Notícias

Cuidador de cães é flagrado agredindo cachorros em hotel para animais

Um dos cães agredidos teria passado a mancar após apanhar. O caso foi denunciado a uma entidade de proteção animal


John Walker, de 67 anos, foi denunciado por agredir cachorros em um hotel para animais. Imagens teriam mostrado o cuidador socando, chutando e usando alças de esfregão para espancar os cachorros no Hotel e Creche de Animais Mucky Pups em Lancashire, na Inglaterra.

Reprodução/Chelsea Devine

Uma ex-funcionária do local, chocada com o caso, decidiu expor o vídeo. Chelsea Devine, de 19 anos, afirmou que foi forçada a deixar o trabalho após se queixar das agressões à filha de Walker, Lauren, que é dona do hotel e negou que seu pai tivesse agredido os cachorros. As informações são do jornal Metro UK.

Devine afirmou que um dos cachorros passou a mancar depois da agressão. “É desprezível o que ele faz com esses pobres animais”, disse ao jornal Sun. A proprietária, no entanto, tentou amenizar a situação. “Abusar deles é a palavra errada. Métodos de correção pesados, sim. Dizer que meu pai estava abusando deles, está incorreto”, afirmou.

Através do Facebook, o hotel se pronunciou sobre o caso. “Atualmente, estamos cientes dos vídeos que circulam no Facebook, eles são angustiantes, mas não são a história completa, o homem no vídeo foi mordido em um dos vídeos porque ele teve que intervir para impedir que qualquer dano acontecesse ao outro cachorro. Esses vídeos foram filmados por uma ex-funcionária que foi primeiro aos jornais antes de me informar à RSPCA ou ao colega dela”, escreveu.

“A polícia não está levando isso adiante devido às circunstâncias em que o homem estava, a menina estava sentada lá, filmando, em vez de ajudar. Nenhum cachorro foi ferido ou foi para casa ferido. O procedimento legal está em vigor e teremos nosso nome limpo. Agradecemos a todos os nossos clientes fiéis que entraram em contato com nossa empresa primeiro para verificar os fatos. Se alguém precisar de mais informações, ficaremos felizes em fornecê-las”, acrescentou.

A RSPCA, entidade de proteção animal, condenou o caso. “A RSPCA apenas promove métodos de treinamento positivos e baseados em recompensas e não tolera esse tipo de comportamento para treinar cães ou educá-los. A denúncia foi feita para nós e estamos analisando o caso, para iniciar os procedimentos legais”, disse um porta-voz.

Confira o vídeo da agressão:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Idosa cria hotel para animais abandonados na porta de casa em Belém (PA)

Hotel possui 7 animais hospedados
Hotel foi criado em frente à casa da servidora pública (Foto: Foto: Reprodução Ádna Figueira)

Raimunda Antônia da Silva, uma senhora aposentada de 70 anos, vivia inconformada com a situação de inúmeros animais abandonados que via passar em frente a sua casa na Cidade Nova, em Belém (PA). Diante do sofrimento dos animais, Raimunda resolveu criar um hotel para acolhê-los na porta de sua casa.

A senhora que é tutora de 10 cães e 4 gatos, agora cuida também de 7 animais que esperam por adoção no hotel. “Me chamam de louca, mas eu não dou importância. Não considero loucura amar os animais”.

Ela conta que também se dedica atualmente a procurar pessoas interessadas em adotar os animais, principalmente os gatos, abandonados em maior número que os cães. “O povo os abandona porque o cio das gatas é maior que os das cadelinhas”.

O amor por animais passou de pai para filha e serviu de inspiração. “O amor incondicional dele pelos animais me inspirou e despertou em mim a vontade de ajudá-los. A fome dos cachorrinhos me incomodava e eu sempre colocava comida e água pra eles na calçada. Sem ter como continuar os abrigando dentro de casa, há um ano chamei um pedreiro e pedi que construísse o hotel na calçada da minha casa”.

