Destaques, Notícias

Gata é resgatada e não esconde o quanto é grata ao novo tutor

Local onde Cebola foi encontrada | Foto: Reprodução

Animais abandonados infelizmente são fáceis de encontrar perambulando pelas ruas de cidades do mundo todo, e o mesmo aconteceu com uma gatinha abandonada, mas ela teve um final feliz.

Will caminhava com seu cão pela vizinhança quando encontrou uma pequena gatinha sozinha, abandonada. Ele conta que quando a viu foi como ‘amor à primeira vista’ e ela logo se aproximou dele.

O rapaz afirmou que buscou a mãe da gatinha em toda a vizinhança e em locais próximos, mas não encontrou nenhuma, então ele decidiu levar a gata ao veterinário para verificar sua condição de saúde.

Cebola e seu tutor Will | Foto: Reprodução

Após a consulta, a gatinha ganhou um nome, passou a se chamar Cebola, e hoje possui um tutor, o Will. Ele comenta que Cebola ficou obcecada por ele, e onde ele vai ela caminha atrás. “Ela me segue pela casa se eu a deixar solta. Ela simplesmente não me deixa em paz agora”.

Atualmente, Cebola já está maior e vive uma vida de muito amor e feliz no lar de seu tutor.

Cebola após muito cuidado e amor | Foto: Reprodução

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Pendurada em muro, gata morre enforcada após ser vítima de armadilha

Reprodução/Facebook

Uma gata morreu enforcada na cidade de Bodoquena, no Mato Grosso do Sul, após ser vítima de uma armadilha. O corpo do animal foi encontrado pendurado no muro da casa de um casal de protetores de animais.

“É muito triste saber que o ser humano chega nesse ponto”, escreveu Luara Rocco, filha da protetora, nas redes sociais. O caso foi denunciado à polícia.

O boletim de ocorrência foi registado pela professora Ivone Aparecida Rocco, que mantém o projeto “Anjos de Patas” em parceria com seu marido, Valdemar. Juntos, eles alimentam animais abandonados.

Um dos animais que recebia cuidados do casal era a gata que foi enforcada. Recentemente, ela teve filhotes na rua, que também estão sendo tratados pelo projeto. Um dos bebês foi adotado por uma policial que atendeu a ocorrência. Outros dois aguardam adoção.

Ivone encontrou o corpo após ser acordada por latidos de cachorros. Ela afirmou ao G1 que o agressor do animal planejou o crime e estudou a melhor forma de executá-lo. “Foi tudo muito planejado, para a gata passar pela corda e ainda ficar com o corpo pendurado”, disse.

“Sinceramente não consigo entender a motivação, mesmo que seja por alguém que estivesse insatisfeito com os filhotes na casa dele. Levantamos algumas hipóteses sobre o que pode ter levado alguém a fazer essa crueldade, mas agora cabe à polícia investigar”, completou.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Gata é finalmente adotada após ver todos seus filhotes em novos lares

Luna (antes Moana) após ser adotada no AACAC | Foto: Reprodução Facebook

Existem milhares de animais em abrigos esperando um lar, todos os anos, 6 à 8 milhões de cães e gatos passam a viver uma vida inteira nestes locais.

Este poderia ser o destino da gata Moana, que chegou ao Anne Arundel County Animal Control – AACAC, nos Estados Unidos, a aproximadamente uma semana atrás, mas não foi isso que aconteceu.

Moana, foi encontrada junto de seus filhotes, e uma mulher os resgatou. Assim que os gatinhos tiveram idade suficiente para serem adotados, ela os levou para o AACAC, onde foram castrados, vacinados e microchipados.

