Você é o Repórter

Abrigo busca padrinhos para cães que contribuam com R$ 25 mensais

O abrigo Recanto dos Anjos, localizado no distrito de Parelheiros, no município de São Paulo, está à procura de padrinhos e madrinhas para os cães mantidos no local que contribuam mensalmente com a quantia de R$ 25 para ajudar a arcar com os gastos da alimentação dos cachorros.

Para se tornar padrinho ou madrinha basta enviar uma mensagem aos responsáveis pelo abrigo por meio do Facebook ou entrar em contato com Luzia Maria Campozana Carreiro pelo e-mail luzia.carreiro@uol.com ou pelo telefone 11 981757637 ou com Elizabeth Magalhães Piai pelo e-mail bethpiai@gmail.com ou pelo número 11 999821510.

Conheça alguns dos cães mantidos pelo abrigo:

​Read More
Você é o Repórter

Cadela com TVT precisa de madrinhas em Diadema (SP)

Cleide
luci-cleide@uol.com.br

A cadela da imagem é carinhosamente chamada de Tina. Ela está lutando contra um Tumor Venéreo Transmissível (TVT) e precisa de muita ajuda e apoio. Ela está abrigada temporariamente, mas precisa de madrinhas para ajudar na alimentação e tratamento. Tina será disponível para adoção assim que estiver saudável. Interessados em ajudar com esse final feliz entrem em contato com a Cleide através do telefone abaixo.

Divulgação
Divulgação

Contato: Cleide, tel: 11 – 9 5404-4006

​Read More
Você é o Repórter

Cão resgatado de atropelamento precisa de ajuda, em SP

Alê Sandra Santos
sandrasamysantos@gmail.com

Foto: Divulgação

Este é o Bruninho, foi atropelado, resgatado pela Graziella e trazido para minha casa. Para pagar o veterinário praticamente já conseguimos através da Tânia Mhara, não o levamos ainda porque não temos carro e nem grana para o taxi dog.

A Graziella não tem como manter o Bruninho, por isto ele precisa de padrinhos e madrinhas para o medicamento, mensalidade e ração, prestarei contas de tudo como faço com todos os meus hóspedes.

Por favor, repasse aos seus contatos para quem sabe conseguirmos apadrinha-lo.

Conta da Caixa Ag.3253 Op.023 C/C 00001229-0,
Itaú ag. 7371 C/P 04715-2/500 ambas em nome.

​Read More
Você é o Repórter

Cãozinho ferido com arame farpado corre risco de ser atropelado em avenida perigosa de Santo André (SP)

Rosana Sales
rozalles21@gmail.com

Foto: Divulgação

Eu estava vindo para casa e na lentidão do trânsito, quando avistei todo encolhido nos pedregulhos de uma construtora esse cãozinho.  Dei a volta no quarteirão e quando me aproximei dele, ele logo foi abanando o seu rabinho, percebi que tinha algo em seu pescoço, era arame enfarpado, meu marido conseguiu retirar somente um, outro somente com alicate.

Dei a ele alguns biscoitos, pois era a única coisa que eu tinha em meu carro, ele estava faminto. Fui para casa e lhe trouxe comida, àgua, cobertor e uma caixa grande, foi o que eu pude fazer. Falei com o funcionário que ali estava para que ele o recolhesse e como não é de se espantar, ele nada quis fazer: Na concepção dessas pessoas, ele é apenas mais um cão!

Bem, eu não estaria aqui fazendo esse pedido de ajuda se eu tivesse um lugarzinho em minha casa, pois certamente ele estaria ao meu lado seguro e acomodado. Quem pode acolher esse peludinho? Quem pode amadrinhá-lo?

Ele precisa de ajuda! Ele precisa ser retirado de lá o mais rápido possível. Está ao lado da Av.Pereira Barreto, na Rua Julio Dantas após a Igreja Dínamo, em Santo André (SP). Essa avenida é muito movimentada e perigosa, esse anjo inocente e indefeso corre o risco de ser atropelado.

