Notícias

Médico salva cachorro que ficou com a coleira presa em porta de elevador

Foto: Faris Awad/Facebook
Foto: Faris Awad/Facebook

Imagens fortes mostram o momento em que um médico salvou a vida de um cachorro depois que a coleira do animal ficou presa em uma porta do elevador quase matando o cão sufocado.

O incidente aconteceu no domingo (29), quando as portas do elevador de um prédio de apartamentos da Flórida (Estados Unidos) se fecharam na coleira de um cachorro e arrastaram o animal em direção ao teto.

Mohammed Awad, um médico que vive na região, é visto nas filmagens no saguão do Olympus Harbour Island Apartments, na cidade de Tampa.

O cachorro, de cor marrom, caminha em direção à porta do elevador e seu tutor parece não perceber sua falta, pois o animal fica preso entre as portas do elevador.

Momentos depois, o elevador se move e o cachorro é arrastado para cima e sufocado pela coleira.

“O cachorro estava basicamente engasgado, sufocando e sendo estrangulado”, Awad disse ao jornal KHOU.

Foto: Faris Awad/Facebook
Foto: Faris Awad/Facebook

Awad e os aparentes tutores são vistos nas filmagens tentando freneticamente tirar a coleira do cachorro antes que ambos caiam no chão.

“Eu estava basicamente tentando quebrar a coleira do pescoço do cachorro”, disse Awad.

“Você pode ver no vídeo, minha primeira tentativa, eu não consegui, e olhei para cima e pensei por um segundo, eu não posso fazer isso, é muito difícil, mas vou tentar mais uma vez e dar tudo o que tenho”.

“Eu pulei de novo e basicamente consegui no último minuto. O cachorro tinha basicamente um ou dois segundos restantes de vida”.

O irmão de Mohammed, Faris, postou o vídeo junto com a legenda: “Meu irmão salvou a vida de um cachorro”.

Foto: Faris Awad/Facebook
Foto: Faris Awad/Facebook

As imagens geraram uma enorme reação nas mídias sociais, com os usuários elogiando o pensamento rápido e a atitude de Awad.

Não está claro se a mulher era a tutora do cachorro ou estava apenas cuidando dele.

Nem o cão nem o médico foram feridos durante o incidente. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pit bull e gatinho filhote se tornam os melhores amigos e não aceitam se separar

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Sterling já teve uma vida muito difícil quando sua tutora o resgatou ele tinha apenas 4 semanas e meia de idade. Ela sabia que o cachorrinho abusado da raça pit bull precisava de tanto amor e atenção quanto possível para consertar os erros que haviam sido cometidos com ele, e com o passar dos dias, ela o ajudou a se transformar no cão mais doce e confiante possível.

“Ele era tão pequeno. Eu o alimentava com uma mamadeira regularmente”, disse Bethany Leigh, a tutora de Sterling, ao The Dodo. “Ele tinha cicatrizes gigantes em seu peito e pernas. Com muita dedicação, amor e carinho, ele se tornou doce e amoroso”.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Leigh sempre foi uma grande defensora dos animais e ajudou a resgatar e dar lar temporário a todos os tipos de animais em diferentes situações. Copiando o modo de ser de sua tutora, Sterling também faz o papel dele e se tornou o melhor irmão adotivo de todos os animais que passam pela casa deles. Ele gosta especialmente de cuidar de gatinhos bebês e se relacionar com cada um da maneira mais doce possível.

Quando Leigh encontrou um pequeno gatinho, mais tarde chamado Lux, em um estacionamento do McDonald’s alguns meses atrás, ela o pegou e o levou para casa – e por algum motivo, Sterling se apaixonou mais do que nunca pelo seu pequeno amigo adotivo.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

No início, Lux estava com medo de seu novo irmão adotivo, mas com muita paciência e amor, Sterling logo conseguiu conquistá-lo. Em pouco tempo, os dois eram inseparáveis, fazendo todas as coisas possíveis juntos o dia todo.

“Quando estamos no quintal e deixamos Lux explorar, se ele for longe demais ou começar a escalar a árvore, digo a Sterling para pegar seu gatinho e ele corre para encontrá-lo”, disse Leigh. “Eles se aconchegam e dormem juntos, ambos amam bolas e brinquedos, eles amam nosso quintal e brincam juntos lá atrás.”

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Com o passar das semanas, ficou claro que Lux se encaixava perfeitamente em sua nova família do lar temporário. Ele até se uniu à filha de 2 anos de Leigh, que é a outra melhor amiga de Sterling. Sterling amava proteger e nutrir seu novo irmãozinho, e era difícil imaginar o que aconteceria quando Lux fosse finalmente adotado e tivesse que ir embora.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Quanto mais tempo os dois passavam juntos, mais perto ficavam, e em pouco tempo Leigh percebeu que não havia como eles darem Lux a outra família – e, portanto, graças a Sterling, Lux tornou-se oficialmente um membro da família.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Agora o par adorável é oficialmente irmão de coração, e eles não poderiam estar mais felizes com isso. Os dois tiveram um início de vida difícil e parecem se entender quanto a isso, e não há dúvida de que eles serão os melhores amigos para o resto de suas vidas.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Mãe ursa e filhote tentam desesperadamente salvar ursinho preso em lixeira

Aflitos por ver o membro da família preso e incapazes de ajuda-lo, entre lamentos e tentativas frustradas, os dois ursos acabam atraindo a atenção de policiais que passavam pelo local


 

Foto: Placer County Sheriff´s Office
Foto: Placer County Sheriff´s Office

Por Eliane Arakaki

As imagens mostram a mãe ursa e o irmão do ursinho que ficou preso dentro de uma lixeira, em notável aflição buscando uma forma de libertá-lo.

