Notícias

Homem é preso com 50 aves silvestres e armas em PE

Mais de 50 aves silvestres foram apreendidas na cidade de Vertente do Lério, Agreste pernambucano. A ação do Cipoma (Companhia Independente de Polícia do meio Ambiente) ocorreu na tarde dessa sexta-feira (8), após denúnica anônima, na Chácara Santana, num lugarejo conhecido como Chã do Pavão. Junto às aves, foram achadas dez armas.

Entre os animais apreendidos estão as espécies galo de campina, craúna, canário-da-terra, concri, azulão, papa-capim, bigode, além de dois cágados e duas siriemas.

José Júlio de Santana, conhecido por Zé Meliquita, de 71 anos, foi preso em flagrante. Com ele, a polícia localizou armas de calibres 12, 22 e 38, revólveres e rifle calibre 38, e ainda 63 munições de vários calibres.

O acusado e as armas foram encaminhados para a delegacia do município. As aves estão na sede do Ibama, em Recife.

Fonte: NE10

​Read More
Notícias

Em operações, batalhão ambiental apreende pássaros, bicho-preguiça e jacaré

Policiais militares do Batalhão Ambiental apreenderam, nesta sexta-feira (29), pássaros silvestres, um jacaré-de-papo-amarelo e bichos preguiça em operações em Maceió e cidades da região Metropolitana.

Os policiais realizavam rondas numa feira livre no bairro da Levada quando dois homens perceberam a presença da guarnição e fugiram deixando no local quatro pássaros de raça ainda não identificada. No mesmo período, foram resgatados um jacaré-do-papo-amarelo e dois bichos preguiça em Satuba.

Ainda nesta sexta, os militares do BPA apreenderam durante a tarde na rua Sebastião Fagundes, bairro do Clima Bom, dezesseis pássaros, entre eles galo-de-campina, jandaia, curió, sabiá, graúna, sibite e um papagaio.

As denúncias realizadas por populares iniciaram um trabalho de investigação que culminou na residência de José Marinho Vicente, que foi autuado mediante lavratura de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), pelo crime ambiental de manter animais silvestres em cativeiro, artigo 29, parágrafo I, inciso III.

Todos os animais foram encaminhados ao IBAMA, onde passarão por uma triagem e serão devolvidos ao seu habitat natural.

Fonte: O Jornal

​Read More
Notícias

Polícia Ambiental de Rio Preto (SP) faz operação na região e consegue liberar 128 pássaros silvestres

Operação da Polícia Ambiental para libertar pássaros silvestres apreendeu nesta terça-feira (22) na região 128 aves, sendo 40 filhotes.

A ação foi realizada em Rio Preto, Icém, Palestina e José Bonifácio. Entre as espécies apreendidas estão galo de campina, curió e azulão, todos ameaçados de extinção, além de coleirinha, bigodinho, sabiá e coleira do brejo.

A maior apreensão foi feita em Palestina. Em uma casa na periferia da cidade, os policiais encontraram 50 canários-da-terra. As aves estavam presas em pequenas gaiolas sujas de fezes e restos de alimentos.

Alguns pássaros dividiam o espaço com outras cinco aves. Segundo a polícia, os canários seriam vendidos na Bahia.

Policiais ambientais no pátio do Batalhão de Rio Preto contabilizam pássaros apreendidos durante operação. Foto: Sidnei Costa/Agência BOM DIA

“O tutor dos pássaros capturava os canários em matas nas proximidades de Palestina. A intenção dele era contabilizar cem aves para transportar para o nordeste, onde iria vendê-las”, disse Alessandro Daleck Moreira, comandante do 1º Pelotão da Polícia Ambiental de Rio Preto.

O criminoso, que não teve o nome divulgado, foi detido e liberado após prestar depoimento à polícia. Ele terá de pagar multa de R$ 27,5 mil pelo crime de tráfico de aves e maus-tratos de animais.

O total de multas aplicadas durante a chamada Operação Outono Livre foi de R$ 76,5 mil. O valor é de R$ 5 mil para cada pássaro em extinção e R$ 500 para outras aves. Mas a multa pode dobrar caso seja comprovada a captura de animais para o tráfico.

O pássaro que estiver em condições de sobreviver na natureza serão soltos nesta quarta-feira (23) em matas da região. Já as aves mais debilitadas vão ser levadas para o Bosque Municipal.

