Notícias

Área está preparada para preservar Mata Atlântica e proteger o macaco guigó

A área protegida administrada pela SEMARH está preparada para preservar a Mata Atlântica e proteger o macaco guigó, um primata ameaçado de extinção.

O Governo de Sergipe inaugura, nesta quarta-feira, 27, no município de Capela, a sede administrativa do Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, área protegida pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH).

Com um investimento de aproximadamente R$ 570.000,00 (quinhentos e setenta mil reais) e uma área construída de 390 m², a sede administrativa dispõe de um pórtico com guarita e três edificações, com escritório, laboratório, alojamento para pesquisadores e centro de vivência. Sua construção foi realizada com recursos do tesouro do estado, em convênio firmado com a Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (CEHOP).

O Refúgio de Vida Silvestre é uma unidade de conservação da natureza criada pelo Governador Marcelo Déda há dois anos, para preservação de 894 hectares de Mata Atlântica e de recursos ambientais associados, especialmente para proteção do macaco guigó (Callicebus coimbrai) e para garantir a preservação das nascentes do Riacho Lagartixo, manancial que abastece a população da cidade de Capela.

O primata Callicebus coimbrai foi descoberto somente há 10 anos, habitando as últimas matas de Sergipe e do norte da Bahia. É um primata que se alimenta basicamente de frutos, sendo importante para a manutenção e restauração de áreas de florestas, pois são excelentes dispersores de sementes. Como principal ameaça para a sobrevivência das populações desse primata, destaca-se a perda e fragmentação das florestas, pois a diminuição dos seus habitats interfere na sua alimentação e comportamento.  

Com essa infraestrutura, o Refúgio de Vida Silvestre está pronto para a aplicação dos objetivos que justificaram sua criação. Desse modo, a realização de atividades de proteção, pesquisa científica, educação ambiental e ecoturismo serão desenvolvidas de forma permanente e sistemática. Os elementos fundamentais à gestão e manejo do Refúgio estão em plena execução. O compromisso da SEMARH é intensificá-los, para que a área protegida seja reconhecida enquanto instrumento não somente de gestão ambiental, mas incentivadora do desenvolvimento sustentável.

As unidades de conservação da natureza são conhecidas mundialmente como um dos instrumentos mais eficazes para a proteção da biodiversidade. Também são importantes para a oferta de bens e serviços ambientais para a sociedade, uma vez que nessas áreas estão garantidas a purificação da água e do ar, a manutenção da fertilidade do solo, polinização de espécies, controle de pragas, dispersão de sementes e a estabilidade do microclima local.

Fonte: Plenário

​Read More