Notícias

Justiça italiana anula decisão de governador que ordenava que ursa fosse morta

Pixabay/Imagem Ilustrativa

A Justiça Administrativa da Itália anulou uma ordem do governador da província autônoma de Trento, Maurizio Fugatti, que determinava a morte de uma ursa após o animal se sentir ameaçado por duas pessoas e se defender. A dupla sobreviveu e um deles se posicionou contra a decisão de tirar a vida da ursa, que ao menos por enquanto está a salvo.

A decisão judicial, do Tribunal Administrativo Regional de Trento, acolheu parcialmente um recurso apresentado por ONGs como a WWF e a Liga contra a Vivissecção (LAV), que defendem os direitos animais.

Identificada como “JJ4”, a ursa não poderá ser morta antes que outras alternativas sejam executadas, segundo a decisão. Resgatar e levar o animal para outro local, ainda não definido, é uma dessas medidas que devem ser realizadas.

“Ao menos por enquanto, a JJ4 está salva, mas em breve haverá outras audiências. Faremos todo o possível para que isso dure para sempre”, disse a LAV à agência de notícias Ansa Brasil.

O governador determinou que a ursa fosse morta após Fabio Misseroni, de 59 anos, e seu filho Christian Misseroni, de 28, terem vivenciado em junho um confronto com o animal, que se sentiu ameaçado com a presença deles em uma trilha e reagiu de maneira instintiva.

Pai e filho sobreviveram e recentemente Christian chegou a defender o direito da ursa a permanecer viva. Na última sexta-feira (11), o governador de Trento se posicionou novamente sobre o caso, afirmando que irá acatar a decisão judicial. Ele cobrou, no entanto, que Roma aponte um local para onde ursos podem ser levados.

“Os números [de ursos] que temos são superiores ao que podemos administrar”, afirmou Fugatti, que disse não querer esperar um novo acidente envolvendo animais e humanos para resolver a situação.

Atualmente, há entre 82 e 93 ursos em Trento. O número, porém, deve ser maior, já que há animais que ainda não foram contabilizados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More