Notícias

Miley Cyrus faz discurso apaixonado em prol do meio ambiente

Foto: NME/Carolina Faruolo
Foto: NME/Carolina Faruolo

No final do Festival Tinderbox em Odense, na Dinamarca, no mês passado, a artista responsável pelo album “She Is Coming” falou sobre a poluição dos oceanos em um apelo explícito à ação imediata e ao ativismo.

“Todos vocês sabem o quanto é importante que todos vocês se envolvam na política”, disse Cyrus. “A juventude, esta geração, nós somos a última esperança neste planeta moribundo. Ele está implorando para que nós limpemos os oceanos”.

Sua mensagem pró-ambiente foi recebida com aplausos da multidão, relata a iHeart Radio.

A estrela pop de 26 anos de idade continuou: “Eu não aceito que haja mais lixo na água do que animais vivos que merecem por direito estar lá, que não têm mais para onde ir. E pelo jeito, nós não temos nenhum outro lugar para ir também! Não há planeta B, então não fique sem fazer nada!”.

O estado dos oceanos

Cyrus está certa – não há “Planeta B.” A poluição dos oceanos chegou à linha de frente das mensagens dos ambientalistas. Estima-se que haja bilhões de quilos de lixo na água, colocando em risco a vida das aves marinhas e da vida marinha em geral, que ingerem ou se emaranham no lixo. O Centro para a Diversidade Biológica estima que o lixo plástico superará os peixes até 2050.

Enquanto as proibições de plástico de uso único se tornaram um símbolo da preservação dos oceanos, estima-se que as redes de pesca, e não os canudos, constituam 50% do lixo.

Miley ativista

Cyrus segue uma alimentação vegana, então o peixe está fora de seu prato. A fashionista frequentemente fala sobre os animais quando fala sobre suas escolhas de guarda-roupa.

“Eu quero trazer uma mensagem, que é o veganismo, e que não tem que existir nenhuma forma de tortura para fazer uma moda fabulosa”, disse ela no ano passado no Met Gala, onde a cantora usou um vestido da designer de moda sustentável Stella McCartney e sapatos personalizados MINK.

Garantir que suas escolhas de roupas tenham impacto mínimo no planeta é muito importante para ela.

“Escolher viver como uma ativista vegana sustentável significa usar mais vintage (menos desperdício; usando as roupas por mais tempo)”, disse ela em entrevista à Vanity Fair.

“Brincando com os mais novos materiais ecológicos e tecnologia, e fazendo peças veganas personalizadas com alguns dos meus designers favoritos.”

Durante seu show de Glastonbury 2019 no mês passado, Cyrus usou botas veganas feitas sob medida pela Bradley Kenneth, misturadas com calças de vinil, uma regata branca e acessórios vintage.

Cyrus também fala regularmente sobre outras questões sociais, como lacunas salariais e discriminação contra a comunidade queer. A cantora refere-se a si mesma como “gender fluid”(identidade de gênero em que o gênero varia) e é pansexual. Falando sobre seu casamento com o ator vegano Liam Hemsworth, ela disse à Vanity Fair: “Estamos nos redefinindo, para sermos francos, parece estranho para as pessoas que uma pessoa queer (livre de definições de gênero) como eu eu esteja em um relacionamento hetero. Uma grande parte do meu orgulho e minha identidade é ser uma pessoa queer”.

O videoclipe recente da estrela vegana, “Mother Daughter”, mostra pessoas de diferentes tamanhos, habilidades, cores, formas e expressões de gênero.

O discurso do Tinderbox Festival de Cyrus incluía uma mensagem adicional:

“Disseram-me nos bastidores que eu poderia ofender algumas pessoas chamando meu país de lixo”, acrescentando: “Meus amigos que são gays, se sentem inseguros para andar na rua”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Miley Cyrus é uma das estrelas veganas do festival ‘Glastonbury’

Foto: Instagram

Miley usou o Instagram, onde defende fervorosamente o veganismo, para revelar sua participação no festival.

