Notícias

Grupo detido por explorar galos em rinhas é multado em R$ 2,7 milhões

Foto: Polícia Militar Ambiental

A Polícia Militar Ambiental encontrou 90 galos em situação de maus-tratos em uma fazenda no bairro Camanducaia, em Jaguariúna, no interior de São Paulo, e multou o grupo responsável por explorar as aves em rinhas.

Detidos, os criminosos foram encaminhados à delegacia e, além de terem sido multados em R$ 2,7 milhões, responderão por maus-tratos a animais.

Os galos viviam em ambientes pequenos e insalubres, sem ventilação e condições básicas de higiene. No local, a polícia encontrou quantidades insuficientes de água e comida disponibilizadas para os animais e apreendeu itens usados para intensificar os ferimentos entre os galos durante as brigas.

Até o momento, as aves permanecem com um dos envolvidos nas rinhas. Segundo a polícia, os animais esperam um local adequado que possa recebê-los.

Foto: Polícia Militar Ambiental

Levados à delegacia, os criminosos foram autuados pelo crime de maus-tratos, mas foram liberados após a assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência.

As rinhas de galos são proibidas pela Lei de Crimes Ambientais, que prevê pena de três meses a um ano de detenção e multa para quem “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”.

A palavra “detenção”, neste caso, é usada para crimes considerados de menor potencial ofensivo, o que impede que os casos sejam punidos com rigor. Normalmente, os agressores de animais recebem punições alternativas, como a prestação de serviços à comunidade.

Foto: Polícia Militar Ambiental

Por conta dessa lei, que antes era usada não só para os galos, mas também para casos envolvendo cães e gatos, uma nova legislação foi proposta. Após alterações no Senado, a Lei Sansão passou a proteger apenas cachorros e gatos.

Com a recente sanção, a medida permitiu que a prisão em flagrante de um homem que agrediu o próprio cão a pauladas fosse convertida em preventiva pela Justiça em Maceió (AL), o que garantiu a manutenção da prisão.

Os galos, no entanto, não são contemplados pela nova lei e, por isso, os crimes cometidos contra eles não serão punidos com o mesmo rigor.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Presos em gaiolas, galos explorados em rinhas são resgatados no Paraná

Foto: Divulgação/PC-PR

A Polícia Civil resgatou 50 galos explorados em rinhas na última sexta-feira (2) em Campo Largo, no Paraná. As aves eram mantidas aprisionadas em gaiolas ou espaços pequenos.

Pelo menos dez galos apresentavam graves lesões pelo corpo, com características de exploração em rinhas. O caso passou a ser investigado por conta de uma denúncia anônima.

Policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) estiveram no local e constaram os maus-tratos. Na chácara onde os galos estavam foram encontradas estruturas para receber visitantes e para treinar as aves para as brigas.

De acordo com a polícia, o local era monitorado. O dono da chácara foi levado à delegacia para prestar depoimento. Ele responderá em liberdade pelo crime de maus-tratos a animais.

“Aqui nós encontramos galo agonizando, em condições extremamente precárias. Agora a gente vai tentar dar uma sobrevida a esses animais e dar uma qualidade de vida aos que têm condições, além de responsabilizar quem fez isso”, disse ao G1 o delegado Matheus Laiola.

As aves que estavam debilitadas foram encaminhadas para clínicas veterinárias. O restante foi levado para o abrigo da ONG Força Animal, que os submeterá a um processo de reabilitação.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Presos em gaiolas, 200 galos explorados para rinhas são resgatados após maus-tratos

Foto: Divulgação/PCPR

A Polícia Civil resgatou cerca de 200 galos explorados em rinhas durante uma operação de combate aos maus-tratos a animais. Mandados foram executados na terça-feira (29) no Paraná, em Santa Catarina e em São Paulo.

Explorados desde o nascimento para as cruéis competições, os galos eram mantidos em pequenas gaiolas. Sem acesso ao sol, eles viviam em ambientes escuros, sem alimentação. Parte deles apresentava ferimentos.

