Notícias

Foto de focas em cima de gelo flutuante gera debate sobre mudanças climáticas

Nature TTL Photographer of the Year 2020/Florian Ledoux

Uma foto de focas descansando em cima de um gelo flutuante deu origem a um debate a respeito do efeito das mudanças climáticas sobre a natureza. A imagem, feita com um drone pelo renomado fotógrafo francês Florian Ledoux, foi premiada na edição 2020 do Nature TTL Photographer of the Year 2020.

Fotógrafos de todo o mundo foram premiados na competição em três categorias: Paisagem, Vida Selvagem e Macro. Mais de 7 mil imagens foram analisadas.

“Para mim, é muito importante mostrar o estado das regiões ártica e antártica, e ter uma imagem de lá ganhando esse prêmio é uma exposição importante. É importante que qualquer pessoa inspirada nesse estilo de imagem de drone entenda a importância da vida selvagem e seja ética em sua abordagem. Garanta que seu drone não assuste animais”, afirmou Ledoux.

A camada de gelo do Ártico nunca esteve tão perto de desaparecer. Previsões indicam que ela pode sumir por completo em 5 anos, destruindo o habitat de diversos animais e colocando a existência dele em risco. As informações, divulgadas pelo portal Hypeness, integram um relatório publicado em 2019 pelo National Snow and Ice Data Center (NSIDC), órgão dos Estados Unidos que estuda regiões polares.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Ex-BBB Paulinha Leite posta foto com golfinho explorado para entretenimento

A ex-participante do Big Brother Brasil, Paulinha Leite, postou em rede social fotos com um golfinho explorado para entretenimento humano. As imagens foram feitas em Cancún, no México.

Condenados à vida em cativeiro, longe da imensidão do mar e privados de liberdade, os golfinhos são submetidos a intenso sofrimento, inclusive de ordem psicológica, ao serem explorados para fotos com turistas. Objetificados, eles são tratados como coisas a serviço dos seres humanos.

Reprodução/Instagram/Paulinha Leite

Sob a justificativa de estarem encantados com a oportunidade de aproximação com esses animais, turistas financiam a exploração de vidas inocentes munidos de um “amor” distorcido, que visa apenas satisfazer seus próprios interesses, sem levar em consideração o sofrimento ao qual o alvo desse suposto amor – o golfinho – é submetido.

“Foi perfeito, eu estou apaixonada demais”, escreveu a ex-BBB, ao publicar fotos ao lado do animal, que parece sorrir – a expressão do golfinho, porém, não reflete a sua realidade, já que seu “sorriso” é apenas uma característica física da espécie que não tem qualquer relação com o psicológico e o emocional desses animais.

Embora tenha recebido muitos elogios de pessoas que se alinham ao seu pensamento em relação a fotos com golfinhos, Paulinha também foi criticada por internautas conscientes da exploração e da crueldade impostas aos animais.

“Muito bonito por foto, mas os golfinhos sofrem demais com essa indústria do turismo”, escreveu um internauta. “Podia mostrar também a exploração animal por trás de cada foto”, disse outra pessoa. “Os animais não estão felizes nessas condições”, acrescentou um terceiro usuário do Instagram, onde as fotos da ex-BBB foram publicadas.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Paulinha Leite (@paulinhaleittee) em


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Em ato de companheirismo, cão fica ao lado de menino colocado de castigo

O momento de afeto foi registrado em uma fotografia que viralizou nas redes sociais


Dash, de seis meses, provou que a frase que diz que “o cão é o melhor amigo do homem” é verdadeira. Ao perceber que Peyton, de 3 anos, havia sido colocado de castigo por sua mãe, o cachorro parou ao lado do menino e ficou fazendo companhia para ele.

Reprodução/Jillian Marie Smith

O momento de afeto foi registrado no mês passado, nos Estados Unidos, pela fotógrafa Jillian Marie Smith, mãe de Peyton.