Enquanto os filhotes foram encaminhados para adoção, Moana precisava resguardar-se para caso seu antigo tutor a quisesse, pudesse buscá-la. Pouco a pouco os filhotes foram adotados, mas Moana permanecia no local. O que logo a entristeceu, porque a gata que também aguardava o momento em que seria adotada, é o que conta um dos voluntários da AACAC: “Antes de eu tirá-la da gaiola, ela estava sentada de costas para a porta com a cabeça baixa. Ela nem olhou para mim quando eu falei com ela “.

Mas finalmente Moana teria um final feliz, a mulher que havia cuidado de gata e de seus filhotes foi até o abrigo para adotar Moama assim que o período de resguardo dela terminou: “Eu meio que sabia que a levaria para casa”, admitiu a mulher, que desde então rebatizou a gata, colocando o nome de Luna.

Foto: Pixabay

Atualmente, Luna (antes Moana), vive uma vida feliz ao lado de sua nova tutora e ascende um alerta para a necessidade urgente de cada vez mais buscarmos a adoção como forma de ter um companheiro. Com isso, é possível ajudar na redução da população de animal desabrigados e faz com que os abrigos possam salvar mais animais que necessitam desses locais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Gata doente é adotada após ter sua vida salva por três cachorros

@lilothehusky

Rosie teve sua vida salva por três cachorros que a encontraram ferida e doente. Anos depois de ser adotada pela família dos cães, ela foi novamente diagnosticada com uma doença. Apesar das dificuldades, uma coisa é certa: os três huskies siberianos sempre estarão ao seu lado.

A gata, retirada da rua em 2015, foi diagnosticada recentemente com uma doença no olho esquerdo. Com um problema na íris que causa descoloração e pode levar ao desenvolvimento de glaucoma, Rosie talvez precise passar por cirurgia.

Se tiver que ser operada, a gata perderá um de seus olhos. Mas o amor de sua família – o que inclui os cachorros que lhe salvaram -, ela jamais perderá.

Em entrevista ao portal Bored Panda, as tutoras dos animais relataram que resgatam animais em situação de vulnerabilidade desde a infância.

“Somos três irmãs que moramos na Califórnia (EUA) e amamos os animais desde a infância”, disse o trio, que não mede esforços para dar qualidade de vida aos cães e gatos.

“Desde pequenas, pegávamos animais em situação de rua e os alimentávamos. Nós arrecadamos dinheiro vendendo coleiras de cachorro e bandanas, todos os lucros vão para nossos projetos que temos para cuidar de gatos de rua”, disseram as tutoras.

Considerada a irmã caçula da família, Rosie faz sucesso na internet ao fazer poses ao lado dos cachorros em fotos divulgadas em um perfil no Instagram.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Campanha pede que animais sejam transportados em cabines de aviões: ‘eles não são bagagem’

Angel no colo de uma aeromoça (Reprodução/Instagram/@angelbengal)

Uma campanha realizada na internet pede que as empresas aéreas deixem de submeter os animais a riscos ao transportá-los no bagageiro das aeronaves. Colocados na área de carga dos aviões, cães e gatos sofrem com o estresse. Muitos deles já ficaram feridos, foram extraviados como se fossem objetos e morreram.

Em dezembro de 2019, o cachorro Tom morreu de calor durante uma viagem de São Paulo para Vitória, no Espírito Santo. Em março do mesmo ano, Bear perdeu a vida após ficar sem oxigênio no bagageiro de um avião que o transportava de Amsterdã, na Holanda, para Los Angeles, nos Estados Unidos. Casos como esse são mais comuns do que se imagina. Para tentar evitá-los, os tutores da gata Angel iniciaram a companha “não sou bagagem, sou passageira”.

A gata tem 156 mil seguidores no Instagram e viaja constantemente de avião com sua família. “Angel é uma viajante frequente, mas tem sorte de voar na cabine porque é pequena. Mas por que outros animais que pesam mais de 8kg são tratados como sacos na carga?”, diz um post no Instagram da gata.

