Destaques, Notícias

Porco leva comida para seu companheiro após animal adoecer

Foto: Facebook / The Gentle Barn

Horton e Henry são dois porcos que tiveram suas vidas salvas após a fazenda que os explorava para consumo decretar falência. Melhores amigos, eles foram levados para uma ONG.

No início, a dupla estava bastante assustada e fugia ao perceber a aproximação humana – um resultado dos traumas que acumularam enquanto viviam na fazenda. Eles também estavam bastante debilitados. Desnutridos, anêmicos e cheios de parasitas pelo corpo, os porcos foram resgatados em condição degradante após passarem dias sem comer.

“Eles estavam morrendo de medo de nós quando chegamos”, disse Ellie Laks, fundadora da ONG The Gentle Barn. O processo de aproximação, segundo ela, “levou semanas”.

Aos poucos, a dupla se recuperou física e emocionalmente. No entanto, um ano depois Horton passou a ter dificuldades para andar. Criado para crescer rapidamente e ganhar bastante peso para ser morto para consumo, o porco não tinha estrutura corporal para suportar o próprio peso.

“Os dois cresceram muito, muito rapidamente”, disse Laks. “Mas o tamanho de Horton, juntamente com sua má conformação, se transformou em problemas de mobilidade”, explicou.

Submetido a uma cirurgia, o porco agora se recupera e conta com o apoio de seu fiel companheiro. Inseparável, Henry está sempre por perto e leva diariamente comida para Horton.

“Quando trouxemos feno para eles comerem na hora do almoço, Henry pegou um bocado e o levou direto ao celeiro para Horton”, disse Laks. “Ele tem feito isso há dias”, acrescentou. O porquinho doente, por sua vez, demonstra sua gratidão. “Ele agradece Henry da maneira que pode – grunhindo”, contou.

Laks explicou que porcos são altamente emocionais e criam laços fortes entre si e também com humanos. “Os porcos têm uma linguagem altamente desenvolvida. Eles estão sempre se comunicando através de seus diferentes bufos ou grunhidos. Henry também ama especialmente as pessoas. Ele está sempre pronto para uma massagem na barriga e alguns vegetais”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Após serem adotados, cães inseparáveis poderão viver juntos para sempre

Foto: Reprodução / videoinspirational

O chihuahua Taco, de oito anos, e o pit bull Merrill, de três anos, são inseparáveis. Levados juntos para um abrigo em San Francisco, nos Estados Unidos, eles nunca se desgrudaram.

Os voluntários do abrigo temiam que eles fossem adotados separados. O amor entre a dupla é tamanho que seria sofrido demais forçá-los a viver longe um do outro.

O local recebeu o contato de pessoas interessadas em adotá-los, mas inicialmente surgiram apenas candidatos que gostariam de adotar apenas um deles. O abrigo, por sua vez, sempre reforçou o quão prejudicial isso seria.

Era difícil, porém, encontrar uma família disposta à adoção conjunta. Para piorar, o chihuahua é idoso e sofre de problemas de saúde, o que iria requerer mais atenção e dinheiro de quem o adotasse.

Foto: Reprodução / videoinspirational

No entanto, esperar valeu a pena. Tempos depois, surgiu uma família interessada em dar uma nova vida aos animais, levando-os juntos para casa.

Com os medicamentos certos, os quais Taco terá que tomar para o resto da vida, o cão se recuperou. Hoje, ele aproveita seus dias ao lado de seu melhor amigo, o pit bull Merrill.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Resgatados de matadouro, cachorro e peru se tornam amigos inseparáveis

Reprodução/Instagram/@minnow.and.blossom

Salvo de um matadouro na Coreia do Sul, um cachorro e um peru criaram um forte laço de amizade após serem levados para um abrigo. Eles não imaginavam, porém, que a vida deles se transformaria naquele momento.

Além de terem sido salvos, eles encontraram uma família disposta a adotá-los de maneira conjunta. Afinal, não havia quem concordasse em separar a dupla.

Antes condenados à morte, Minnow e Blossom deixaram no passado a vida de exploração e sofrimento. Não iriam mais parar no prato de ninguém. Pelo contrário, foram viver juntos em uma fazenda nos Estados Unidos.