O registro, segundo ela, não foi planejado. “Tudo ficou perfeito naquele momento”, disse ao blog Bom Pra Cachorro, da Folha de S. Paulo.

Jillian contou que o menino e o cachorro são inseparáveis. A foto dos dois juntos durante o castigo de Peyton viralizou na internet e já ultrapassou os 44 mil compartilhamentos. “Eu nunca pensei que fosse viralizar”, disse a fotógrafa, que também é mãe de Ryleigh, de 5 anos, e tutora do cão Stitch, de 1 ano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Coelho raro é fotografado na China pela primeira vez em 20 anos

Pesquisadores estimam que a população do pika-de-ili tenha declinado de 2,9 mil para 2 mil de 1990 a 2005


Uma espécie rara de coelho, que não era vista há 20 anos, foi fotografada no noroeste da China enquanto passava entre penhascos das montanhas Tian Shan.

(Fonte: Li Weidong/National Geographic/Reprodução)

Conhecido como “pika-de-ili”, o animal é considerado “mágico” para os chineses devido a sua raridade. Fatores ambientais e climáticos têm colaborado para o sumiço da espécie.

O registro feito por um fotógrafo do animal mostrou que, apesar de gravemente ameaçada de extinção, a espécie resiste. As imagens foram publicadas na revista National Geographic da China.

As fotos foram feitas por Li Weidong, fotógrafo conservacionista conhecido por ter descoberto a espécie do coelho em 1983. Desde então, ele estuda a evolução e o declínio do pika-de-ili.

(Fonte: Li Weidong/National Geographic/Reprodução)

Com base em rastros e excrementos do animal, o fotógrafo faz análises sobre a espécie. Somando seus estudos a de outros pesquisadores, Li estima que a população do pika-de-ili tenha declinado de 2,9 mil para 2 mil de 1990 a 2005.

Estudos indicam que podem restar apenas mil animais na natureza. O derretimento das geleiras está comprometendo a espécie, que precisa de locais nevados para sobreviver.

Apesar disso, a espécie não consta na Lista de Vida Selvagem da China, que garantiria Proteção Especial do Estado ao coelho, que tem o risco de extinção reconhecido pela International Union for Conservation of Nature (IUCN).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Foto de camundongos ‘brigando’ por comida ganha prêmio internacional

A fotografia, escolhida pelo público, recebeu aproximadamente 28 mil votos


A foto de dois camundongos “brigando” por comida no metrô de Londres, na Inglaterra, ganhou o prêmio Wildlife Photographer of the Year: Lumix people’s choice award. Para fazer a imagem, o fotógrafo Sam Rowley passou uma semana em uma estação de metrô, deitado de bruços, tentando fotografar os pequenos roedores.

Foto: SAM ROWLEY/WPY/BBC

A escolha da foto foi feita pelo público. Fãs do concurso anual de fotografia foram convidados para selecionar fotos que não foram escolhidas pelos juízes para a premiação principal, em outubro de 2019.

Aproximadamente 28 mil pessoas votaram na fotografia de Sam, denominada Station Squabble (“Briga na Estação”, em tradução livre).

Antes da foto ser feita, os camundongos estavam procurando comida separadamente. Os animais, então, acabaram diante do mesmo pedaço de comida e “brigaram” por ele.

“Eu geralmente tiro uma sequência de fotos e tive sorte com essa imagem, mas depois de cinco dias deitado em uma plataforma, era provável que isso acontecesse em algum momento”, disse Sam.

A paixão do fotógrafo é fazer imagens da vida selvagem urbana que, segundo ele, tem uma conexão com as pessoas, já que divide o mesmo espaço com elas. Sam disse ainda que admira a perseverança dos animais ao sobreviver em um ambiente adverso.