Quem puder ajudar entre em contato comigo através dos tels: 4426-4058/83878869 ou email: rozalles21@gmail.com

​Read More
Você é o Repórter

Cadela pit bull vivendo há anos sozinha em terreno baldio precisa de ajuda, em SP

Cristina Avarese
cristina@markup.com.br

Foto: Divulgação

Peço atenção especial para este caso, esta cachorra vivia com um macho na casa ao lado deste terreno há 5 anos atrás, o tutor deles mudou e abandonou os dois neste terreno baldio. O macho fugiu, brigou na rua com outro cão, o tutor do outro cão deu muitas pauladas nele e o jogou de volta ao terreno, ele morreu lá dentro dias depois, imaginem o sofrimento dele dias a fio antes de morrer.

A  fêmea está morando no terreno sozinha, trancada, ao relento há anos, como o local é de difícil acesso, o vizinho que a alimenta joga comida em um saco, ela rasga este saco e come, água não bebe, pois não tem como jogar.

Ela chora quando as pessoas se aproximam desta única portinha onde ela aparece nas fotos, único contato que tem com o mundo.

Por favor, vamos nos unir, se não tiver algum lar para levá-la, vamos pagar um pouco cada um para somarmos R$ 250,00 por mês para amadrinharmos esta cadela na Pitcão. Se aparecer madrinhas que realmente se comprometam mensalmente, pedirei à Pitcão que a resgate.

Por favor, vamos ajudá-la!

Contato: Cristina Avarese (11) 2532-5771   e  (11) 9226-5771

​Read More
Você é o Repórter

ONG faz campanha de apadrinhamento para ajudar animais resgatados em SP

Marli Scaramella
mascaramella@terra.com.br

Campanha de apadrinhamento de nossos animais

Para apadrinhar nossos cães, temos 3 planos:

a) R$ 30,00

b) R$ 45,00

c) R$ 60,00

Ou ainda como madrinha ou padrinho solidário contribuindo com  quanto puder ou desejar, pedimos apenas que sua contribuição possa ser fixa e se possível que nos informe o melhor dia para sua contribuição.

Para apadrinhar um cãozinho, é só enviar um e-mail para mascaramella@terra.com.br com o título: “Qeuro ser padrinho/ madrinha de um cãozinho”.

Informar o plano escolhido e se deseja receber boleto bancário.

Para colaborar com qualquer quantia para o sustento e medicação dos 450 cães aos cuidados da ABEAC – Associação Bem-Estar Animal Amigos da Célia, segue conta bancária:

Banco Itaú (341)
Agência 0772
Conta-Corrente 52385-8
CNPJ: 06.164.870/0001-82

Quem não tem conta no Itaú e preferir boleto bancário, é só pedir que

enviamos por e-mail. Precisamos apenas de alguns dados:

Nome completo/

endereço completo/

CPF/

Valor/

data de vencimento.

Algumas pessoas podem achar que por estarmos sempre pedindo ajuda, não temos controle sobre nossas contas e  estamos sempre resgatando animais sem ter condições. Mas não é bem assim. A Abeac em janeiro deste ano, tinha 380 cães, mas resgatamos 55 em estado de miséria absoluta no dia 5 do mesmo mês, sendo que 4 fêmeas estavam prenhas; os filhotes nasceram e hoje temos 450 cães.

Esses são alguns dos 55 cães que resgatamos no bairro da Pedreira em janeiro. Olha só como eles estão ficando cada dia mais lindos! Hoje, eles tem o cantinho deles, não passam mais fome, frio. São alegres, felizes, brincam o dia inteiro, são dóceis, fazem festa para todo mundo e adoram receber carinho.