Reprodução/Instagram/@minnow.and.blossom

Inseparáveis, os animais não saem de perto um do outro nem mesmo na hora de dormir. E nunca mais terão que se preocupar com nada, tampouco temer qualquer possibilidade de sofrimento. A dor e os maus-tratos não fazem mais parte de suas vidas.

Na fazenda, o cachorro e o peru recebem todos os cuidados necessários e vivem cercados de amor. Sua tutora abriga também outros animais, que vivem vidas dignas e tranquilas em meio à natureza.

A amizade de Minnow e Blossom é tão bonita que a tutora dos dois decidiu criar um Instagram para mostrar o dia a dia dos animais. As imagens encantaram os internautas, levando o peru e o cão a acumularem mais de 8 mil seguidores.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Minnow, Blossom, Rosie & Olive (@minnow.and.blossom) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Minnow, Blossom, Rosie & Olive (@minnow.and.blossom) em


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Inseparáveis até na morte, tutor morre uma hora depois de seu cão falecer

                                Reprodução/Clarín

Daniel Hove e Gunner foram amigos fiéis um do outro não só durante a vida, mas também na morte. Cerca de uma hora após o cachorro morrer, o veterano da Força Aérea partiu. Viveram e morreram juntos, inseparáveis.

Diagnosticado com câncer no pâncreas em 2011, Daniel teve que ser submetido a muitas sessões de quimioterapia, além de uma cirurgia. Gunner sempre esteve ao seu lado, fortalecendo-o emocionalmente para passar por cada dificuldade.

O amor entre os dois era tamanho que uma cama para o cachorro foi colocada no quarto de Daniel. Até na hora de dormir, eles estavam juntos.

O cachorro, que tinha 11 anos de idade, construiu um forte vínculo com seu tutor, segundo a filha de Daniel, Heather Nicoletti. “Eles foram os melhores amigos até o fim. Eles foram a todos os lugares juntos”, disse Heather, em entrevista ao jornal Clarín.

Conforme o quadro de saúde de Daniel piorava, a saúde de Gunner se deteriorava também. E isso não surpreendeu ninguém. Era esperado que a ligação dos dois levasse a isso.

Reprodução/Clarín

“Quando meu pai tremia, o cachorro tremia, meu pai estava inquieto, o cachorro estava inquieto”, disse Heather. Nos últimos dias de vida de seu pai, ela percebeu que a vida dele estava se esvaindo ao observar a forma como o cachorro se comportava. “Meu pai não respondeu e nem Gunner. Quando observamos que Gunner não estava se mexendo muito, sabíamos que o fim dos dois estava se aproximando”, afirmou.

Ao encontrar o cachorro apático e com as patas inchadas, Heather o levou ao veterinário. Foi então que decidiu-se que o melhor seria sacrificá-lo, para que ele parasse de sofrer. “Eles lhe deram uma injeção e ele morreu. Fui para casa e uma hora depois meu pai morreu”, contou.

Heather afirmou ter ficado aliviada por seu pai não ter passado pelo momento difícil de se despedir de Gunner ou vê-lo morrer. O mesmo alívio que sentiu por saber que o cachorro partiu, já que ele não conseguiria viver um único minuto sem seu tutor.

“Sabíamos que eles iriam juntos. Gunner não poderia ficar sem meu pai e ele escolheu ir com ele”, disse.

Chris Hove, filho de Daniel, homenageou seu pai e o fiel amigo por meio de uma foto, publicada na internet. “Boa noite pai, boa noite Gunner”, escreveu, em tom de despedida.

Reprodução/Clarín

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cachorro e porquinho têm um encontro marcado para brincar juntos toda semana

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

As amizades mais improváveis são as vezes as mais gratificantes, Carlton e Colt estão aí para provar isso. Os dois são diferentes em muitos aspectos, mas eles têm uma coisa muito importante em comum – eles se amam de todo o coração.

Para o que aos olhos de muitos seria incompatível, foi amizade à primeira vista.

“A amizade deles foi instantânea!”, Disse Amanda Quick, tutora de Carlton, ao The Dodo. “Colt não conseguia tirar os olhos de Carl. Eles estavam fazendo brincadeiras, barulhinhos e pastando juntos, até lutando e brincando nas pilhas de folhas”.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

Ambos os animais são resgatados, abandonados por suas famílias anteriores. Carlton foi originalmente vendido como um “mini porco” – também conhecido como porcos micro ou xícara de chá – uma raça que não existe realmente. Quando viram que ele estava crescendo demais, sua família o largou em uma fazenda na zona rural do Texas (EUA).

