De olho no planeta

Luva de borracha é encontrada em estômago de golfinho encalhado

Na semana passada, um golfinho foi encontrado morto em uma praia britânica. Depois de dissecação, biólogos descobriram que o animal sofria de desnutrição e morreu ao encalhar na areia da praia.

Na quinta-feira, a Sociedade Zoológica de Londres postou em seu Twitter a cobertura de todas as 3h e meia de duração do procedimento e, quando encontraram o pedaço de um dedão de uma luva de borracha, o fato gerou muita comoção.

Por mais que, no fim, a causa da morte tenha sido comprovada como o encalhamento – havia muito sangue nos pulmões do animal -, é chocante perceber o quanto nosso lixo impacta a vida selvagem.

Casos parecidos foram observados recentemente. Em uma pacata ilha do pacífico, foram descobertos albatrozes mortos, e dentro de seus estômagos estavam muitos objetos de plástico – e nesse caso, foi essa a causa da morte dos animais.

A importância de conscientização sobre o mal descarte e a produção de lixo em excesso é o foco de muitas ONGs. A National Geographic divulgou uma iniciativa – que pretende durar anos – de redução do consumo de plástico. Uma série de fotos que mostram animais marinhos tendo que aprender a conviver com o nosso lixo em seus habitats naturais faz parte da campanha.

Reprodução | BBC

Rob Deaville, biólogo que liderou a dissecação, disse em entrevista à BBC que “até o presente momento a condição nutricional muito pobre é o fator mais significativo. Ele [golfinho] perdeu muita massa muscular. Está realmente muito magro.”

De acordo com Deaville, a área que o animal se encontrava era muito diferente de seu habitat natural, já que eles preferem partes mais profundas. É bem provável que, com muita fome e em um local diferente do acostumado, ele tenha ingerido em confusão o pedaço da luva.

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Albatrozes morrem em ilha do Pacífico com plástico no estômago

Foto: Chris Jordan

O fotógrafo e cineasta americano Chris Jordan registrou imagens difíceis de encarar, em uma remota ilha no Oceano Pacífico Norte, Midway Island. Chris captou vários albatrozes mortos por ingestão de lixo plástico.

Vários corpos de pássaros em decomposição são mostrados de forma chocante nas imagens. A poluição plástica é responsável pela morte de milhares de albatrozes na ilha, que fica a 3,2 mil quilômetros do continente mais próximo, à oeste dos Estados Unidos.

Os plásticos chegam à ilha pelas correntes marítimas, e são clara consequência de irresponsabilidade humana no descarte de lixo e gestão de resíduos.

As imagens foram gravadas para o documentário Albatross, feito por Jordan, que visitou a ilha pela primeira vez em setembro de 2009. O cineasta gravou na ilha Midway pois albatrozes não têm predadores naturais, portanto não demonstram medo próximos a seres humanos, o que foi uma oportunidade para a gravação das imagens. Assim, conseguiu imagens dolorosas de albatrozes mortos por plásticos bem de perto.

Pássaros em decomposição são mostrados com seus estômagos cheios de resíduos plásticos, enquanto filhotes jovens são fotografados já cercados por detritos de lixo, claramente uma ameaça para todos da espécie de pássaros.

O documentário denuncia em escala global as consequências do lixo plástico nos oceanos. Falando para o The Guardian, Jordan disse: “[O plástico] dura para sempre, mas jogamos fora depois de um único uso”, lamentando o alto consumo de plástico por seres humanos.

Foto: Chris Jordan

“Não é tão simples inspirar indivíduos a fazer pequenas mudanças. Temos que reconhecer que os indivíduos não podem fazer diferença. Quando 100 milhões de pessoas decidem fazer algo diferente, é quando mudanças reais acontecem”, aclamou o cineasta, esperançoso de mudanças no mundo, incentivando a substituição de plástico nos hábitos rotineiros de consumo humano.

Comentando sobre o documentário, Rebecca Hosking, que visitou o atol durante as filmagens, disse para a BBC: “Qualquer pai ou mãe albatroz quer sustentar seu bebê, e por isso albatrozes chegam a ir longe para alimentar seus filhos. Mas eles estão alimentando-os com plástico tóxico e afiado, porque eles o confundem com lula ou choco multicolorido perto da superfície do oceano. É horrível”.

Foto: Chris Jordan

O The Daily Mail conta que relatos exemplificaram os tipos de lixo plástico encontrados na ilha. Escovas de dente, isqueiros, brinquedos, garrafas de cerveja e até mesmo garrafas de molho de soja que acompanham sushis para viagem f. “São todas as coisas que usamos todos os dias, e é inacreditável o que essas aves podem colocar em suas goelas – uma delas engoliu um cartucho de tinta”, lamentou Rebecca.

O fotógrafo e produtos do documentário Chris Jordan disse que espera que as imagens chocantes obriguem as pessoas a se envolverem emocionalmente com os problemas que o plástico está causando em escala global.

Foto: Chris Jordan

Tomando atitudes

O mundo ainda produz quantidades exorbitantes de plástico para consumo rápido humano. É assustador o impacto que os resíduos desse tipo de lixo causam na vida de animais, e não só albatrozes, mas incontáveis espécies de aves, milhares de espécies da vida marinha e até mesmo animais domésticos.

Imagens Stock

Apenas ultimamente algumas atitudes de larga e ampla escala tem sido tomadas pelo mundo em uma batalha contra os lixos plásticos nos mares. O Reino Unido anunciou recentemente uma aliança internacional com diversos países e um investimento superior a 61 milhões de libras na batalha contra a poluição plástica. Melhoramentos em gestão de resíduos, pesquisa científica e redução do uso de plástico estão sendo planejados, visando diminuir o impacto humano na vida de animais como albatrozes e incontáveis outras espécies que sofrem com o lixo plástico.

​Read More