O desespero e os lamentos da família eram tão pungentes que acabaram por atrair a atenção de uma viatura policial que passava pela região.

O filhote curioso acabou ficando preso na lixeira que estava do lado de fora de um motel perto de Lake Tahoe, na Califórnia, Estados Unidos, na semana passada.

O vídeo mostra o animal assustado soltando gritos de angústia depois que a tampa da caixa escorregou e fechou-se, deixando-o sozinho no escuro.

Dois ursos, que provavelmente pertenciam à mesma família, tentam ajudar o pequeno, mas não conseguem escalar a lateral da lixeira.

O filhote do lado de fora sobe até o topo, mas não consegue abrir a tampa para resgatar o pobre ursinho preso.

Depois de perceber que os ursos são incapazes de salvar o filhote, os policiais decidem intervir e ajudar.

Foto: Placer County Sheriff´s Office
Foto: Placer County Sheriff´s Office

Eles começam afastando os ursos enquanto os tranquilizam dizendo: “Tudo bem, estamos aqui para ajudar”.

Um policial então coloca corajosamente uma escada dentro da lixeira e tomando cuidado para não se aproximar demais do filhote.

Depois de recuar, eles observam o filhote subir a escada e aparecer no topo da lixeira.

O jovem urso espera olhando ansiosamente para os lados em cima da lixeira antes de descer e sair correndo, para grande alívio dos policiais.

Foto: Placer County Sheriff´s Office
Foto: Placer County Sheriff´s Office

A família reunida, podem enfim ir embora tranquila e completa.

Flagrantes como esse deixam claro os vínculos desenvolvidos entre os animais, de amor, fidelidade e lealdade. Seres sencientes, eles são capazes de compreender o mundo ao seu redor, sofrer, sentir e se alegrar.

A Declaração de Cambridge em 2012 assinada por um grupo de cientistas especialistas de diversas áreas do conhecimento atestou sua conclusão de que os animais possuem uma compreensão consciente, da mesma maneira e intensidade que os seres humanos.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pit bull abusado e traumatizado se transforma ao encontrar sua nova tutora

Foto: Brittney Strugala
Foto: Brittney Strugala

Depois que Meatloaf foi abandonado e deixado por sua própria conta, ele foi atropelado por um carro enquanto vagava pelas ruas da Flórida, nos Estados Unidos e a pessoa que o atingiu rapidamente entrou em contato com o controle de animais. Meatloaf foi logo resgatado pelo Rescue Animals In Need (RAIN), que imediatamente percebeu, pela sua condição e comportamento, que o pobre cachorro passara por muito mais do que apenas um acidente de carro.

Quando Meatloaf foi levado pela primeira vez pelo resgate, ele estava coberto de infecções de pele e sarna, sofria de infecções nos dois ouvidos e estava em torno de 20 quilos abaixo do peso. Ele tinha medo de tudo, e com base em seus ferimentos e na negligência óbvia de que tinha sido vítima, seus salvadores assumiram que ele provavelmente foi usado como cão de isca em brigas de cães em algum momento de sua vida.

Foto: Brittney Strugala
Foto: Brittney Strugala

Apesar de seu passado terrível e medos intensos, Meatloaf estava emocionado por finalmente estar seguro, e apesar de todos os seus novos amigos no centro de resgate poderem dizer que ele estava com medo, ele nunca parou de abanar o rabo, e parecia estar desesperadamente tentando superar sua ansiedade.

Meatloaf foi colocado em um lar temporário, enquanto ele se curava de suas muitas doenças, e, eventualmente, era hora de começar a procurar sua casa para sempre. Sua responsável no lar temporário conheceu alguns adotantes em potencial, mas nenhum deles parecia a melhor escolha.

Foto: Brittney Strugala
Foto: Brittney Strugala

Depois de tudo o que o pit bull passou, a responsável por Meatloaf queria desesperadamente encontrar para ele a família perfeita onde ele pudesse prosperar. Ela ficou preocupada se nunca encontraria uma família que ela estivesse completamente confortável em entregando-lo – até que ela conheceu Brittney Strugala.

Strugala estava ajudando sua melhor amiga a procurar um cachorro para adotar, e quando se deparou com a foto de Meatloaf, de repente teve a forte sensação de que precisava adotá-lo sozinha; que ele deveria ser seu cachorro. Ela e seu noivo estavam pensando em adotar um amigo para seu outro pit bull, Sky, e Strugala soube em seu coração que Meatloaf era o cachorro que eles estavam esperando.

Foto: Brittney Strugala
Foto: Brittney Strugala

O único problema era que a gerência do apartamento do casal não permitia que eles tivessem mais de um cachorro – e então eles decidiram se mudar.