Quando Quick viu pela primeira vez uma foto de Carlton, ela soube que o lugar dele era ao lado dela: “Eu sempre quis resgatar um porco, meus dois cães são resgatados”, disse Quick. “Assim que vi seu doce rosto de bebê, soube que ele era único. Eu dirigi uma hora para pegá-lo naquela noite.

Quando o porco de boa sorte não está jogando tigelas de cachorro ou derramando o café de sua mãe, ele gosta de aconchegar-se com seus irmãos cães”.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

“Ele é um causador de problemas nato. Pensei em mudar o nome dele para `Que droga Carl´, porque digo essa frase umas 100 vezes por dia”, disse Quick. “Ele está me fazendo rir ou me dando os melhores aconchegos o tempo todo. O que mais eu poderia querer?”

Um dia, Quick resolveu levar Carlton com ela para seu treino semanal de canto com sua amiga Mary. Mal sabia ela que Carlton encontraria sua alma gêmea, um cachorro chamado Colt, lá.

Agora, seus encontros se tornaram uma tradição amada e muito aguardada.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

“Desde a primeira vez, Carlton espera na porta todas as segundas-feiras”, disse Quick. “Ele sabe quando é hora de partir. Ele vai do carro até a porta da frente de Mary e Colt começa a pular no segundo em que entramos. Mesmo depois de semanas, eles ainda estão tão empolgados em se ver toda segunda-feira”.

Para Colt, essas visitas o mantêm jovem, de acordo com Quick: “Ele não fica tão empolgado com os cachorros em casa. Ele tem 8 anos e é bastante artrítico, então guarda a energia para Carl”.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

Quick capturou recentemente essa alegria em um vídeo que ela postou no Facebook na quarta-feira (11). Você pode assistir ao vídeo adorável aqui.

A mãe de Carlton não está surpresa que o porco especial tenha tantos amigos únicos: “Ele é apenas uma boa alma”, disse Quick. “Ele estende o amor a qualquer espécie e tem o dom de saber quem mais precisa”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorro e filhote de girafa se tornam amigos inseparáveis em abrigo

A girafa foi resgatada com a saúde frágil e passou a contar com a amizade do cachorro durante sua recuperação


Um filhote de girafa e um cachorro se tornaram melhores amigos após se conhecerem no The Rhino Orphanage, um abrigo para rinocerontes na província de Limpopo, na África do Sul.

(FOTO: REPRODUÇÃO INSTAGRAM THE RHINO ORPHANAGE)

Imagens da relação de amizade entre os animais são divulgadas nas redes sociais do abrigo e encantam os internautas. As informações são do portal RIC Mais.

Hunter, um pastor-belga-malinois, e Jazz, o filhote de girafa resgatado pelo abrigo, são inseparáveis.

“Logo quando achamos que não poderia ficar mais fofo, doce e emocionante, isso aconteceu. O laço e compreensão entre Jazz, a girafa, e Hunter, nosso pastor-belga malinois, é surpreendente”, escreveu o abrigo em rede social.

A girafa foi resgatada recentemente e, segundo os membros do abrigo, está se recuperando e ficando cada vez mais saudável.

“Seus olhos estão melhorando, o que significa que ele logo vai poder sair lá fora. As fotos falam por si mesmas. (…). Queremos agradecer a todos pelo amor, orações e mensagens de suporte para a nossa girafa bebê”, publicou o abrigo.

Logo que a girafa chegou ao abrigo, Hunter não desgrudava dela. Com a melhora no quadro de saúde de Jazz, Hunter percebeu as necessidades da girafa e passou a dar mais espaço para ela.

“Hunter agora está mais tranquilo e até deixa Jazz sozinha por um curto período para brincar com seu irmão Duke e se aventurar na sua atividade favorita: nadar nas poças dos bebedouros. De qualquer maneira, não demora muito até que Hunter volte ao quarto para checar Jazz. Ele continua dormindo no mesmo quarto, inclusive”, concluiu o abrigo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por The Rhino Orphanage (@therhinoorphanage) em


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cães abandonados que viviam no esgoto faziam companhia um ao outro por semanas

Foto: Hope For Paws
Foto: Hope For Paws

Quando Elded Hagar, fundador da ONG Hope For Paws, da Califórnia, Estados Unidos, recebeu um telefonema sobre um par de poodles, irmão e irmã, que viviam nos túneis de esgoto embaixo de uma rodovia, ele não tinha ideia do quão difícil seria resgatá-los.

