéu para se proteger do sol, a encantadora de pássaros já chega assobiando e conversando com o bicho, para acalmá-lo. Geralmente, quando feridas, as aves se recusam a se alimentar. “Por isso é preciso adquirir a confiança delas”, explica. Dessa vez, o “paciente” precisou ser recolhido. Ficará com a servidora até ter condições de voltar à natureza.

Silvana, que não tem formação veterinária, conta que seu afeto excepcional pelos emplumados começou quando se divertia na chácara da mãe. Ali ela se revoltou pela primeira vez com a crueldade do ser humano. “Na época, menino para ser homem tinha que saber dominar a bolinha de gude e o estilingue para acertar pássaros a distância. Hoje, não se vê muito isso, mas espero que essa prática se extinga completamente.”

Ao longo dos anos, ela conquistou o apoio de outros amigos dos animais, constituindo uma verdadeira rede de contatos. Uma das colaboradoras mais constantes é a enfermeira Isabel Maria Banquart, 47. Natural de Portugal, ela trabalha nas embaixadas dos EUA e do Canadá e coordena sua própria ONG de apoio a cães e gatos, a Salvando Vidas. “A ação da Silvana é maravilhosa. Ela mora em um apartamento modesto e cedeu o quarto para os pássaros ficarem. Passou a dormir na sala em prol dos passarinhos. Pode imaginar isso?”, exalta. As duas se conheceram quando Isabel encontrou um passarinho machudado, que havia colidido com uma vidraça — essa é, por sinal, uma das principais causas de acidente envolvendo aves.

Outro parceiro é o diretor do Centro de Ensino Médio de Ceilândia José Gadelha Loureiro, que sempre convida a servidora para promover palestras. “Acho importante o projeto dela para conscientizar os alunos. As palestras são lúdicas e interativas, o que desperta o interesse dos adolescentes”, enfatiza. Para Silvana — que também conta com a ajuda de uma marca de rações para alimentar seus hóspedes —, atitudes simples fazem a diferença. “Se cada um fizer o seu papel, as aves e o meio ambiente agradecem. Um começo são as crianças e adolescentes”, enfatiza a encantadora de pássaros.

Fonte: Correio Braziliense

​Read More
Notícias

Homem é preso depois de maltratar e tentar matar cavalo em Curitiba (PR)

No fim da tarde de ontem, 11 de janeiro de 2011, recebemos ligação de funcionários da Creche Municipal Vila Vitória pedindo ajuda para um cavalo que estaria caído em um terreno baldio no bairro Sítio Cercado há muitas horas. Nos dirigimos até o local e encontramos o animal caído se debatendo, com miíase (larvas) pelo corpo e ferimentos. Pedimos o apoio da Guarda Municipal de Curitiba (GMC) que chegou ao local logo em seguida e também ao Centro de Controle de Zoonoses e Vetores (CCZV) para nos auxiliar no resgate. Havia outro cavalo no local que segundo testemunhas seria da mesma pessoa.

Neste meio tempo o responsável pelo animal, Nelson Fernandes, apareceu no local. Tentou se justificar dizendo que o teria pego já maltratado há dois meses. Informamos que o estado do animal era grave, estava abandonado no local há muitas horas, que maltratar animais é crime ambiental e que teria que se explicar na delegacia de polícia. Foi preso em flagrante pela GMC e levado para a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) onde foi lavrado Termo Circunstanciado (TC) e responderá processo criminal.

Vítima da violência e crueldade humana. Foto: GMC

Logo em seguida funcionários do CCZV encontraram vestígios de sal e embalagem de seringa próximo ao cavalo e descobrimos por testemunhas que Nelson havia injetado 5 seringas de 10 ml com sal e água na veiado cavalo para matá-lo. Também havia feito uma solicitação no 156 para retirada de um cavalo morto daquele local às 14h, o que foi o mais revoltante de toda situação. O documento estava com os funcionários do CCZV com os dados da solicitação incluindo seu nome. Passamos estas informações a DPMA.

Infelizmente o cavalo teve que ser eutanasiado no local pela Dra Cristiane Raquel Stroka P. Zavaski do CCZV, pois estava muito mal, em muito sofrimento sem possibilidade de recuperação. Retiramos o outro cavalo, pois assim que tivesse um problema de saúde teria o mesmo fim cruel e doloroso do seu companheiro. O CCZV fez o transporte do animal para a chácara da Sociedadede Protetora dos Animais de Curitiba (SPAC) em Colombo onde chegamos às 21h. Ele poderá ser adotado por uma família responsável.

Em dez dias, Nelson Fernandes terá que se apresentar no Juizado Especial Criminal do Sítio Cercado. Será denunciado também no Instituto Ambiental do Paraná (IAP) onde sofrerá processo administrativo, além do criminal, com autuação de R$500,00 a R$3.000,00.

Fonte: Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba
www.spacuritiba.org.br

​Read More