“Eu imediatamente me apaixonei e sabia que tinha que tê-lo ao meu lado”, disse Strugala ao The Dodo. “Eu estava olhando para ele há mais de um mês, sem esperança de sequer tê-lo, porque eu morava com outras pessoas e não conseguia outro cachorro. Bem, algumas coisas mudaram e nos mudamos de casa no mês seguinte e nosso novo senhorio não só nos deixou ter um pit bull, ela nos deixou ter dois! Então, no primeiro dia em que nos mudamos, eu me candidatei a ele”.

Foto: Brittney Strugala
Foto: Brittney Strugala

Assim que sua situação de vida mudou, o casal aproveitou a oportunidade para receber Meatloaf em sua família – e apenas cinco dias depois que eles se mudaram para o novo local, Meatloaf chegou em sua nova casa.

Embora a maioria das doenças do Meatloaf estivesse curada no momento em que ele foi adotado, ele ainda estava bastante ansioso – mas sua nova família estava determinada a ajudá-lo, embora soubessem que poderia ser um longo caminho.

“Eu sabia que ele daria muito trabalho até se adaptar e eu queria fazer parte disso tudo”, disse Strugala.

Meatloaf amou sua nova família desde o início, e apesar de seus medos de pequenas coisas como barulhos repentinos, ele parecia imediatamente confortável em sua nova casa e confiava em sua nova família – especialmente sua irmã cachorra, Sky. Com a ajuda de Sky, Meatloaf tem, lentamente, mas com certeza, menos medo de coisas, e é capaz de lidar com o que vier pela frente, do seu jeito, desde que ele a tenha ao seu lado.

Foto: Brittney Strugala
Foto: Brittney Strugala

“Ele não tem muito medo agora porque mostramos a ele que as coisas e o mundo não são assustadores”, disse Strugala. “Sky também o ajuda a se sentir invencível”.

Agora, Meatloaf é o pit bull mais feliz e pateta do mundo, e não poderia amar mais sua nova vida. Ele absolutamente adora se aninhar com seus pais e faz birra cada vez que eles têm que sair para o trabalho. O pit bull segue sua irmã Sky por toda parte, e parece que finalmente aceitou que, enquanto ele tiver sua família, ele nunca mais terá que se sentir assustado novamente.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorrinha que vivia no meio do lixo dorme em uma cama pela primeira vez

Foto: Charley Walton
Foto: Charley Walton

Nala foi resgatada de um quintal sujo e cheio de lixo em Detroit, nos Estados Unidos onde ela passava todo o seu tempo. Ela nunca foi autorizada a entrar em casa, e desde que ela tinha apenas 5 meses de idade quando foi resgatada, é possível que ela tenha passado a vida toda vivendo do lado de fora.

Apesar da maneira como ela foi tratada, Nala só queria amor, e quando sua nova família a adotou, eles estavam determinados a dar tudo de si.

Quando Nala foi resgatada, a pequenina foi imediatamente levada para um veterinário nas proximidades, a cachorrinha estava incrivelmente magra e suja, e foi diagnosticada com vermes também.

Estava claro que a cachorrinha havia sido definitivamente vítima de maus-tratos, e ainda assim sua natureza doce nunca deixou de existir. Conforme ela foi limpa e tratada, Nala demonstrou toda a sua gratidão por alguém finalmente estar cuidando dela.

Foto: Charley Walton
Foto: Charley Walton

Frequentemente, os cães que vêm de situações de maus-tratos e abandono têm medo de pessoas, mas Nala parecia absolutamente feliz em conhecer todos que vinham em sua direção – e quando chegou a hora de sua nova família levá-la para casa, eles estavam tão animados e esperançosos, tudo que seus novos guardiães queriam era ver como ela se ajustaria à sua nova vida.

A nova família de Nala não tinha certeza de como ela reagiria quando a levassem para casa, já que era a primeira vez que ela chegava em uma casa. Eles pensaram que talvez ela estivesse um pouco nervosa ou insegura – mas Nala rapidamente provou que eles estavam errados e agiu como se a casa fosse sua. E realmente era.

“O rabinho de Nala fica muito agitado quando ela está feliz”, disse Charley Walton, a nova guardiã de Nala, ao The Dodo. “É a primeira impressão. Ela estava tão animada, não parecia nervosa ou triste. Literalmente pura felicidade”.

Foto: Charley Walton
Foto: Charley Walton

No antigo quintal imundo em que ela vivia, Nala não tinha realmente nada macio onde dormir e descansar, e por isso era importante para sua nova família que ela tivesse a cama mais aconchegante que existisse. Ela foi presenteada com uma cama confortável e vários cobertores quentinhos, sua família pode então perceber o quanto ela estava emocionada por ter um lugar tão especial para descansar.

“Podíamos ver o olhar em seu rosto, era evidente o quão confortável e feliz ela estava por ter sua própria cama”, disse Walton. “Logo ela se esticou nela”.

Mais tarde naquela noite, Nala pulou para a cama de seus novos pais – e percebeu que amava ainda mais esse cantinho. Agora, ela dorme abraçada com seus pais na cama deles todas as noites, para que ela possa sempre estar confortável e próxima das pessoas que tanto ama.

Foto: Charley Walton
Foto: Charley Walton

“Ela está mimada agora, de tanto amor que recebeu”, disse Walton.