Ele e outra voluntária, Vanessa Enriquez, rastrearam os cães dentro do sistema de esgoto sob uma estrada de Los Angeles. Uma família que se compadeceu da situação dos animais estava deixando comida e água para os cachorrinhos, mas eles tinham verdadeiro pavor de humanos.

Hagar e Enriquez bloquearam um lado do túnel para poderem alcançar os cães, e então começaram a rastejar lentamente para cada vez mais perto do par assustado.

Foto: Hope For Paws
Foto: Hope For Paws

Os dois cães haviam sido brancos uma vez, mas morar no esgoto havia tornado seu pelo emaranhado e preto de sujeira. O irmão e a irmã se aconchegaram um no outro enquanto os estranhos se aproximavam.

Mas Hagar falou com uma voz calma e tranquila, garantindo aos cães que ele estava lá para ajudá-los.

Ele e Enriquez deslizaram suavemente as pontas pelo pescoço dos cães e começaram a tirá-los do cantinho onde eles se espremiam.

Foto: Hope For Paws
Foto: Hope For Paws

O irmão, que estava protegendo sua irmã, começou a se mostrar receptivo com os socorristas e lentamente se aproximou deles – mas a garota se afastou, ainda assustada e insegura do que estava acontecendo.Hagar gentilmente estendeu a mão e acariciou-a para acalmá-la.

Lenta, mas seguramente, os voluntários estimularam os cães assustados a acompanhá-los para fora do túnel de esgoto onde estavam vivendo – o tempo todo rastejando pelo lixo e garrafas vazias que afastavam com as mãos e com os joelhos.

Foto: Hope For Paws
Foto: Hope For Paws

E gradualmente os cães começaram a aceitar que essas pessoas estavam lá para ajudar. Eventualmente, até a irmã cautelosa se deixou puxar para o colo de Enriquez.

E então, finalmente, Hagar e Enriquez chegaram ao fim do túnel – saindo para a luz com os dois cães. Eles ainda estavam assustados, mas pareciam entender que estavam se despedindo permanentemente da vida solitária e difícil que haviam passado nos esgotos.

Hagar levou os cães a uma clínica de animais, onde eles receberam os cuidados de que precisavam – incluindo banho e tosa. Hagar ficou com eles enquanto tomavam seu banho e recebiam um corte de cabelo, oficialmente se despedindo de suas vidas antigas.

Hagar decidiu chamar os irmãos de Cola e Pepsi, de acordo com informações do The Dodo.

Foto: Hope For Paws
Foto: Hope For Paws

Depois de um bom e revigorante dia no spa, Cola e Pepsi eram cães completamente diferentes. Limpos, felizes e brincalhões, eles pulavam com os humanos que os haviam salvado apenas horas antes.

Cola e Pepsi até tiveram uma visita muito especial: a família que deixava tigelas de comida e água para ajudá-los a sobreviver passou por lá para dizer olá.

Ninguém conseguiu segurar o sorriso e a emoção – incluindo Cola e Pepsi.

Foto: Hope for Paws
Foto: Hope for Paws

Os dois cachorrinhos agora estão seguros e felizes – mas ainda precisam de um lar. Cola e Pepsi estão disponíveis para adoção no abrigo Maltese Rescue California.

Mesmo esperando um lar, Cola e Pepsi já têm um final muito feliz embaixo de suas coleiras. Muito bem meninos, vocês merecem.

Assista todo o seu resgate aqui:

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Nenhum cachorro queria brincar com o cachorrinho cego até ele conhecer seu melhor amigo

Linguine e seu irmão Future | Foto: Sarah Bowley
Linguine e seu irmão Future | Foto: Sarah Bowley

Quando a família de Linguini o trouxe para casa, eles não tinham ideia de que ele era cego. O cachorrinho era tão confiante e social que eles pensaram que ele era apenas um filhote desajeitado que ocasionalmente esbarrava nas coisas. Quando descobriram a verdade, ficaram definitivamente surpresos, e o próprio Linguini ainda não parecia perceber que era diferente de qualquer outro cachorro.

