Destaques, Notícias

Coala órfã estende a mão para abraçar ursinho após incêndios na Austrália

Em janeiro, os incêndios queimaram mais de 1000 hectares no Parque Nacional Budj Bim, Patrimônio Mundial da UNESCO


Instagram Paul Ramos

Recentemente, o veterinário americano Paul Ramos, compartilhou um vídeo do momento em que um coala que perdeu a mãe nos incêndios florestais na Austrália, estendeu a mão para abraçar um ursinho de pelúcia.

A cena foi filmada em Koroit, estado de Victoria , no dia 2 de fevereiro e registou imagens do coala em um consultório veterinário, quando o brinquedo foi estendido em frente ao animal – um urso de pelúcia – e ele aconchegou o objeto em seu rosto.

Paul declarou em seu Instagram junto com o vídeo:  “Infelizmente, esse coala fêmea acabou de perder a mãe”.

E completou: “Para os cuidadores da vida selvagem, a comunidade local e os veterinários  que interviram para cuidar dela, obrigada pela ajuda e logo ela estará de volta à natureza”.

Em janeiro, os incêndios queimaram mais de 1000 hectares no Parque Nacional Budj Bim, (Patrimônio Mundial da UNESCO- Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), local onde o coala foi resgatado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Voluntário chora todos os dias ao resgatar coalas na Ilha Kangaroo

Ele também alega que a falta de serviços de apoio está levando a mortes de coalas que poderiam ter sido evitadas


Kai Wild/Facebook

Um voluntário da vida selvagem na Ilha Kangaroo diz que chora todos os dias enquanto trabalha para salvar os animais presos nas matas destruídas pelo fogo.

Kai Wild viajou para Adelaide , na Austrália, para se voluntariar para a operação de resgate no final de janeiro, porque possui experiência em escalar árvores para resgatar coalas feridos.  Desde sua chegada em 30 de janeiro, ele já ajudou a resgatar 18 coalas, incluindo quatro órfãos.

No entanto, durante os resgates que vem realizando, ele descreveu ser tomado pela emoção, alegando também que a falta de serviços de apoio está levando a mortes de coalas que poderiam ter sido evitadas.

'I've seen plenty of koalas that have burnt to death. 100s. I've seen koalas that are decomposing because they starved weeks ago but I haven't seen a koala that has died from starvation recently, in the time that I've been here. Until today,' the volunteer wrote.
Kai Wild/Facebook

Ele lamenta: “Já vi muitos coalas que queimaram até a morte. Eu vi coalas que estão em decomposição porque morreram de fome semanas atrás e vi um coala que morreu de fome recentemente”.

Ele compartilhou a história no Facebook em um apelo por mais serviços de apoio, depois de encontrar o primeiro corpo de um coala que sobreviveu aos incêndios apenas para morrer de fome.

“Hoje eu percebi que sou o único que vai sair para colocar estações de alimentação de coalas nessas plantações onde os coalas estão prestes a morrer de fome”, concluiu ele, lamentando mais uma vez, a falta de apoio na área.

Confira o vídeo dos resgates:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Desmatamento mata dezenas de coalas na Austrália

Os responsáveis podem ser penalizados com multa de 8 mil dólares


Rebecca Tregear/Pixabay

Um desmatamento em uma plantação de eucaliptos em Victoria, na Austrália, em dezembro de 2019, já matou 30 coalas, dos 80 animais socorridos por especialistas. Para os investigadores, o número deve ultrapassar as 40 vítimas quando os 10 km de madeira derrubada forem percorridos. O caso ficou internacionalmente conhecido como ‘massacre dos coalas’.

Em terras privadas próxima ao local, veterinários tratam os animais que chegam a eles com ossos quebrados e famintos. Vários tiveram de ser submetidos à morte induzida por conta de seu estado grave de saúde.