Nala está com sua nova família há vários meses e pode ser encontrada aconchegada em algum lugar macio a cada chance que tem. Ela também adora ganhar carinho de sua família, brincar com sua irmãzinha, correr e se meter em problemas com seu irmão cachorro, e fica claro ao observá-la, que ela definitivamente não trocaria sua nova vida por nada no mundo.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Gatinho resgatado que nasceu com 4 orelhas e perdeu olho vence o abandono e encontra uma família

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

Este é Frankie, seu nome é uma abreviação de Frankenkitten (Gato Frankestein). Como as fotos mostram, Frankie é um pouco diferente dos demais gatos. Ele nasceu com quatro orelhas e teve que remover um de seus olhos.

No entanto, se alguém dissesse a ele que ele não se encaixava na norma, Frankie provavelmente não entenderia nada. Depois de passar por tudo o que o destino reservou para ele, o gatinho se adaptou a viver no mundo cheio de desafios a ele e mais tarde sua família adotiva para ajuda-lo quando ele fica um pouco sobrecarregado.

“Frankie nasceu em casa suburbana de uma mãe selvagem”, disse o tutor de Frankie, Georgi Anderson, ao Bored Panda. “Ele foi encontrado com um irmão vivo, mas pode ter havido mais gatinhos na ninhada que não sobreviveram.

As pessoas que encontraram os gatinhos, acolheram Frankie e seu irmão por várias semanas para socializá-los e cuidar deles antes de trazê-los para o abrigo para cuidados médicos e adoção”.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

Suas quatro orelhas são a primeira coisas que as pessoas veem nele. “Ele também tem uma mandíbula superior (mordida) muito grande que dá ao seu rosto uma aparência muito angulosa.

O gatinho entrou no abrigo de animais com dois olhos, mas um olho se rompeu e precisou ser removido. A remoção do olhos permitiu que ele sobrevivesse, já que se a infecção se tornasse séptica, ela o mataria.

Frankie também tem problemas nas articulações das patas traseiras – os joelhos (rótulas) não ficam fixados no lugar, então ele anda de pernas abertas e os joelhos muitas vezes entram e saem do lugar.

“Por causa da sobre mordida, seus caninos inferiores estavam perfurando o céu de sua boca. Ele também precisa que seus joelhos sejam operados para estabilizar as articulações, mas estou economizando o dinheiro para isso, é muito caro”, disse Georgi.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

“Ele também precisa fazer tratamento odontológico para cortar seus caninos inferiores a apenas alguns milímetros acima da linha da gengiva.”

Sua mãe conta que trabalhava no abrigo de animais na época em que Frankie chegou lá: “Eu também era uma cuidadora e oferecia lar temporário, então pediram que eu o abrigasse por uma semana enquanto ele se recuperava da remoção do olho”.

“Não foi tanto o seu visual único que o ligou a mim – foi o seu comportamento doce, a maneira como ele explorou o seu entorno, e buscou conforto de mim”

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

“Fui vê-lo antes de seu procedimento e imediatamente fiquei impressionada com o quão doce ele era. Depois de apenas algumas horas em que ele estava em casa para sua recuperação, eu sabia que ele era especial de uma forma que eu não conseguia descrever”.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

“O aspecto físico de sua condição tem algum impacto em sua vida cotidiana. As pequenas orelhas frontais afetam levemente sua audição direcional, já que elas quase funcionam como pequenos protetores de ouvido em seus ouvidos. Ele se ajustou bem com apenas com um olho, mas posso dizer que a visão noturna dele não é tão boa quanto a dos outros gatos. Suas pernas o fazem andar de pernas abertas, mas não causam dor ou afetam a maneira como ele brinca ou pula. Sua boca provavelmente é o maior fator físico de incômodo – ele se esforça para comer ração úmida porque não consegue mastigar muito bem. Ele está em uma dieta só de comida seca e aprendeu a pegar a ração com a língua e trazê-la até sua boca ao invés de usar os dentes”.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

Sua tutora conta que um dia normal para Frankie envolve escolher lugares diferentes para se aconchegar e dormir, emboscando ela todas as manhãs enquanto faz o café da manhã.

“Ele gosta de tentar subir na minha perna e depois sair correndo como um lunático”

“Frankie adora brincar com seu irmão Lucius Malfoy e irritar seus irmãos mais velhos, Minako e Toothless”.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

“Ele dorme um pouco mais e então irrita os cachorros. Ele é um gatinho muito atrevido”, conta ela.

“Sua personalidade é muito agitada, mas ele se sai bem porque também é muito doce. Ele não é excessivamente inteligente, o que tem sido um traço observado em alguns outros gatos com 4 orelhas. Duvido que ele se saísse bem do lado de fora. Ele via um carro e achava que era algo para brincar. Mas Frankie é tão amoroso e carinhoso e parece sentir quando tive um dia difícil. Eu quase poderia dizer que ele tem uma personalidade de cachorro”.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

Frankie é a prova viva de que a beleza de um animal está dentro dele, cada um tem a sua. Ele e seus humanos têm sorte de ter um ao outro e logo ele vai terminar seus tratamentos médicos e tudo vai ficar bem.