Apreensões de aves já somam 317 neste ano

De janeiro até a primeira quinzena deste mês, a Polícia Ambiental de Rio Preto apreendeu 317 aves, além das apreendidas durante a operação desta terça-feira (22). A polícia acredita que o número de capturas de pássaros em 2011 vai ultrapassar a quantidade do ano passado todo, que foi de 1.405.

Denúncias

Para a Polícia Ambiental, o aumento de apreensões de pássaros na região se deve às denúncias feitas pela população. Segundo o tenente Alessandro Daleck, 99% das capturas de pássaros que vivem em cativeiros são feitas após denúncias de pessoas que se sensibilizam com o sofrimento de animais. Em Rio Preto, a denúncia pode ser feita pelo telefone (17) 3234-3833.

Fonte: Rede Bom Dia

​Read More
Notícias

Homem é detido acusado de tráfico de animais em Salgueiro (PE)

Um homem foi detido nessa quinta-feira (10) em Salgueiro, Sertão de Pernambuco, acusado de tráfico de animais.

A polícia encontrou os animais no momento em que fazia um bloqueio na BR 232. Ao fazer uma revista em uma caminhonete foram encontrados 40 pássaros silvestres das espécies Gola, Viana, Caboclo lindo, Papa Capim, Azulão e Galo de Campina. Nenhum dos animais tinham a Guia de Trânsito Animal.

O motorista do veículo, o pedreiro Francisco de Assis Alves de Farias, 51 anos foi detido, ele prestou depoimento e foi liberado.

Os animais foram levados para o Ibama da cidade, de lá serão levados para uma área livre onde serão soltos.

Fonte: JC

​Read More
Notícias

Neste fim de semana 214 animais silvestres foram apreendidos na Paraíba

Um total de 214 animais silvestres foram apreendidas na Paraíba durante o último final de semana por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis na Paraíba (Ibama-PB), com apoio da Polícia Ambiental e da Polícia Militar. As apreensões aconteceram durante o último final de semana da operação Via Ápia, que combate a comercialização ilegal de animais silvestres. No município de Ingá, região metropolitana de Campina Grande, 150 animais foram apreendidos, e em João Pessoa e Bayeux, o total de animais apreendidos chegou a 64.

Na região metropolitana de João Pessoa, os animais foram apreendidos nas feiras livres de Oitizeiro e Bayeux, na manhã de ontem. Além das aves, foram recolhidas diversas gaiolas e armadilhas utilizadas para o cometimento de crimes ambientais. As aves apreendidas foram caboclinho, canário-da-terra, azulão, sibito, galo-de-campina, bico-de-lacre, papa-capim, coleiro, sabiá e sanhaço. Os responsáveis pelos ilícitos são autuados e multados entre R$ 500, R$ 1 mil (quando é caracterizada a venda) e R$ 5 mil (se o animal estiver em extinção), por cada bicho apreendido.

Além dessas aves, também foi apreendido um curió anilhado, em poder de um criador amador de passeriforme, que estava dentro de um restaurante próximo à feira de Oitizeiro, contrariando as recentes normas sobre a criação de aves silvestres. Segundo o superintendente do IBAMA na Paraíba, Ronilson José da Paz, que participou da operação, todas as aves apreendidas são direcionadas ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do IBAMA-PB, em Cabedelo. “Chegando no local, as aves são vermifugadas e depois passam por um período de quarentena, onde serão reabilitadas para os programas de reintrodução de animais silvestres”, ressaltou. O balanço final com os números da operação Via Ápia deve ser divulgado ainda hoje.

Fonte: O Norte

​Read More
Notícias

Ministério Público alerta a população sobre cativeiros de animais silvestres

A prática de cativeiro de animais silvestres em ambientes domésticos está cada vez mais frequente em todo o país. Visando mudar essa situação que está arraigada, o Ministério público (MP) em parceria com o Núcleo de Educação Ambiental Francisco de Assis (Neafa) vem trabalhando no sentido de educar contra esse hábito.

Segundo a promotora do MP e responsável pela campanha “Animal Silvestre não é Pet”, Dalva Tenório, é preciso levar a informação para essa geração, de que animais silvestres têm que viver em seus habitats naturais.