Na publicação, foram expostos casos de mortes de gatos durante voos da empresa Aeroflot. “Recentemente, dois gatos morreram e um foi congelado durante @aeroflotvoo de Nova York. Funcionários do aeroporto os mataram esmagando suas caixas transportadoras e tratando-os como bagagem. E não é apenas um problema da Aeroflot, mas um grande problema de todas as companhias aéreas em geral”, afirma o texto da postagem.

“Quantos animais a mais precisam morrer durante os voos de carga para que as companhias aéreas mudem as regras de transporte para eles? Eles são congelados ou fritos até a morte ou ficam feridos”, completa.

A campanha feita no Instagram da gata pede que as companhias aéreas mudem as regras de transporte de animais. “Elas [as empresas] devem tratá-los como passageiros! Porque nossos amigos peludos não são bagagem, eles são passageiros como você e eu”, conclui a publicação.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Gata com maior número de seguidores no Instagram foi adotada em abrigo

Reprodução/Instagram/@nala_cat

Com 4,3 milhões de seguidores no Instagram, Nala é a gata com mais seguidores na rede social – título reconhecido pelo Guinness World Records, o livro dos recordes, do qual ela faz parte desde 2017.

A gata, que tem 10 anos de idade, é tão querida que já foi considerada um dos cem animais mais influentes da revista Time.

O que muitos talvez não saibam é que Nala veio de um abrigo. Resgatada da casa de um acumulador de animais, a gata foi levada ainda filhote para o Castaic Animal Shelter, em Los Angeles, na Califórnia.

Quando tinha cinco meses, ela foi adotada por Varisiri “Pookie” Methachittiphan. Em 2012, ela criou um perfil para a gata no Instagram, sem sequer imaginar a fama que seria gerada por esse ato.

Reprodução/Instagram/@nala_cat

Através da rede social, Pookie conheceu sua atual esposa, Shannon Ellis, e juntas elas adotaram outros animais, dando um belo exemplo sobre a importância de adotar cães e gatos ao invés de comprá-los.

Atualmente, Nala divide a vida com os gatos Coffee, Luna Rose, Stella, Steve e Apollo, além do cachorro Spencer. Todos eles têm perfis no Instagram e, juntos, somam mais de 7 milhões de seguidores.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Gata enfrenta incêndio para salvar a vida de seus filhotes

Foto: Reprodução Youtube / CreepyWorld

Em um ato heroico, uma gata enfrentou um incêndio para salvar a vida de seus filhotes. Com medo de perdê-los, Scarlett não descansou até tirar cada um dos gatinhos do local.

O caso impressionou os bombeiros de Nova York, nos Estados Unidos. Comovidos com o amor da gata por seus filhos, os agentes controlaram o fogo e, em seguida, prestaram socorro aos animais.

Retirados do imóvel incendiado no bairro do Brooklyn, os gatos foram levados para uma clínica veterinária, onde receberam os cuidados necessários. Após entrar cinco vezes na casa para carregar os filhotes, um a um, em sua boca, a gata ficou bastante ferida. Um dos gatinhos também foi gravemente afetado pelo fogo e morreu após ser socorrido.

Foto: Reprodução Youtube / CreepyWorld

Apesar de estar com os olhos fechados, as orelhas e as patas queimadas, a gata não conseguia pensar em nada além de seus filhos. Por essa razão, ela não se acalmou até cheirá-los na clínica, certificando-se que estavam bem.

Após dias de tratamento, os animais se recuperaram. Scarlett ficou com cicatrizes pelo corpo – como o formato de seus olhos, que mudou após a exposição às altas temperaturas -, mas sobreviveu e passa bem. O ato de coragem da gata gerou tamanha comoção que a Liga de Animais de North Shore decidiu criar o “Prêmio Scarlett de Heroísmo Animal”.

Os quatro filhotes também foram tratados e já encontraram novos lares, onde estão vivendo cercados de amor.