“A maioria das pessoas, incluindo alguns veterinários, nunca imaginaria que ele é cego, pois ele é tão adaptável ao ambiente e inteligente na forma como se direciona e caminha pelo ambiente”, disse Sarah Bowley, tutora de Linguini, ao The Dodo. “Ele nunca deixou que isso o impedisse de correr ou brincar e faz tudo o que os outros cães que vivem em casa fazem. De fato, ele pode ser o mais corajoso de todos eles!”.

Linguini é um cão muito social que adora conhecer novas pessoas e fazer amigos. Ele fica tão empolgado toda vez que encontra um novo cachorro para brincar mas, infelizmente, às vezes sua intensa emoção é demais para os outros cães.

Linguine | Foto: Sarah Bowley
Linguine | Foto: Sarah Bowley

“Ele não pode vê-los e, quando finalmente percebe que eles estão lá ele fica fora de si de tanta emoção”, disse Bowley. “Acho que isso os surpreende ou assusta quando ele de repente percebe que há um amigo por perto e começa a pular sobre eles e tentar brincar a todo custo. Por ser cego, mas também muito cheio de energia, ele tende a pular com as patas estendidas e acho que é um pouco demais para os outros cães no primeiro encontro”.

Devido a suas intensas reações a outros cães, Linguini frequentemente se via frustrado quando tentava fazer amigos. Outros cães nunca pareciam querer brincar com ele, até que ele conheceu seu novo irmão, Future.

Linguine e Future | Foto: Sarah Bowley
Linguine e Future | Foto: Sarah Bowley

Assim que a família de Linguini trouxe Future para casa, eles perceberam que ele era especial. O cachorrinho se mostrou incrivelmente inteligente e emocional e parecia capaz de detectar as necessidades de todos ao seu redor. Sua família esperava que ele pudesse ser o amigo perfeito para Linguini, e acontece que eles estavam absolutamente certos. Desde o momento em que se conheceram, Linguini e Future se tornaram instantaneamente os melhores amigos.

“Eles se conectaram imediatamente e começaram a brincar como loucos, do jeito que você espera que os filhotes brinquem entre si”, disse Bowley. “Foi incrível assistir àquela cena, percebi que Linguini nunca realmente brincava assim com outros cães, pois eles sempre pareciam um pouco desconfortáveis com ele ou ele era muito enérgico para eles. Future, no entanto, correspondia perfeitamente à energia de Linguini e era como se os dois tivessem se conhecido a vida toda”.

Linguine e Future | Foto: Sarah Bowley
Linguine e Future | Foto: Sarah Bowley

Agora, Linguini e Future estão sempre juntos. Eles brincam juntos por horas e adoram perseguir um ao outro em círculos pela casa até não poderem mais correr. Eles tiram uma soneca juntos e relaxam no sofá até recuperarem energia suficiente e estarem prontos para continuar se perseguindo. Como Linguini é cego, ele aprendeu a seguir as dicas de Future e muitas vezes ele imita seu comportamento. Future parece saber que Linguini é cego e o ajuda sempre que pode, mas também não o trata de maneira diferente, exatamente o que Linguini sempre quis.

“Future parece ter uma compreensão inata de Linguini de uma maneira que outros cães não têm”, disse Bowley. “Você pode dizer quando está perto deles que Future sabe que Linguini é cego, mas que ele realmente não se importa – ele só gosta de Linguini por quem ele é. Future brinca com ele da mesma maneira que qualquer outro cachorro e espera pacientemente que Linguini o encontre quando ele começa o jogo. Essa é de longe a melhor coisa que poderia acontecer para Linguini, pois ele não se vê de maneira diferente e só quer brincar como os outros cães”.

Linguine e Future | Foto: Sarah Bowley
Linguine e Future | Foto: Sarah Bowley

Antes de Linguini conhecer Future, tudo o que ele realmente queria era encontrar um amigo que brincasse com ele. Agora ele e Future são inseparáveis e não deixam nada atrapalhar sua amizade.