“Esses camundongos do metrô, por exemplo, nascem e passam a vida inteira sem sequer ver o Sol ou sentir a textura da grama. E, num certo nível, é uma situação desesperadora — eles percorrem passagens sombrias por alguns meses, talvez um ano ou mais, e depois morrem. E, como há tantos ratos e tão poucos recursos, eles precisam brigar por algo tão irrelevante quanto uma migalha”, afirmou.

Foto: AARON GEKOSKI/WPY/BBC

Michael Dixon, diretor do Museu de História Natural de Londres, instituição que organiza o concurso Wildlife Photographer of the Year, elogiou a foto de Sam.

“A imagem de Sam oferece uma visão fascinante de como a vida selvagem funciona em um ambiente dominado por humanos. O comportamento dos camundongos é moldado pela nossa rotina diária, pelo transporte que usamos e pelos alimentos que descartamos”, disse Dixon.

“Essa foto nos lembra que, embora a gente possa passar por eles todos os dias, os seres humanos estão inerentemente entrelaçados com a natureza que está à nossa porta — espero que inspire as pessoas a pensar e valorizar mais esse relacionamento”, completou.

Além da fotografia dos camundongos, outras fotos foram finalistas na votação do público. Uma delas é de um orangotango deprimido ao ser explorado para uma performance. A imagem é de Aaron Gekoski. A fotografia de Michel Zoghzhogi, que mostra uma onça-pintada e um filhote caçando uma sucuri, também faz parte da lista. As imagens de Martin Buzora, de um guarda florestal cuidando de um filhote de rinoceronte negro, e de um grupo de renas brancas do Ártico, fotografadas na neve por Francis De Andres são outras vencedoras do concurso.

Atualmente, especialistas julgam fotografias da 56ª edição do Wildlife Photographer of the Year. Os vencedores do prêmio principal serão anunciados em outubro.

Foto: MICHEL ZOGHZOGHI/WPY/BBC

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Rapper Iggy Azalea pede aos seus seguidores que ajudem hospital da vida selvagem

Iggy Azalea usou sua influência nas redes sociais para ajudar um hospital de animais australiano a arrecadar dinheiro para cuidar de coalas e outros animais selvagens feridos pelos incêndios que assolam o país.

A cantora de 29 anos, que é natural da cidade australiana de Mullumbimby, usou o Instagram no sábado (04), para compartilhar uma foto sua abraçando um adorável coala que conheceu na sexta-feira (07) no Currumbin Wildlife Hospital em Queensland.

Ela escreveu na legenda: “Consegui visitar esta gracinha ontem, assim como muitos animais feridos e reabilitados no Hospital de Vida Selvagem de Currumbin”.

A compositora e criadora de hits de sucesso, que parece estar de volta ao seu país natal, escreveu ao hospital de vida selvagem: “Obrigado por me deixarem estar com vocês!”

Ela então direcionou sua legenda para seus seguidores, escrevendo: “Você sabia que mais de 30% do habitat natural dos coalas em Nova Gales do Sul (NSW) foi destruído pelos incêndios florestais que a Austrália está enfrentando?”

“A parte mais triste é que essa nem é a maior ameaça a sua sobrevivência. Por favor, doe se puderem, pessoal, qualquer quantia ajuda”, acrescentou.

Um representante do Currumbin Wildlife Hospital comentou o post com um emoji de coração, ao qual Iggy respondeu: “Obrigada por nos receber”.

“Volte quando quiser”, responderam eles.

Em toda a Austrália, 20 pessoas morreram e mais de 1.500 casas foram destruídas em incêndios nesta temporada.

Enquanto isso, várias outras estrelas australianas também estão ajudando e levantando fundos para vítimas de incêndios florestais.

Celeste Barber levantou mais de 5 milhões de dólares para ajudar as vítimas a combater os incêndios em todo o país, apenas 24 horas depois de pedir que os australianos doassem.