Foto: Reprodução Youtube / CreepyWorld

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Ciclista viaja por vários países com gata resgatada após abandono em estrada

Reprodução/Instagram?@1bike1world

Antes do início da pandemia de coronavírus, o ciclista Dean Nicholson decidiu percorrer o mundo com a sua bicicleta. Ele não imaginava, porém, que encontraria companhia.

Abandonada na estrada, uma gata parecia pedir para ser adotada por Dean. E ele prontamente atendeu ao pedido.

“Eu ouvi isso antes de ver! Eu estava andando de bicicleta pela colina e ela estava miando seu coraçãozinho atrás de mim, mas parei a bicicleta, pulei e fui até as pedras (…) Sentei com ela por cerca de meia hora (…) antes de decidir levá-la na bicicleta comigo. Ela me seguiu e era injusto deixá-la”, disse o ciclista à UNILAD.

Nala, como passou a ser chamada, não saiu do lado de Dean. “Quando lhe alimentei e ela continuou me seguindo, pensei: ‘seria melhor se eu a levasse comigo’. Então, quando eu a coloquei na bicicleta e comecei a pedalar, ela pulou para o meu ombro. Então ele se aconchegou no meu pescoço e então pensei que era onde deveria estar”, contou.

Companheiros um do outro, a dupla viajou por diversos países, dentre eles Montenegro, Albânia, Grécia, Turquia e Geórgia. Os moradores dos locais por onde Nala passou se apaixonaram por ela.

Quando era filhote, a pequena ficava no ombro do tutor enquanto ele pedalava. Depois que cresceu, ela passou a ficar dentro do cesto da bicicleta.

“As pessoas absolutamente a amam e ela adora atenção. Todo mundo tira fotos e quer conhecê-la. É ótimo quando visito um novo local, pois as pessoas instantaneamente têm uma reação amigável e calorosa. A maioria dos hotéis em que estivemos está realmente acomodando Nala, embora eu já tenha pago uma taxa adicional”, disse Dean.

E se antes o ciclista queria conhecer o mundo inteiro e chegar à Ásia rapidamente, atualmente o objetivo dele é desfrutar de cada lugar.

Reprodução/Instagram?@1bike1world

“Antes de encontrar Nala, eu estava indo de cidade em cidade pela Europa o mais rápido possível para chegar ao leste da Ásia. Quando encontrei Nala, ela estava com um pouco de tosse, o que provavelmente não foi ajudado por andar de bicicleta pelo forte vento e chuva. Ela me ensinou a desacelerar, aproveitar a experiência e o que estava ao meu redor. Eu sempre ajudei os perdidos, mas ela me ensinou a ser ainda mais generoso e compassivo”, disse.

Para contar a história de Nala e mostrar um pouco da rotina da gata, Dean fez um perfil no Instagram que já conta com 776 mil seguidores. Ele também promete lançar um livro no qual a jornada de bicicleta ao lado de sua companheira será relatada. Atualmente, a viagem está suspensa por conta da pandemia.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Filhote de cachorro órfão tem a vida salva após ser adotado por gata

Reprodução/YouTube/Annette Lawless

Um filhote de cachorro da raça pit bull, resgatado após ser encontrado com a saúde debilitada, sobreviveu ao abandono graças a uma gata que passou a cuidar dele como se fosse sua mãe.

Norland, como é chamado o filhote, teve sua vida transformada após chegar ao abrigo da Cleveland Animal Protective League, localizado na cidade de Cleveland, no estado norte-americano de Ohio.

Bastante fraco, o cão foi encontrado no lixo, coberto por moscas. E apesar dos esforços da equipe do abrigo, o filhote não apresentava melhora.

O estado de saúde dele mudou quando Lurlene, uma gata que vive na sede da ONG, o conheceu. Dominada por seu instinto materno, ela passou a cuidar do filhote, assim como fazia com os gatinhos aos quais ela havia dado à luz recentemente.