Em manifestação oficial, a ministra do Meio Ambiente do Estado de Victoria, Lily D’Ambrosio, afirmou que o evento foi “devastador” para a população de coalas da região de Portland e prometeu que o governo fará “todo o possível” para punir os autores. “Todos podem, com razão, sentir-se não apenas chocados,  profundamente tristes e com o coração partido, mas com raiva. Estou absolutamente zangada”, disse.

Os moradores relataram o incidente ao Departamento de Meio Ambiente, Terra, Água e Planejamento (DELWP), que chegou ao local no dia 31 de janeiro. Os coalas sobreviventes foram transferidos para receber tratamento especializado e reabilitação. “Após avaliação, os animais que não necessitam de transferência imediata receberam comida e água”, afirmou o departamento. “A DELWP está trabalhando com as partes interessadas para fazer o melhor pelos coalas restantes e isso pode incluir a translocação para locais adequados”, esclareceu.

De acordo com a Lei da Vida Selvagem, matar, assediar ou perturbar os animais pode gerar multa de oito mil dólares, além de uma multa adicional de mais de oitocentos dólares por vítima. A Lei de Prevenção da Crueldade contra Animais também pode ser utilizada como forma de punição. Uma das empresas madeireiras envolvida na colheita de madeira do local, em outubro de 2019, alegou ter devolvido a área no mês seguinte. Em nota, a empresa afirmou que “deixou um número apropriado de árvores para a população de coalas existentes e forneceu detalhes disso em uma carta ao proprietário da terra”.

Free-Photos/Pixabay

“Entende-se que, após a empresa concluir seu trabalho, as árvores restantes foram desmatadas. Isso é particularmente preocupante para os silvicultores e funcionários que trabalharam assiduamente para proteger os coalas durante a operação de colheita”, diz o comunicado. Um porta-voz da empresa afirmou que devolveu o local ao proprietário em meados de novembro com 72 coalas no local, deixando 10 hectares de vegetação remanescente.

A propriedade é administrada por Keith Troeth em nome de seu pai, Russell Troeth. Keith Troeth contou ter limpado o local na semana anterior, mas que toda a atividade foi pensada para minimizar qualquer fatalidade. “Pode ter havido um ou dois coalas mortos e eu assumirei a responsabilidade, mas não o grande massacre que está sendo verificado”. Russell Troeth se recusou a comentar.

A Associação Australiana de Produtos Florestais (AFPA) se manifestou afirmando horror ao que a investigação revela e descreveu como um “ato insensível de crueldade animal”. O executivo-chefe da associação, Ross Hampton, afirmou que os operadores florestais “seguem meticulosamente os procedimentos de preservação de coalas supervisionados pelo Departamento de Meio Ambiente de Victoria”.

“Fui informado de que os operadores, neste caso, foram tão cuidadosos que levaram até um coala ferido, que encontraram durante a inspeção, ao veterinário”, disse ele. “A colheita dessa área terminou em novembro e a terra foi devolvida ao proprietário antes do Natal. Ainda não está claro quem demoliu as árvores com os coalas aparentemente ainda neles, mas é absolutamente certo que isso não foi feito por uma empresa. Apoiamos todos aqueles que clamam para que a lei seja aplicada ao agressor”, acrescentou. A AFPA lançará sua própria investigação. As informações são do The Guardian de 3 de fevereiro.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Morre o coala Billy, famoso após os incêndios na Austrália

O coala não suportou as queimaduras e morreu devido a gravidade dos ferimentos


Instagram/1300koalaz

Billy, o coala que foi salvo dos incêndios na Austrália por voluntários da entidade de ajuda animal, Adelaide & Hills Koala Rescue, morreu na quarta-feira (29).

O coala, que ficou famoso na internet, teve suas patas gravemente queimadas nos incêndios, mas não suportou as queimaduras e morreu devido a gravidade dos ferimentos.

Segundo informações do site Daily Mail, a entidade de ajuda animal postou: “A jornada de recuperação do coala Billy, infelizmente chegou ao fim. Ele estava se recuperando muito bem, até que um dia, ele simplesmente ficou instável e não suportou mais os ferimentos”.