Enquanto isso, Rebecca Judd, que também pediu que os australianos doassem para vítimas de incêndios florestais, doou 50 mil dólares e pretende doar um total de 100 mil à Cruz Vermelha Australiana. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Ex-prefeito de Campinorte (GO) é autuado por crime ambiental após postar foto com onça morta

A onça-parda, também conhecida como Sussuarana ou Puma Concolor, está ameaçada de extinção


O ex-prefeito de Campinorte (GO) Francisco Corrêa Sobrinho foi autuado por crime ambiental após publicar uma foto ao lado de uma onça-parda morta. Após prestar depoimento em uma delegacia, ele foi liberado para responder ao processo em liberdade.

Em sua defesa, Sobrinho alegou que encontrou a onça morta e errou ao tirar uma foto com ela. As informações são do portal G1.

Foto: Reprodução/Redes sociais

“O meu erro maior foi de pegar essa onça, levar para minha casa, dependurar e tirar uma foto. Mandei a alguns amigos meus e vazou”, disse o ex-prefeito. A investigação policial foi iniciada após a foto ser compartilhada nas redes sociais até chegar à Polícia Civil.

De acordo com o delegado Rafhael, que ouviu o ex-prefeito e registrou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), o caso será encaminhado a Justiça e Sobrinho não foi indiciado por se tratar de um crime “de menor potencial ofensivo”.

“Aqui nós apenas formalizamos. Ouvimos ele, juntamos o que temos e mandamos para o Judiciário, que agora vai analisar. O juiz pode pedir mais provas”, detalhou o delegado.

Foto: Reprodução/Redes sociais

Em depoimento, o ex-prefeito disse que os seis cães que vivem em sua fazenda mataram a onça e que eles ficam, inclusive, machucados.

“[…] Fui ajudar meu caseiro a tirar o leite. Chegando ao curral – eu tenho 6 cachorros na minha propriedade -, meus cachorros começaram a fazer um barulho danado de briga e eu fui lá ver. Me deparei com a onça já morta e meus cachorros feridos. Ela machucou bastante meus cachorros”, explicou.

Foto: Reprodução/Polícia Civil

O corpo da onça, segundo Sobrinho, foi jogado no Rio dos Bois, que corta sua fazenda. Policiais fizeram buscas na propriedade, mas não encontraram o animal.

A onça-parda, também conhecida como Sussuarana ou Puma Concolor, é um felino de grande porte e está ameaçada de extinção.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Câmera flagra momento em que gambá tira carrapatos de cervo

A foto registrada pela câmera viralizou nas redes sociais e ultrapassou 49 mil compartilhamentos


Uma câmera de monitoramento, colocada em uma estrada, flagrou o momento em que um gambá retirava carrapatos de um cervo, que provavelmente estava incomodado com os parasitas.

Reprodução/Facebook/Vermont Wildlife Coalition/Greg Swann

A imagem, feita por Greg Swann, foi compartilhada nas redes sociais pela Vermont Wildlife Coalition, uma entidade que luta pela preservação da vida selvagem no estado norte-americano de Vermont. O registrou viralizou, ultrapassando 49 mil compartilhamentos. As informações são do R7.

Ao abordar o caso, a página da entidade aproveitou para trazer mais informações sobre os gambás, espécie que frequentemente é vítima de preconceito por exalar um odor forte quando se sente ameaçada.

De acordo com a Vermont Wildlife Coalition, os gambás são os maiores aliados da luta contra a Doença de Lyme, popularmente conhecida como a doença do carrapato, que pode levar cachorros à morte. Isso porque cada gambá come cerca de 5 mil carrapatos em um período de dois a três meses.

A entidade lembrou ainda que, ao contrário do que acredita o senso comum, gambás são extremamente asseados e se limpam tanto quanto os gatos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Ricardo Salles posta foto de carne e debocha de convenção sobre mudanças climáticas

Para o ministro, a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas “não deu em nada”


O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, publicou no domingo (15) uma foto de carne nas redes sociais e debochou da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25), realizada em Madri, na Espanha.