Por não haver lugar em nosso canil, tivemos que alugar uma chácara,  construir canis e contratar mais um funcionário. Na mesma época, perdemos a parceria com um fabricante de ração super premium que nos vendia  a preços abaixo de custo. Essa parceria durou quase 2 anos e graças a ela conseguimos construir 90 canis na sede da Abeac para acomodar nossos 380 cães. Mas sabíamos que não era uma coisa certa, não tínhamos nenhum contrato e nem o fabricante obrigação de nos vender ração a esse preço. Os gastos que tínhamos com ração pulou de R$ 6.000,00 para R$ 20.000,00/mês.

Paralelamente, estávamos construindo os canis para os cães da pedreira, fizemos 19 canis e o custo ficou em quase R$ 30.000,00 entre material e mão-de-obra. Também contamos com parcerias com a Clínica Veterinária Futura, Policlínica Veterinária de Cotia e Clínica Interlagos. Não se tratam de clínicas populares, mas fazem preços diferenciados para Abeac e parcelam o pagamento.

Idosos

Como temos muitos cães idosos,  sempre temos cães em tratamento ou que precisam de cirurgia, portanto sempre estamos devendo. Temos um gasto mensal entre as 3 clínicas de R$ 3.000,00 a R$ 4.000,00.

Também temos 6 funcionários, uma folha de pagto de R$ 7.000,00 e  encargos trabalhistas. Estamos pagando o material que compramos para construção dos canis, serralheiro, pedreiro, hotelzinho de 7 cães que temos em SP (são cães idosos, especiais e outros que aguardam vaga no canil), e 550 doses de vacinas que compramos em fevereiro.

O Toquinho é um poodlezinho idoso, de mais ou menos 12 anos, e pesa apenas 3 kgs. Ele tem problemas de pele e os dois testículos para dentro, sendo que um deles estava próximo ao abdomen. Já foi operado, está bem de saúde, é muito alegre e, por enquanto, está internado aguardando vaga no canil, ou quem sabe um Anjo que possa dar esse velhinho um final de vida feliz.

Com todas essas despesas, temos um gasto mensal de mais de R$ 50.000,00 que não estamos conseguindo cobrir com as contribuições que recebemos. Já fizemos empréstimo bancário, usamos limite do cheque especial, cartões de crédito e todos os meios possíveis para manter nossas contas equilibradas, a fim de não falhar com nossos fornecedores e não deixar faltar o mínimo que nossos cães precisam para viver com dignidade.

A construção dos canis, graças a Deus, acabou, mas teremos ainda algumas reformas e construções para fazer, mas são pequenas e vai aliviar bastante as nossas contas.

Mas até julho ainda temos contas de material de construção, pedreiro, serralheiro, vacinas e empréstimo bancário. Até lá, estamos tentando sobreviver sem comprometer a qualidade de vida dos nossos 450 abrigados, que está seriamente ameaçada!

Por isso, faço um apelo:

Precisamos de ajuda urgente!

Madrinhas

Temos 450 cães, desses, mais de 200 estão sem padrinhos e padrinhas. Não temos apoio de governo ou empresas, toda ajuda que recebemos é voluntária e as vezes falta no momento que mais precisamos.

Precisamos de padrinhos e madrinhas urgente para nossos animais!

A campanha de apadrinhamento é a única forma que temos para conseguir recursos fixos e poder planejar nossas ações com mais tranquilidade e segurança.

Por favor, apadrinhe um de nossos abrigados!

Para mais informações de como apadrinhar um cãozinho da Abeac envie um e-mail para mascaramella@terra.com.br

Polly foi resgatada depois de apelo pela internet. Ela estava no cio e vários cães brigando por causa dela, dois acabaram morrendo. Ela vive nas ruas e sempre que entra no cio, cruza, seus filhotes somem ou morrem. Está internada aguardando o fim do cio para ser castrada. Deveríamos devolver a Polly para o local onde estava, pois parece que tem tutor. Ela é idosa, com cara de sofrida, muito boazinha e não temos coragem de devolvê-la. Vamos ficar com ela.
Esses cães estavam morando debaixo de uma ponte na Zona Leste de SP, com uma moradora de rua. Todos passando fome, frio, inclusive a senhora. Os cães estão com muita sarna. São 4 machos, 1 fêmea e 2 filhotes. Os adultos foram para o nosso canil. Os dois filhotes estão muito doentes com suspeita de cinomose e foram direto para clínica veterinária. A pessoa que colocou o apelo na internet conseguiu uma assistente social que vai encaminhar essa senhora para um abrigo.