Foto: frank_n_kitten/Instagram
Foto: frank_n_kitten/Instagram

Muitas pessoas já se apaixonaram por Frankie, incluindo suas perfeitas imperfeições, ele tem vários seguidores em suas redes sociais que se desmancham em elogios quando sua tutora posta suas fotos de suas aventuras.

Esse gatinho realmente, nasceu para brilhar.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cão que era “filho único” ganha irmão filhote e não gosta muito da ideia

Kevin parece dizer aos pais com sua expressão: O que vocês fizeram? | Foto : Carleigh Johnson Stroup
Kevin parece dizer aos pais com sua expressão: O que vocês fizeram? | Foto : Carleigh Johnson Stroup

Por quatro anos Kevin, foi o único membro canino de sua família. Isso significava que ele era alvo de todos os carinhos, atenções, cuidados e mimos dos demais moradores de seu lar.

O cãozinho nunca teve que dividir a atenção de sua família com ninguém. Então, de repente, tudo mudou. E ele não gostou muito disso.

O cão ciumento e adorável é o querido animal doméstico de Carleigh Johnson Stroup e seu marido. Eles se apaixonaram por ele desde o começo. “Kevin é tão doce e amoroso”, disse a mamãe coruja Stroup ao The Dodo.

Kevin enquanto era "filho único" | Foto : Carleigh Johnson Stroup
Kevin enquanto era “filho único” | Foto : Carleigh Johnson Stroup

“Nós nunca podemos nos deitar sem que ele imediatamente se deite junto com um de nós, ele está sempre conosco”. Pode-se dizer que Kevin era realmente o rei da casa. Mas as coisas mudaram e isso não é assim mais agora.

Algumas semanas atrás, Stroup e seu marido decidiram aumentar sua família adotando um novo cãozinho filhote – esse novo membro escolhido foi um cachorrinho agitado e ansioso por atenção, chamado Lyle.

Lylo | Foto : Carleigh Johnson Stroup
Lylo | Foto : Carleigh Johnson Stroup

Acontece, no entanto, que eles se esqueceram de consultar Kevin antes sobre a questão.

E com isso, o estilo de vida tranquilo e relaxado que Kevin desfrutava na casa – livre de aborrecimentos ou competição por afeição – acabou.

Lyle trouxe com ele toda uma nova energia e dinâmica para a casa. Uma vibração de cachorro filhote e brincalhão ao extremo.

Kevin, inicialmente, não foi tímido em demonstrar seus sentimentos sobre o assunto. Aqui está o vídeo da reação de Kevin:

“A cara que ele fez, sua expressão é absolutamente sua assinatura registrada. É como se ele tivesse dito: ‘O que foi que vocês fizeram’?”, disse a tutora e mãe de Kevin.

“Desculpe Kevin. Esta é sua vida agora”, responderam os pais de Kevin à sua expressão de descontentamento explícita.

Apesar de ser, como diz Stroup, “o oposto absoluto de Kevin”, o pequeno Lyle simplesmente adorou seu novo irmão mais velho. O pequenino, encantando com o outro, seguia-o por toda parte, copiando o irmão nas mínimas coisas.

Foto: Carleigh Johnson Stroup
Foto: Carleigh Johnson Stroup

“Ele só quer ir para onde Kevin vai, se Kevin come, ele come, se Kevin deita, ele deita”, disse Stroup. “Lylo é absolutamente obcecado por ele”.

Todo o tempo sem descanso de Kevin agora é coisa do passado.

Lyle é como um gêmeo conjugado, não larga o irmão por nada. “Até as necessidades eles fazem juntos”, conta a tutora bem-humorada.

Foto: Carleigh Johnson Stroup
Foto: Carleigh Johnson Stroup

Stroup disse que, embora tenha levado algum tempo para Kevin a se acostumar, ele também passou a gostar dos encantos juvenis do recém-chegado.

“Mesmo depois de todas as tentativas de Lyle de arruinar a paz e tranquilidade de Kevin, eles se tornaram inseparáveis, os melhores amigos”, disse Stroup. “Kevin gosta de ter um irmão para ficar com ele quando estamos fora”.

“Um não vive sem o outro”.

Foto: Carleigh Johnson Stroup
Foto: Carleigh Johnson Stroup

Com o tempo, Lyle sem dúvida amadurecerá para um nível de energia mais adequado ao que Kevin está acostumado. Até então, pelo menos, ele parece estar aproveitando a diversão.

E quanto ao amor e carinho de seus pais?

Felizmente, ainda há muito para amor transbordando por todos os lados para todos os membros da família.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Filhote de cachorro desce as escadas com três patas copiando o irmão mais velho

Bowie e Zeppelin | Foto: Karisa Maxwell
Bowie e Zeppelin | Foto: Karisa Maxwell

Depois de perder a perna em agosto devido a algumas complicações de saúde que se prolongaram, Bowie, de 2 anos, teve que reaprender a fazer praticamente tudo. Com a ajuda de sua família, ele descobriu novas maneiras, com um pequeno ajuste, de fazer coisas mais comuns do dia a dia, incluindo subir e descer as escadas.

Desde que perdeu sua pata traseira, Bowie se encosta na parede e salta um pouco ao descer as escadas, a fim de facilitar o processo de descida – e, como ele repetiu esse processo várias e várias vezes, sua irmãzinha assistia a tudo.

