Notícias

Pit bulls abandonados dormem abraçados em abrigo enquanto aguardam por um lar

Foto: Pima Animal Care Center
Foto: Pima Animal Care Center

Você pode conhecer o amor de sua vida nos lugares mais inesperados – basta perguntar a Agatha e Jukebox, dois pit bulls que atualmente vivem no Pima Animal Care Center em Tucson, Arizona, nos Estados Unidos.

Os dois cachorros entraram no abrigo separadamente: Agatha foi entregue pela tutora que não a queria mais e Jukebox chegou como cão em situação de rua. Mas assim que se encontraram, a conexão dos dois foi inquestionável.

“Normalmente, quando um par de cães se aproxima no abrigo, eles passam a vida toda juntos”, disse Kristen Hassen-Auerbach, diretora de serviços animais, ao The Dodo. “Mas com esses dois, eles não se conheciam. Eles se conheceram em um grupo de brincadeiras um dia e, a partir do segundo em que colocaram os olhos um no outro, tornaram-se inseparáveis”.

Foto: Pima Animal Care Center
Foto: Pima Animal Care Center

Ambos os filhotes estavam lutando para se adaptar à vida de abrigo, mas a crescente amizade rapidamente entre os dois acalmou qualquer ansiedade e depressão. “Apesar do fato de que eles estão vivendo esta vida de confinamento, o que é super estressante para a maioria dos cães, eles se confortam muito na presença um do outro”, disse Hassen-Auerbach.

Os dois filhotes agora compartilham um único canil, o que lhes permite passar todo o tempo juntos. Eles não se importam muito com o espaço pessoal de cada um, preferindo se aconchegar em uma cama única quando é hora de apagar as luzes.

“Há muito espaço para eles se estenderem”, disse Nikki Reck, responsável pela informação pública do Pima Animal Care Center, ao The Dodo, “mas eles dividem aquela pequena cama juntos porque é assim que a preferem”.

Uma foto dos dois cachorros aconchegados recentemente se tornou viral depois que Reck postou no Facebook. Os funcionários do abrigo estão esperançosos que a atenção nas mídias sociais possa ajudar a proporcionar a Agatha e Jukebox uma vida maravilhosa em uma lar amoroso juntos.

Normalmente, não dizemos “estes dois têm que ser adotados juntos”, porque dessa forma leva mais tempo para eles encontrarem um lar”, disse Reck. “Mas com esses dois, nós simplesmente não podemos separá-los, então esperamos, de verdade, encontrar um lar para eles juntos, porque os dois estão destinados a ficar juntos”.

Foto: Pima Animal Care Center
Foto: Pima Animal Care Center

Enquanto isso, a Agatha e a Jukebox estão fazendo perfeitamente a sua parte ao fazer com que os potenciais adotantes que passam por seu canil se apaixonem por eles.

“Toda vez que as pessoas vêm ao abrigo, eles chamam sua atenção”, disse Hassen-Auerbach. “Você passa pelo canil deles e eles estão sempre fazendo uma das 20 coisas fofas que fazem o dia todo: ou eles estão de cabeça para baixo, ou de costas, ou um deles está lambendo o outro”.

É um milagre que os dois cães tenham se encontrado: o Pima Animal Care Center recebe 17 mil animais por ano e atualmente abriga mais de 400 cães. Com tantos cães no abrigo para cuidar, quanto mais cedo os filhotes puderem encontrar um lar, melhor. No entanto, a equipe do abrigo está ciente de que aceitar dois cães grandes e cheios de energia não é para todos.

“Estamos procurando uma família que os aprecie tanto quanto nós”, disse Hassen-Auerbach. “Eles são como a uma TV canina para nós. Quando qualquer um está tendo um dia difícil ou se sentindo para baixo, nós apenas assistimos Agatha e Jukebox juntos e você se sente mais feliz instantaneamente”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorra tem que ser sacrificada após ter ácido jogado sobre todo o seu corpo

Cachorra vítima de ataque de ácido | Foto: BBC News
Cachorra vítima de ataque de ácido | Foto: BBC News

O animal doméstico da família foi levado , Hannah Marriott, depois de apareceu em sua porta com ferimentos causados pela substancia corrosiva

Um cão da raça bull terrier de staffordshire teve que ser sacrificado via morte induzida depois de ter sido submetido a um ataque cruel e fatal com ácido corrosivo.