Hotel possui 7 animais hospedados
Raimunda Antônia criou hotel em frente à sua casa para acolher animais (Foto: Foto: Reprodução Ádna Figueira)

Raimunda faz questão de dar pessoalmente nome aos seus hóspedes. O primeiro a se hospedar foi o gatinho “Belo”, que apareceu muito debilitado na calçada da casa. Raimunda acolheu, deu comida, e quando ele se recuperou, o colocou em um dos quartos do hotel. Hoje ele tem um ano e dois meses, quase o mesmo tempo de criação da hospedaria.

A senhora conta com a ajuda do Centro de Controle de Zoonoses para castração dos animais. Depois do serviço prestado pelo centro, Raimunda guarda todos os comprovantes para mostrar aos possíveis tutores. “Construí uma relação de parceria com o Zoonoses e às vezes eles me ligam pra saber se tem algum hóspede pra ser castrado”.

A aposentada sonha um dia cursar medicina veterinária para poder ajudar os animais em todas as situações, inclusive as de emergência. Ela pretende fazer a prova do Enem no próximo ano e o objetivo é um dia poder oferecer consultas populares e montar um lar acolhedor para os animais.

Adoção

Impossibilitada de receber mais animais no hotel, Raimunda apela aos moradores de Ananindeua e de Belém interessadas em adotar algum dos seus hóspedes. “Peço que adotem, pois o meu espaço não é grande. Todos eles estão saudáveis e à espera de um lar”, diz. Além disso, ela faz questão de conversar pessoalmente com os interessados. “Não acho legal doar na Praça, porque gosto de conhecer as pessoas que estão interessadas em adotar. Afinal, quero ter a certeza de que eles vão para um bom lar”.

Raimunda também apela para interessados em contribuir com a alimentação, segundo ela os gatos mensais são em média R$ 600 com ração, medicamentos e assessórios. “Gasto bastante com o ‘Bob’, por exemplo, que é o cãozinho idoso da turma e precisa de cuidados especiais”.

​Read More
Notícias

Dono de hotel para animais mata cadela a tiros em Camboriú (SC)

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Vizinhos da região ouviram disparos

O empresário Marcos Resende, proprietário de um hotel para animais é acusado de ter matado a tiros uma cadela que estava hospedada no local. O caso ocorreu na rua Tererê, Bairro Rio do Meio de Camboriú, em Santa Catarina.

O filho da tutora do animal e outras testemunhas estavam em frente à casa quando ouviram o som de um tiro. Logo em seguida ouviram os gemidos de um cão que foi silenciado por outro tiro. Na sequencia, teriam visto o empresário jogando o corpo do animal no mato.

Os vizinhos do empresário o questionaram para saber o motivo que o fez matar a cadela Belinha. Segundo o homem, a cadela estava atacando suas galinhas. A vizinhança ficou preocupada em saber que os disparos partiram de uma pessoa que se dispõe a cuidar de animais alheios.

Policiais Militares foram acionados e chegaram depois de meia hora para interrogar o empresário que não confessou o crime e se defendeu dizendo que ouviu os tiros e, ao verificar, encontrou a cadela sangrando em seu terreno, motivo pelo qual a colocou no mato, pois estava morta. Um boletim de ocorrência foi feito pela polícia e nenhuma arma foi encontrada.

​Read More
Você é o Repórter

Procura-se hotel para animais em Valinhos (SP)

Teresa
cristela@uol.com.br

A  protetora Cris resgatou uma Beagle, porém no condomínio onde mora a proibiram de acolher mais animais.

Como tem medo de que a cachorra ao ser adotada volte a sofrer e ser abandonada, Cris preferi deixá-la em um hotelzinho para animais, onde tenha espaço e saia para passeios, não fique presa o tempo todo.

A hospedagem será definitiva, dependendo de como a cachorra reagir para futuramente conseguir um novo lar.

Já está vacinada e castrada.

Alguém conhece um hotel para animais com preço razoável?