Bowie | Foto: Karisa Maxwell
Bowie | Foto: Karisa Maxwell

Quando Zeppelin se juntou a sua família em janeiro, Bowie já estava acostumado a viver com três pernas e, claro, imediatamente ela se tornou uma melhor amiga e ele o modelo para sua nova irmãzinha mais nova. Os dois se tornaram inseparáveis desde o começo, e por isso não é surpresa que Zeppelin tenha aprendido como ser um cachorro com seu irmão mais velho Bowie.

Eles estão sempre se aconchegando um no outro ou brincando juntos, mesmo quando há outros cachorros por perto”, disse a mãe dos irmãozinhos, Karisa Maxwell, ao The Dodo.

“Estávamos nervosos e temíamos que Bowie tivesse medo de brincar com ela quando ela ficou maior do que ele, mas ela é tão gentil com Bowie, brinca no ritmo dele, sem força-lo e protege-o sempre.”

Bowie e Zeppelin | Foto: Karisa Maxwell
Bowie e Zeppelin | Foto: Karisa Maxwell

A medida que Zeppelin ficou maior, parecia que ela queria mais e mais ser como seu irmão mais velho – e um dia, seus pais notaram algo absolutamente adorável sobre a maneira como ela desce as escadas.

“Zeppy sempre descia as escadas desse jeito, mas quando ela era pequena, nós pensamos que era porque suas pernas não eram longas o suficiente”, disse Maxwell.

“Mas quando ela ficou maior, notamos que ela se encosta na parede como Bowie e mantém as pernas juntas.”

Bowie e Zeppelin | Foto: Karisa Maxwell
Bowie e Zeppelin | Foto: Karisa Maxwell

Como o Zeppelin tira todas as suas dicas de Bowie, ela agora desce as escadas como se tivesse apenas três pernas, assim como seu amado irmão mais velho.

Enquanto seus pais tentam mostrar a ela que ela não precisa descer as escadas dessa maneira, Zeppelin não parece se importar com isso, e continua a descer as escadas exatamente do mesmo jeito que Bowie faz, porque não importa o quê ou como, ela sempre quer ser como ele.

“Essa é a única maneira que ela sabe”, disse Maxwell. “Nós tentamos fazê-la andar um pé na frente do outro, mas ela apenas olha para todos nós confusa e continua a pular”.

Zeppelin ama tanto seu irmão mais velho Bowie mais do que qualquer coisa no mundo. Para ela, nunca importará que ele tenha apenas três pernas. Ele é o favorito dela e, como ela continua a crescer, não há dúvida de que ela continuará sempre tentando ser exatamente como ele.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Cachorro encontra sua tutora que não via há três anos e transborda de emoção

Foto: Kennedy News and Media
Foto: Kennedy News and Media

As imagens do vídeo abaixo mostram o momento comovente que um cão que não via sua tutora há três anos se reencontra com ela, pulando de alegria e enchendo-a de beijos.

Inu Stark se jogou cheio de felicidade sobre sua tutora, Mariana Weiss, quando ela voltou para casa depois de estudar por um período no exterior, na Alemanha.

No adorável vídeo, o rabo de Inu pode ser visto abanando freneticamente enquanto ele pula emocionado na direção da garota de 24 anos, até mesmo a derrubando em um momento, antes de rolar de costas implorando por uma deliciosa massagem na barriga.

Mariana, que é analista financeira de Curitiba, abraça e afaga o cão sem raça definida de quatro anos e chora de alegria junto com ele. Fica claro que ambos aguardaram ansiosamente por este momento.

Ela disse: “Eu esperava que ele estivesse excitado, como ele é sempre aliás, mas não tanto assim”.

“Ele definitivamente me surpreendeu. Não seu se pode ser visto no vídeo, mas eu estava chorando o tempo todo”.

“Esses animais têm um amor tão puro e desinteressado por nós que eu não poderia ter pedido um cachorro melhor, eu o amo muito.”

Mariana ligava via Facetime para sua mãe e Inu diariamente enquanto estudava Negócios Internacionais e Economia na universidade da Alemanha – e quando ela falava ao telefone com os dois, as orelhas do cachorro se levantavam e ouviam atentamente a tudo.

Seu irmão Vinicius Weiss decidiu filmar o momento especial em dezembro, antecipando que Inu ficaria animado e emocionado em se reunir com ela.

Mariana disse: “Inu sempre foi super ativo e brincalhão, meu irmão pensou – e ele estava certo que Inu ficaria louco quando me visse”.

“Meu irmão decidiu então gravar o encontro, no momento em que chegamos à garagem já podíamos ouvir Inu chorando no pátio. Eu sinceramente amo esse cachorro mais do que eu pensava ser possível”.

“Enquanto eu estava na Alemanha, eu fazia chamadas de vídeo para minha mãe todos os dias e pedia para falar com ele. Ele sempre levantava as orelhas e prestava atenção, ele reconhecia minha voz”.

“Minha mãe também me disse que ele se recusava a entrar no meu quarto a todo custo enquanto eu estivesse fora. Ele nem mesmo passava pela porta”.

“Mas no dia em que voltei, ele pulou direto para a minha cama e dormiu a tarde toda lá”.