Os animais silvestres mais utilizados como pets são: jacaré, galo de campina, papa-capim, canário, sagui, tatu, tejo, capivara, porco espinho, cutia, cobra-jibóia, tucano, gavião, bicho-preguiça e, principalmente, o papagaio. “É uma coisa muito comum e os nordestinos gostam de uma forma geral. É uma cultura”, declara Dalva.

A promotora alega que jamais uma pessoa poderá reproduzir o ambiente natural dentro de casa. Existem alguns casos de pessoas que têm condições financeiras privilegiadas, que reportam o habitat do animal para seu sítio (ambiente doméstico), desta forma, o IBAMA concede a autorização, porém, não é uma coisa simples, uma vez que exige uma série de critérios, dentre eles a exigência de veterinário, relatório mensal, um local mais próximo do ambiente natural dele. “Mas de qualquer forma está se evitando essa prática, para não se incentivar esse criatório do animal que é uma prisão para ele”, lembra a promotora.

A partir do momento que a pessoa tira o animal do local em que ele vive e se reproduz livremente, e o coloca em um local que não é adequado, já é caracterizado como sendo maus tratos, e isso está previsto na lei de crime ambiental, no artigo 32, da Lei federal de n° 9.605 de 1998.

Vale lembrar que o MP está na fase de educar a sociedade. “É uma situação muito complexa, você invadir a casa do outro para fazer fiscalização/autuação. Estamos trabalhando em outra linha, a de educar e por enquanto não estamos punindo”, expõe a promotora acrescentando que o núcleo esta lançando esse trabalho de educação ambiental.

“Por enquanto não estamos trabalhando na base da lei, mas sim na educação, porque se não educar não adianta. Não queremos chegar logo punindo. As pessoas sabem que existe uma lei, e que é crime inafiançável, mas há insistência muito grande por conta da educação, uso e costume”, finaliza.

Lei

Abusos e maus-tratos contra animais configuram crime ambiental e devem ser comunicados à polícia, que registrará a ocorrência, instaurando inquérito. O artigo 32 diz que praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos é crime. De acordo com a “Lei de Crimes Ambientais”, quem tem um animal silvestre em casa está sujeito a prisão de seis meses a um ano, além de multa.

Dalva afirma que este é um trabalho contínuo, e que tem que ser ensinado em casa e nas escolas. É um trabalho que tem que ser feito pela Prefeitura, Estado, ONGs. “É um trabalho de sociedade, de educar o cidadão”, conclui.

Os animais silvestres são protegidos pela lei. Denúncias podem ser encaminhadas à Polícia Florestal (onde houver), ao MP, através do endereço denunciasambientais@mp.al.gov.br, ou ao próprio IBAMA, para onde são levados quando capturados.

Fonte: Alemtemporeal

​Read More
Notícias

Sete pessoas são presas por tráfico de aves silvestres em Caruaru (PE)

(Foto: Ibama/Divulgação)

A polícia deteve na manhã deste domingo (12), em Caruaru, agreste de Pernambuco, sete pessoas, entre elas dois menores, acusadas de tráfico de aves silvestres. Os animais estavam sendo comercializados na feira livre do bairro Boa Vista II.

Com os acusados, foram encontrados 32 pássaros das espécies galo-de-campina, sabiá, azulão, bigode, canário-da-terra, salta-caminho, contriz, papa-capim e patativa. Segundo a polícia, as aves seriam vendidas na feira pelo valor de R$ 500.

Foram presos José Alberes de Brito, Cícero Luiz de Assunção, José Tecílio da Silva, Antônio Carlos de Carvalho Melo e José Lourinaldo de Oliveira e ainda dois menores de idades não informadas. Todos foram levados para a primeira delegacia de Caruaru, onde foi feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Os maiores irão pagar multa ao Ibama e devem responder em liberdade por crime contra o meio ambiente. Os dois menores também foram liberados em seguida. As aves foram soltas em uma área da zona rural de Caruaru.

Fonte: JC Online

​Read More
Notícias

Mais de 100 pássaros silvestres e um sagui são resgatados de traficantes de animais

Mais de 100 pássaros silvestres e um sagui foram apreendidos pela Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Cipam) na Grande Natal (RN). O alvo da operação foram as feiras de Parnamirim e Macaíba e as feiras livres da Cidade da Esperança e Nova Natal. Quatro pessoas foram detidas. A pena varia entre seis meses a um ano de detenção, além de multa administrativa com valor entre R$ 500 e R$ 5 mil mais multa penal estipulada pelo juiz.