Reprodução/YouTube/Annette Lawless

Lurlene cuidou do cachorro em tempo integral. Até mesmo nos momentos em que os voluntários do abrigo o alimentavam com uma mamadeira, ela estava por perto. Atenta, a gata observava o filhote, o cheirava e colocava a pata sobre ele, como se quisesse dizer à equipe da ONG que ela estava ali para garantir que ele receberia o melhor tratamento possível.

Graças ao amor que Lurlene deu a Norland, o pequeno cão sobreviveu, cresceu e se desenvolveu, transformando-se em um cachorro maior do que a própria gata e completamente apaixonado por ela.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

‘Desolador’, diz tutor que tenta encontrar gata levada por catador de lixo

Arquivo Pessoal

Uma gata foi levada por um catador de lixo em Santos, no litoral de São Paulo, deixando seu tutor em completo desespero. Apegado ao animal, o advogado Enio Vasques Paccillo, de 38 anos, pede ajuda para trazer Nina de volta para casa.

“Eu não adotei essa gata, ela me adotou, é um amor incondicional. Não consigo acreditar que o ser humano pudesse fazer algo assim. Só quero ela de volta”, disse o advogado ao G1.

Nina desapareceu no último dia 11 de junho. Inicialmente, Enio pensou que ela estivesse na vizinhança, buscando abrigo por conta do frio. Morador do bairro Embaré, nas proximidades da Avenida Afonso Pena, o advogado contou que a gata “vive solta, vai na casa dos vizinhos, mas também passa o dia no meu escritório”.

Com o passar dos dias, o sumiço de Nina passou a preocupar Enio, que descobriu que a gata havia sido levada por um catador de lixo ao observar as câmeras de segurança do seu escritório de advocacia.

O homem recolheu material reciclável próximo à gata e, em seguida, colocou o animal dentro de uma caixa e fugiu.

“É um negócio desolador, desumano. Não acredito que alguém fosse capaz de fazer isso. Se ainda fosse uma criança que a pegasse, eu entenderia. Agora essa pessoa pegou a Nina à força, enfiou ela dentro de uma caixa e amarrou, é inaceitável. Só quero que essa pessoa se sensibilize e a devolva”, disse.

Arquivo Pessoal

“Todo mundo está preocupado, ajudando a procurar. Todos a conhecem, não tem uma pessoa que não goste dela”, contou Enio ao falar da mobilização gerada na vizinhança após o sumiço do animal.

Nina é uma grande companheira do advogado, que está sentindo a falta da gata, com a qual se preocupa. “Às vezes, fica no escritório comigo até tarde da noite, dormindo na minha mesa. Eu não adotei ela, ela que me adotou. Estou procurando, vou oferecer recompensa, mas o principal é ter ela de volta”, concluiu.

Acesso à rua

A rua é um local perigoso para cachorros e gatos. Criá-los dentro de casa – ou, no caso de Nina, dentro do escritório de advocacia – é essencial para protegê-los.

Casos de envenenamento de animais – especialmente gatos, odiados por muitas pessoas – são comuns. Nas ruas, atropelamentos também são frequentes. Os riscos, no entanto, são ainda maiores. Os animais podem contrair doenças, ser agredidos, brigar com outros animais, e até ser estuprados por pessoas mal intencionadas.

Reprodução/Portal Toca dos Gatinhos

Para protegê-los, é importante impedir o acesso à rua, fazendo-o apenas na companhia do tutor, usando guias e coleiras adequadas para cada espécie (caso usem peitorais destinados a cães, os gatos podem fugir facilmente). É necessário entender, porém, que há gatos que não se adaptam a esses passeios e criá-los apenas dentro de casa é o adequado neste caso.