Mariana conta que o vídeo sempre traz um sorriso, e até lágrimas de felicidade, às pessoas que o assistem.

Ela acrescentou: “Não dá pra ver no vídeo, mas meus pais estavam chorando naquele momento. Todo mundo que assiste as imagens instantaneamente começa a sorrir e a dizer como Inu estava feliz!”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Esquilo selvagem volta todos os dias para visitar seu salvador

Foto: Tyler Gregory
Foto: Tyler Gregory

Quando Tyler Gregory encontrou um pequeno esquilo bebê, frágil e faminto, em sua propriedade no Kansas (EUA), ele soube imediatamente que faria o que fosse necessário para salvar aquela pequena vida.

O esquilo filhote havia sido uma das vítimas da terrível tempestade que havia atingido a região e foi arrastado para longe da segurança de seu ninho e de sua mãe. Gregory trouxe o esquilo do sexo feminino para dentro de casa para aquecê-la, mas ele estava com medo de que ela não conseguisse sobreviver durante a noite.

“Ela era tão pequena que seus olhos ainda nem estavam totalmente abertos”, disse Gregory ao The Dodo. “Começamos a dar mamadeira com uma fórmula fortificante especial para ela e esperando o melhor”.

Foto: Tyler Gregory
Foto: Tyler Gregory

Gregory e sua namorada colocaram o despertador para acordá-los a cada três horas e se revezaram para dar as mamadas frequentes ao bebê esquilo. Felizmente, seus horários flexíveis permitiam-lhes que tivessem o tempo necessário para cuidar do pequeno esquilo, a quem chamavam Annie.

“Isso ajuda no nosso cronograma de trabalho, já que sou músico e minha namorada trabalha com arte de casa mesmo”, disse Gregory.

Durante as primeiras semanas, Annie dormiu em uma pequena gaiola com uma almofada de aquecimento para mantê-la confortável e, à medida que foi crescendo, o mesmo aconteceu com o tamanho de sua hospedagem.

Foto: Tyler Gregory
Foto: Tyler Gregory

Mas assim que seus olhos se abriram, o curioso esquilo queria mais espaço para andar – e seu pai estava feliz em apaziguá-la e satisfazer suas vontades.

Gregory começou a levar Annie em passeios frequentes para o lado de fora da casa, onde ela podia rastejar pela grama e tomar sol. Logo, o pequeno esquilo estava testando sua força, dando saltos voadores de troncos de árvores e postes da cerca.

Mas não importava para o quão longe ela fosse, Annie sempre corria de volta para o pai para ganhar uma coçadinhas no pescoço e – seu carinho favorito – uma esfregada na barriga.

Foto: Tyler Gregory
Foto: Tyler Gregory

“Ela sempre foi muito apegada a nós enquanto crescia”, disse Gregory. “Ela gostava de correr pela casa ou ir para fora, no quintal, mas sempre voltava e vinha direto para nós. Sempre que as pessoas apareciam, como visitas, ela vinha dizer “olá” sentada no meu ombro.

Quando Annie não estava andando por aí no ombro do pai ou rastejando pelo labirinto de seu cabelo, ela pegava carona na parte nas costas do irmão cachorro.

Em novembro, Annie subiu em sua primeira árvore – um sinal claro para Gregory de que ela estava se preparando para viver sozinha. No entanto, as más condições inclementes do tempo atrasou sua despedida.

“Nós não pudemos liberá-la porque o inverno começou a chegar e o frio estava muito forte”, disse Gregory. “Sua gaiola ainda estava dentro de casa – no entanto, em dias de sol, nós a levamos para fora para que ela pudesse se acostumar com o ambiente.”

Foto: Tyler Gregory
Foto: Tyler Gregory

Gregory queria que fosse escolha de Annie a hora de deixar o ninho, então ele começou a abrir a porta da gaiola para ela poder sair por conta própria.

“Estávamos nervosos e tristes, mas precisava ser feito”, disse Gregory. “Eu não aguentava mais vê-la na gaiola e ela estava começando a ficar selvagem ao invés de ser um bebezinho doce”.

Um dia, no mês de março, ele abriu a porta e Annie correu para os bosques que circundavam a residencia.

Enquanto Gregory e sua namorada brincavam e comparavam Annie a um adolescente crescendo e saindo para a faculdade, pois ainda doía dizer adeus. “Eu não a vi por cerca de uma semana e fiquei muito triste que talvez ela nunca mais voltasse”, disse Gregory.

Mas assim como uma criança se afastando pela primeira vez – Annie ainda queria voltar para casa para uma refeição grátis e para brincar com o cachorro.

“Eu abri a porta da frente no outro dia e lá estava ela!” Gregory disse. “[Ela] veio e me cumprimentou pulando no meu ombro”.

“[Isso] me fez muito feliz”, escreveu Gregory no Reddit. “Eu estava preocupado como qualquer pai ou mãe”.

A visita dela foi breve, mas significou muito para Gregory saber que Annie estava feliz e saudável.

“Ela passou algum tempo conosco, cerca de uma hora e depois seguiu seu caminho”, acrescentou Gregory.

