Notícias

Cirurgia plástica salva cães da cegueira

Idosa resolveu usar a própria aposentadoria para cuidar dos animais
Rumple e Stiltskin foram abandonados aos 16 meses e submetidos a cirurgia. Foto: Orange News

Uma idosa australiana resolveu usar sua própria aposentadoria para financiar cirurgias plásticas corretivas a cães da raça shar pei, conhecidos por sua pele enrugada. O motivo é reduzir os danos à saúde dos animais, provocados justamente por conta das características rugas que, recaídas sobre o rosto, costumam render deformidades em oito a cada dez cachorros da raça.

O maior problema, segundo a senhora Amanda Booth, presidente e fundadora da associação Shar Pei Rescue, é que muitos tutores de shar pei acabam abandonando seus animais quando os primeiros sintomas começam a aparecer. Tudo porque um shar pei custa super caro, e as pessoas ficam receosas de precisarem pagar quase o mesmo preço do animal por uma cirurgia plástica.

“Os criadores que vendem os animais, visando lucro, não têm agido corretamente ao deixar de avisar os possíveis futuros tutores sobre problemas de saúde e de personalidade associados a esta antiga raça chinesa”, disse ela em entrevista ao site inglês Orange News.

Entre os problemas causados pela enormes dobras de acúmulo de pele na cabeça do shar pei, as quais recaem sobre os olhos, é que elas causam danos à córnea. O peso da pele faz com que o globo ocular seja pressionado e arranhado, levando à cegueira.

A cirurgia plástica corretiva consiste em remover parte da pele para que não cubra os olhos dos cães. Rumple e Stiltskin, os cachorros da foto, foram operados depois de terem sido abandonados com 16 meses, na cidade de Queensland. Eles estão sob os cuidados da vovó Booth até que alguém se interesse em adotá-los.

Fonte: R7

​Read More
Notícias

Gata é enrolada em fita adesiva e colocada para morrer em secadora de roupas

A gatinha, que tem cerca de quatro anos, sobreviveu, mas sofreu um hemorragia interna em um de seus olhos e teve um dente quebrado. Foto: Reprodução LA Times

Funcionários da Proteção Animal do condado de Riverside, na Califórnia (EUA), estão pedindo ajuda do público para encontrar o(s) responsável(is) por enrolar uma gata em fita adesiva e colocá-la em uma secadora de roupas comunitária de um prédio.

Um morador do prédio chamou a polícia após descobrir a gata, cujo rosto e parte superior do corpo tinham sido envolvidos em fita adesiva. A polícia contatou o departamento de proteção animal, que levou a gatinha para um abrigo.

A gata, que tem pelagem cinzenta e cerca de quatro anos, sobreviveu, mas sofreu um hemorragia interna em um de seus olhos e teve um dente quebrado. Espera-se que a lesão ocular possa ser curada. Por causa das lesões, os funcionários da Proteção Animal acreditam que a secadora foi ligada pela pessoa que imobilizou a gata, embora a máquina não estivesse em funcionamento no momento em que o animal foi encontrado.

Para piorar a situação, após exame foi descoberto que a gata recentemente deu à luz uma ninhada de gatinhos, que não foram localizados.

“Eu não posso imaginar o que esta coitada deve ter sentido ao passar por essa provação”, disse Eileen Sanders, uma técnica em veterinária do Departamento de Proteção Animal. “Quem fez isso vai prejudicar outros animais e talvez até mesmo pessoas”.

No presente momento, o Departamento de Proteção Animal considera que a gata foi abandonada. Se o seu tutor não aparecer, ela será colocada para adoção.


Fonte: LA Times

​Read More