Resgatados, os animais foram encaminhados para uma ONG de Campo Largo. “A gente tá arrumando um local para colocar, porque a gente não pode, num primeiro momento colocá-los juntos, a gente tem que ir adaptando e que eles se acostumem que eles não foram criados para brigar”, afirmou ao G1 a voluntária Mariane Mazzon.

A operação policial culminou na prisão de 12 pessoas. Uma delas, presa em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, é apontada como líder da quadrilha. O grupo responderá por maus-tratos a animais, associação criminosa e promoção de jogo de azar.

“Essas rinhas são movimentadas mediante apostas, e elas podem pegar até seis anos de prisão”, afirmou o delegado Matheus Laiola. Outras quatro pessoas procuradas pela polícia não foram presas.

Foto: Divulgação/PCPR

Durante a ação, a polícia apreendeu medicamentos usados nas aves, além de armas. Certificados entregues aos participantes das rinhas também foram apreendidos.

Galos maltratados foram encontrados em Campo Magro e Ivaiporã, no Paraná, em Piraju, no interior de São Paulo, e em São Francisco do Sul, no litoral de Santa Catarina. Transportados por várias cidades para serem forçados a participar de rinhas, eles eram submetidos a condição degradantes.

“Eles viajavam com bicos amarrados e eram obrigados a ingerir anabolizantes em uma rotina torturante”, afirmou Laiola. Parte das aves era comercializada e os compradores eram participantes das rinhas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Galos são encontrados em estado crítico e um deles morre após rinhas

Foto: Polícia Militar Ambiental

A Polícia Militar Ambiental flagrou a prática de rinha de galos no sábado (12) em um sítio em Mirante do Paranapanema, no interior de São Paulo. Uma das aves não resistiu aos ferimentos e morreu durante a operação policial. Outros 47 galos foram encontrados com vida.

O crime foi descoberto por conta de uma denúncia anônima. As multas aplicadas pelas autoridades superam R$ 320 mil.

Ao chegar no sítio, a polícia se deparou com um veículo e uma pessoa na porteira. A suspeita é de que o homem trabalhasse no local como olheiro e que tenha avisado os participantes da rinha ao fugir para dentro da propriedade rural.

Foto: Polícia Militar Ambiental

Cerca de 30 pessoas estavam no local, sendo que a maior parte delas fugiu com a chegada das autoridades. Apenas 10 pessoas foram abordadas pelos policiais.

Os galos eram mantidos dentro de um barracão, em viveiros apertados, sem água e comida. Alguns deles estavam presos em caixas de madeira. Três aves que haviam sido exploradas na rinha flagrada pelos policiais foram encontradas com esporas de acrílico.

A Polícia Científica esteve na propriedade e realizou uma perícia. O caso foi registrado na Delegacia da Polícia Civil, em Mirante do Paranapanema.

Foto: Polícia Militar Ambiental

Objetos usados para explorar os animais foram apreendidos pela polícia, dentre eles seis biqueiras de metal, cinco esporas de acrílico, quatro rebolos (rinha), uma balança para pesar os galos antes da rinha, uma mesa para medir a altura das aves e 20 sacolas transportadoras de pano.

Os galos ficaram sob a tutela do responsável pelo sítio por não haver local disponível para recebê-los.

Foto: Polícia Militar Ambiental
Foto: Polícia Militar Ambiental

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Dezenas de galos explorados em rinhas são resgatados após maus-tratos

Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

A Polícia Militar Ambiental (PMA) resgatou 30 galos explorados em rinhas na cidade de Taubaté, no interior de São Paulo. As aves sofriam maus-tratos e eram mantidas em uma propriedade no bairro Barreiro.

No local, dois homens foram encontrados. Detidos, eles foram encaminhados à delegacia, de onde foram liberados após prestarem depoimento.

