Notícias

Aumento do número de baleias encalhadas motiva treinamento para voluntários nas praias

Foto: BDMLR/Caters News
Foto: BDMLR/Caters News

Ativistas aprenderam como salvar a mamíferos marinhos encalhados praticando o treinamento com baleias infláveis. O aumento no número de baleias encalhadas no litoral do Reino Unido motivou a iniciativa.

No exercício, 70 voluntários ensaiaram os passos a serem realizados no caso de encalhe de uma baleia ou um grupo delas ficasse preso na praia.

Os exercícios foram realizados em Musselburgh, perto de Edimburgo, na Escócia, e foram liderados pela instituição britânica British Divers Marine Life Rescue, que usou modelos de borracha no lugar de baleias de verdade.

Foto: BDMLR/Caters News
Foto: BDMLR/Caters News

Dan Jarvis, oficial de desenvolvimento social da ONG British Divers Marine Life Rescue – BDMLR, na sigla em inglês, disse ao jornal East Lothian Courier: “Esses exercícios não acontecem com muita frequência, pois são um enorme desafio logístico para se reunir uma grande proporção de nossos recursos e equipamentos de resgate por todo o país, em um único lugar ao mesmo tempo”.

“No entanto, eles são realmente importantes e úteis para nossos voluntários”, admite o especialista em salvamento de mamíferos marinhos.

“O treinamento ajuda a equipe a ganhar experiência, testar suas habilidades em primeiros socorros e avaliação situacional e, principalmente, para que nossos coordenadores de incidentes realmente se encarreguem de liderar um resgate e organizar tudo, desde cuidados com os animais até o contato com serviços de emergência, o controle de multidões e o atendimento à mídia”.

Foto: BDMLR/Caters News
Foto: BDMLR/Caters News

A Grã-Bretanha teve um aumento de encalhes em massa envolvendo baleias-piloto nos últimos anos, e em particular, um dos maiores incidentes já registrado, envolvendo mais de 70 animais no extremo norte da Escócia.

Encalhes em massa podem ocorrer porque um animal doente ou ferido inadvertidamente leva os outros para terra enquanto tentam ajudá-lo; alguns deles ficam assustados com barulhos subaquáticos, como sonares ou explosões; ou simplesmente entram em áreas entre marés e ficam desorientados em um habitat desconhecido.

Foto: BDMLR/Caters News
Foto: BDMLR/Caters News

Corinne Gordon, coordenadora de área do BDMLR para a região de Edimburgo, disse ao Daily Mail: “Estou realmente ansiosa para assumir esse desafio e ver como podemos atuar não apenas como indivíduos, mas trabalhando juntos como uma equipe”.

“Essa é uma das coisas surpreendentes dessa ONG, pois, como voluntários treinados, ainda podemos essencialmente ser estranhos um ao outro, mas quando convocados em uma situação da vida real, nos reunimos para fazer nosso melhor por essas criaturas belas e únicas”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Tartaruga-verde é encontrada morta no litoral do Paraná

Uma tartaruga-verde foi encontrada morta no Paraná. O corpo foi localizado no Balneário Flórida, em Matinhos, no sábado (13).

Foto: Lourival Marques Filho/Arquivo pessoal

Trata-se de um animal jovem, segundo a bióloga Camila Domit, coordenadora do Laboratório de Ecologia e Conservação do Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). De acordo com ela, a mortalidade de tartarugas na região aumenta no inverno.

“Em nosso litoral ha uma agregação de vários animais que migram nesta época do ano, até por conta do frio nas regiões mais ao sul, por exemplo, no Uruguai e na Argentina (…) o fato de termos mais tartarugas na região e também o fato de ser um período que há muita pescaria”, disse a bióloga ao G1.

A especialista explicou que a pesca de arrastão captura os animais e os leva ainda vivos para a praia.

De volta ao habitat

Em Santos (SP), duas tartarugas-verdes foram devolvidas ao mar no sábado (13) após receberem tratamento veterinário.

Foto: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

As tartarugas pesam cerca de 20 kg cada e a carapaça delas mede em torno de 60 centímetros. Elas foram submetidas a tratamento por aproximadamente um ano para monitoramento da saúde e também passaram por cirurgias a laser para retirada de tumores.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Tartaruga em praia
Notícias

Tartaruga encontrada morta em praia chama atenção em Matinhos (PR)

Quem acionou a equipe foi o empresário Almir Alves, que mora no Litoral do Estado. Ele conta que o tamanho da tartaruga na areia chamou sua atenção. “Estava chovendo muito e vi de longe o detalhe na areia. Fui até lá e vi que a tartaruga estava morta”, contou.

Tartaruga em praia
Foto: Almir Alves / Colaboração

A tartaruga foi recolhida na manhã de sábado (30) e passa por análise da equipe do CEM. A bióloga Camila Domit afirmou que o animal já está em estado de decomposição, situação que compromete um pouco os estudos.

“É uma tartaruga sub adulta ou adulta. Vamos investigar o caso, realizar a necropsia nesse animal e a partir da necropsia talvez a gente encontre algum indicativo da saúde e possível causa de morte. O problema é que com o estado de decomposição em que ela se encontra, a gente já não consegue fazer uma avaliação de boa qualidade, mas faremos o melhor”, garantiu.

A tartaruga cabeçuda é a segunda espécie mais frequente no litoral entre as tartarugas-marinhas. A mais comum é a tartaruga verde juvenil.

Fonte: Massa News

 

​Read More
Notícias

Ministério Público pede controle de animais abandonados em Matinhos (PR)

Foto: Correio do Litoral
Foto: Correio do Litoral

A promotora de Justiça Carolina Dias Aidar de Oliveira expediu recomendação à Prefeitura Municipal de Matinhos (PR) para que viabilize, em seis meses, projetos de controle populacional de animais abandonados, através da castração de cães e gatos.

O Ministério Público na Comarca aponta que os projetos de atendimento aos animais devem ser feitos através de convênios com instituições de ensino da região (universidade/faculdade), às custas do município.

A recomendação também determina que sejam disponibilizados serviços de vacinação e vermifugação e desenvolvidas ações de educação ambiental. Devem ser estabelecidas punições para os casos de abandono e maus-tratos. Os valores arrecadados com as multas deverão ser direcionados ao Fundo Municipal de Saúde, para que financiem atividades de controle, manejo e alojamento de animais apreendidos em vias públicas ou mantidos em observação clínica em locais de isolamento.

A Promotoria de Matinhos destaca que, conforme a Lei Federal 6.938/81 (Política Nacional do Meio Ambiente), a defesa da fauna estende-se inclusive aos animais domésticos e domesticados, fazendo parte do meio ambiente.

Fonte: Correio do Litoral

​Read More