Notícias

Cães são adotados por funcionários e clientes de posto de combustíveis

No posto, os cachorros recebem carinho e tem à disposição água, ração e casinhas para dormir. Quando a temperatura cai, eles também ganham roupinhas


Cachorros que viviam em situação de rua foram adotados por funcionários e clientes de um posto de combustíveis na avenida Laranjeiras, em Limeira, no interior de São Paulo. Toddy, Patrícia e Valéria ganharam até casinhas para dormir.

Clientes e comerciantes da região ajudam a manter os animais, com doações de petiscos e ração.

Foto: Arquivo Pessoal

Toddy foi o primeiro a chegar. “Há quase quatro anos ele apareceu no posto bem tristinho, bem com a carinha de quem foi abandonado mesmo. Ele já era um cão adulto. Quando ele apareceu, tentei procurar o tutor, um novo tutor, e não conseguimos, e ele foi ficando, a gente ofereceu comida, água, o amor e o carinho, lógico”, contou ao G1 a frentista Carol Simas.

Logo apareceu Patrícia, que vivia em uma funilaria vizinha ao posto, e engravidou. “Eles se apaixonaram e a Patrícia deu duas crias lá no posto. Levei para a doação e consegui um final feliz para os filhotinhos, só que eles [Toddy e Patricia] foram ficando no posto por conta de serem bem tratados. E também tem a filhotinha, a filha deles, a Valéria”, disse.

Hoje, os três são castrados. Carol conseguiu a esterilização gratuitamente em uma clínica próxima.

“Clientes, funcionários e inclusive os donos do posto ajudam com a ração e os cuidados que eles precisam. A ideia das casinhas surgiu agora, na nova administração do posto”, contou.

Foto: Arquivo Pessoal

“Eu tinha medo de que eles [novos donos do posto] não fossem aceitar os cachorros lá, por conta de ter um pouco de transtornos. Eles correm atrás de bicicleta, de criança. Mas eles [donos] apoiam a causa animal, principalmente os abandonados, e ela falou: ‘Carol, vamos colocar as casinhas aqui e deixar eles aqui tranquilos, vivendo uma vida boa’”, completou.

Além de petiscos, os cães também ganham roupas dos clientes e vizinhos. “Agora no inverno eles precisam, mas na verdade ele perdem também. Eles saem dar as voltinhas deles e perdem [risos]”, afirmou.

“Tem uma mulher que passa todo dia. Ela faz a comida dela e leva uma marmitinha pra eles também. A comida fresquinha, gostosa, cheirosa. Tem uma moça também que tem uma papelaria na mesma avenida que é apaixonada por eles. Ela também deixa na frente da papelaria um potinho de ração e um de água”, disse.

O carinho que recebem dos clientes faz com que os cães reconheçam alguns deles logo que os vê. “Todo mundo que para lá eles são os que chamam atenção, principalmente criança. Fica todo mundo olhando e parabenizando pelo cuidado. Eu vou atender o carro e eles estão em volta do carro”, contou.

Além do trio, Carol já ajudou outros cães que apareceram no posto e voltaram para casa graças à ação dela. “Mas, agora, como o Toddy e a Patricia se sentem os donos do território, então fica complicado, não se aproxima mais nenhum outro cachorro. Eles comandam tudo ali. É bem engraçado”, explicou.

Foto: Arquivo Pessoal

“O moço que trabalha na madrugada fala que eles estão sempre em alerta, e quando tem qualquer movimento, pessoa estranha, eles protegem mesmo. Além de tudo, eles são protetores”, acrescentou.

A frentista revelou ainda que quem passa pelo local pode vê-la brincando com os animais – o que acontece frequentemente.

“Se passar lá na frente eu to brincando, to correndo. Não tem preço. Realmente não tem preço. O sorriso das pessoas quando veem, quando veem as casinhas lá é gratificante, realmente. Mas nós fazemos muito de coração”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Com crachá personalizado, cachorro vira 'frentista' em posto de Santos (SP)

Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1
Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1

Ele tem crachá com foto, nome e usa um boné personalizado. Beethoven é um SRD que foi adotado após aparecer em um posto de combustíveis em Santos, no litoral de São Paulo, e sensibilizar um frentista em especial. Agora, ele é o queridinho dos funcionários e atrai muitos clientes, que pedem para tirar “selfies” com o “cachorro do crachá”.

O frentista Marcos Wilson Silva, que trabalha no estabelecimento, conta que o cão começou a rondar o local, na Avenida Washington Luís, em janeiro de 2011. “Ele apareceu aqui sujo e desnutrido. Ninguém sabe de onde veio. Aí começamos a dar carinho, alimentá-lo, e ele não queria mais ir embora. Até saía por algumas horas, mas sempre retornava para cá”, conta.

Marcos e os outros funcionários se apaixonaram pelo animal e pediram ao dono do posto para que ele passasse a viver no local. “Levamos ao veterinário, cuidamos e ajeitamos uma cama para ele dormir. Eu até pedi para o patrão fazer um crachá para ele, já que, para frequentar o posto, é preciso ter identificação”, brinca o frentista.

A partir de então, Beethoven, como foi batizado pelos funcionários, virou o mascote do posto e passou a ficar conhecido. “Todo mundo é apaixonado por ele, os clientes adoram, sempre vêm aqui e pedem para tirar ‘selfies’ com o cachorro, porque acham curioso ele ter um crachá igual ao dos funcionários”, diz a caixa Lucia Kuratani.

O SRD Beetothoven se adaptou rapidamente ao posto de combustíveis. O animal sai para passear todos os dias com algum frentista, gosta de observar o movimento de carros e chamar a atenção dos visitantes. “Todo mundo faz carinho nele, é bem querido por todos. Seria bom se todos os comércios pudessem adotar um animal abandonado”, conclui o frentista Marcos Silva.

Fonte: G1

 

 

​Read More