Notícias

‘Peço perdão se incentivei a maltratar animais’, diz locutor de rodeio

O maior locutor de rodeio do Brasil, Asa Branca, de 56 anos, afirmou que “se fosse para ser um animal, não queria ser o de rodeio” e disse que diariamente pede perdão pelos maus-tratos incentivados. “Todo dia, antes de dormir, eu peço perdão para Deus se eu incentivei a maltratar os animais”, contou.

Apesar de dizer que não é a favor nem contra os rodeios, Asa Branca afirmou, em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, que não vai mais usar o próprio nome para defender esses eventos “porque quem tem que dizer são os médicos veterinários. E a maioria é contra [os rodeios]”.

Asa Branca (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

Se hoje o locutor dá declarações que confirmam a existência de maus-tratos em rodeios, na década de 1990 ele era um defensor ferrenho da profissionalização da prática e chegou a fazer campanha em 1994 para Fernando Henrique Cardoso com o objetivo de conseguir, em troca de votos para o político, a assinatura de uma lei que transformaria rodeio em profissão. FHC prometeu e cumpriu e, em 2002, homologou o projeto de lei que passou a reconhecer o peão como esportista profissional.

Classificar rodeio como esporte, no entanto, é algo questionado por especialistas, ativistas e parte significante da sociedade. A juíza Fernanda Orsomarzo, inclusive, ao acatar solicitação do Ministério Público do Estado do Paraná e proibir, há três anos, a realização da IV Festa do Laço Comprido em Rosário do Ivaí (PR), reforçou que “‘esporte’ em que um dos envolvidos não optou por competir não é ‘esporte’. É covardia”.

Na época em que o locutor buscava o apoio de Fernando Henrique Cardoso em prol dos rodeios, no entanto, muitas pessoas já se mobilizavam contra a prática. Uma delas era a cantora Rita Lee que, inclusive, no programa da Hebe Camargo, usou uma camiseta na qual estava escrito “odeio rodeio”.

Boi explorado em rodeio (Foto: Joel Silva / Folhapress)

Em 2005, em entrevista à Folha de S. Paulo, Rita Lee voltou a dizer que é contra rodeios e afirmou que tem “vasto material comprovando os maus-tratos que acontecem nos bastidores desses eventos” e que “rodeios são um lixo cultural americanizado”. Em parceria com o cantor Chico César, Rita escreveu a música “Odeio rodeio”, que também é interpretada pelo grupo O Teatro Mágico, cujo vocalista, Fernando, é vegetariano. “Me tira a calma, me fere a alma, me corta o coração. Se é luxo ou é lixo, quem sabe é bicho que sofre o esporão”, diz trecho da canção.

Foi o posicionamento de Rita Lee, à época, que fez com que Asa Branca decidisse pedir ajuda para FHC. “Fui pedir ajuda [para o FHC]. Disse que levaria ele nas festas, para ele conseguir votos. Mas em troca ele teria que assinar a lei que transformaria o rodeio em profissão. Aí ele prometeu: ‘Se eu for eleito, assino’”, revelou Asa Branca.

Confira a música de composição de Chico César e Rita Lee:

​Read More
Notícias

Locutor usa carro de som para procurar animais perdidos em Caeté (MG)

A cidade de Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, tem um “caçador oficial de animais perdidos”. O Ronaldo do Espírito Santo Faria, conhecido como Panoca, é locutor e trabalha fazendo anúncios com um carro de som. O mais popular deles é sobre animais que são sendo procurados pelos tutores.

Ao longo da carreira ele já anunciou de tudo: promoções, casamentos, funerais, aniversários. Mas, no último ano a rotina mudou e o carro de som ajudou a encontrar animais que se perderam dos tutores.

(Foto: HannahWade/Thinkstock/Imagem Ilustrativa)

“Tudo começou quando um senhor me pediu que procurasse um cachorrinho que tinha sumido no bairro dele. Foi anunciar que, em questão de segundos, nós o encontramos. Depois disso, o pessoal começou a me procurar e não parou mais”, conta.

Panoca, devoto de Nossa Senhora Aparecida e amigo de São Francisco de Assis, como gosta de dizer, já encontrou 79 cachorros e 8 gatos.

Enquanto a equipe estava gravando a reportagem, Panoca foi acionado por telefone. Alguém havia encontrado uma pata, que ele já estava procurando há mais de uma semana. A patinha estava perdida em um sítio e um barbeiro, que ouviu o anúncio, pensou que poderia ser ela.

