Notícias

Resgatado à beira da morte, cão sobrevive e é adotado após ser jogado de viaduto

Reprodução/Facebook/Aril Eells

Hank é a personificação da palavra milagre. Após ser jogado de um viaduto com aproximadamente 5 metros de altura, o cachorro da raça pit bull sofreu múltiplas fraturas. Aparentemente fadado à morte, ele foi resgatado e não só sobreviveu, como encontrou um lar amoroso.

O pit bull foi jogado de cima do viaduto da Interestadual 5, em Portland, no estado norte-americano do Oregon. O crime brutal foi visto pela mãe de April Eells, que imediatamente pediu ajuda à filha para resgatar o animal.

Levado a uma clínica veterinária, Hank foi diagnosticado com diversas fraturas ósseas e rompimento de ligamentos. Por conta disso, ele foi submetido a várias cirurgias que só puderam ser realizadas graças a uma campanha que arrecadou fundos para pagar pelos procedimentos.

Para a família de April, desistir de salvar a vida de Hank era impensável. “Devido aos ferimentos, muitas clínicas veterinárias teriam sacrificado esse cachorro, mas meus pais queriam dar a ele uma chance de lutar. Ele é absolutamente doce e tem apenas 1 a 2 anos de idade, então esse cara merece uma segunda chance de uma vida boa!”, disse April.

Reprodução/Facebook/Aril Eells

Procurar um lar para o cão também estava fora de cogitação. Isso porque a mãe de April criou, logo que encontrou o pit bull ferido, uma intensa conexão entre ela e o animal. E há uma explicação para isso. No ano anterior, April se jogou de um viaduto em uma tentativa de suicídio mal sucedida. As semelhanças entre as histórias levou a mãe da jovem a estabelecer um laço de afeto com o cachorro, que se recupera da queda assim como April.

“Ele virou um símbolo para ela. Portanto, não podemos simplesmente desistir. Há um motivo para tudo isso”, disse a jovem.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cachorro é submetido a cirurgias após ser jogado de viaduto em MT

Victor, como passou a ser chamado o cachorro, sofreu fraturas graves e teve uma hemorragia interna


Um cachorro arremessado de cima do viaduto Walter Rabello, em Cuiabá (MT), já foi submetido a duas cirurgias e está sendo preparado para mais um procedimento cirúrgico.

Foto: Apam-MT

O animal sofreu fraturas graves e teve uma hemorragia interna causada pela ruptura do baço. O crime aconteceu em agosto e o agressor ainda não foi identificado.

Uma mulher que passava pelo local resgatou o cachorro, o levou para uma clínica veterinária e pediu ajuda para a Associação Mato-grossense Protetora dos Animais (Apam), que assumiu o caso.

“Casos como do Victor nos mostram o quanto o ser humano precisa evoluir. O Victor desde o momento em que foi resgatado, além da dor, expressou com seu olhar, carinho e gratidão. E assim tem sido dia após dia ao longo dessa jornada. Um animal extremamente agradecido, essa é a definição do Victor”, disse Marina, da Apam, em entrevista ao G1.

Foto: Apam-MT

Após se recuperar, o cachorro será operado novamente para alinhar uma pata fraturada. Os procedimentos são pagos com doações.

“Estamos em busca de todas as alternativas clínica/cirúrgica pra que ele tenha completa recuperação da fratura. Logo passará pela terceira cirurgia, cujos custos com clínica e cirurgiões dependem de doações”, disse.

O caso foi registrado na polícia e a investigação ficou sob a responsabilidade da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema).

Victor, que é um animal dócil, será disponibilizado para adoção após o tratamento.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Hospital veterinário de universidade registra aumento de animais baleados no DF

O Hospital Veterinário da Universidade de Brasília (UnB) registrou um aumento no número de animais baleados no Distrito Federal e no seu entorno. Cinco aves e um macaco foram resgatados nos últimos 30 dias após serem atingidos por projéteis de chumbo. Deles, apenas um tucano e um carcará sobreviveu.