“Penso que, para Linguini, Future solidificou essa ideia de que ele é como qualquer outro cachorro”, disse satisfeita a tutora dos dois cães.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cãozinho em luto se recusa a dormir no lugar onde seu amigo falecido dormia

Harry sempre foi um pouco tímido, mas ao conhecer George ele ganhou a confiança que precisava e passou a estar junto do amigo em todos os lugares, os dois dividiam a mesma cama


 

Foto: Caitlin Wynne
Foto: Caitlin Wynne

Nunca é fácil perder um amigo querido, ainda mais em se tratando do melhor amigo – seja para humanos ou cachorros.

Para Harry, um cão da raça shih tzu, o processo de cicatrização dessa ferida emocional está demorando um pouco mais para se completar do que sua tutora Caitlin Wynne esperava. Na verdade, ele ainda está de luto por seu melhor amigo, George, um ano após a morte do cachorro.

Desde o momento em que se conheceram, os dois cães pareciam se completar: “Pegamos Harry quando George tinha 7 anos, porque parecia que ele precisava de um amigo”, disse Wynne ao The Dodo. “Eles se deram muito bem. Harry era sempre mais brincalhão e cheio de energia do que George, mas eles ainda brincavam e sempre dormiam um ao lado do outro”.

Foto: Caitlin Wynne
Foto: Caitlin Wynne

Harry sempre foi um pouco tímido, e passar um tempo com George deu a ele a confiança que ele precisava. “Harry não suportava estar em uma sala sem George ao seu lado e confiava muito nele”, disse Wynne. “Harry era muito tímido quando o pegamos e ainda é bastante tímido agora”.

Os dois cachorros dormiam juntos todas as noites, dividindo a mesma cama de cachorro até que, aos 15 anos, George ficou doente. Foi comovente para Wynne assistir Harry tentando cuidar de seu amigo debilitado.

“Eles costumavam dividir a cama, mas quando George ficou doente, Harry dormiu ao lado da cama para dar espaço a ele”, disse Wynne. “Eu dormi no sofá na noite anterior a morte de George para lhe fazer companhia e Harry estava andando pela sala chorando e ganindo. [Ele] não dormiu a noite toda, como se soubesse que algo estava errado”.

Foto: Caitlin Wynne
Foto: Caitlin Wynne

Quando George foi colocado para dormir no dia seguinte, seu melhor amigo foi com ele ao veterinário e se recusou a sair do seu lado. Harry foi a última coisa que George viu antes de fechar os olhos.

Agora, na maioria das noites, Harry volta para a cama que eles dividiram. Somente quando ele se deita, ele sempre deixa espaço para o amigo. “Ele dorme no chão ao lado da cama agora com bastante frequência”, disse Wynne, “mas eu não percebi o porquê até que estava olhando fotos de ambos de um ano atrás”.

Wynne publicou recentemente as fotos comoventes no Twitter, onde outros tutores de animais se identificaram e ficaram tocados com as imagens.

Foto: Caitlin Wynne
Foto: Caitlin Wynne

Wynne e sua família estão fazendo o possível para ajudar o cachorrinho a lidar com sua dor. E, com abraços, carinhos e muitas guloseimas, eles estão confiantes de que um dia em breve ele se curará.

É claro que isso nunca mudará a beleza e profundidade do encontro entre os dois cães e amizade que surgiu dali: “Quase um ano depois, ele claramente ainda sente falta de George”, disse Wynne.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pit bull e gatinho filhote se tornam os melhores amigos e não aceitam se separar

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Sterling já teve uma vida muito difícil quando sua tutora o resgatou ele tinha apenas 4 semanas e meia de idade. Ela sabia que o cachorrinho abusado da raça pit bull precisava de tanto amor e atenção quanto possível para consertar os erros que haviam sido cometidos com ele, e com o passar dos dias, ela o ajudou a se transformar no cão mais doce e confiante possível.

“Ele era tão pequeno. Eu o alimentava com uma mamadeira regularmente”, disse Bethany Leigh, a tutora de Sterling, ao The Dodo. “Ele tinha cicatrizes gigantes em seu peito e pernas. Com muita dedicação, amor e carinho, ele se tornou doce e amoroso”.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Leigh sempre foi uma grande defensora dos animais e ajudou a resgatar e dar lar temporário a todos os tipos de animais em diferentes situações. Copiando o modo de ser de sua tutora, Sterling também faz o papel dele e se tornou o melhor irmão adotivo de todos os animais que passam pela casa deles. Ele gosta especialmente de cuidar de gatinhos bebês e se relacionar com cada um da maneira mais doce possível.