De acordo com a PMA, os homens relataram que o local onde os galos foram encontrados era usado para treiná-los para as rinhas. De lá, eles eram levados para combates em outros locais após serem comercializados.

Tratadas como mercadorias voltadas ao entretenimento humano, as aves eram vítimas de maus-tratos, conforme constatado por um médico veterinário que as examinou. Dentre as crueldades praticadas contra os animais, esporas mutiladas e penas retiradas foram identificadas.

Um caderno com anotações sobre as rinhas foi apreendido pelos policiais, que também encontraram no local itens como esporas de plástico, bicos de metal, sacolas de transporte, equipamentos para treinamento das aves, medicamentos cicatrizantes e hormônios, além de uma pistola de pressão e de uma arena.

O caso foi descoberto graças a uma denúncia anônima que resultou no indiciamento dos envolvidos nas rinhas. Os homens responderão em liberdade pelo crime de maus-tratos a animais. Eles foram multados em R$ 90 mil cada.

Resgatados, os galos foram levados para o Instituto de Manejo da Biodiversidade em Lorena.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

STF impede matança de 86 galos resgatados após serem explorados em rinhas

Foto: Guilherme Leporace/Imagem Ilustrativa

Uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), impediu a matança de 86 galos resgatados na cidade de Massaranduba, em Santa Catarina, após serem explorados em rinhas.

Os animais foram encontrados em condição de maus-tratos às margens de uma rodovia do município e tiveram suas vidas salvas pela decisão do STF.

O ministro atendeu a um pedido de um advogado de Blumenau (SC) que contestou a escolha da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc), que havia decidido matar os galos. A contestação foi feita com base em uma liminar do ministro Gilmar Mendes na ADPF 640.

Na ação, Gilmar Mendes suspendeu, em todo território nacional, decisões administrativas e judiciais que autorizem a matança de animais silvestres e domésticos resgatados após maus-tratos. A ADPF 640 aguarda para ter seu mérito julgado.

De acordo com Alexandre de Moraes, matar os galos afrontaria a decisão do ministro Gilmar Mendes. “Nessas circunstâncias, em que o ato administrativo estabeleceu o abate de animais apreendidos em situação de maus tratos, há inconteste afronta à determinação de suspensão nacional imposta nos autos da ADPF 640”, argumentou.

Após determinar a suspensão da matança, o ministro solicitou, segundo informações da assessoria de imprensa do STF, que a decisão seja comunicada com urgência à 2ª Companhia de Polícia Militar Ambiental do Estado de Santa Catarina, à Secretaria de Estado da Segurança da Segurança Pública do estado e ao Governo de Santa Catarina.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Polícia Militar resgata 127 galos explorados em rinhas em Salvador (BA)

Foto: Polícia Militar

A Polícia Militar resgatou 127 galos explorados em rinhas em Salvador, na Bahia. Os animais foram encontrados no último domingo (23) na Rua Melo Moraes Filho, no Alto do Peru, perto do bairro São Gonçalo do Retiro.

O crime foi descoberto graças a uma denúncia anônima. Cerca de 100 pessoas envolvidas nas rinhas foram encaminhadas à delegacia, mas apenas 14 assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência.

A operação foi realizada pela Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA). No local, os policiais encontraram galos com sinais de exploração em rinhas. Seringas e outros indícios da prática do crime também foram encontrados.

De acordo com a polícia, as seringas foram apreendidas e levadas à 5ª Delegacia, para onde as pessoas envolvidas no caso também foram encaminhadas.

Explorar galos em rinhas é crime de maus-tratos, com punição de até um ano de detenção, além de multa.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Polícia encontra 47 galos explorados em rinhas e aplica multa de R$ 230 mil

Foto: Arquivo Pessoal

A Polícia Militar encontrou 47 galos explorados em rinhas em Santo André, cidade situada no ABC Paulista. A operação policial foi realizada na manhã do último domingo (2).