Todos os animais, encontrados em áreas urbanas de Taguatinga, Cidade Ocidental (GO) e Valparaíso (GO), estavam com membros fraturados. “Foram dois carcarás, um papagaio-galego, um falcão quiriquiri, um tucano e um sagui-de-tufos-pretos”, explicou a médica veterinária Júlia Vieira Herter, residente em clínica e cirurgia de animais silvestres.

Foto: Arquivo Pessoal

No caso do tucano, que sobreviveu, um projétil de chumbo ficou alojado em sua cabeça. Outro sobrevivente, o carcará aguarda cirurgia para remoção de parte da asa, alvejada por um tiro. As informações são do portal Metrópoles.

“É possível encontrar esses animais em propriedades particulares, na área urbana. Não acho que alguém cace os animais para comer, então só consigo imaginar que o pretexto é diversão”, lamentou Júlia. Ela disse ainda que outros casos com indícios de caça chegaram ao hospital, mas que a instituição ainda não compilou os dados.

Em junho, moradores de Águas Claras denunciaram um caso em que patos e gansos do parque ecológico da região administrativa foram mortos. Na época, a superintendente de Unidade de Conservação do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Rejane Pieratti, levantou a hipótese de que pessoas mataram os animais após pular o muro do local. Segundo ela, o caso foi pontual e seria investigado pela polícia ambiental.

A caça e a manutenção de animais silvestres em cativeiro é proibida por uma lei de 2007. Caçadores podem ser punidos com multas e processo judicial por maus-tratos.

O Hospital Veterinário da UnB pede que a população denuncie a caça de animais silvestres através da ouvidoria do governo, no número 162, ou pelo número 197, da Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente e à Ordem Urbanística (Dema).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cadela é agredida e sofre múltiplas fraturas no crânio e nas costelas

A polícia encontrou uma cadela de quatro meses, que recebeu o nome de Halsey, espancada numa casa em Indianápolis, nos Estados Unidos. A cadela tinha uma perna quebrada e múltiplas fraturas no crânio e costelas. Ela esteve nessa situação por alguns dias, antes de ser encontrada e resgatada.

(Foto: Facebook – Every Dog Counts Rescue)

Halsey foi imediatamente acolhida pelo Every Dog Count Rescue (EDCR), onde recebeu tratamento imediato. Mais tarde, a EDCR realizou uma campanha de arrecadação de fundos, por meio da qual a cadela teve a chance de conhecer todos os seus apoiadores e se reunir com eles.

No vídeo abaixo, você pode ver Halsey se reunindo com os oficiais Becky Knowles e Adam Perkins. A cadela não parou de abanar a cauda e até se deitou de costas para receber carinhos na barriga. Ela os reconheceu e ficou grata por toda a ajuda.

Apesar do que enfrentou, Halsey ainda confia nos humanos e ama a atenção e carinho que recebe. Atualmente, Halsey está bem melhor e seus ferimentos estão curados. Para além disso, ela foi adotada e até tem um novo irmão para brincar.

O homem responsável por espancar Halsey foi preso e está enfrentando acusações na Justiça.

(Foto: Facebook – Every Dog Counts Rescue)

Fonte: I Love My Dog / Histórias com Valor

​Read More
Notícias

Veado-catingueiro é atropelado em estrada em Capinópolis (MG)

Um veado-catingueiro foi atropelado em uma estrada vicinal nas proximidades do município de Capinópolis, em Minas Gerais.

(Foto: 9ª Cia PM)

O animal foi levado para o quartal da Polícia Militar por populares e encaminhado para uma clínica veterinária na cidade de Ituiutaba, também no estado de Minas Gerais, onde recebeu atendimento médico emergencial especializado.

O veado, que sofreu fraturas expostas nas patas traseiras, será levado ainda para o Setor de Animais Silvestres da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). As informações são do portal Tudo em Dia.