O site também enfatiza que os ex-cuidadores de Billy estão bastante tristes, mas confortados ao “imaginá-lo escalando uma grande árvore no céu”, além do mais, agradecem ao suporte de outras entidades e pessoas que viabilizaram o tratamento  para que Billy melhorasse o mais breve possível.

Os usuários de mídia social também lamentaram a perda do coala. “Estávamos acompanhando a recuperação de Billy daqui na Califórnia. Enviando amor e apreço aos seus cuidadores”, escreveu um deles.

Outro comentou: “Eles (cuidadores) deram a ele um lugar confortável e seguro, com muita comida e cuidados. Às vezes, nem nossos melhores esforços podem salvar um animal, e essa é uma realidade muito difícil de aceitar”.

“Tão triste. Obrigado por cuidarem dele”, comentou um terceiro.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Tenista Nick Kyrgios não consome mais carne e laticínios

“Isso não é pela minha saúde, simplesmente não acredito em comer animais”, declarou o atleta 


 

Lukas Coch / EPA-EFE

Recentemente, o tenista australiano Nick Kyrgios (24), revelou em seu Facebook que “não come mais carne ou laticínios” .

De acordo com o site Plant Based News desta terça-feira (28), o post do atleta, intitulado  “Koala Photo That Broke My Heart” (Foto de Koala que partiu meu coração), lamentava as mortes dos animais nos incêndios florestais na Austrália, declarando também que ver episódios como esse, só reforçam a sua decisão de não comer carne e laticínios.

Ele declarou: “Sou apaixonado pelo bem-estar animal há algum tempo. Não como mais carne ou laticínios. Isso não é pela minha saúde, simplesmente não acredito em comer animais”, escreveu o atleta.

Facebook/Nick Kyrgios

O atleta também disse que em meio ao caos dos incêndios na Austrália, ele escolheu uma instituição para apoiar, o WIRES –  o Serviço de Informação, Resgate e Educação da Vida Selvagem 

Além disso, Kyrgios também organizou um evento no Facebook de arrecadação de fundos destinados aos animais da tragédia.

“Com suas casas pegando fogo, esses animais não têm para onde ir. Vi recentemente uma foto de um coala sentado em um pedaço de grama não queimada, com chamas ao redor. Ele estava completamente impotente”, desabafou ele.

E acrescentou: “A parte mais triste é que muitas espécies ameaçadas de extinção foram capturadas nessa tragédia”.

Nota da Redação: é importante esclarecer que o veganismo é um termo criado pela The Vegan Society em 1949 para descrever um estilo de vida alinhado com a defesa dos direitos animais. Para esta entidade, o veganismo é “uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade”. O veganismo, em sua raiz conceitual, não se restringe unicamente à dieta, considerada vegetariana estrita, totalmente livre de qualquer produto ou ingrediente de origem animal. No entanto, com a popularização deste estilo de vida e do surgimento de novos termos, como dietas plant basead (baseada em plantas, em tradução literal) e com o aumento considerável do uso do termo “vegano” por celebridades e influenciadores, optamos por reproduzir as mesmas informações fornecidas pelas fontes das matérias.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Coalas podem ser extintos antes de 2050

O número de coalas em Queensland e Nova Gales do Sul reduziu drasticamente nas últimas três décadas


Skeeze/Pixabay

Os coalas podem ser extintos até 2050 e a Austrália é a grande responsável da ‘catástrofe’, dizem especialistas.

Estima-se que mais de um bilhão de animais tenham sido mortos no incêndio na Austrália, além do mais, metade da população de coalas foi destruída no sul da Austrália.

Segundo o especialista e o professor Christopher Dickman, da Universidade de Sydney, existiam 100 espécies de plantas e animais que corriam risco de extinção, e agora, devido aos incêndios, a possibilidade de monitoramento é quase nula.

“Vai demorar algum tempo até que possamos avaliar se determinadas espécies ainda estão lá ou não, mas entre 20 e 100 plantas e espécies animais que já estavam ameaçadas ficaram no caminho dos incêndios e corriam um risco real”,  declarou ele ao site The Daily Telegraph.