No local, dois ringues desmontados foram localizados. Os galos eram mantidos em pequenas gaiolas de madeira, confinados.

Durante a ação da polícia, cinco pessoas foram detidas por suspeita de participação nas rinhas. Eles foram multados em R$ 230 mil. As multas foram aplicadas pela Polícia Militar Ambiental, que também participou da operação e agiu para punir crimes ambientais de maus-tratos a animais.

Todos os detidos foram encaminhados ao 2º Distrito Policial de Santo André.

Reabilitação de galos

Um projeto realizado em Formiga, no estado de Minas Gerais, possibilita que galos explorados em rinhas sejam reabilitados. A reabilitação traz esperança para esses animais que, após serem resgatados, são frequentemente mortos, sem que tenham qualquer chance de viver em paz.

O projeto, que apresenta uma opção ética para esses animais, é realizado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Cedef e da 4ª Promotoria de Justiça de Formiga, em parceria com o Centro Universitário de Formiga (Unifor) e a Associação Regional de Proteção Ambiental (Arpa II) de Divinópolis.

O protocolo usado no projeto foi desenvolvido e testado, com sucesso, pelo professor da Unifor, Dênio Garcia. Após o resgate, os galos ficam em quarentena. Eles são submetidos à triagem, ressocialização e readaptação antes de serem reintegrados ao meio ambiente.

Ao final do processo, as aves recebem chips e anilhas e são doadas a proprietários rurais selecionados através de programas de agricultura familiar cadastrados na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Polícia resgata galos explorados em rinhas e aplica multa de R$ 1,1 milhão

Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

A Polícia Militar Ambiental resgatou 110 galos feridos que eram explorados em rinhas na zona rural de Colorado, no Paraná. A ação policial, realizada no último domingo (26), também salvou galinhas e pássaros. Suspeitos foram multados em R$ 1.134.500 por maus-tratos a animais. Além das aves vivas, oito galos mortos foram encontrados.

O caso foi descoberto graças a uma denúncia anônima. Ao chegar no local, a polícia se deparou com a rinha, que contava com a participação de convidados. Várias pessoas fugiram durante a ação policial e aproximadamente 30 carros foram deixados no local.

Os donos dos veículos também serão multados quando forem buscar seus carros no batalhão, conforme explicou ao G1 o comandante da 3ª Companhia Ambiental Força Verde, Luciano José Buski.

Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

Apesar dos participantes que fugiram, outras 17 pessoas foram encaminhadas à delegacia. Autuadas por maus-tratos a animais, elas foram multadas e irão responder judicialmente pelo crime.

No sítio, foram encontradas quatro arenas nas quais os galos eram colocados para serem forçados a brigar. Viveiros de madeira, onde as aves eram mantidas em espaço reduzido, também foram descobertos.

Outras vinte aves, além dos galos, foram resgatadas. Os 110 animais explorados nas rinhas foram levados para outro sítio, onde receberão cuidados de uma equipe da Vigilância Sanitária de Colorado.

Explorar animais em rinhas é crime previsto na Lei de Crimes Ambientais, com punição de até um ano de detenção, além de multa. Na região de Colorado, denúncias podem ser feitas através dos telefones (44) 3901-1936 ou 181.

Foto: Polícia Ambiental/Divulgação
Foto: Polícia Ambiental/Divulgação

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Galos explorados em rinhas são resgatados com lesões graves e cegueira

Foto: Polícia Militar de Meio Ambiente/Divulgação

A Polícia Militar de Meio Ambiente (PMMA) resgatou 98 galos explorados em rinhas na cidade de Santo Antônio do Monte, em Minas Gerais. A ação policial foi realizada no último sábado (18).

Denúncias levaram as autoridades até o local, onde 69 pessoas foram detidas por maus-tratos a animais – três delas também irão responder por tráfico de drogas. Segundo informações do G1, as rinhas eram realizadas em um ginásio na região dos Ferreiras, na zona rural da cidade.