“A migração de animais silvestres infelizmente é uma realidade, dentre os fatores podemos citar a expansão urbana, o avanço das fronteiras agrícolas, dentre outras. Esse conjunto de fatores acabam por destruir ou reduzir o habitat natural dos animais silvestres que fazem esta verdadeira caminhada pela vida em busca de alimento, água e abrigo”, afirmou a a assessoria de imprensa da 9ª CIA da Polícia Militar. “Cabe ressaltar que o Animal Silvestre não ataca, mas se acuado, pode por instinto se defender, sendo assim para preservar a integridade física dos animais e das pessoas o mais prudente e correto é ligar para as autoridades competentes para fazer correta contenção e remoção do animal”, acrescentou.

​Read More
Notícias

Onça-parda com fraturas nas patas traseiras é resgatada em rodovia

Uma onça-parda foi encontrada com fraturas nas patas traseiras em um canteiro da Rodovia Washington Luís (SP-310) no município de Fernando Prestes, no interior de São Paulo.

A suspeita é de que a onça tenha sido atropelada (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)

A Polícia Militar Ambiental acredita que a onça, que é adulta, tenha sido vítima de atropelamento.

O Corpo de Bombeiros foi acionado após uma equipe de patrulhamento da rodovia avistar a onça caída no canteiro. A Polícia Militar Ambiental de Ribeirão Preto, também no interior de São Paulo, esteve no local para auxiliar no resgate. As informações são do portal G1.

A onça foi colocada em uma gaiola e transportada até a base do Corpo de Bombeiros no município paulista de Taquaritinga. Em Jundiaí (SP), ela será submetida a uma cirurgia.

Outra onça foi resgatada pelos bombeiros e policiais militares em Taquaritinga (SP), a 30 quilômetros de Fernando Prestes. O animal, que estava em cima de uma árvore, foi sedado e, após avaliação veterinária, devolvido à natureza. Apesar da proximidade dos locais em que aconteceram as duas ocorrências, a Polícia Militar Ambiental afirmou que a onça encontrada ferida não é a mesma resgatada anteriormente pela equipe.

​Read More
Você é o Repórter

Gato com fraturas graves precisa de ajuda em São Caetano do Sul (SP)

Monica Prado

O gato da foto sofreu uma queda em um edifício em São Caetano do Sul, no interior de São Paulo. Devido à altura do local de onde ele caiu, o animal sofreu graves fraturas.

Ele foi encontrado em uma poça de sangue na garagem do prédio e foi diagnosticado com traumatismo craniano, deslocamento da bacia, 3 fraturas expostas, perda de dente e ferimentos pelo corpo todo. Os gastos com a cirurgia que o gato teve que fazer ficaram em R$ 5.500. 

Após a cirurgia, o gato ficará imobilizado por 60 dias. A Monica, que o resgatou, tem outros três gatos e afirmou que irá adotá-lo.

Para conseguir pagar os gastos da cirurgia, Monica precisa de ajuda. Ela disponibiliza uma conta no Itaú e outra no Banco do Brasil para transferências que podem ser conferidas diretamente com ela através do telefone 11 949427848.

​Read More
Notícias

Cães de pequeno porte têm facilidade para sofrer fraturas. Veja como evitar

cães fratura

Uma das ocorrências ortopédicas nas clínicas e centros veterinários da Pet Center Marginal mais recorrentes são as fraturas envolvendo cães de pequeno porte, após quedas dentro da própria casa. Populares, esses pequeninos podem apresentar problemas depois de um simples pulo do sofá ou da cama.

“Imagine um cão com menos de 3 kg, como um Pinscher, por exemplo, caindo de uma altura de pouco mais do que 60 cm, distância convencional de uma cadeira. Não fica difícil imaginar os problemas de saúde que esse tipo de queda pode provocar?”, questiona a veterinária Adriana Valente, especialista em ortopedia da Pet Center Marginal.

Além do Pinscher, raças como Yorkshire, Chihuahua, Spitz, Lhasa Apso, Shitzu e Maltês são as mais propensas a acidentes por causa de quedas em casa. “Antes esses cães não ficavam tanto tempo dentro de casa; hoje não só fazem parte da família, como também têm grande participação na rotina, e muitas vezes os tutores se esquecem de que eles são movidos pelo instinto e pela curiosidade”, pondera.