O animal doméstico da família foi levado por Hannah Marriott depois que apareceu em sua porta com ferimentos severos e graves.

Hannah, que reside em Newry, na Irlanda do Norte, disse: “Quem fez isso com esse pobre cachorro está doente, totalmente louco”.

O cão ferido foi encontrado no bairro de Parkhead na cidade na última terça-feira (28).

Foto: The Mirror/Reprodução
Foto: The Mirror/Reprodução

Centenas de pessoas foram às mídias sociais para desabafar o horror de que ficaram tomadas ao tomar conhecimento do crime violento e repugnante praticado contra animal, relata Belfast Live.

Uma delas disse: “O tutor do cachorro foi notificado e eles estão traumatizados com o que aconteceu com seu animal doméstico, que era um membro da família”.

Grupo de bem-estar animal local Animais de Estimação Perdidos e Achados na Irlanda do Norte está pedindo qualquer um com informações sobre o ataque que contate a polícia.

Um porta-voz do grupo disse: “O ataque aconteceu na área de Newry, o pobre cachorro estava coberto de ácido. Se alguém tiver informações sobre esse incidente ou o cachorro, por favor, procure as autoridades”.

Cadela antes do ataque | Foto: The Mirror UK
Cadela antes do ataque | Foto: The Mirror UK

O inspetor McCullough, do Serviço de Polícia da Irlanda do Norte, disse: “A polícia recebeu uma denúncia sobre um cão ferido na área de Pound Road, em Newry, aproximadamente às 18h10 de terça-feira, 28 de maio”.

“O animal foi levado a um veterinário local, no entanto, devido à gravidade de seus ferimentos, o cão teve que ser sacrificado.

“Os inquéritos estão em andamento”.

O veterinário de Newry que teve que sacrificar o após o ataque com ácido disse que é o “pior caso de crueldade contra animais” que ele já viu.

Liam Fitzsimons, do Centro Veterinário de Newry, recebeu o cão em sua clínica na terça-feira.

A polícia foi chamada por volta das 18hs para a região de Pound Road depois que Hannah Marriott encontrou o animal coberto de queimaduras pelo corpo.

Liam Fitzsimons veterinário que atendeu o cão | Foto: BBC News
Liam Fitzsimons veterinário que atendeu o cão | Foto: BBC News

O médico disse que o cachorro foi morto por indução mais tarde devido à “gravidade de seus ferimentos”.

O Sr. Fitzsimons disse à BBC News que “havia apenas uma opção” quando o cão chegou a sua clínica.

“Você podia sentir o cheiro de carne queimada exalando do animal e a pele estava caindo”, acrescentou ele.

“A língua do cachorro estava toda ulcerada por ele ter lambido o ácido de sua pele.

“Em trinta anos de prática, nunca vi nada assim. Este é o pior caso de crueldade com animais que eu já encontrei”.

O veterinário de Newry disse que a visão do animal levou uma enfermeira veterinária às lágrimas.

“Vou levar este caso comigo para a sepultura”, disse ele.

“Há um monstro à solta em Newry. Se esse criminoso pode fazer isso com um cachorro, ele pode fazer isso com um humano também”.

David Wilson, porta-voz da USPCA em Newry, disse à BBC News NI que o cão é considerado um membro da família que vivia com ele.

“Este foi um ataque horrendo a um cão indefeso com uma substância corrosiva”, disse Wilson.

Ele convocou a comunidade local para ajudar a polícia em sua investigação e para revelar qualquer informação que possa estar ligada ao caso.

O conselheiro local, Gavin Malone, visitou a mulher que encontrou o cão e disse que ela estava “devastada”.

“Tem havido problemas contínuos na área com comportamento anti-social”, disse ele.

“Mas eu não acho que houve um motivo de vingança envolvido no crime. Eu acho que foi até a pura maldade”, concluiu ele.

​Read More