Notícias

Cão quase morre afogado, mas é salvo por policial nos EUA

Por Vitor Marinho (da Redação)

Becky Johnson, diretora de animais do Departamento de Polícia de Jamestown (Dacota do Norte, EUA), mergulhou no rio James na terça-feira e salvou a vida de Charlie, um cão de 15 anos de idade e quase 3 quilos.

Charlie havia saído de casa por volta das 11h30 e provavelmente caiu no rio. Ele já havia escapulido antes, segundo Johnson, então ela já estava familiarizada com seus problemas de visão e audição. Se o tivesse chamado, Charlie não teria ouvido, acrescentou. Assim que Johnson avistou Charlie flutuando na água, sem se mover,  não teve dúvidas empular.

À medida que Johnson, uma veterana com 20 anos de trabalho policial, nadava rio adentro, foi perdendo chão. Ela então remou para a praia com uma mão e segurou o animal acima do nível da água com a outra. “A temperatura e a corrente não importaram”, disse a policial. “Eu só pensava em salvar o cão”.

Uma vez em terra, Johnson e outro oficial realizaram uma ressuscitação cardiopulmonar em Charlie. Johnson, encharcada à temperatura ambiente de 10°C, deu seu único cobertor a Charlie. “Eu usei o cobertor para o cão, o cobertor que guardo na camionete”, disse ela .

Eles levaram Charlie ao hospital veterinário, onde o Dr. Gary Pearson o aqueceu e administrou-lhe oxigênio e um antibiótico, para prevenir pneumonia. Caso Johnson não tivesse salvo Charlie tão prontamente, ou deixado de realizar a ressuscitação, ele provavelmente não resistiria, disse Pearson. Mesmo com os esforços de Johnson, Charlie recuperou-se numa incubadora animal. Em 25 anos, Pearson disse já ter visto cães se afogarem e cães com hipotermia, mas ele nunca viu alguém mergulhar atrás deles. “Não me surpreende que Becky faça isso; ela não hesitaria”, afirmou.

O tutor do animal, Chuck Hobert, disse que vê Charlie como um filho. Hobert visitou o animal no hospital ontem à tarde. Ele esperava poder levá-lo para casa, mas Pearson quis que o cão pernoitasse sob observação. “Eu odeio vê-lo assim, mas estou feliz que o salvaram”, disse Hobert.

O salvamento de Johnson preocupou o chefe de polícia Dave Donegan, mas ele está orgulhoso dela. “Isso me assusta”, disse Donegan. “Eu não quero que nada aconteça a ela ou a qualquer pessoa que trabalha aqui.”

Depois de uma ducha quente e roupas limpas, Johnson disse estar bem, salvo um dedo do pé ferido. Segundo ela, se acontecesse de novo amanhã, ela se jogaria na água. “Ah, sim, sem dúvida”, declarou.

Fonte: The Dickinson Press

​Read More