Contato: Cristina, cel: 11- 9 8970-7788

 

​Read More
Notícias

Abandono de animais aumenta 50% entre dezembro e fevereiro

O verão é a estação das férias e é a época em que a família passa vários dias viajando. Tudo ótimo, se muitas dessas famílias não abandonassem seus animais de estimação em casa para se divertirem. Segundo o diretor do Centro Municipal de Proteção Animal (Cempa) de São Leopoldo, no RS, Fábio Almeida, o número de animais abandonados aumenta cerca de 50% nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro. “Já estou com cinco casos aqui de cachorros que foram abandonados”, conta Almeida.

Um deles é um cão da raça Fila que está no pátio de uma casa, no bairro Santo André, há três meses, desde que a família saiu de férias. A denúncia foi feita por vizinhos que estão ajudando a cuidar do cachorro enquanto o responsável não é localizado. “O vizinho está dando comida e água por uma corda através do muro, mas mesmo assim ele está magro”, afirma André Marinho, diretor de serviços do Cempa.

Segundo Marinho, a situação é deplorável. O balde que foi deixado com água já está com muito lodo e o animal está visivelmente abatido. “Já fizemos uma ocorrência policial e estamos entrando com uma ordem judicial para podermos entrar no local e retirar o cachorro”, explica André.

Abandono de animal é considerado crime de maus-tratos, com punição de três meses a um ano de prisão, que pode ser convertida em cestas básicas ou serviços comunitários. Para Almeida, esses casos acontecem porque são cachorros que foram criados para cuidar da casa. “Normalmente são cães de grande porte, usados para dar segurança enquanto a residência está vazia e, por isso, não existe carinho entre o tutor e o animal, ou seja, o responsável não se preocupa com as condições ou sobre como vai ficar o cachorro enquanto estiver fora”, afirma Almeida.

Alternativas para deixar seu animal bem cuidado

Existem várias alternativas para sair de férias e deixar o animal de estimação bem tratado. Entre elas, pedir para alguém próximo cuidar. “Qualquer pessoa pode tratar, mas o melhor é que seja alguém conhecido do animal para que ele não se sinta tão abandonado”, opina Almeida.

Outra opção é deixá-lo em um hotel para animais, mas esta deve ser a última escolha, já que o cachorro terá contato com pessoas desconhecidas em um lugar estranho, o que pode gerar um nível maior de estresse. Ainda assim, existem pet shops e clínicas veterinárias que prestam este serviço. A média de preço varia conforme o peso do animal. Para pequeno e médio porte, a diária custa cerca de 15 reais. Para grande porte, 20 reais. E para porte gigante, ou seja, com mais de 60 quilos, o preço chega a 25 reais. “O importante é sempre trazer a carteira de vacinação, a ração a que o animal está acostumado e tudo que pertence a ele, como brinquedos e a cama”, explica a veterinária Adriana Schneider.

Cão resgatado na terça-feira será tratado no Canil Municipal

O diretor de serviços do Canil Municipal de São Leopoldo, André Marinho, resgatou na terça-feira um cachorro com aparência bastante doente que andava pelo Centro da cidade, invadindo lojas. Ele recebeu um chamado pelo telefone avisando sobre o animal. O cão, sem raça definida, estava com o corpo coberto por sarna e feridas e tentou fugir quando Marinho foi capturá-lo, munido apenas com uma barra de ferro com uma corda em uma das extremidades.

Fragilizado, o animal não conseguiu correr. “Ele será levado para o Canil onde será tratado e castrado. Se não for adotado, voltará para a rua”, diz Marinho. Segundo ele, nesta época é comum encontrar animais abandonados pelos tutores que viajam de férias. “Costumam jogar os bichos perto do canil porque acham que vamos recolhê-los, mas há muitas formigas carnívoras vivendo próximo ao local e os filhotes são presas fáceis para elas”, explica Marinho.

Fonte: Diário de Canoas

​Read More