Quando Leigh encontrou um pequeno gatinho, mais tarde chamado Lux, em um estacionamento do McDonald’s alguns meses atrás, ela o pegou e o levou para casa – e por algum motivo, Sterling se apaixonou mais do que nunca pelo seu pequeno amigo adotivo.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

No início, Lux estava com medo de seu novo irmão adotivo, mas com muita paciência e amor, Sterling logo conseguiu conquistá-lo. Em pouco tempo, os dois eram inseparáveis, fazendo todas as coisas possíveis juntos o dia todo.

“Quando estamos no quintal e deixamos Lux explorar, se ele for longe demais ou começar a escalar a árvore, digo a Sterling para pegar seu gatinho e ele corre para encontrá-lo”, disse Leigh. “Eles se aconchegam e dormem juntos, ambos amam bolas e brinquedos, eles amam nosso quintal e brincam juntos lá atrás.”

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Com o passar das semanas, ficou claro que Lux se encaixava perfeitamente em sua nova família do lar temporário. Ele até se uniu à filha de 2 anos de Leigh, que é a outra melhor amiga de Sterling. Sterling amava proteger e nutrir seu novo irmãozinho, e era difícil imaginar o que aconteceria quando Lux fosse finalmente adotado e tivesse que ir embora.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Quanto mais tempo os dois passavam juntos, mais perto ficavam, e em pouco tempo Leigh percebeu que não havia como eles darem Lux a outra família – e, portanto, graças a Sterling, Lux tornou-se oficialmente um membro da família.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Agora o par adorável é oficialmente irmão de coração, e eles não poderiam estar mais felizes com isso. Os dois tiveram um início de vida difícil e parecem se entender quanto a isso, e não há dúvida de que eles serão os melhores amigos para o resto de suas vidas.

Foto: Bethany Leigh
Foto: Bethany Leigh

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cãozinho leal se recusa a deixar o leito de morte do tutor

A coisa mais importante da vida de Benny sempre foi seu guardião Scott Ballenger, e ao sentir que aquele que ele mais amava ia partir o cãozinho se recusou a sair do lado dele


 

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

Benny foi resgatado após a passagem do furacão Harvey e adotado por sua família em Washington, nos Estados Unidos, há cerca de um ano e meio. Desde o momento em que chegou em sua nova casa, ele e seu tutor, Scott Ballenger, se tornaram os melhores amigos e faziam absolutamente tudo juntos.

“Benny era desconfiado e arisco perto de estranhos e não conhecemos seu passado, mas ele amava meu pai e ouvia seu carro chegar antes mesmo de minha mãe quando ele voltava do trabalho”, disse Alexis Nazarino, filha de Ballenger, ao The Dodo.

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

Apesar do medo de outras pessoas, Benny nunca sentiu nada além de amor e confiança por seu tutor, e Ballenger e sua namorada faziam questão de levar o cachorrinho para todos os lugares com eles. Ballenger não poderia ter amado mais Benny, e Benny sempre retribuía esse amor na mesma medida.

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

Em 29 de agosto, Ballenger foi internado no hospital em estado grave e Benny, é claro, ficou confuso. Sua família o levou ao hospital para que ele pudesse estar com seu tutor e amigo, porque era sempre exatamente onde Benny queria estar: ao lado de seu guardião.

“Benny cheirava a cabeça e o rosto, mas não tinha muita certeza do que estava acontecendo”, disse Nazarino. “Ele sentava com Ballenger por alguns minutos cheirando aqui e ali”.

Em algum momento, porém, algo mudou. Era como se Benny soubesse o quão doente Ballenger estava e o quanto ele precisava dele – e de repente o cachorrinho se recusou a sair do lado de seu tutor.

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

Ele sentou-se ao lado dele o dia todo, aconchegou-se o mais perto que pode, deitando a cabeça suavemente no braço do amigo querido.

No dia seguinte, Ballenger faleceu.

Depois de todo o tempo que ele passou com o tutor durante o ano e meio que passaram juntos, Benny de alguma forma sabia que aquele era seu último dia, e ele queria estar lá o tempo todo.

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

“Amor verdadeiro”, disse Nazarino.

