Fotos mostram como o lixo nos rios da Inglaterra tem sido prejudicial aos animais em seus habitats (Foto: BPM Media)
Home [Destaque N2], Notícias

Cisne luta para criar filhotes em meio a ilha de poluição

Imagens chocantes registraram a luta de aves tentando sobreviver em habitats completamente devastados por lixo, sujeiras e plásticos causados por humanos. A devastação da natureza está em estado crítico e os animais estão sofrendo com isso.

Fotos mostram como o lixo nos rios da Inglaterra tem sido prejudicial aos animais em seus habitats (Foto: BPM Media)
Fotos mostram como o lixo nos rios da Inglaterra tem sido prejudicial aos animais em seus habitats (Foto: BPM Media)

Fotos desoladoras de uma mãe cisne lutando para levar seus sete bebês através de pilhas de lixo no rio Freshney, na Inglaterra, são reflexo da situação triste em que estão vivendo os animais.

O rio estava poluído com latas e garrafas de plástico por todos os lados, e há algumas semanas atrás os cisnes aparentemente foram vistos aninhados próximos a um carrinho de compras.

(Foto: BPM Media)

As aves estão lutando para sobreviver nos rios poluídos com lixo. O público foi instruído a administrar melhor os resíduos, não jogar lixos na rua e eliminá-los adequadamente após vários incidentes no Reino Unido que foram registrados de aves vivendo em meio a pilhas de resíduos e plásticos.

Organizações estão tentando desesperadamente ajudar, mas afirmam que o lixo continua se acumulando assim que é limpo. O grupo recentemente removeu três quartos de uma tonelada de lixos, incluindo bicicletas, carrinhos de compras e uma placa de trânsito.

(Foto: BPM Media)

Elaine Atkinson, presidente da Grimsby in Bloom, organização voluntária que auxilia na coleta de lixo, disse ao Metro: “É horrendo que tenhamos esta maravilhosa vida selvagem vivendo bem no meio do centro da cidade e eles são forçados a nadar em meio a lixos”.

“Se não começarmos a cuidar mais do rio, então perderemos essa vida selvagem para sempre, eles serão animais inteligentes, logo perceberão que há lugares melhores para eles morarem e sairão”, lamentou Elaine.

​Read More
Filhote de foca-monge-do-havaí foi registrado com faca na boca. (Foto: Image Department of Land and Natural Resources)
Home [Destaque N2], Notícias

Lixo nos oceanos: foca é encontrada brincando com uma faca

Um filhote de foca-monge-do-havaí foi registrado em vídeo com uma faca em sua boca. As imagens, feitas por um oficial do Departamento de Terra e Recursos Naturais do Havaí (DLNR), são outra denúncia do descarte inadequado de lixos nos mares, que podem machucar e até mesmo matar animais marinhos.

A foca-monge-do-havaí gravada em vídeo é uma filhote, cujo nome é Manuiwa. As imagens foram registradas em águas havaianas da praia de Big Island, e essa espécie de foca está severamente ameaçadas de extinção.

O nascimento de Manuiwa em estado selvagem, na praia Big Island, em fevereiro passado, ganhou as manchetes. Afinal, o animal é agora apenas uma das três focas de sua espécie existentes na região.

Filhote de foca-monge-do-havaí foi registrado com faca na boca. (Foto: Image Department of Land and Natural Resources)
Filhote de foca-monge-do-havaí foi registrado com faca na boca. (Foto: Image Department of Land and Natural Resources)

Um grupo de pessoas estava assistindo a jovem foca-monge quando o viram brincar com um objeto laranja brilhante. Após uma inspeção, perceberam que o novo brinquedo de Manuiwa era uma faca de pesca afiada.

Felizmente, o filhote de foca estava segurando a faca pelo cabo, e a faca foi retirada sem nenhum dano ao animal.

