Notícias

Marcas Tommy Hilfiger e Calvin Klein banem o uso de peles exóticas de animais

Reprodução: Pixabay

A PVH Corporation, grupo de design responsável pelas marcas Tommy Hilfiger e Calvin Klein entre outras, proibiu o uso de peles exóticas em suas coleções.

Segundo informações da PETA – People for the Ethical Treatment of Animals (Pessoas pelo Tratamento Ético com os Animais, tradução livre) organização que atua na defesa nos direitos animais, o PVH Corp disse que as mudanças fazem parte de uma “estratégia de longo prazo da marca para impulsionar a moda para o bem”.

Uma indústria da moda melhor

Além do comprometimento com a moda, a grife Tommy Hilfiger se preocupa em criar uma moda melhor em que não exista desperdícios e se acolha de tudo.

É o que afirma também em comunicado: “Sempre levamos e sempre levaremos o meio ambiente, os direitos humanos, nossa comunidade e assuntos relacionados muito a sério, e é por isso que não usamos peles ou peles exóticas em nenhuma de nossas coleções.”

De acordo com a PETA, Calvin Klein se tornou o primeiro grande estilista a parar de vender peles em 1994.

Cabra angorá | Reprodução: Pixabay

PVH Corp também retirou todos os itens ‘feitos de angorá’ (extraídos do pelo do coelho angorá), de suas prateleiras em 2013, após uma investigação em fazendas de coelhos na China. Recentemente, a empresa também se comprometeu a remover todos os itens de mohair (lã de origem da cabra angorá) das lojas até o final do ano – considerada a medida mais cabível, de modo a oferecer produtos livres de crueldades.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Animais são brutalmente agredidos em testes para produtos de uso cotidiano

Por Claudia Braguetto (da Redação)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A cada ano, mais de 100 milhões de animais sofrem e morrem em testes e experimentos cruéis e bárbaros, o que representa um número incrível de 274 mil por dia, ou três a cada segundo, e esta é uma estimativa conservadora, pois camundongos, ratos, pássaros e todos os animais de sangue frio (que representam 95% dos animais utilizados em experimentos) não são contabilizados, por não serem protegidos pelo Ato de Bem-Estar Animal.

A verdade é que, mesmo que cada vez mais pessoas estejam rejeitando testes em animais todos os dias, a maior parte dos produtos mais utilizados por nós são testados em animais e nós nem nos damos conta. Enquanto que os maiores culpados que nos vem à cabeça quando pensamos em testes feitos em animais são maquiagem, remédios e itens de cuidado pessoal, infelizmente existem muito mais envolvidos nessa prática nojenta. As informações são do Care2.

Veja sete exemplos chocantes:

Fraldas

Animais são forçados a ingerir os ingredientes usados nas fraldas, além de tê-los testados em suas peles para detectar reações alérgicas. Apesar das declarações da Proctor and Gamble (dona da Pampers) sobre estarem fazendo esforço para mudar para alternativas de testes que sejam livres de crueldade, eles continuam a conduzir experimentos horríveis em animais. A Kimberly-Clark, proprietária da Huggies, não é melhor.

Ração para Animais de Estimação

As mesmas empresas que criam comida que deveria nutrir nossos animais de estimação também estão matando outros. Há muita informação por aí a respeito das práticas chocantes da Iams, Hills e Eukanuba, rotulando-os como os piores ofensores. Nenhum desses testes é realmente exigido por lei e alternativas humanitárias existem, sim. Por sorte, hoje em dia, há muitas outras opções para escolher, incluindo V-dogfood e Evolution Diet.

Lentes de Contato

Como as lentes de contato são classificadas como um dispositivo médico, e são reguladas pelo FDA (Food and Drug Administration), elas também são testadas em animais. De acordo com o FDA, todos os dispositivos médicos devem ser testados em animais antes de serem considerados seguros para uso humano. Todas as grandes marcas são culpadas de testarem as lentes, assim como as soluções salinas, mas ainda bem que existem algumas marcas livres de crueldade por aí, como a Clear Conscience.

Papel Higiênico

Bounty, Charmin, Cottonelle, Kleenex, Puffs e Scott Tissue, juntamente com quase todas as outras grandes marcas de papel higiênico testam seus produtos em animais. Evite comprar papel higiênico e lenços tingidos ou com fragrância, e opte pelos não tingidos, reciclados e amigos da natureza.

Lâminas de Barbear

Gillette, Schick, Braun, Bic, você escolhe, a maioria dos fabricantes de lâminas de barbear conduzem testes em animais. Enquanto muitos dessas grandes empresas fazem declarações que dão a entender que eles abandonaram experimentos animais, tais alegações, na maioria das vezes, não podem ser confiadas, pois são ilusórias, e as companhias ainda continuam testando em animais.

Itens de Papelaria

Bic, uma das maiores fabricantes de produtos descartáveis como isqueiros, ímãs, canetas esferográficas, produtos de papel impresso e lâminas de barbear, diz que atualmente estão observando uma moratória nos testes em animais, entretanto, eles se recusam a descartar testes futuros. Post-it e Scotch Tape, que pertencem à 3M, são outras marcas que podem parecer inocentes, mas testam seus produtos em animais.

Lustra-móveis

Outro produto inesperado e que é testado em animais é o seu lustra-móveis de uso diário, juntamente com detergente, purificador de ar e alvejante. Os testes consistem em administrar doses de químicos de alta toxicidade ou esfregar substâncias irritantes em seus olhos ou pele. Alguns produtos de limpeza “verdes” são igualmente culpados; enquanto eles alegam que o produto final não é testado em animais, seus ingredientes são.

Como evitá-los?

Apesar de poder ser complicado viver um estilo de vida livre de crueldade quando tantos dos seus produtos favoritos são testados em animais, não se desespere! Existe uma infinidade de recursos incríveis por aí para ajudá-lo ao longo do caminho.

A Leaping Bunny tem uma lista significativa de quem testa e não testa em animais, desta forma você poderá saber em quem confiar e de quem ficar longe na hora das suas compras. Go Cruelty Free e a PETA também são outros dois recursos úteis. E é claro, uma das melhores formas de descobrir a verdade e certificar-se de que está fazendo a escolha mais compassiva possível é contatar a empresa diretamente.

​Read More