Com relação aos coalas, ele diz que apesar da devastação, ainda existem locais que a espécie nunca foi tocada. “Os coalas têm uma grande variedade e, embora os incêndios tenham coberto mais de 10 milhões de hectares, ainda há uma área muito grande de habitat de coalas que permanece intacta”, declarou ele.

De acordo com o site Dailymail desta quarta-feira (22), o Fundo Mundial para a Vida Selvagem (WWF) diz que até 2050, os coalas serão exterminados no leste da Austrália, no entanto, o Dr. Stuart Blanch prevê que os incêndios “reduziram o cronograma de extinção”.

O número de coalas em Queensland e Nova Gales do Sul, estados da Austrália, reduziu drasticamente nas últimas três décadas.  Na década de 90, havia 326.400 coalas nesses estados e em 2010 havia apenas 188.000, segundo o WWF. Em 2020 a população deve ser menos de 100 mil, devido ao desmatando e a limpeza de terras. O especialista também estima que entre um quarto e metade da população de coalas morreu nos incêndios.

“Os impactos climáticos, incluindo secas e incêndios florestais, estão ocorrendo muito mais rápido do que o esperado, por isso é razoável concluir que o risco de extinção virá bem antes de 2050”, disse ele.

Falando anteriormente ao Dailymail, o professor Dickman disse sobre a possível dificuldade dos coalas se reproduzirem .”Algumas coisas provavelmente não vão voltar”, disse ele. “É quase meio bilhão de animais nativos. Você poderia dizer funcionalmente extinto em algumas áreas”, completou o professor.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Cachorro e coalas com seus fucinhos colados
Notícias, Videos

Coala e cachorro ficam amigos após incêndio na Austrália

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, os dois animais dividem uma bebida em meio à seca que assola o país

Nesta segunda-feira, 13, Bindi Irwin, que trabalha no Zoológico da Austrália, compartilhou uma atualização no Instagram sobre um dos animais socorridos nos incêndios da Austrália, Barry, um coala, que está em tratamento após sofrer uma doença pulmonar por inalação de fumaça.

“Felizmente, depois de algum amor e carinho da equipe do Hospital de Vida Selvagem do Zoológico da Austrália, ele está no caminho da recuperação e, em breve, estará pronto para ser liberado em uma área segura”,declara Bindi.

O site Daily Mail publicou o vídeo onde o coala aparece ao lado do cachorro Rusty. Os dois aparecem compartilhando uma bebida nas Colinas de Adelaide, em meio à seca do incêndio na Austrália.

Compaixão é tudo, não é mesmo?


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Humanos ameaçam a existência do koala

 

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O koala, a adorável criatura passa uma grande parte da sua vida cochilando na copa das árvores, livre das garras da maioria dos predadores. Porém, isso não quer dizer que se trata de uma vida fácil. O koala é sujeito a um grande número de doenças, incluindo clamídia e Síndrome da Deficiência Koala, uma infecção semelhante à AIDS. As árvores de eucalipto, onde eles encontram a sua nutrição, são altamente inflamáveis. Talvez o pior de tudo, em torno do seu sexto aniversário, seus dentes começam a se desgastar, levando-os a passar fome.

Um dos mais notáveis símbolos da Austrália, é o koala, um marsupial. A grande parte da dieta do koala é composta de folhas de eucalipto. Como este fornece apenas uma limitada porção de nutrientes, o koala passa a maior parte do seu tempo dormindo. De vez em quando, um coala acaba sendo presa de uma cobra, mas é raro isso acontecer. Infelizmente, há uma série de outros fatores que acontecem, que encurtam ainda mais a vida do animal.