Dentre os galos resgatados, foram encontrados muitos animais com lesões severas, mutilações e cegueira – consequências das rinhas das quais eram forçados a participar. Uma das aves estava morta.

Foto: Polícia Militar de Meio Ambiente/Divulgação

Os animais que sobreviveram foram levados até uma clínica veterinária e serão incluídos em um programa de reabilitação e ressocialização de galos.

Objetos usados nas rinhas também foram apreendidos – como biqueiras, esporas, arenas e gaiolas -, além de R$4.744 e U$1. O dinheiro era usado nas apostas feitas durante as rinhas.

Além de promoverem maus-tratos a animais e tráfico de drogas, as pessoas envolvidas no evento também desrespeitaram medidas impostas pelos governos municipal e estadual, que estabeleceram regras de distanciamento social por conta da pandemia de coronavírus.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Nova lei prevê multa de R$ 10 mil para punir rinhas de animais no DF

Cão explorado em rinha (Foto: Marcelo Assunção/TV Gl

Nesta terça-feira (7), foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) a nova lei que pune rinhas de animais. A prática já era proibida por legislação no DF, mas agora teve alteração no valor da multa.

Com a sanção do projeto de lei por parte do governador Ibaneis Rocha (MDB), a multa, que antes era de 1 a 40 salários mínimos, não pode ser inferior a 10 salários mínimos.

No valor atual, a multa aplicada aos organizadores de rinhas seria de, no mínimo, R$ 10.450. A nova legislação altera o artigo 2º da Lei nº 4.060, de 18 de dezembro de 2007, que estabelecia os valores antigos.

Além da multa, a medida sancionada pelo governador mantém as demais punições previstas na lei anterior. São elas: advertência, interdição parcial ou total de estabelecimento ou atividade, suspensão ou cancelamento da licença ambiental do estabelecimento, apreensão e perda ou restrição de incentivos e benefícios fiscais concedidos pelo Governo do Distrito Federal.

O deputado Daniel Donizet (PSDB), autor da nova lei, criticou a crueldade das rinhas – que têm galos e pit bulls como principais vítimas – e defendeu os animais.

“A diversão mórbida à custa dos animais é um absurdo. A sociedade já evoluiu o bastante para abolir atividades como essa”, disse o parlamentar Jornal de Brasília.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Amarrados e feridos, galos explorados em rinhas são resgatados

Foto: Redes Sociais/Reprodução

Dois galos amarrados e com ferimentos pelo corpo foram encontrados dentro de um carro, enquanto eram transportados por quatro pessoas, na Rodovia Curua-Una, em Santarém, no oeste do Pará. O crime foi flagrado pela equipe policial da 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (1ª Cipam) durante ronda na noite de sábado (4).

A ação policial foi acompanhada por membros da Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil Subseção Santarém.

Em entrevista ao G1, a Comissão informou que foram encontrados no carro sete bicos de aço, duas agulhas côncavas, quatro esporas artificiais, aparelhos celulares e a quantia de mil novecentos e cinquenta reais, provavelmente oriundo de apostas em rinhas nas quais os galos eram explorados.

Os objetos estavam dentro do porta-malas. A Comissão revelou ainda que os ocupantes do veículo foram detidos e levados para Seccional de Polícia Civil após confessarem a participação em uma rinha.

O advogado Wilmar Freire, presidente da Comissão, esteve presente durante todo o procedimento policial.

“Eles foram abordados na via e confessaram que estavam em um sítio realizando a rinha, mas não quiseram falar o local e os policiais levaram-os para a delegacia onde fomos acionados para acompanhar o procedimento”, contou Wilmar.

Após serem autuados, os homens pagaram fiança e foram liberados. Eles devem responder por crime ambiental.

Os dois galos foram resgatados e encaminhados para o Centro de Controle de Zoonoses (CZZ), que ficou responsável por oferecer às aves os cuidados necessários.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More