“Ela estava arisca demais, deu trabalho pra pegar. A gente se aproximava dela, e ela voava”, conta Joel Francisco Filho, que encontrou a pata. A alegria foi grande quando a ave foi devolvida para casa.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Cachorro carinhosamente retirado de campo durante jogo de futebol vira notícia internacional

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: YouTube
Foto: YouTube

“Um novo adversário entrou no jogo – e ele é adorável”, disse o site The Dodo, em uma notícia na qual algo aparentemente corriqueiro no Brasil se tornou pauta internacional positiva.

Durante uma partida entre dois times brasileiros de futebol nesta semana, o foco da atenção dos espectadores mudou quando um amigável cão entrou no campo. Ninguém pareceu se importar com a interrupção.

Na verdade, a reação de todos não podia ter sido melhor.

“Não são apenas os jogadores que querem mostrar o seu talento aqui, o cão também faz parte do espetáculo (…)”, disse alegremente o locutor da SportTV.

Após alguns momentos, um dos jogadores pegou o cão gentilmente em seu colo e o levou para fora do campo. A multidão emitiu elogios calorosos através de aplausos, e o locutor aproveitou a oportunidade para enviar uma importante mensagem aos que assistiam o jogo:

“E nesse momento vai ser retirado do campo para o jogo ter sequência…e com muito carinho, né? Tratar bem um animal, um cachorro, é o mínimo que o ser humano pode dar de retribuição a tudo o que eles dão pra gente”.

Veja a cena:

https://www.youtube.com/watch?v=hEdTQMy6QJ8

​Read More
Notícias

Homem mata cachorro o jogando de uma altura de doze metros

Por Vinicius Siqueira (da Redação)

Imagem montada pela ativista Guadalupe Ferri. (Foto: Reprodução)
Imagem montada pela ativista Guadalupe Ferri. (Foto: Reprodução)

Um ato brutal chocou a cidade de Puerto Deseado, na província de Santa Cruz, Argentina. O locutor da rádio municipal, Juan Manuel Saborido, jogou de uma altura de 12 metros da janela de seu apartamento um filhote de cachorro com aproximadamente 30 dias, pois este o “incomodava”.

Após produzir uma montagem com a foto do cachorro caído no chão, a foto do agressor culpado pelo ato desumano contra o animal indefeso, e a descrição do ocorrido, Guadalupe Ferri, membro da APROC (Asociación Protectora Canina), a compartilhou nas redes sociais, gerando um repúdio geral ao ato. A família tutora do animal denunciou Saborido na delegacia de polícia da região. Para os tutores a atitude de Saborido é injustificável, já que o cachorro era filhote, não incomodava ninguém e “mal conseguia latir direito”.

“A Família Nauto nos chamou e fomos imediatamente ao bairro. O cachorro estava muito mal e o levamos ao veterinário, mas ele faleceu em poucos minutos por causa das feridas que sofreu na cabeça e no tórax ao ser arremessado de semelhante altura. Então os tutores decidiram fazer a denúncia”, disse Ferri.

Centenas de pessoas ficaram comovidas com o caso após assistirem um vídeo forte que mostrava o animal no chão, momentos depois de ser jogado do prédio. O vídeo foi publicado na internet e, por respeito aos animais, não será reproduzido nesta matéria.

​Read More
Notícias

Vídeo mostra locutor perseguindo boi de helicóptero

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)

Um vídeo que mostra um locutor de vaquejada perseguindo um boi de helicóptero vem revoltando as pessoas que assistem. Nele o locutor Paulo Sérgio Gomes, que se autodenomina “O Locutor da Emoção”, inicialmente tenta laçar o animal e, numa cena seguinte, sobrevoa com o helicóptero, em alta velocidade, em direção ao amedrontado bovino.

Até o momento, o vídeo, levado ao ar no dia 20 de abril de 2012, acumula pouco mais de 6.700 visualizações e a maioria dos seus treze comentários são de repúdio contra a cruel ação do locutor e do piloto do helicóptero. Alguns comentários mencionam inclusive que a vida de todos os envolvidos – o boi, o locutor e o piloto – foi posta em risco, visto que havia um varal na arena de vaquejada onde a perseguição aconteceu e a hélice do helicóptero poderia ter se enroscado nele e causado uma tragédia ainda maior do que a crueldade contra o animal perseguido.

A perseguição foi um evidente crime de maus tratos, previsto no Artigo 32 da Lei 9.605/1998, e deve ser denunciada às autoridades tão logo, de modo que Gomes e o piloto (caso seja identificado) sejam criminalmente responsabilizados.

​Read More