Notícias

Congresso aborda justiça ecológica e solidariedade interespécies no contexto da Covid-19

Congresso aborda justiça ecológica e solidariedade interespécies no contexto da Covid-19
Foto: Reprodução/ Facebook/ ONG AFANA

Entre os dias 6 e 9 de outubro de 2020, sob o formato de webinar em razão da pandemia da Covid-19, será realizado o “VII Congresso Mundial de Bioética e Direito Animal” com uma carga horário de 40 horas registradas em certificado conferido a todos os participantes do evento.

O congresso é uma iniciativa acadêmica do Instituto Abolicionista Animal (IAA), desta vez em formato virtual pela plataforma Sympla, em parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), a Universidade Católica do Salvador (UCSAL) e a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Com o tema “Justiça ecológica e solidariedade interespécies”, o evento irá reunir profissionais de diversas áreas do conhecimento, abordando os temas mais inovadores e relevantes da Bioética e do Direito Animal, além de oferecer minicursos, mostras de comunicações e pesquisas, inclusive lançamento de livros específicos.

Para o professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Tagore Trajano de Almeida Silva, 36 anos, um dos organizadores do congresso, esse evento é importante para discutir as temáticas da Justiça ecológica e da solidariedade interespécies no mundo.

“Pensar no planeta terra é pensar na casa de todos nós, casa de todas as espécies, casa para todos aqueles humanos e não humanos, para todos os seres que fazem parte desse planeta. Então o objetivo do congresso é juntar os maiores ícones do Brasil e do mundo para discutir a temática da bioética e dos direitos animais”, disse Trajano em entrevista à Anda.

Congresso aborda justiça ecológica e solidariedade interespécies no contexto da Covid-19
Foto: Reprodução/ Pixabay

O congresso terá participantes internacionais; como professores, convidados e palestrantes de países como Estados Unidos, Espanha e China. O Congresso Mundial de Bioética e Direitos animais é realizado a cada dois anos. Esse ano em razão da pandemia do Covid-19 será realizada de forma virtual na plataforma Sympla. O último congresso foi realizado na cidade de João Pessoa (PB) de forma presencial em 2018.

Segundo o professor Tagore, um dos primeiros pontos a ser abordado no congresso é o aprendizado que a população teve com a pandemia do Covid-19. “ O grande objetivo hoje da palestra de abertura do congresso é falar sobre os efeitos da pandemia no nosso planeta; como é que essa pandemia interagiu e quais são os efeitos ao planeta, seja ele negativo ou positivo, se é que podemos falar em ponto positivo dessa pandemia, queremos discutir a relação com a natureza e qual é a lógica pedagógica desse vírus, e principalmente o que ele nos veio a ensinar; exemplos; trouxe mais empatia, mais compaixão, piedade e compreensão do outro”, destacou um dos organizadores do evento realizado via online.

Para Tagore, o que fez o projeto do Congresso dá certo foi a união e o trabalho de equipe de várias instituições que visam o mesmo objetivo que é: bioética e os direitos animais, ressaltando que o maior ensinamento da pandemia foi a solidariedade e o apoio entre grupos, em torno de um proposito só, que é a solidariedade interespécies.

O idealizador do projeto ainda destaca que o congresso vai discutir temas que antes da pandemia eram pouco falados. “O culturalismo, o uso de animais de alimentação, discutir o desgaste do capitalismo, e o que o isso está provocando no mundo, porque se gerou uma pandemia zoonótica vinda dos animais, todos esses temas eram pouco abordados na mídia antes da pandemia, o Congresso vai abordar esses temas relevantes”, esclareceu um dos organizadores em entrevista à ANDA.

Já para o advogado e doutorando em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) Thiago Pires Oliveira,36 anos, idealizador e presente desde 2008 em todos os Congressos mundiais de bioética e direito animal. O evento mudou a sua vida completamente e a sua maneira de pensar o mundo.

“ Hoje eu sou vegano, hoje eu tenho uma visão muito mais amadurecida e mais crítica do direito animal, um pensamento que as pessoas levem mais a sério os seres mais vulneráveis e que os direitos animais sejam respeitados”, disse.

“Desde 2008, a minha vida pessoal deu um salto, e como se tivesse passando um filme da minha história, e ver o quanto meu pensamento mudou. Hoje sou muito mais consciente dos direitos animal”, declarou Oliveira em entrevista à ANDA.

Papel do Setor Público

Para o promotor de Justiça do Meio Ambiente e Urbanismo da Comarca de Salvador Luciano Rocha Santana, 55 anos, fundador e atual presidente do Instituto Abolicionista Animal (IAA), e um dos organizadores do “XII Congresso Mundial de Bioética e dos Direito Animal”, o evento que é bianual busca discutir as questões éticas e jurídicas emergentes do mundo.

“O Ministério Público vem desenvolvendo um papel de protagonista na defesa dos direitos animais e da natureza, a partir da utilização dos instrumentos jurídicos diversos, tanto jurisdicionais quanto extra jurisdicionais. Como instrumentos jurisdicionais temos a ação civil pública, a ação penal pública e a ação improbidade administrativa”, declarou o promotor de Justiça em entrevista à ANDA.

Congresso aborda justiça ecológica e solidariedade interespécies no contexto da Covid-19
Foto: Reprodução/ Facebook/ IAA

Para o fundador do Instituto Abolicionista Animal, é muito importante a utilização da recomendação do compromisso de ajustamento de conduta. “O Ministério Público Brasileiro, tanto o Ministério Público Federal, quanto o Ministério Público dos Estados, do Distrito Federal e territórios, dispõe de um arsenal de instrumentos jurídicos que podem ser usados em defesa do meio ambiente e dos animais”, enfatizou.

Luciano Rocha ainda destaca o trabalho realizado pelo Instituto Abolicionista Animal (IAA) no qual é um dos fundadores. “O Instituto como associação civil de caráter cientifico- educacional vêm desenvolvendo um trabalho pioneiro na defesa dos direitos animais”, ressaltou Santana.

O Instituto Abolicionista Animal (IAA) é uma associação civil de direitos privado criada em 08 de agosto de 2006 com intuito de promover o desenvolvimento dos estudos acadêmicos e a difusão cientifico – educacional do direito animal, na condição de ramo autônomo do direito. Esta associação é sediada na Cidade de Salvador (BA).

O IAA contribuiu para a criação do periódico acadêmico Revista Brasileira de Direito Animal, primeiro periódico da América latina especializado no Direito Animal.

Foto: Reprodução/Facebook/IAAE

Inscrição

Para o professor associado da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) Patryck de Araújo Ayala, o Congresso Mundial de Bioética e Direito Animal é o maior evento dedicado ao tema no Brasil e possivelmente na América Latina.

Segundo Patryck, que também é um dos organizadores do congresso, o evento já conta com mais de 500 inscritos até o momento.

Para o professor de Direito na Faculdade Federal do Mato Grosso, atualmente o mundo precisa de uma aproximação do Direito com a ciência.

“Os sistemas naturais e todas as formas de vida são importantes e merecem o respeito da comunidade humana”, pontuou Ayala em entrevista à ANDA.

O professor ainda cita a importância do congresso para as pessoas se conscientizarem dos direitos animais. “Talvez a nossa maior contribuição seja estimular essa reflexão: para o direito, todas as formas de vida importam e devem importar”, ressaltou Patrick Araújo.

Quem quiser participar do XII Congresso Mundial de Bioética e Direito Animal, que será entre o dia 6 ao dia 9 de outubro, pode se inscrever no link: Sympla.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More