Histórias Felizes, Notícias

Gata visita casa vizinha todos os dias procurando pela amiga cachorra que morreu

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

Já passou um ano desde que Gracie, a melhor amiga de Baby Grey, faleceu, mas a gata ainda aparece para as datas programadas de brincadeira entre as duas.

Como um relógio, Baby Grey entra no quintal e ficar de pé na porta de correr, aparentemente esperançosa de que sua amiga venha correndo para encontrá-la no vidro como sempre fez. Lá, ela espera, às vezes por 20 minutos, às vezes mais.

A tutora de Gracie, Shea Belew Brennaman, professora da quarta série em Decatur, Alabama, nos Estados Unidos, notou pela primeira vez a misteriosa gata visitando seu quintal há dois anos e meio. “Eu acho que ela vive há dois quarteirões de nós e eu não sei o nome”, disse Brennaman ao The Dodo. “Eu e minha família apenas nos referimos a ela como Baby Grey.”

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

Quando Baby Gray entrou pela primeira vez no cercado do quintal de Brennaman, ela foi recebida por Gracie, uma cachorrinha mais interessada em fazer amigos do que assustar intrusos.

“Gracie ficava no quintal quase o tempo todo”, disse Brennaman. “Ela amava a natureza e, enquanto ela era uma protetora de nossa casa, ela amava todos os outros animais e eles a amavam também”.

Gracie era amiga de todos em sua propriedade, dos esquilos e coelhos até os falcões, e estava ansiosa para aprender mais sobre a visitante mais nova.

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

“Gracie aceitou-a em nosso jardim imediatamente e as duas se tornaram amigas rapidamente”, disse Brennaman.

Com o tempo, as visitas de Baby Grey tornaram-se mais frequentes. Gracie sempre foi uma anfitriã generosa quando sua amiga felina apareceu – e parecia que os dois animais tinham encontrado um no outro um espírito semelhante.

“Nós deixamos os tomates Gracie na nossa varanda, já que eles eram seu petisco favorito, e ela os compartilhava com a gata”, disse Brennaman, “o que era uma atitude especial, porque Gracie era muito ciumenta em compartilhar comida”.

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

“Quando Baby Grey começou a vir com frequência, as duas compartilharam tomates e tomavam sol juntas”, disse ela. “O banho de sol era a atividade favorita absoluta das duas.”

Enquanto Brennaman se maravilhava com o estreito relacionamento dos animais, isso parecia condizente com a personalidade da cachorrinha. Gracie faria qualquer coisa por seus amigos e familiares – incluindo salvar Brennaman de um ataque de uma cobra d’água quando ela era apenas um filhote de cachorro de 8 meses de idade.

“Ela tinha uma personalidade doce”, observou Brennaman. “Gracie era uma amiga para todos e era muito maternal, especialmente com o nosso Yorkie.”

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

No final de outubro de 2017, logo após o 12º aniversário de Gracie, Brennaman notou que a cachorrinha emagreceu dramaticamente. Uma visita ao veterinário e numerosos testes e raios-X revelaram a causa: Gracie tinha um linfoma agressivo.

“Gracie passou a maior parte de seus dias restantes na varanda fria”, disse Brennaman. “Acho que parte disso lhe deu alívio, mas, na verdade, ela estava se despedindo de seu território e de todos os amigos que fez em seu quintal.”

E, com certeza, Baby Gray estava lá.

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

“Baby Grey veio vê-la várias vezes em seus últimos dias e, enquanto não estavam comendo tomates, as duas apenas deitavam lá para estar uma com a outra”, acrescentou ela. “Elas tinham esse tipo de conexão onde nada precisava ser dito ou feito. Eles só queriam estar uma com a outra.

Gracie faleceu em novembro de 2017, menos de um mês depois de ter sido diagnosticada com câncer. E, embora a morte da cachorrinha tenha sido difícil para todos, Baby Grey parece estar lidando com a dor dela mantendo um tipo especial de vigília para sua amiga.

Isso, ou ela se recusa a acreditar que o cachorrinha realmente se foi.

 Foto: Shea Belew Brennaman
Foto: Shea Belew Brennaman

“Desde a morte de Gracie, várias vezes por semana, Baby Grey vem para a nossa varanda”, disse Brennaman. “Ela aparece primeiro na porta e procura por Gracie. Eu não sei quanto tempo ela aguarda, às vezes ela espera por 20 minutos e depois vai embora para a varanda onde vai sentar um pouco antes de finalmente se deitar e tomar sol. ”

Brennaman chegou a esperar as visitas continuadas de Baby Grey, e embora ela odeie ver a pequena gata sofrendo, ela inspira alguns sentimentos edificantes também.