Ao caírem, esses pequenos animais podem fraturar principalmente as patas dianteiras. De acordo com a Dra. Adriana, grande parte das quedas são de camas, sofás, mesas e até do colo: “Essas raças apresentam alto índice de fraturas de rádio e ulna que são ossos bem finos localizados nas patas dianteiras”.

Além de chorar por causa da dor, o tutor pode reconhecer a fratura, pois o animal deixa de andar como antes, passa a mancar, não apoiando mais a pata no chão. “Nesses casos, é importante levar o cão imediatamente ao veterinário para que seja realizado um raio-x. A dor é forte, tão intensa como acontece conosco, quando quebramos um osso”, alerta a veterinária.

Embora os tratamentos em ortopedia veterinária tenham evoluído, já que hoje é possível recorrer a uma série de implantes que são fixados ao osso fraturado, a recuperação desse tipo de problema é complexa. “Esse processo irá depender da boa vontade e dedicação do tutor, já que o cão não ficará de repouso por livre e espontânea vontade. Costuma ser uma fase em que o animal exige muita atenção, pois deve evitar alguns tipos de atividades dependendo do diagnóstico e tratamento instituído. Após uma cirurgia, por exemplo, em geral, um mês de repouso é o tempo mínimo necessário para que o osso possa consolidar”, esclarece.

Para prevenir esse tipo de acidente, a veterinária aconselha o tutor a evitar que esses animais frequentem lugares altos desde a fase de filhote. Outra sugestão são escadas, encontradas em pet shops, próprias para isso. Já no caso dos gatos, as telas em apartamentos são indispensáveis.

Fonte: Bonde

 

​Read More
Notícias

Onça parda atropelada em Bauru (SP) poderá ter morte induzida

http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2014/06/onca-parda-atropelada-em-pederneiras-devera-ser-sacrificada.html
Foto: Divulgação

A onça parda, que foi resgatada pela Polícia Ambiental na madrugada desta segunda-feira (16) após ser atropelada na Rodovia Osni Matheus em Pederneiras, Bauru (SP), poderá ter sua morte induzida.

De acordo com o diretor do zoológico de Bauru (SP) que acompanhou o resgate, o animal sofreu uma fratura grave na coluna cervical.

O diagnóstico foi dado pelo Hospital Veterinário de Botucatu, para onde a onça foi levada após ser anestesiada pela equipe do zoológico. No entanto, o diretor não soube informar quando será feito o processo de indução.

A onça parda foi socorrida com ferimentos aparentes apenas nas patas depois de ter sido atropelada. De acordo com informações da Polícia Ambiental, o animal é um macho adulto de 53 quilos e foi atingido por um veículo próximo ao córrego dos Patos, entre Macatuba e Pederneiras.

O primeiro exame de raio-x constatou apenas escoriações e ferimentos nas patas, mas o exame mais aprofundado no hospital confirmou a fratura na coluna, que deixaria o animal impossibilitado de andar.

Fonte: G1

​Read More
Você é o Repórter

Cachorrinha paraplégica com cinco fraturas precisa de ajuda em Canoas (RS)

Mara Santos
marasantos1973@hotmail.com

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Quando encontramos esta cachorrinha era difícil acreditar que tinha tantas fraturas, tantos machucados, tanta pulga, carrapato, piolho, tanta fome… Era um trapinho sujo se arrastando com muita dificuldade, muita dor, tristeza e fraqueza. Há dias não comia nada, estava desesperada de fome, sede e sentia muita dor. Foi levada imediatamente sem reclamar para a clínica Zoomed em Porto Alegre (RS), não se tinha onde pegar de tão grave que era sua situação, mas ela se alimentou, foi tosada, medicada e apareceram seus olhinhos meigos, a carinha de sapeca e ganhou um nome: Dhorothy! Como nos desenhos, nos filmes, queria um nome bem distante da realidade dela.