Apesar do número elevado de aves, o tenente André Valadares acredita na redução no volume de apreensões nas últimas semanas. Segundo ele, as primeiras operações encontravam mais de 200 animais em uma única feira. “A sequência de ações em dias de semana e principalmente em fins de semana tem colaborado para inibir a prática”. Segundo o tenente, muitos criminosos conseguem fugir quando da aproximação policial.

Nas gaiolas apreendidas, pássaros exóticos como o galo de campina, o canário da terra, azulão e outros. Todos eles serão levados ao Ibama para período de quarentena em criadouros propícios à readequação das aves à natureza. “O músculo da maioria deles fica atrofiado pelo tempo em que ficam em gaiolas ou caixotes. Então é preciso uma preparação para readquirir a musculatura normal”, disse o tenente.

Quadrilhas

André Valadares afirmou desconhecer a formação de quadrilhas de tráfico de animais ou fornecedores maiores para este tipo de delito. “Normalmente essas quadrilhas atuam com tráfico de animais mais valiosos, como as araras, tucanos. Acredito que essas aves são presas em armadilhas comuns. Muitas delas têm características de aves do interior do estado”, concluiu.

Com informações de Diário de Natal

​Read More
Notícias

522 animais silvestres são devolvidos à natureza na Paraíba

O IBAMA da Paraíba, como parte das comemorações relativas à Semana do Meio Ambiente, promoveu, nesta sexta-feira, dia 4 de junho, a reintrodução de 522 espécimes de animais silvestres na Fazenda Tamanduá, no Município de Santa Terezinha (PB), a 350 km da capital João Pessoa.

A Fazenda Tamanduá, que possui uma área de 3.073 ha, foi escolhida como área de soltura pelo IBAMA-PB porque possui uma Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN, uma unidade de conservação de proteção integral, com 325 ha, além de 614 ha reserva legal averbada em cartório, perfazendo 939 ha de área protegida.
 
Nessa reintrodução foram escolhidas espécies típicas do Bioma Caatinga, pertencentes às ordens Passeriformes, Psittaciformes, Gruiformes e Chelonia. Dentre as espécies soltas, incluem-se azulão (Cyanoloxia brissonii), com 140 indivíduos, caboclinho (Sporophila bouvreuil), com 57, galo-de-campina (Paroaria dominicana), com 49, tipio (Sicalis luteola), com 38, bigode (Sporophila lineola), com 33, além de 20 jabutipirangas (Chelonoides carbonaria).
 
De acordo com o responsável pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), do IBAMA-PB, Analista Ambiental e Médico Veterinário Paulo Guilherme C. Wagner, todos os animais reintroduzidos passaram por um período de quarentena, além de terem sido medicados e desverminados. Estes espécimes tiveram origem principalmente de apreensões feitas pela fiscalização do IBAMA-PB em residências e feiras livres, sendo alguns repatriados de apreensões realizadas no sudeste do Brasil (Rio de Janeiro e Espírito Santo) e sul da Bahia. “A reintrodução de animais na Natureza é uma constante no IBAMA-PB, no ano de 2009, onde cerca de 4.500 animais deram entrada no CETAS e a todos foi dado o destino adequado”, concluiu o analista.
 
O Superintendente do IBAMA-PB, Analista Ambiental e Biólogo Ronilson José da Paz, que participou ativamente da operação de reintrodução, disse que é um compromisso do IBAMA, atendendo as diretrizes do Ministério do Meio Ambiente, reintroduzir os animais apreendidos de modo a não permitir que as capturas de animais silvestres não autorizadas levem à sua extinção. “A reintrodução é muito importante porque devolve à Natureza parte dos animais indevidamente capturados, mas é ainda mais importante que as pessoas aprendam a contemplar os animais na Natureza, sem gaiolas. É como sempre digo, se você gosta de animais, deixe-os soltos”, concluiu.

Fonte: Paraiba.com.br

​Read More
Notícias

Guarda Municipal e Ibama apreendem 15 gaiolas com aves

Uma denúncia anônima motivou uma ação conjunta do Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal do Natal (GAAM) com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) resultando na apreensão de diversas espécies de pássaros silvestres que estavam sendo criados em cativeiros no bairro de Felipe Camarão, zona Oeste de Natal, Rio Grande do Norte. O proprietário da residência onde os pássaros foram encontrados, Marco Antônio Cavalcante, não tinha autorização do órgão competente para criá-los.