“Meu coração parte ao ver Baby Grey ainda procurando por Gracie”, acrescentou Brennaman, “mas ao mesmo tempo me dá tanta esperança ao notar quão forte é a ligação entre esses dois animais”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

 

​Read More
Notícias

Gatinha e pata resgatadas se tornam as melhores amigas em abrigo de animais

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

Uma gatinha filhote e uma pata se tornaram as mais novas melhores amigas (improváveis) de um centro de proteção e resgate que ficam em Atlanta, na Geórgia (EUA).

Butterball, a pata, foi salva por um veterinário depois de ter sido atacado em um lago da região.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

Enquanto isso, Kimmy Kitty foi encontrada quando tinha apenas duas semanas de idade abandonada em uma escadaria.

Imagens adoráveis das duas brincando juntas mostram a gatinha caída no chão enquanto a pata esfrega sua pele com o bico.

Quando o dono do centro de resgate resgatou os animais, ele não esperava que eles se aproximassem.

O responsável pelo abrigo disse: “Temos a reputação de ajudar qualquer animal que precise de uma casa”.

“Tivemos inúmeros patinhos órfãos, galinhas de todos os tipos, tartarugas e codornas, e agora um doce e carinhoso pato.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

“Butterball foi atacado em uma lagoa local e deixado para morrer, mas eu achei um veterinário que a salvou.

“Kimmy Kitty foi encontrada em uma escadaria exterior de um prédio com cerca de duas semanas de idade”.

Os cães da raça basset mostrados no vídeo são do Resgate Basset Hound da Geórgia. Butterball ficou entediada com os bassets e tornou-se amiga de Kimmy, e as duas brincam juntas todos os dias.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Mães cachorrinhas são encontradas em um beco criando seus filhotes juntas

Foto: Northwest Dog Rescue
Foto: Northwest Dog Rescue

Uma transeunte estava passando próximo a um beco escuro em Los Angeles, na Califórnia (EUA), quando ouviu alguns ganidos abafados e resolveu parar e investigar para ver o que era. Ela se deparou com a cena mais triste e comovente ao mesmo tempo que tinha presenciado.

Amontoadas no chão sujo, estavam duas mães cachorrinhas muito magras – elas estavam bem próximas uma da outra, aconchegadas juntas e amamentando seus nove bebês. Este beco frio e escuro era seu único lar, e elas estavam criando seus filhotes ali juntas.

Foto: Northwest Dog Rescue
Foto: Northwest Dog Rescue

A mulher soube na hora que não suportaria apenas ir embora sem ajudar aquelas famílias primeiro. Ela pegou e levou todos eles até sua casa, tirando-os das ruas até que eles pudessem ser transferidos para o abrigo de Northwest Dog Project (NDP) em Eugene, Oregon, mais tarde naquele mesmo fim de semana.

A equipe de resgate percebeu imediatamente o quão especial era o vínculo que as mães cachorras, a quem deram o nome de Thelma e Louise, tinham uma com o outra. Embora ninguém saiba ao certo de onde elas vieram, é possível que as duas possam estar relacionadas (consanguineamente ou por morarem no mesmo lar) – ou simplesmente se conheceram nas ruas e decidiram ficar juntas dali em diante.

Thelma e Louise | Foto: Northwest Dog Rescue
Thelma e Louise | Foto: Northwest Dog Rescue

“Tenho certeza de que em algum momento as mães foram abandonadas por alguém”, Emma Scott, diretora executiva do abrigo NDP, disse ao The Dodo. “As mães e os bebês estão muito abaixo do peso e desnutridos além de tudo. Na minha opinião elas e os filhos estavam vivendo nas ruas há algum tempo já.

Não importa como as mães se encontram, elas são inseparáveis e cuidam de seus nove filhotes juntos como um time. Eles estão todos se ajustando bem ao resgate e parecem tão agradecidos pelas camas e cobertores confortáveis, disse Scott. As mães passam muito tempo apenas relaxando e cuidando dos bebês, e se aconchegando umas com as outras também.

Filhotes juntos | Foto: Northwest Dog Rescue
Filhotes juntos | Foto: Northwest Dog Rescue

“Eles parecem ter uma rotina mapeada – uma mãe cuida dos filhotes enquanto a outra os amamenta, e então eles mudam”, disse Scott. “Não sabemos quais filhotes pertencem a quem! É a primeira vez que vejo algo assim. Eles definitivamente têm um relacionamento doce.

Depois de compartilhar um post da família no Facebook, o abrigo foi inundado com palavras de apoio de muitas mulheres que, como Thelma e Louise, são mães solteiras.