Após o registro, o DLNR relembrou os moradores locais de descartarem os lixos nos locais adequados. Informações do Hawaii News Now contam que o departamento se manifestou: “Havia uma preocupação real de que o filhote de foca pudesse engolir a faca. É um lembrete para todos nós. Devemos descartar adequadamente nosso lixo, e não deixá-lo nas praias do Havaí ou no oceano”.

​Read More
A poluição é tamanha em determinadas áreas do mar que manchas de plástico são tão grandes quando países inteiros. (Foto: Christophe Launay)
De olho no planeta

Sea Sheperd faz campanha contra poluição plástica

A Sea Shepherd, uma organização sem fins lucrativos com foco em conservação marinha, está focando em uma nova campanha contra a poluição plástica no oceano, conscientizando o público sobre os males que o plástico causa aos mares e aos animais marinhos.

Criada pela FF New York, a campanha apresenta anúncios visuais “oníricos e coloridos”, conforme dito em um comunicado à imprensa. Com tal representação visual, buscam “realçar a triste realidade dos animais marinhos presos em resíduos de plástico”.

A poluição é tamanha em determinadas áreas do mar que manchas de plástico são tão grandes quando países inteiros – e mais de um milhão de espécies marinhas sofrem com tanta devastação: muitos ficam presos e morrem.

Alex Cornelissem é o CEO da Sea Shepherd Global, de acordo com o Live Kindly: “Os seres humanos são os culpados pela introdução desta substância mais letal e se não pararmos o seu progresso, em breve os oceanos irão conter mais plástico por peso do que toda a vida animal combinada”.

À medida em que aumenta a conscientização da população humana sobre essas questões de poluição e destruição de habitat, mais está sendo feito para gerenciar e resolver os problemas do despejo do lixo nos oceanos. “Os plásticos estão invadindo os oceanos em uma escala sem precedentes. Como uma espécie invasora, está destruindo a vida selvagem do oceano e assumindo seu habitat”, reforça Alex, que acredita que ainda “podemos virar as marés, podemos parar essa invasão. O que causamos, agora temos que consertar. Pare a produção e uso de plásticos descartáveis. ”

Uma campanha da FF New York contra a poluição plástica no oceano conscientiza o público sobre os males que o plástico causa aos mares e aos animais marinhos. (Foto: FF NY)
Uma campanha da FF New York contra a poluição plástica no oceano conscientiza o público sobre os males que o plástico causa aos mares e aos animais marinhos. (Foto: FF NY)

O secretário de Meio Ambiente do Reino Unido, Michael Gove, anunciou recentemente as intenções de proibir canudos em toda a Inglaterra. Tal medida busca evitar os despejos de lixo plástico nos oceanos, já que cada canudo leva mais de 500 anos para quebrar, e mais de 500 milhões de canudos são usados ​​e jogados fora todos os dias.

A proibição atingirá estabelecimentos alimentícios como bares e restaurantes, e também supermercados em todo o Reino Unido, visando cessar a distribuição e vendas de canudos de plástico.

Da mesma forma, pretendendo “criar um ambiente melhor para as gerações futuras” o Taiwan anunciou planos para erradicar plásticos de uso único até 2030. Na proibição vão constar itens como sacolas plásticas, talheres descartáveis, canudinhos e copos de plástico.

A poluição é tamanha em determinadas áreas do mar que manchas de plástico são tão grandes quando países inteiros. (Foto: Christophe Launay)
A poluição é tamanha em determinadas áreas do mar que manchas de plástico são tão grandes quando países inteiros. (Foto: Christophe Launay)

Uma pesquisa recente evidenciam que tais esforços políticos estão sendo benéficos para o impacto do lixo plástico no oceano. O estudo, que durou um período de 25 anos, descobriu queda de 30% nos sacos plásticos encontrados nos fundos do mar. O The Guardian apontou que isso significa que “mudanças comportamentais e legislativas poderiam reduzir o problema do lixo marinho”.

O Capitão Cornelissen ainda complementou que “juntos podemos limpar os oceanos e juntos podemos ter certeza de que o que jogamos fora, fica fora dos mares”.

​Read More