​Read More
Você é o Repórter

Abrigo carente precisa de ajuda para cuidar dos animais resgatados em Itaquaquecetuba (SP)

Renata Janson e Karla Viana
rejanson@terra.com.br/ karlavianna@hotmail.com

Abrigo Peludinhos da  Marinalva.

Em Itaquaquecetuba, SP, com mais de 125 cães, o Abrigo Peludinhos da Marinalva está pedindo ajuda e socorro. A protetora Marinalva está passando por um momento muito crítico na vida dela e sem condição nenhuma de cuidar sozinha dos animais.

Toda ajuda é bem-vinda, com ração, vacinação, medicamento, consulta veterinária e com divulgação em massa para adoção. O Abrigo é super carente e precisa de praticamente tudo, eles vivem exclusivamente de doações.

O Abrigo precisa de no minimo 900 kg de ração por mês, que pode ser comprada diretamente no Petshop, que faz a entrega no local. Quem tiver interesse em ajudar, tem a possibilidade de levar pessoalmente a doação no Abrigo e aproveitar para conhecer os Peludos e a D. Marinalva, mulher maravilhosa e bondosa.

Madrinhas e padrinhos para ajudar nas vacinas são extremamente importantes nesse momento em que eles precisam de lares definitivos, além de ajuda para consulta no veterinário e tratamento para duas cadelas com tumor e uma com problema vaginal sério que causa muita dor.

O Abrigo também precisa de ajuda finaceira para a compra de remédios para sarna, shampoos, tosa, remédio para pulgas e carrapatos, entre outras coisas. Praticamente todos os cães do Abrigo estão castrados e todos vacinados contra raiva. Precisamos agora nos mobilizar e ajudar com a vacina V10. Assim, todos serão adotados com segurança e mais rapidez.

Divulgar a adoção desses Peludinhos tão carentes é a meta da Marinalva que sozinha não está dando conta de cuidar do Abrigo. Ela tem uma ajudante, mas a ajuda custa 1 salário mínimo e ela não tem como pagar.

Os animais são lindos e muito carinhosos e precisam urgente de pessoas que possam oferecer lares afetuosos e amorosos. Precisam de caminha, pratinho de comida da boa e dormir quentinhos no sofá da sala junto com sua nova família, enfim, paparicos que desconhecem.

Abaixo segue a lista de ítens que o Abrigo precisa:

*Ração

*Madrinhas e Padrinhos para a vacinação

*Madrinhas e Padrinhos para consulta veterinária

*Madrinhas e Padrinhos para os tratamentos

*Remédio para pulgas e carrapatos

*IVOMEC

*Shampoo para cães

*Jornais

*vassouras

*Rodos

*Pano de chão

*Baldes

*Sabão em Pó

*Água Sanitária

*Desisfetante

*Sacos de lixo

*Pedaços de Carpete para servir de cama

*Toalhas de Banho usadas

*Cobertores

*Doação parao Bazar

*Muita divulgação para a adoção dos animais.

*Mutirão para dar banho nos Peludos

Por favor ajudem…a situação é mesmo muito crítica no Abrigo.

Abrigo Peludinhos da Marinalva

Endereço:Rua da Tubulação, número:71
Jardim Miraí – Itaquaquecetuba – São Paulo
Cep:08574-440
Fone: (011)4753-4663
Cel : (011)7412-0779
e-mail: marinalvaprotetora@gmail.com
facebook: Marinalva Maria de Araújo


Conta Bancária:

Banco do Brasil
AG:3560-2
CC:15887-9
Marinalva Maria de Araújo

Petshop Alto dos Tavares (eles entregam no Abrigo)

Sr. Eduardo

Fone: (011)2571-6793

Alguns cães para adoção:

Como vivem os animais no abrigo:

​Read More
Você é o Repórter

Protetora precisa de ajuda para pagar despesas de 30 cães que foram abandonados em SP pelo tutor

Roberta Roperto
rroperto@yahoo.com.br

Desde março de 2010 estes cães estão num hotel a espera de um lar. Eles foram despejados, quando o galpão onde viviam foi vendido. Infelizmente o tutor deles que me pediu ajuda, sumiu , deixando toda a responsabilidade nas minhas costas e até hoje arco com as despesas.

