Notícias

Seis criminosos são detidos após sequestro de 34 cães da raça galgo espanhol

Por Simone Gil Mondavi (da Redação – Argentina)

Foto: Ministerio de Interior
Foto: Ministerio de Interior

Seis pessoas entre 27 e 33 anos foram detidas pela polícia da Espanha (Guarda Civil), nas localidades de Badajoz e Villalba de los Barros pelo sequestro de 34 cães de raça galgo espanhol que eram usados para realizar atividades de caça ou como, informou o funcionário do Governo Germán López Iglesias. As informações são do El Periodico Extramadura.

A operação de resgate foi denominada “boa”, pelos agentes que inspecionaram um baldio no Bairro das Las Morenas, onde numerosos cães apresentavam cicatrizes no pescoço, indicando que os microchips, que normalmente tinham identificação individual, foram alterados e subtraídos de forma subcutânea.

Por esta razão, 16 cães da raça foram retirados do lugar, pela suspeita que os animais estavam sequestrados de seus tutores reais. Posteriormente foi comprovado que alguns dos cães foram sequestrados nas localidades da La Garrovilla e Valdivia, e quatro vizinhos foram detidos da zona da Las Morenas.

As autoridades registraram na Villalba dos Barros, outro lugar onde poderia existir cães sequestrados e onde interviram 18 galgos que apresentavam significativas irregularidades como a implantação de dois microchips em um só cão, além de feridas no pescoço ainda recentes.

Também comprovaram que os documentos dos animais apresentavam numerosas carências e anomalias. Igualmente, as autoridades acharam numerosos objetos relacionados com a indevida comercialização e transporte dos cães, como diversos elementos de identificação eletrônicos ou “microchips”, instrumentos para sua implementação, cartão de vacinas, e 36 passaportes de animais domésticos, alguns pertencentes a animais já mortos.

Após o registro, uma pessoa foi detida pela subtração dos animais e exercício ilegal de profissão, já que o sujeito implantou microchips aos cães e os vacinou sem estar habilitado para realizar esta operação. Por outro lado, os agentes da Guarda Civil detiveram a um veterinário local que tinha assinado os microchips que se haviam implantado de forma indevida aos cães sequestrados. Para documentar aos animais usavam a identidade de animais de similares características já mortos, que subtraíram seus identificadores.

Segundo as autoridades, os cães sequestrados de seus tutores eram usados para caçar ou para permutar comercialmente. A operação ainda está aberta e até o momento, somente sete casos foram esclarecidos, e as fotografias dos animais foram divulgadas nas províncias limítrofes para que os tutores possam reconhecer aos cães.

Alguns dos animais estão na custodia das autoridades judiciais, e outros que ainda tinham identificação foram entregados a seus tutores.

​Read More
Notícias

Espanha investiga rede internacional de tráfico de cães

Por Simone Gil Mondavi (da Redação – Argentina)

Foto: Heraldo
Foto: Heraldo

As autoridades espanholas interceptaram um caminhão procedente de Eslováquia com 125 filhotes de cães que ingressaram ilegalmente na Espanha, destinados a serem vendidos na campanha de Natal. As informações são do ABC.

Segundo as informações das autoridades espanholas, a maior suspeita da equipe policial é de se tratar de uma rede de tráfico de cães vinculada a um grupo organizado do Leste Europeu, que aparentemente também poderia estar operando em outras capitais espanholas.

O caminhão foi encontrado em Zaragoza pela policia do Serviço de Proteção da Natureza (Seprona) e foi descoberto já que não tinha os documentos legais necessários.

A equipe policial informou que os 125 filhotes eram muito novos, e a documentação que os dirigentes apresentaram indicava que os cães tinham mais de quatro meses de idade, mas após serem inspecionados pelos veterinários do governo, o equipe determinou que os animais tinham somente um dois de meses.

A legislação espanhola proíbe o ingresso com fins comercias de filhotes de cão de menos de três meses de idade no país.

Os cães são das raças bichón maltés, bulldog inglês, pincher, shih tzu, Carlitos, pomerania e yorkshire.

Os cães atualmente estão na custodia das autoridades do Meio Ambiente que realizou um pedido à cidadania através do Conselheiro municipal de Educação, Cultura e Médio ambiente da Zaragoza, para que os cidadãos adotem temporariamente os cães. Primeiro foram trasportados de urgência ao centro de proteção de animais de Penhaflor, em Zaragoza, mas o centro não tem espaço suficiente para atende-los de maneira eficiente. Porém, a policia buscou rapidamente famílias ou pessoas que dispostas de servir como tutores temporários.

O centro de proteção animal de Penhaflor, também forneceu voluntários e colaboradores que ajudaram no processo da procura dos tutores.

Animal não é brinquedo

O conselheiro de Educação, Cultura e Médio Ambiente, Jeronimo Blasco, em declarações aos meios de comunicação ressaltou que os animais são seres vivos que sofrem e sentem e não devem que ser tratados como brinquedos.

A época de natal converteu-se em uma época comercial, onde animais são tratados como mercadorias, porém Espanha continuará com uma campanha de sensibilização “Um animal não é um brinquedo”.

Segundo Blasco a adoção atual dos animais sequestrados é uma medida temporal porque serão os juízes quem determinaram o destino dos cães.

Enquanto decidem a resolução judicial, os cidadãos interessados podem acudir as instalações do Centro de Proteção Animal, situado no bairro rural de Penhaflor Montanhana, no horário de 9hs até as 15hs nos dias úteis, e sábados de 10hs até as 14hs.