Marcelo Camargo/Agência Brasi

“Para compensar nossas emissões na COP, um almoço veggie!”, ironizou o ministro.

A postura do ministro é um desrespeito aos animais, que são explorados, torturados e mortos para consumo humano, e à luta pela preservação ambiental, já que a produção de carne está diretamente ligada à destruição do meio ambiente e, por essa razão, a adoção do veganismo é um dos importantes caminhos a serem tomados para combater as mudanças climáticas.

O ministro chegou a dizer, através do Twitter, que a “COP 25 não deu em nada”. Salles alegou que países ricos não querem abrir seus mercados de créditos de carbono. “Exigem medidas que apontam o dedo para o resto do mundo, sem cerimônia, mas na hora de colocar a mão no bolso, eles não querem. Protecionismo e hipocrisia andaram de mãos dadas, o tempo todo”, afirmou.

“Apesar de todos os esforços do Brasil para ajudar na consecução do Acordo de Paris, na regulamentação do artigo sexto, não foi possível encontrar um texto que fosse de comum acordo, prevaleceu infelizmente uma visão protecionista de fechamento do mercado e o Brasil e outros países que poderiam oferecer crédito de carbono em razão de suas florestas e boas práticas ambientais, saíram perdendo”, disse o ministro.

Embora Salles afirme que o Brasil executa boas práticas ambientais, os dados desmentem o ministro. Além das queimadas que devastaram a Amazônia, o último levantamento do sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), concluiu que o desmatamento na floresta amazônia cresceu 104% em novembro, em comparação com o mesmo mês de 2018, e aumentou também 84% de janeiro a novembro de 2019, em relação ao mesmo período do ano passado.

Reprodução/Twitter/Ricardo Salles

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Foca se mostra tímida ao perceber que é o centro das atenções de fotógrafo da vida selvagem

Foto: Keith Elbombe/Solent News
Foto: Keith Elbombe/Solent News

Uma foca cinzenta se mostrou particularmente “tímida” ao notar que era alvo de uma câmera fotográfica, em adoráveis fotos em close-up tiradas por um fotógrafo profissional especializado em vida selvagem.

O macho adulto cobriu o rosto com a nadadeira e virou a cabeça para longe da câmera.

Mas a foca, deitada na areia molhada na costa inglêsa, parecia dar um sorriso ao fotógrafo ao abrir a boca.

Foto: Keith Elbombe/Solent News
Foto: Keith Elbombe/Solent News

As fotos foram feitas em Donna Nook, na costa baixa do norte de Lincolnshire, Inglaterra, depois que a foca do sexo masculino chegou à terra para acasalar-se com as fêmeas.

O fotógrafo profissional Keith Elcombe, 50, acredita que a foca, na verdade, podia estar realmente cansada. Ele disse: “Várias focas esfregavam o rosto com uma das nadadeiras, assim como as pessoas quando estão cansadas”.

“Essa imagem captura a foca fazendo exatamente isso. Sua boca se abre porque, de vez em quando, eles rosnam para avisar os outros para não chegarem muito perto”.

Foto: Keith Elbombe/Solent News
Foto: Keith Elbombe/Solent News

Elcombe, natural da cidade Andover, condado de Hants, disse que sua característica favorita das focas eram os “maneirismos humanos” que elas exibiam.

Ele acrescentou: “Todas as focas vêm à terra nesta época do ano para dar à luz seus filhotes”.

Depois que eles nascem, ficam na praia com os filhotes por algumas semanas antes de voltar para o mar. Os machos também vêm até praia quando se acasalam com as fêmeas logo após o parto.

Foto: J. Carter/Photographers UK
Foto: J. Carter/Photographers UK

Fotógrafos e visitantes devem ter muito cuidado ao observar as focas, pois a mãe pode abandonar seu filhote se eles pegarem o cheiro de humanos ou cães.