A operação foi realizada no início da tarde de quarta (17) na Travessa São José. O Ibama foi quem recebeu a denúncia e, ao comprovar a veracidade do caso, solicitou apoio a Guarda Municipal. No momento da ação o acusado, Marco Antônio fugiu deixando na residência pássaros e gaiolas para trás.

Segundo o chefe de viatura do GAAM, Alexsandro Sales, no quintal da casa do acusado constava dois grandes viveiros, além de muitas gaiolas e objetos relacionados à criação de pássaros. “Podemos presumir que o número de aves que por aqui passaram tenha sido grande, julgando pela estrutura montada para acondicioná-las”, verificou o guarda municipal.

Foram apreendidas 15 gaiolas com pássaros como Galo de Campina, Canário Belga, Sabiá e Graúna. O material foi devidamente catalogado e conduzido nas viaturas para o setor de animais apreendidos do Ibama. Segundo o responsável fiscal do Instituto, Zenilson Augusto Lima, o acusado, Marco Antônio Cavalcante, deve responder por crime ambiental discriminado na Lei 9.605, artigo 29, parágrafo 3º, que pune com detenção de seis meses a um ano, e multa, os delitos de utilizar em cativeiro espécimes da fauna silvestre, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente.

“O suspeito fugiu do local, mas temos endereço, nome completo e documentos pessoais, que vão ajudar na notificação para responder o processo na justiça pelo crime cometido”, afirmou o fiscal. Na operação, foi utilizada uma viatura do grupamento ambiental e outra de apoio da Ronda Ostensiva (ROMU 07) da Guarda Municipal, além efetivo de seis guardas municipais. O Ibama contou com 4 fiscais ambientais.

Fonte: Tribuna do Norte

​Read More
Notícias

Mais de 60 pássaros apreendidos sofriam maus-tratos

A Polícia Militar Ambiental de Piracicaba (SP) apreendeu ontem 65 pássaros, numa casa da área central. No quintal também foram encontrados mais de 400 chumbinhos, cerca de 30 munições de diversos calibres, revólver calibre 32 e espingarda. O dono da casa  não estava e, segundo a polícia, ficou telefonando o dia todo para a residência, para saber se o cabo Matos e soldado Bonassi ainda estavam por lá.

As aves foram transportadas de caminhão para o zoológico, com acompanhamento de funcionários do local. Os policiais chegaram na casa às 9 horas e as aves foram levadas às 16 horas. O delegado Emerson Marinaldo Gardenal esteve pessoalmente na residência e também enquadrou o responsável por maus-tratos.

É que, segundo o cabo Matos, o quintal é pequeno e os pássaros estavam numa área de calor insuportável. A multa não foi feita de imediato, mas será elaborada tão logo o zoológico emita o laudo apontando quantas aves estão ameaçadas de extinção. A polícia adiantou que a multa vai ultrapassar os R$ 50 mil.

Entre as aves, de acordo com Matos, estavam pintassilgos, curiós, azulões, galo-de-campina, cardeal, papa-capim e outros. “Alguns são raros na nossa região. Vimos pássaros que são encontrados, com mais frequência, nos Estados de Minas Gerais e Bahia”.

Fonte: Gazeta de Piracicaba

Nota da Redação: Espera-se que os pássaros não vivam agora uma nova situação de confinamento, dentro do zoológico. Passado o período de tratamento e recuperação das aves, se estas estiverem em plenas condições de sobreviver em seus habitats, devem ser devolvidas à natureza e não novamente confinadas.

​Read More
Notícias

Ação do Ibama apreende 151 aves na Feira da Sulanca

Na manhã desta terça-feira (27), uma ação do Ibama em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, terminou com a apreensão de 151 aves silvestres na Feira da Sulanca. Cinco pessoas foram detidas e conduzidas à Delegacia da Polícia Federal.

Os infratores serão processados por crime ambiental, podendo ser condenados a penas de até um ano de prisão. O total de multas aplicadas aos cinco infratores foi de R$ 60 mil. Entre as aves apreendidas havia galos-de-campina, azulões, tico-ticos e pintassilgos – estes últimos são animais ameaçados de extinção.

Fonte: pe360graus

​Read More