Preciso desesperadamente de madrinhas para me ajudarem a pagar a mensalidade , pago R$ 110,00 por cada um. Qualquer quantia ajuda! Não precisa ser o valor de $ 110,00. Sou protetora há 15 anos, fora estes do hotel tenho mais 11 cães meus e mais 4 em lares pagos a espera de adoção, animais que foram resgatados das ruas, nas piores situações.

Por favor, quem puder ser madrinha ou adotar um destes cães, entre em contato comigo em rroperto@yahoo.com.br

Banco Itau 341
agencia: 0646
c/c: 66701-4
Roberta Roperto

http://caesdespejados.multiply.com/

​Read More
Você é o Repórter

Cadela filhote precisa de madrinhas para continuar em abrigo em Macaé (RJ)

Camila Boaventura
camilaboaventura07@gmail.com

Precisamos de madrinhas que nos ajudem a pagar o valor de 150,00 mensal do abrigo, até que a Buga, cachorra que sofria maus-tratos pela ex-tutora, seja adotada.

A Buga foi resgatada de sua ex-tutora, porque sofria com maus-tratos. Ficou nessa situação por um bom tempo, até que uma de nossas amigas protetoras a resgatou e levou para um abrigo. Entretanto, como todos sabem , a quantidade de cães é numerosa, e muitas vezes não conseguimos dar conta dos gastos.

Peço a vocês que nos ajudem divulgando, ou mesmo doando esse valor por mês, para que possamos mantê la no abrigo até a sua adoção, pois sem a ajuda de vocês, sabemos que essa ação não será possível por muito tempo.

Contato: Camila – camilaboaventura07@gmail.com

​Read More
Você é o Repórter

Protetoras pedem ajuda para cobrir despesas com cãozinho abandonado no RJ

Ana Barbedo
ana.barbedo@sulamerica.com.br

Mais uma vez precisamos da ajuda dos amigos… Olhem o estado desse cãozinho:

Foto: Arquivo Pessoal

Estamos chamando-o carinhosamene de Matheus. Ele é um  focinho muito cativante, muito dócil e carinhoso. O veterinário disse ser um possível mesticinho de rottweiler com cocker. Ele tem porte médio e já deve ter aproximadamente 7 aninhos de idade.

Matheus foi resgatado dia 21 de julho atrás da Uff por uma pessoa de bom coração mas sem nenhuma condição de ajudá-lo e, sem saber o que fazer, o caso do pequeno Matheus chegou até nós. Ele não podia ficar sem assistência veteriánia, pois se encontrava numa situação bem delicada, precisando de muitos cuidados.

Matheus sofria com um tumor bem grande precisando ser operado urgentemente. Nos compadecemos com a triste situação dele e, mesmo sem a menor condição de ajudá-lo, metemos a mão na massa outra vez! Primeiramente Matheus foi encaminhado para a Clínica Veterinária Tostes, em Niterói, onde recebeu os atendimentos devidos. Foi consultado, tomou banho, fez hemograma, precisou de exame de ultrasonografia… Estamos cuidando do Matheus com todo amor e carinho.

