Notícias

Motorista é parado por policial que se surpreende ao encontrar um porco de 250 kg em seu colo


Chapéu: Explicação de peso

Título: Motorista é parado por policial se que surpreende ao encontrar um porco de 250 kg em seu colo

Olho: Para evitar que seu companheiro porco se resfriasse na viagem de mudança, o tutor resolveu trazê-lo bem pertinho de si, assim o animal se manteria protegido, seguro e tranquilo

Quando guardas de trânsito ou policiais param carros de motoristas distraídos, geralmente é porque eles estão tentando mandar mensagens no celular ou comendo atrás do volante.

Então, quando um oficial em Minnesota (EUA) recentemente ordenou que um carro estacionasse e encontrou um porco de 250 quilos no banco do motorista, mais especificamente no colo dele, ele com certeza tinha algumas perguntas a serem feitas.

O sargento Jason Foster estava patrulhando com sua viatura de polícia no condado de Chisago quando notou um motorista distraído. Quando o policial olhou pela janela, ficou chocado ao ver um porco no colo do motorista e outro porco menor ao lado no banco do carona, disse Foster à KMSP-TV.

Os dois porcos eram animais domésticos e pareciam estar posando para uma foto quando Foster pegou o celular para tirar uma foto da cena inusitada e engraçada.

“Esta entrou para o top 10 das coisas mais malucas que vemos nesta profissão”, disse Foster.

O porco menor é mostrado de pé ao lado do banco do motorista, enquanto o porco grande ocupa o centro do palco no colo do pai.

Como o proprietário explicou a Foster, ele estava no processo de se mudar para outra parte do estado e não queria que seus porcos domésticos passassem frio durante a viagem.

Embora os porcos tenham sido definitivamente uma surpresa adorável para Foster, ao viajar de carro com animais domésticos, recomenda-se colocá-los em caixas ou suportes seguros e bem ventilados dentro do carro.

No entanto, Foster deixou o tutor dos porcos ir mas com um aviso – lembrando-o de que carregar animais no carro por aí sem segurança apropriada pode se tornar muito perigoso, especialmente se esse animal é um porco de 250 quilos.

“Ver um porco no colo de alguém realmente foi a primeira vez- até mesmo para nós”, Foster brincou ao escrever sobre o episódio no Twitter depois.

​Read More
Ulissescão

Chega de o Bem justificar o Mal!

Podem reparar:

O imbecil pega a arma e mata um monte de crianças numa escola. É o Mal, fazendo seu papel, agindo como sempre foi na história humana. Mas lá vai o Bem (meio esquecidinho, que de boas intenções o inferno está cheio) tentando entender, explicar e até desculpar o “coitado” que foi vítima de bullying na mesma escola.

O insano pega o carro e atropela ciclistas como bolas de boliche. É o Mal explícito, direto, arrogante. E o Bem (especialmente a imprensa) ouvindo psicólogos para saber suas motivações íntimas.

Torturam cavalos, bois e touros nas arenas do Brasil, Colômbia e Espanha todos os dias. É o Mal se divertindo e impune. E o Bem (antropólogos, historiadores e xeretas em geral) dissertando sobre as raízes culturais do country e das touradas.

Africanos e árabes (não todos, senão estaríamos perdidos) punindo mulheres, tirando-lhes o clitóris, adorando desmatar, acabar com os animais, chutando cachorrinhos como bolas no Afeganistão. É o Mal sabendo que vai ficar por isso mesmo. E o Bem quebrando a cabeça para decidir se deve condenar essas práticas ou “respeitar” tradições milenares.

Burocratas, políticos e governantes roubando, corrompendo e saindo da cadeia, quando pegos, agradecendo a Deus por corresponder à sua fé. É o Mal crente que “deus” é a senha para a impunidade. E o Bem reproduzindo suas palavras, em som e imagens, com o pretexto de “ouvir o outro lado”.

Adolescentes matando quando, onde e quantos quiserem. É o Mal atirando, como gosta, a torto e direito. E o Bem defendendo a necessidade de defender suas prerrogativas de terem uma nova chance.

Mulheres (muitas, já quase maioria) adorando ser apenas bundas ambulantes, putinhas midiáticas. É o Mal usando o sexo (que não tem nada de ruim) como jeito de chegar lá (leia-se: grana e fama). E o Bem (em especial as mulheres pensantes) conformando-se que o feminismo já era.

Animais (todos) sendo barbarizados em nome da ciência ou da perversidade pura e simples. É o Mal apoiado na superioridade do racional sobre irracionais. E o Bem agitando seus protestos de meia dúzia de gatos pingados.

Classe ‘mérdia’ comprando carros e mais carros, comendo carne e mais carne. É o Mal escudado na lei do aproveite antes que acabe. E o Bem elogiando a expansão da indústria automotiva e das plantações de soja e cana, do progresso, enfim.

Está mais que na hora de o Bem deixar de ser bobinho e chamar o Mal de mal. Como ele é, sem retoques.

O Mal que se explique por conta própria. Se for capaz.

Ulisses Tavares não é bonzinho com o mal que encontra em cada esquina da vida. Coisas de poeta.

​Read More
Videos, Videos [Destaque]

O abandono não tem desculpas

O vídeo fala das justificativas que muitas pessoas dão para a violência que é abandonar seus animais. Por isso, seja responsável: antes de adotar um amigo peludo, tome uma decisão consciente, dê um passo seguro e amoroso. Os animais contam com a nossa proteção e respeito. Em inglês.

​Read More