“As pessoas realmente gostaram de conhecer a história delas”, disse Scott. “Muitas mulheres comentaram: “As mães solteiras se unem. É muito especial vê-las cuidando umas das outras ao mesmo tempo em que criam os filhotes juntas se ajudando”.

Filhotes juntos | Foto: Northwest Dog Rescue
Filhotes juntos | Foto: Northwest Dog Rescue

Com cerca de 12 libras (cerca de 5 kg) cada e cabelos rebeldes e fofos, as duas cadelinhas em situação de rua, Thelma e Louise, parecem ter misturas de terrier. Seus filhotes são bem pequenos, então é provável que eles cresçam e se tornem adultos pequenos e médios. Assim como suas mães, a maioria dos filhotes são meninas – existem apenas dois meninos entre as duas ninhadas.

“As mães são super doces”, disse Scott. “No início elas estavam um pouco nervosas e receosas, mas agora elas vivem procurando por carinho e rolando para ter suas barriguinhas coçadas. E os filhotes são muitos alegres e minúsculos. Eles são adoráveis e tornam a tarefa de cuidar deles deliciosa”.

Com cerca de 5 semanas de idade, os bebês estão se tornando super enérgicos e brincalhões. Eles permanecerão com as mães por pelo menos mais um mês até ficarem mais fortes e tomares todas as vacinas. Suas mães também serão castradas antes de estarem disponíveis para adoção.

Por enquanto, a equipe de resgate está muito feliz de estar cercada por tantos rabos abanando e muitos beijos sem fim dos filhotes – e está bem claro que toda a família sente a mesma coisa.

“Esta família é uma das razões porque resgatamos cães”, disse Scott. “Muita tristeza pode estar envolvida [no resgate], mas ver duas mães se juntando assim para criar seus filhos é tão gratificante. Eu olho para eles e não consigo segurar as lágrimas. Esta é a parte recompensadora de todo o trabalho que realizamos”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Gatinhas filhotes se gostam tanto que não largam a patinha uma da outra

Já é difícil o suficiente para milhões de gatos sem um lar que vivem em abrigos americanos encontrarem os lares amorosos e quando duas gatas em situação de rua são inseparáveis, a busca por um lar e uma família pode ser ainda mais difícil.

Mas as duas gatas que estão em um lar temporário da Flórida (EUA) deixaram uma coisa perfeitamente clara para todos: eles não vão se separar.

Elas até seguram as patas uma da outra.

Foto: Andrea Christian
Foto: Andrea Christian

Desde o início, parecia que Lily, a gata mista de siamês, e Rosa, a elegante gatinha preta, estavam destinadas uma à outra.

“Rosa chegou até mim muito abaixo do peso e terrivelmente triste”, disse Andrea Christian, a responsável pelos lares temporários do St. Francis Society Animal Rescue, ao The Dodo.

“Alguns dias depois, recebi uma ligação para levar outro gatinho muito doente que estava na UTI há cerca de uma semana”, disse Christian.

“Lily [tinha sido] encontrada ao lado da estrada em Tampa, ela parecia um esqueleto de tão magra”.

Foto: Andrea Christian
Foto: Andrea Christian

Christian, um voluntário experiente que fornece lar temporário para gatinhos necessitados, começou o trabalho duro de ajudar os novos moradores a se sentirem seguros e em casa.

Depois que Lily terminou uma bateria de antibióticos, Christian decidiu apresentá-la a Rosa.

“Foi amor à primeira vista!” Christian disse.

A pequena gatinha preta trouxe muito boa sorte para Lily, que ainda estava bastante fraca e com dificuldade para andar.

“Ela estava sofrendo de toxoplasmose”, explicou Christian.

Foto: Andrea Christian
Foto: Andrea Christian

Mas Rosa – junto com um tratamento a base de hidroterapia – pareceu ajudar Lily a ganhar força.

Nas últimas semanas, o par se tornou inseparável. Quando uma das duas começa a explorar seu lar temporário, a outra está logo atrás.

Foto: Andrea Christian
Foto: Andrea Christian

Quando uma se deita para tirar um cochilo, a outra também. Quando uma vai para a tigela de comida, a outra vai para a mesma tigela de comida – ocasionalmente usurpando a refeição.

“Elas ainda são tímidas”, disse Christian, mas ela observou que as melhores amigas ajudando uma a outra estão aprendendo a ser corajosas.

Foto: Andrea Christian
Foto: Andrea Christian

“Eles estão saindo para a população em geral com os outros gatos durante o dia, o que é uma imensa conquista”.

Agora o par está enfrentando um novo desafio: encontrar um lar definitivo, onde elas possam continuar juntas.

Esperamos que o amor que sentem uma pelo outra inspire uma família amorosa a adotá-las.

​Read More