Suas despesas iniciais na Veterinária Tostes somam um valor de R$ 725,00 :

– Ultra-sonografia – R$ 100,00
– Consulta – R$ 25,00
– Hemograma – R$ 25,00
– Hospedagem + alimentação Julho – R$ 75,00
– 2 banhos Julho – R$ 20,00
– Hospedagem + alimentação Agosto – R$ 200,00
– 4 banhos Agosto – R$ 40,00
– Hospedagem + alimentação Setembro -R$ 200,00
– 4 banhos Setembro- R$ 40,00

A Operação que o Matheus necessitava fazer para a retirada do tumor era uma cirurgia bem delicada. Conversamos com o Dr. Davi, sobre o caso do Matheus e ele foi encaminhando para a Prontodog para ser Operado pelo Dr. Davi.

Gastos com Taxi Dog : Niterói -> Rio / Rio -> Niterói -> R$ 200,00.

Os gastos com o Matheus na Prontodg somam um valor de R$210,00:

– Castração – R$ 70,00
– Anestesia – R$ 80,00
– Pós operatório – R$ 20,00
– Hospedagem – R$ 40,00

Foto: Arquivo Pessoal

Precisamos de uma madrinha ou padrinho para o Matheus! Precisamos ajudá-lo a encontrar uma família onde seja amado e feliz! Matheus não tem ninguém por ele, ninguém para ajudá-lo a se socorrer e a pedir ajuda e, por isso, nós estamos aqui, recorrendo aos amigos de bom coração em prol desse focinho tão sofrido.

Estamos enfrentando um barra , muitos resgatados, muitas despesas, não estamos dando conta de ajudar e de manter os animais que estão sob a nossa proteção… Mas não podíamos deixar que o Matheus continuasse a sobreviver pelas ruas com esse tumor esperando a morte chegar.

É muito triste quando nos deparamos frente a frente com a dor do abandono, dos maus tratos, do sofrimento de um focinho carente, inocente, debilitado, que não pode se defender, que não pode se quer implorar por socorro, por
auxílio. Nós nos vemos de mãos atadas sem nada poder fazer…

Isso nos faz cometer atos insanos, impensados, mas ao mesmo tempo atos de amor,  de compaixão, de coragem, que nos conforta quando vemos que tudo deu certo, que enfim conseguimos um final feliz, que mais uma vida foi
salva, mais um focinho conquistou um lar responsável e de amor.

Um focinho carente enfim feliz! Essa é uma recompensa impagável, que não tem preço, e que sem os amigos jamais conseguiríamos alcançar. Cada amigo tem a sua parcela em cada vitória. Sozinhas não podemos fazer absolutamente nada, mas unidos, nós podemos e precisamos fazer o melhor por eles!

Matheus precisa de cuidados, de apoio , de carinho. Matheus precisa de Nós! A dívida do Matheus já está ultrapassando a quantia de R$ 1.135,00.

Infelizmente não temos como custear toda essa despesa sozinhas. Sem contar com as castrações e tratamentos dos nossos resgatados, ou seja, contatndo apenas as hospedagens, a nossa situação é desesperadora!

Apenas na hospedagem em Maricá tivemos um gasto esse mês de  3.240,00 relativos a hospedagem mais a  alimentação dos seguintes cães: Marinho ; Açaí; Hugo; Jack; Jimmy; Luma ; Xerife; Trovão; Tigrão; Luck ; Mel ; Pepeu; Kate ; Pedrinho ; Sofia; Neve ; Pinga ; Priscila; Molly; Kelly; Teka e Érika.

Na Clínica Veterinária Tostes também temos hospedados a Fafá e a Catarina do Morro do Urubu mais o Vovô Samuca da Pedra de Guaratiba, que estão em tratamento. Sem contar os gastos do tratamento, contando apenas as hospesagens com a alimentação já somam R$600,00.

Além dos nossos resgatados, ainda cumprimos com o compromisso que assumimos com as quatro cadelinhas que vivem próximo ao Túnel Santa Bárbara e sempre estavam procriando, tivemos um gasto de R$340,00 com a castração mais o pós operatório e R$250,00 de seis viagens de taxi dog, somando R$590,00.

Conforme prometido elas foram castradas e devolvidas para a família. Ficaram radiantes ao encontrarem seus tutores, pulavam muito de tanta felicidade. Elas ainda precisam ser vacinadas, os amigos que puderem ajudá-las por favor entrem em contato conosco.