Para manter cachorros dentro de suas casas, em segurança, muros altos e portões, aliados à atenção dos tutores ao entrar e sair do imóvel, costuma bastar. Com os gatos, porém, os cuidados precisam ser maiores. O correto é recorrer a telas e ganchos, que podem ser colocados em janelas ou quintais pelos próprios tutores, após compra dos itens em lojas de materiais para construção, ou por empresas especializadas. Com janelas ou quintais telados, os gatos não conseguirão fugir. Dentro de seus lares, viverão felizes e seguros – isso porque, ao contrário do que diz o senso comum, gatos são animais domésticos e, portanto, não precisam de liberdade para viver bem, como necessitam os silvestres.

Cercas feitas de PVC ou garrafas de plástico também são úteis para garantir a segurança dos gatos. Aprenda a fazê-las nos vídeos abaixo:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Após morte de tutor, gata sobrevive por 58 dias sozinha em apartamento

Foto: Isa Simões/Arquivo pessoal

Uma gata que ficou sozinha após seu tutor, de 82 anos, morrer, foi resgatada na última sexta-feira (12) após sobreviver durante 58 dias trancada em um apartamento em Maringá, no Paraná.

O resgate, realizado por duas protetoras de animais, contou com o apoio da Guarda Civil Municipal. Para não morrer, a gata comeu as próprias fezes e bebeu água do vaso sanitário. O idoso que morreu tutelava gatos e fazia doações a entidades de proteção animal. Ele não tinha familiares.

Em abril, após a morte do homem, agentes do Bem Estar Animal da Prefeitura de Maringá estiveram no apartamento e resgataram os gatos. No entanto, como não era de conhecimento do órgão o número de animais mantidos no local, os servidores acreditaram, na época, que ninguém tivesse ficado para trás. A situação da gata só foi descoberta graças a uma protetora de animais que esteve no prédio na sexta-feira. Ela não sabia da morte do homem e foi ao residencial para saber se estava tudo bem.

Ao chegar no prédio, ela soube que o idoso morreu e que apenas quatro gatos foram retirados do local. Após contatar a colega Isa Simões, que também é protetora, a Guarda Municipal foi acionada e o resgate do quinto gato foi realizado.

“Entramos e vi que havia fezes recentes. Isso me encheu de esperança. Procuramos e logo a encontramos. Estava fraca, quase não conseguia se mexer”, disse Isa ao G1.

Debilitada, a gata foi levada a uma clínica veterinária. “Ela chegou muito debilitada. Está com pneumonia, respirando com a ajuda de oxigênio, mas tem grande chance de recuperação”, explicou a veterinária Fabiola Cavalieri, que estima que a gata tenha entre sete e oito anos.

O caso surpreendeu a profissional, que considera “incomum um animal sobreviver tanto tempo privado de água e comida”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Gata leva seu filhote doente até hospital e médicos ajudaram os animais

Foto: redes sociais

Uma gata, carregando seu filhote na boca, surpreendeu médicos em um hospital de Istambul, na Turquia. O animal estava doente e recebeu cuidados dos profissionais de saúde quando foi levado por sua mãe até o local. O caso foi divulgado no Twitter e viralizou.

“Hoje estávamos na sala de emergência do hospital quando uma gata correu para trazer seu filhote pela boca”, escreveu Merve Özan, no Twitter. O caso também foi divulgado na rede social Reddit, alcançando mais de 83 mil visualizações.

Os médicos perceberam que o filhote precisava de cuidados e o ajudaram. Também foram solidários à gata, que recebeu alimento. Preocupada com seu filho, ela ficou o tempo todo próxima a ele. Em seguida, os dois foram encaminhados ao veterinário.

Após a história ser divulgada, usuários do Reddit elogiaram os médicos e contaram histórias semelhantes que conheciam.

“Isso aconteceu na minha cidade natal com uma gata em situação de rua. Ela ficou doente e caminhou até o hospital, onde começou a miar. Eles a ajudaram e agora ela é a mascote do médico que chamou o veterinário para atendê-la”, escreveu um internauta.

Foto: redes sociais
Foto: redes sociais

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More