“Eu não estou apenas animada para me apresentar, mas também para assistir alguns dos meus artistas favoritos! Vejo você lá!”, escreveu ela

A artista também disse que estava muito feliz em se apresentar com a cantora vegana Billie Eilish.
Eilish, que tem apenas 17 anos de idade, disse em uma entrevista : “Eu simplesmente não entendo a questão de comer carne. Por que você comeria um animal quando poderia comer batatas fritas? Não faz sentido ”

Outra atração é o Wu-Tang Clan, que celebrou o 25º aniversário do seu álbum seminal, “Enter the Wu-Tang: 36 Chambers” no ano passado. O grupo nascido em Staten Island tem integrantes e vários fãs veganos.

O grupo é dirigido pelo músico RZA, um defensor do veganismo de longa data e também dos direitos animais. O rapper e co-fundador GZA também emprestou sua voz para os animais. Em um vídeo divulgado no ano passado, ele comparou a comida do sul com a “dieta do escravo”, incentivando as pessoas a abandonarem a dieta por razões de saúde e justiça. As informações são do Plant Based News.

Festival sustentável

No mês passado, o Glastonbury revelou que pretende parar de vender garrafas descartáveis de bebidas como uma tentativa de ajudar a reduzir a poluição por plásticos.

“A batalha contra o desperdício em um grande, mas estou orgulhosa dos avanços que conseguimos fazer nos últimos anos. Nós já cortamos louças plásticas, talheres, palhas, sachês de molho, glitter não biodegradável e este é o próximo passo”, disse a co-organizadora do festival, Emily Eavis.

​Read More
Notícias

Petição exige banimento do Metallica do festival de Glastonbury por caça a ursos

Foto: Leonardo Aversa / Agência O Globo
Foto: Leonardo Aversa / Agência O Globo

A presença do Metallica como uma das atrações principais de Glastonbury, na Inglaterra, foi mal recebida desde o início. Mas a banda pode acabar ficando fora do festival por um motivo que não tem nada a ver com a música: o hobby mantido pelo vocalista James Hetfield de caçar ursos.

Membro da Associação Nacional de Rifles dos EUA (NRA, na sigla em inglês), o músico foi escalado para narrar os oito episódios da série de TV “The hunt”, sobre a matança de ursos pardos Kodiak no Alasca.

A notícia foi recebida com revolta por ativistas que defendem os direitos animais e um abaixo-assinado na internet pede que a banda seja excluída do festival. Lançada no dia 25 de maio, a página do Facebook sobre a petição, “Remove Metallica from Glastonbury for their support of bear hunting”, já tem mais de 22 mil curtidas.

“James Hetfield é um grande apreciador da caça. Isto é incompatível com os ideias defendidos pelo festival de Glastonbury, colocando sua reputação na berlinda”, escreveu Richard Fraser, criador da página.

Um porta-voz da campanha disse ao site “NME” que a ação oferece à banda uma chance de se posicionar contra a caça.

“Para muita gente, a ideia de a caça ser normal é abominável. Levantar essa discussão já é ridículo por si só. Nós compartilhamos este planeta com outros seres vivos. É o nosso dever protegê-los de sua maior ameaça: nós”, afirma o comunicado. “Gostaria de acrescentar que não somos particularmente contra o Metallica. Eu faria o mesmo se qualquer outra banda se encontrasse na mesma posição. A fama traz responsabilidade, e por mais que eu aplauda o trabalho que James e os outros integrantes do grupo fizeram em outras causas, isso não os isenta de culpa nesse caso. Também se trata de uma grande oportunidade para que eles se posicionem por uma causa e façam um comentário contra a caça.”

Muitos fãs se manifestaram contra o músico pelo Twitter, apesar da atividade ser regulamentada como um esporte recreativo pelas leis do Alasca.

“Sinto muito, James Hetfield. O Metallica sempre terá meu apoio, mas você, pessoalmente, como caçador, não”

Canal responsável pela produção de “The hunt”, o History Channel soltou um comunicado sobre a polêmica premissa do programa: “Mesmo que a caça de ursos não seja uma tarefa nada fácil, muitos caçadores valorizam antigas tradições e utilizam arco e flecha, rifles de bala única e/ou o mínimo de tecnologia possível”, diz trecho da nota.

A escalação da banda de heavy metal como headliner do tradicional festival foi criticada recentemente por Alex Turner, líder dos Arctic Monkeys, por não ter a sonoridade indie comum entre os artistas que se apresentam em Glastonbury. Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden, também cutucou o festival, que seria elitista.

Hetfield ainda não se pronunciou publicamente sobre o assunto.

Fonte: O Globo

 

 

​Read More