Quem puder nos ajudar a honrar com as depesas do Matheus, pedimos que depositem qualquer quantia numa das contas que seguem abaixo. Pedimos humildemente aos amigos que puderem ajudar ao Matheus, que tiverem
interesse em adotá-lo, ou quiserem maiores informações que entrem em contato conosco.

Nossas contas para depósito:

Caixa Econômica federal / lotericas:
ag:4064
Conta Poupança: 12257-4.
Operação: 013
Maria Teresa V. C. Paredes da Silva.

Banco do Brasil
ag 3094-5
Conta Poupança:1301969
Variação: 01
Lisia Melo

Unibanco
ag: 0240
Conta Corrente: 125939-1
Maria Teresa V. C. Paredes da Silva.

E mail  para contato com as nossas voluntárias:

Teresa: teresavilhena2000@yahoo.com.br
Andréa: andreagianini@oi.com.br
Lísia:  lisiamelo@gmail.com
Bellinha : bellinha.amigadosanimais@gmail.com

​Read More
Notícias

Médica cria instituição para cães vitimados pelas rinhas

A clínica e socorrista Patrícia Cancellara com a fêmea de pit bull Brisa, que ficou paraplégica após ser espancada e é mantida em um hotel para cães (Foto: Letícia Macedo/G1)

Avisada por uma denunciante que prefere manter anônima, a clínica geral e socorrista Patrícia de Arruda Cancellara, de 39 anos, parte às pressas para uma favela na Zona Oeste de São Paulo. A missão dela é das mais árduas: resgatar um pit bull que está sendo agredido a pauladas depois de ter sido derrotado em uma rinha de cães.

Ao chegar ao local, depara-se com o primeiro obstáculo: é informada por moradores que a entrada dela “não é permitida por quem manda na favela”. A solução é uma só: negociar direto com o próprio traficante.

“Se eu não tivesse insistido, teriam terminado de matar o pit bull. Tive de negociar para pegá-lo. Queriam matá-lo apenas porque tinha perdido na rinha. Arrancaram os dentes dele, judiaram dele e ele era muito manso”, conta Patrícia, ainda se comovendo com a lembrança.

O relato é apenas um dos cerca de 500 casos (muitos deles impressionantes e até dramáticos) de resgates de pit bulls e de outros cães de grande porte vivenciados pela médica em dez anos de atuação em defesa dos animais. A atividade extra-profissional ganhou tal proporção em sua vida que ela decidiu criar uma instituição, a Pitcão, dedicada exclusivamente ao resgate de cachorros dessa raça.

Até cinco anos atrás, Patrícia estima que resgatava um cão, geralmente vítima de maus-tratos, a cada dois meses. Atualmente, são de 15 a 20 por mês, em média. “De dois anos para cá, os casos de abandono e maus-tratos a pit bulls aumentaram bastante. São cães queimados, esfaqueados, agredidos, mutilados, todo tipo de crueldade”, afirma a médica.

Madrinhas

No momento, ela mantém cerca de 200 cães hospedados em sete canis distintos. Ela gasta, por mês, de R$ 30 mil a R$ 35 mil, fora ração, remédios, coleiras, guias e outros apetrechos. Grande parte dessa quantia sai do seu próprio salário.

Patrícia com o pit bull Vitor, que ainda se recupera de agressões (Foto: Letícia Macedo/G1)

“Nossa instituição é sem fins lucrativos, é tudo feito por voluntários. Felizmente, por meio da internet, temos conseguido muitas ‘madrinhas’, que ajudam a custear o tratamento e hospedagem destes cães. Cada uma contribui com um valor por mês. Além disso, fazemos rifas, bazares e feiras para conseguir bancá-los. Para quem ajuda, fazemos toda a prestação de contas”, diz.