“Ela volta todos os dias por um tempinho para se divertir abrindo nozes e depois segue seu caminho. Ela parece muito feliz e gosta de subir nas árvores”, conclui o orgulhoso pai.

“Aquece o meu coração saber que ela anda por aí, mas ainda volta pra casa”, acrescentou Gregory.

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Pit bull é abandonado na porta de abrigo com uma nota de despedida

Facebook/Villalobos Rescue Center
Facebook/Villalobos Rescue Center

Os funcionários do Centro de Resgate Villalobos (VRC) foram recebidos por uma visão triste e desoladora quando chegaram ao trabalho, no mês passado.

Amarrado a uma cerca na propriedade do abrigo de resgate em Nova Orleans (EUA), havia um jovem pit bull. O cão nervoso e agitado, se encolheu de medo quando os funcionários se aproximaram dele.

Eles podiam ver que a perna do cão estava toda enrolada na coleira, o que impedia a circulação de sangue para o membro.

No entanto, libertar o cão de sua situação desconfortável se mostrou uma situação difícil e delicada.

Facebook/Villalobos Rescue Center
Facebook/Villalobos Rescue Center

“O cão estava todo enrolado na coleira e não nos deixava realmente nos aproximarmos dele”, disse um dos socorristas em um vídeo feito na época. “Tivemos que descobrir como soltar o animal sem machucá-lo”.

Uma sacola de plástico cheia com os poucos pertences do cão foi deixada ali perto. Quando as equipes de resgate pegaram a bolsa, encontraram uma nota manuscrita que partiria seus corações mais uma vez:

“Conheça o Rock”, dizia a nota. “Eu não posso mais ficar com ele devido a problemas pessoais com minha família. Ele ficou isolado no meu quarto a vida inteira, pois meus pais não o queriam fora do quarto e, além disso, o dono da casa não queria cachorros aqui. Ele tem 1 ano e 4 meses e nunca teve nenhuma interação humana além da minha família, então por favor construa uma interação humana com ele”.

“Uma vez que você o conhece, ele é o cão mais doce que você vai encontrar” a nota continuava. “Ele aceita animais domésticos, mas pode ficar nervoso ao redor de pessoas estranhas. Por favor, dê um tempo a ele e providencie uma casa melhor para Rocky. Eu sempre doarei o máximo que puder para a lista de desejos (lista de necessidades dos cães, que fica exposta no site do abrigo). Ele sabe de suas possibilidades”.

Facebook/Villalobos Rescue Center
Facebook/Villalobos Rescue Center

Já sobrecarregados com cães indesejados, os funcionários do abrigo de resgate não tinham ideia de como poderiam acomodar mais um – especialmente um com problemas de medo e ansiedade incapacitantes.

Então eles postaram o vídeo do resgate do cachorro no Facebook, esperando que algum indivíduo gentil se apresentasse para ajudar.

“Honestamente, não tínhamos muita esperança nesse cachorro, especialmente depois de abandonado, vivendo em um ambiente de abrigo”, escreveu o VRC em um post no Facebook. “Não tínhamos meios para colocar Rocky em outro lugar, para que ele pudesse relaxar e se aclimatar ao mundo exterior ao seu redor. Ele não deixava que nenhum de nós chegasse perto dele”.

Facebook/Villalobos Rescue Center
Facebook/Villalobos Rescue Center

Por acaso, e numa reviravolta surpreendente, o irmão do antigo tutor viu o post nas redes sociais e correu para o centro de resgate. “Ele estava sobrecarregado de tristeza e desespero”, escreveu o VRC. “Ele conhecia Rocky desde que era um filhote e, como não morava mais com a família, imaginou que tudo corria bem com o cachorro”.

Os funcionários hesitaram em entregar o filhote problemático, mas quando Rocky viu seu antigo irmão novamente, tudo mudou. Em questão de segundos, o cachorro passou de um cão agressivo que rosnava e se encolhia e se se transformou correndo para seu novo pai (e ao mesmo tempo antigo conhecido) com beijos e lambidas, implorando para que ele lhe coçasse a barriga.

Você pode assistir a reunião tocante deles aqui:

Rocky agora tem uma nova vida, e alguém para ajudá-lo de verdade a se aclimatar ao mundo em seu próprio ritmo. Longe do confinamento de um quarto ou de um canil, Rocky pode finalmente experimentar a vida como um animal doméstico amoroso.

“Você está comigo agora”, diz o novo tutor de Rocky no vídeo. “Você finalmente está na sua casa”, finaliza satisfeito ele.

​Read More
Notícias

Cão perdido durante furacão reencontra irmão após teste de DNA

A história começou quando o cachorro Ollie se perdeu de casa durante o furacão Harvey, em Agosto de 2017, e posteriormente foi encontrado amarrado em um poste no Alabama. Paralelamente a isso, seu irmão Daegyeon foi adotado por um casal de Nova York.

Foto: Reprodução, Youtube

Em momentos diferentes, as duas famílias compraram kits para identificar alergias nos cães. Ao acessar o sistema para verificar os dados dos animais, a companhia viu a existência de um código genético semelhante entre dois cachorros e fez contato com as famílias. Os cães tiveram um reencontro emocionante e feliz. O laboratório que “proporcionou” o encontro produziu um vídeo sobre a história.

Fonte: DC

​Read More