Desde que seu tutor querido faleceu, Benny levou muito a sério sua ausência. Ele continua tentando procurar Ballenger durante o dia e chora por ele à noite. Sua mãe e o resto da família de Ballenger estiveram lá por ele a cada passo, dando-lhe infinitos abraços e carinho. Juntos, eles sabem que podem superar isso.

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

Benny sempre sentirá falta do guardião, mas todos da família estão felizes por ele ter podido estar no hospital no último dia do tutor, deitado ao seu lado e lembrando-o do quanto ele o amava.

Foto: Alexis Nazarino
Foto: Alexis Nazarino

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pit bulls abandonados dormem abraçados em abrigo enquanto aguardam por um lar

Foto: Pima Animal Care Center
Foto: Pima Animal Care Center

Você pode conhecer o amor de sua vida nos lugares mais inesperados – basta perguntar a Agatha e Jukebox, dois pit bulls que atualmente vivem no Pima Animal Care Center em Tucson, Arizona, nos Estados Unidos.

Os dois cachorros entraram no abrigo separadamente: Agatha foi entregue pela tutora que não a queria mais e Jukebox chegou como cão em situação de rua. Mas assim que se encontraram, a conexão dos dois foi inquestionável.

“Normalmente, quando um par de cães se aproxima no abrigo, eles passam a vida toda juntos”, disse Kristen Hassen-Auerbach, diretora de serviços animais, ao The Dodo. “Mas com esses dois, eles não se conheciam. Eles se conheceram em um grupo de brincadeiras um dia e, a partir do segundo em que colocaram os olhos um no outro, tornaram-se inseparáveis”.

Foto: Pima Animal Care Center
Foto: Pima Animal Care Center

Ambos os filhotes estavam lutando para se adaptar à vida de abrigo, mas a crescente amizade rapidamente entre os dois acalmou qualquer ansiedade e depressão. “Apesar do fato de que eles estão vivendo esta vida de confinamento, o que é super estressante para a maioria dos cães, eles se confortam muito na presença um do outro”, disse Hassen-Auerbach.

Os dois filhotes agora compartilham um único canil, o que lhes permite passar todo o tempo juntos. Eles não se importam muito com o espaço pessoal de cada um, preferindo se aconchegar em uma cama única quando é hora de apagar as luzes.

“Há muito espaço para eles se estenderem”, disse Nikki Reck, responsável pela informação pública do Pima Animal Care Center, ao The Dodo, “mas eles dividem aquela pequena cama juntos porque é assim que a preferem”.

Uma foto dos dois cachorros aconchegados recentemente se tornou viral depois que Reck postou no Facebook. Os funcionários do abrigo estão esperançosos que a atenção nas mídias sociais possa ajudar a proporcionar a Agatha e Jukebox uma vida maravilhosa em uma lar amoroso juntos.

Normalmente, não dizemos “estes dois têm que ser adotados juntos”, porque dessa forma leva mais tempo para eles encontrarem um lar”, disse Reck. “Mas com esses dois, nós simplesmente não podemos separá-los, então esperamos, de verdade, encontrar um lar para eles juntos, porque os dois estão destinados a ficar juntos”.

Foto: Pima Animal Care Center
Foto: Pima Animal Care Center

Enquanto isso, a Agatha e a Jukebox estão fazendo perfeitamente a sua parte ao fazer com que os potenciais adotantes que passam por seu canil se apaixonem por eles.

“Toda vez que as pessoas vêm ao abrigo, eles chamam sua atenção”, disse Hassen-Auerbach. “Você passa pelo canil deles e eles estão sempre fazendo uma das 20 coisas fofas que fazem o dia todo: ou eles estão de cabeça para baixo, ou de costas, ou um deles está lambendo o outro”.

É um milagre que os dois cães tenham se encontrado: o Pima Animal Care Center recebe 17 mil animais por ano e atualmente abriga mais de 400 cães. Com tantos cães no abrigo para cuidar, quanto mais cedo os filhotes puderem encontrar um lar, melhor. No entanto, a equipe do abrigo está ciente de que aceitar dois cães grandes e cheios de energia não é para todos.

“Estamos procurando uma família que os aprecie tanto quanto nós”, disse Hassen-Auerbach. “Eles são como a uma TV canina para nós. Quando qualquer um está tendo um dia difícil ou se sentindo para baixo, nós apenas assistimos Agatha e Jukebox juntos e você se sente mais feliz instantaneamente”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More