Para incrementar o recebimento de contribuições, a meta é transformar a instituição em uma Organização Não Governamental (ONG) ou em uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que basicamente é uma ONG qualificada pelo Ministério da Justiça. Com isso, as empresas poderiam descontar do Imposto de Renda as doações feitas à entidade. “O meu sonho é montar um canil da Pitcão para diminuir custos. Não tenho verba para pagar um terreno desses. Com uma OSCIP, poderia salvar mais animais”, conta.

Patrícia Cancellara não está sozinha neste trabalho. Outras três pessoas a ajudam diretamente a recolher os animais, e cinco apoiam o grupo. “Tudo passa por mim. Eu delego as funções. E tenho parcerias com policiais, advogados, táxi dogs, veterinários. A gente une esforços”, exemplifica.

Tanto esforço tem sua compensação. Dos mais de 500 cães resgatados, 200 foram doados pela médica. “O processo de doação é lento porque sou muito criteriosa, faço uma triagem muito rigorosa. Só não é possível a doação de cães mutilados ou com doenças e/ou sequelas graves. Alguns têm temperamento mais agressivo por causa de canis de fundo de quintal, que os misturam com outras raças e os atiçam para rinhas”, diz.

Fama injusta

Para a protetora, a fama de agressiva da raça é injusta. “Pit bull não é violento por natureza. Meu filho de 3 anos faz a minha pit bull de gato e sapato. É uma raça que precisa de disciplina, que não pode ser tratada como um poodle. Por isso, a pessoa que for adquirir um cão desta raça tem de se informar bem. O problema é que muitos querem exibir um cão mais agressivo e quando este não corresponde é abandonado. Na rua, o pit bull, ao ser hostilizado, vai reagir, vai se defender.”

Segundo ela, apenas 3% dos ataques registrados de cães são de pit bull. De acordo com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Prefeitura de São Paulo, desde o começo do ano foram notificados 10.271 ataques de cães na cidade, mas nos registros não há distinção entre as raças.

A estimativa do CCZ é de que 2,5 milhões de cães sejam domiciliados na capital. O órgão só recolhe animais nas condições que se enquadrem em lei municipal: que tenham sofrido de maus-tratos; vítimas de acidentes (atropelamentos); cães agressores e invasores de locais públicos, como escolas e hospitais. A grande maioria dos animais recolhidos é vira-lata, segundo o CCZ.

“A maioria dos ataques a pessoas é de vira-latas. Mas ataque de pit bull vira notícia porque é mais destrutivo. Quando é dada a notícia de um ataque de um pit bull, aumenta o meu trabalho”, lamenta Cancellara.

Adotantes

Hulk, pit bull adotado por Eduardo Souza: 'É um bebezão' (Foto: Eduardo Souza/Arquivo pessoal)

Ao menos dois dos adotantes de pit bulls recuperados pela Pitcão não se arrependeram. “Adoro o meu cachorro. Vou com ele para a rua e as crianças brincam. É um bebezão”, conta o coordenador de qualidade Eduardo Luiz de Souza, de 31 anos, que adotou Hulk, um pit bull branco de 1 ano, em março deste ano.

Segundo ele, no início, o cão relutava em ir para a rua. “A Patrícia havia me dito que ele tinha sido abandonado e que foi maltratado na rua. Tive problema, porque ele era traumatizado, não queria sair de jeito nenhum”, diz. Para ele, é o “dono quem faz o cachorro”. “Dependendo de como cria, você pode ter um vira-lata violento”, ilustra.

O gerente de projetos Eduardo Rosell, de 35 anos, diz ter se surpreendido em menos de uma semana como um adotante de um pit bull. “Ouvia comentar e ficava com um pouquinho de dúvida, mas o Pluto é um molecão ainda. Ele é muito brincalhão”, revela, sobre o cão adotado.

Assim como os demais, Pluto também foi resgatado da rua depois de ter sido abandonado. “Decidi adotar porque acompanho o trabalho, a causa da Pitcão. É pouco tempo, mas não me arrependi”, conclui.

Fonte: G1

​Read More