Nesta sexta-feira (13), as autoridades habilitaram um espaço na praza do Pilar, junto á porta do acesso da cidade, para que os interessados em receber temporalmente pudessem realizar a adoção.

​Read More
Notícias

Município do Madri proíbe espetáculo com animais

Por Simone Gil Mondavi (da Redação – Argentina)

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A cidade do Estado do Madri, Fuenlabrada, aprovou uma lei para proibir a instalação de circos e a apresentação de qualquer tipo de espetáculos com animais em seu município. A votação foi com dois votos a favor do Partido Socialista Obreiro Espanhol (PSOE), e a Esquerda Unida (IU) e a oposição do Partido Popular (PP) e Partido União Progreso e Democracia (UPyD). As informações são do El Mundo.

A lei estabelece que é “totalmente anti-educativo ver animais desenvolvendo um comportamento artificial que não corresponde a seu habitat natural”.

O vereador de Parques e Jardins da municipalidade, José Sánchez Luque, analisou a realidade dos animais selvagens que habitam em cabines de pequenas dimensões em que são transportados a longas distancias sem possibilidade de movimento, cometendo verdadeiramente um maltrato animal.

Em base aos futuros questionamentos da nova lei, o Governo local (PSOE e IU) afirmou que a medida não foi aprovada em oposição aos circos em geral, já que é uma limitação aos espetáculos que utilizam animais em seus shows.

​Read More
Notícias

Cão morre afogado após ser amarrado em pedra na Espanha

Por Simone Gil Mondavi (da Redação – Argentina)

Foto: Europa
Foto: Europa

O Ministério Fiscal tem apresentado um documento de acusação contra um homem acusado de maltrato animal por amarrar um cão a uma pedra na praia de Ayamonte (Huelva) na Espanha. O cão morreu e o ministério pediu onze meses de prisão para o acusado. As informações são do Europapress.

Segundo o documento de acusação, o fiscal considera que tem provas suficientes para determinar que o acusado, maior de idade e sem antecedentes penais computáveis, no mês de março levou o cão de sua mãe até o Parque Natural das Marismas da Ilha Cristina, no município de Ayamonte. Ele ainda teria amarrado o animal a uma pedra de grandes dimensões, que impedia qualquer tipo de fuga, com objetivo de afogar o animal quando subisse a maré, causando sua morte.

Por estas razões, o fiscal entende estes fatos como constitutivos de um delito de maltrato animal e pede onze meses de prisão, impossibilidade de trabalhar em estabelecimentos que tenham relação com o comercio de animais durante três anos, assim como o pagamento dos gastos produzidos no processo judicial.

O acusado, foi detido no mês de junho, após iniciar uma investigação da Polícia Civil, quando um cidadão a alertou através de sua pagina na web que tinha observado nas redes sociais uma fotografia de um cão morto na beira do mar na província de Huelva, fornecendo os links das páginas em que observou a cena.

Após isto os agentes da policia realizaram investigações na rede social até que conseguiram comprovar o autor dos fatos. Segundo puderam comprovar nas distintas informações da rede social “Facebook”, a causa que guiou o tutor do animal a matar o cão deste jeito, foi não ter dinheiro suficiente para sacrificar o animal pelos meios legais.

A foto-denuncia foi realizada com a maré baixa, após a morte do cão, e uma vez colocadas na internet, tiveram ampla repercussão.

​Read More
Notícias

Partido animalista pede inclusão de bem-estar animal na Constituição espanhola

Por Simone Gil Mondavi (da Redação – Argentina)

Foto: divulgação
Foto: divulgação

A Associação Parlamentar em Defensa dos Animais (APDDA) da Espanha, pediu a incorporação da proteção e bem-estar animal na Constituição Espanhola, além de uma lei estatal de proteção animal. As informações são do Econoticias.

Após as I Jornadas celebradas pela Associação Parlamentar, os funcionários solicitaram o decreto, e também o endurecimento das sanções no Código Penal em matéria de maltrato animal, ou a introdução do caráter jurídico de “ser senciente”, ou seja incorporar que são seres sensíveis – que sentem -, como atributo aos animais.

Segundo a APDDA e as centenas de organizações que participaram no encontro, existe uma passividade legislativa e regulamentária, assim como uma legislação espanhola insuficiente, deficiente e obsoleta e muitas vezes contraditória, nas matérias de proteção e bem-estar animal, em comparação com outros países vizinhos.

Normativa estatal

Por conta da situação, os parlamentares animalistas consideraram necessário aprovar uma lei estatal de proteção animal, que sirva como normativa básica da legislação autônoma e da lei de bases do regime local.

Por outro lado, assinalaram que é necessária a incorporação de novas condutas delitivas e penas de prisão efetivas na reforma do Código Penal em curso, assim como a ratificação do Convenio para a proteção dos animais de companhia do Conselho de Europa, realizado em Estrasburgo no 13 de novembro de 1987.

Igualmente, as conclusões indicam que, ante uma maior sensibilização da opinião pública espanhola a respeito do bem-estar animal, que permitiria um novo impulso legislativo, se encontra uma “preocupante indiferença e insensibilidade de muitas administrações públicas” com o assunto.

As conclusões destacam, também, a importância da educação, remarcando a necessidade de fornecer cursos de formação e sensibilização orientados à proteção dos animais, nas escolas e os institutos.

​Read More