A maioria dos coalas hospedam parasitas sanguíneos como Trypanosoma Irwini, que pode levar a uma variedade de sintomas, como fraqueza e anemia, particularmente prejudiciais para um animal que, naturalmente, já é bastante sedentário. Estão também sujeitos a doenças, particularmente a clamídia. Diferente do que a doença que afeta os humanos, mas também pode ser transmitida sexualmente. Ela provoca conjuntivite e infecções urinárias, que podem eventualmente, levar a cegueira, infertilidade, e até mesmo a morte. Ela pode ser curada, mas só depois de um regime de meses de duração de antibióticos. Eles também sofrem de um retrovirus que causa uma doença parecida com a AIDS em humanos, que acaba com o sistema imunológico e leva à morte. Quase todos os koalas na parte norte de sua escala estão infectados com o retrovirus, e a doença está progredindo lentamente.

Provavelmente, a maior ameaça à existência do koala, como muitos outros animais, é a existência humana. A urbanização ameaça o habitat natural do koala, e é onde ele entra em contato com bairros humanos, os resultados quase sempre não são bonitos. Eles são atingidos por carros, atacados por cães, e se afogam em piscinas. Como se não fosse o bastante, o aquecimento global, e quantidade crescente de dióxido de carbono na atmosfera, tem servido para diminuir a qualidade nutricional de folhas de eucalipto.

Fonte: Fatos Desconhecidos

​Read More
Imagens

Coala se agarra à mãe em passeio na Austrália

Um filhote de coala não desgrudou da mãe enquanto ela passava pelas árvores de um parque em Sidney, na Austrália.

Se não estava sobre as costas dela, ele se refugiava dentro de sua bolsa.

O bebê coala faz parte de um programa de reprodução em cativeiro para animais ameaçados.

(Greg Wood/France Presse )

Fonte: F5

​Read More
Notícias

Hospital veterinário ignora cão em estado grave

A médica Rosana Lobo relata que levou seu cão Jipe ao Hospital Veterinário Koala, em SC, e, apesar de o quadro do animal ser grave, não foi prontamente atendida.

De acordo com ela, as recepcionistas do hospital, que também oferece serviços de pet shop, mostraram-se mais preocupadas com “o banho de um lindo e saudável cãozinho” do que com a situação de Jipe, que estava semiconsciente.

“Houve a priorização do lado pet shop de um estabelecimento que diz ser um hospital”, reclama Rosana. “Após 25 minutos sem ser atendida, saí e fui a outra clínica, onde o Jipe foi prontamente atendido e está internado”, diz.

Resposta

O Hospital Veterinário Koala afirma que orienta suas recepcionistas a dar prioridade a casos em que o atendimento é de emergência. “Um erro de comunicação pode ter causado tal situação. No momento em que nossa equipe é informada da emergência, os procedimentos são realizados imediatamente”, diz o hospital.

Fonte: Jornal Floripa

​Read More
Imagens, Imagens incríveis

Socorro a coala na Austrália

Quem não entende um olhar, muito menos entenderá uma longa explicação. Esta foto da frente de combate ao incêndio que devastou a Austrália é de rara beleza. Repare na troca: olhar, gesto… O universo é um, não importa se somos um monte de átomos que forma a espécie (animal) humana, vegetal, estrelar… Somos poeira atômica do mesmo sistema, do mesmo universo, não somos nem mais nem menos. O que nos faz maior ou menor é isso, esse gesto lindo que vem da chama divina que cada um possui mais ou menos acesa (alguns esquecem ou desconhecem que a possuem) dentro de si.

​Read More
Notícias

Miranda Kerr faz primeiro ensaio nu em prol dos coalas

A modelo australiana Miranda Kerr, namorada do ator Orlando Bloom, tirou a roupa pela primeira vez para a revista Rolling Stone de seu país.

Ela é capa da edição Green Issue da publicação, que fala sobre questões de meio ambiente. A top aparece presa em uma árvore.

Miranda Kerr é capa de edição especial da Rolling Stone

Miranda aceitou posar nua para conscientizar as pessoas de que os coalas precisam ser salvos. “É uma coisa triste. Restaram apenas cem mil coalas na Austrália. Cerca de 80% do habitat desses animais foi destruído desde que os europeus chegaram à Austrália”, disse ela, segundo o The Sun.

Fonte: Terra

​Read More