A Dorothy se recupera a cada dia, arrisca novos passos, voltou a andar do jeitinho dela, comilona, agradecida, medrosa, mas feliz!

Diante de tantos cães que cruzam nossos caminhos, não temos muito a oferecer a ela. Na verdade só a recolhemos porque era crueldade, impossível deixa-la na rua, na chuva, toda molhada, se arrastando no bairro Mato Grande, em Canoas (RS) .

A Dorothy precisa de ajuda financeira, para pagar seus muitos Raios-X, suas duas cirurgias por conta dos dois fêmur quebrados, diárias e seus medicamentos e encaminha-la futuramente a um lugar, onde possam amá-la, respeitá-la e ajudá-la a esquecer os dias horríveis em que era apenas uma cachorrinha paraplégica sozinha nas ruas.

Bradesco
Ag-3196
Conta poupança 10 00 324-5
CPF -652 946 450 -68
Maria da Graça Santos
Link da vaquinha

Banco do Brasil
Ag-5745-2
Conta corrente 82.950-1
Mariane Feser (Veterinária)
CPF 782.799.680-91

Banrisul
Ag-0043
Conta corrente 060561950-4
FS veterinária  CNPJ 11820 090 0001-83

Contato: Mara – E-mail: marasantos1973@hotmail.com / (51) 9792-2419

​Read More
Notícias

Cão de 8 meses sobrevive depois de ser jogado de uma altura de mais de 20 metros

Farrusco, um pequeno cão de oito meses, sobreviveu por milagre à crueldade de quem o atirou para a morte de cima da Ponte D. Luís, entre Santarém e Almeirim, em Portugal.

Moribundo, desidratado e muito debilitado, o cão foi resgatado pela Associação Scalabitana de Protecção Animal (ASPA) a meio de abril, perto da Tapada, depois de dois dias sofrendo no meio do mato.

Foto: Reprodução

Hoje, o cachorro está fora de perigo. Foi submetido a três cirurgias, nas quatro patas fraturadas por causa da queda de mais de 20 metros.

Mesmo com a alternativa de sacrificar o animal, o veterinário municipal, Francisco Grilo, decidiu tentar salvá-lo. Mandou comprar osferros e todo o material clínico necessário para as cirúrgias, realizadas com sucesso, ajudado por outro veterinário, Dr. Rodrigo, e duas voluntárias da ASPA, Mina e Sílvia.

A primeira operação ocorreu em 20 de abril, data em que foram operadas as patas dianteiras, que se estavam em pior estado, pois um dos ossos estava exposto depois de ter rasgado a carne.

O Farrusco foi submetido a três cirurgias. Foto: Reprodução

Depois de uma semana de recuperação, o cachorro foi novamente submetido a uma cirurgia no dia 29 de abril. O osso da pata da frente foi cortado e colocado no lugar, e levou mais ferros em um dos membros traseiros. A pata de trás foi operada no dia 6 de maio.

Muito meigo, cheio de energia e já acostumado aos mimos, o Farrusco vive agora num parque infantil montado no gabinete de enfermagem do canil da ASPA.

Tem pela frente um longo período de recuperação, onde aprenderá a andar novamente, mas as expectativas são muito otimistas, segundo os voluntários da associação.

Parte da recuperação vai ser feita dentro de água, numa piscina oferecida por uma pessoa sensibilizada com a história de sobrevivência do animal.

O cachorro é o alvo de todas as atenções dos voluntários da ASPA. Foto: Reprodução

O carrinho de rodas que o Farrusco vai utilizar para se deslocar até recuperar a mobilidade também está a ser feito à medida por outro colaborador da associação.

Como é de conhecimento público, apesar do trabalho que vem desenvolvendo, a ASPA atravessa de momento muitos problemas financeiros, que se agravaram desde a suspensão do protocolo com a Câmara de Santarém.

Quem quiser ajudar o Farrusco, poderá fazê-lo ligando o número 760 501 608, ou fazendo um donativo diretamente para o NIB 00350 7260000 69719 13027.

Fonte: Oribatejo

​Read More