Havia cerca de 800 focas na areia salgada e lamacenta no momento em que as fotos foram tiradas com quase 250 filhotes andando ao redor na região.

A área repleta de vida selvagem é conhecida por sua população de focas cinzentas, com filhotes nascendo nas dunas de areia.

Foto tirada em Donna Nook | Foto: Neil Aldridge
Foto tirada em Donna Nook | Foto: Neil Aldridge

O número de filhotes de focas cinzentas na área aumentou nos últimos anos, com 1.676 nascidos na temporada de 2013 e um total de 2.066 em 2018.

A foca cinzenta pode ser encontrada nas duas margens do Oceano Atlântico Norte e reproduz-se em várias colônias ao redor da costa.

Mas, globalmente, a foca cinzenta é uma das espécies mais raras, com aproximadamente 50% vivendo nas águas britânicas e irlandesas.

Outras áreas conhecidas no Reino Unido para avistamentos de focas cinzentas incluem Blakeney Point em Norfolk, Farne Islands em Northumberland, Orkney Islands na Escócia e Skomer Island em Pembrokeshire. As informações são do Daily Mail.

Reserva Natural Donna Nook | Foto: Lincolnshire Trust
Reserva Natural Donna Nook | Foto: Lincolnshire Trust

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Homem leva cão nas costas para protegê-lo do calor e cena comove internautas

O registro, feito em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, viralizou nas redes sociais


Uma foto de um homem carregando um cachorro nas costas, em um dia de calor, para que ele não queimasse as patas no chão quente emocionou internautas. O registro foi feito pela cozinheira Ana Quevedo Carrillo Nantes, de 48 anos, em Campo Grande (MS), por volta das 13h30 de segunda-feira (28).

Foto: Ana Quevedo Carrillo Nantes

”Esse homem me emocionou…sol de rachar, aí eu vejo essa cena. Enquanto alguns não tem a menor consciência, deixam seus animais queimarem as patas, esse senhor levava o seu cão nas costas, coberto por um papelão pra fazer sombra”, escreveu Ana.

Ana disse ao portal MS Notícias que não conseguiu conversar com o homem devido ao trânsito na região, mas que decidiu fotografar a cena. Após divulgar a imagem, a publicação viralizou em rede social e ultrapassou 45 mil compartilhamentos.

”Ainda existe gente boa nesse mundo”, escreveu uma internauta na publicação de Ana. ”Que cena linda, amei e me emocionei”, disse outra.

A cozinheira considera que, embora ainda existam casos de maus-tratos, a consciência a respeito da proteção animal tem crescido. “De um tempo pra cá, as pessoas se aproximaram de uma forma muito grande dos seus animais domésticos. Talvez por causa da violência enorme que presenciamos todos os dias isso foi nos aproximando dos animais, que nos transmitem amor incondicional, fidelidade e felicidade”, afirmou.

”Ainda dá pra acreditar na humanidade!”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Orangotangos são treinados para fazer gestos obscenos em fotos com turistas

Foto: Supplied
Foto: Supplied

Um turista australiano compartilhou na redes sociais uma selfie que tirou com um orangotango enquanto visitava um zoológico em Bali, na Indonésia. A foto foi postada como um momento de descontração, porém esconde uma verdade cruel por trás da imagem “divertida”.

Milhões de animais pelo mundo todo são explorados pela indústria do turismo e do entretenimento, obrigados a aprender truques antinaturais para divertir plateias e trazer lucro para seus inescrupulosos algozes.

Os treinamentos para esse tipo de “truque” envolvem choques, espancamentos, fome, sede, confinamento e todo tipo de crueldade para conseguir obediência desses animais.

No caso da selfie com o orangotango, a história se passou com Ian Roles, 42, que estava no zoológico de Bali, com sua família no sábado (19 de outubro), quando parou para tirar uma foto com o animal.

Foto: Supplied
Foto: Supplied

Foi só quando ele parou para olhar a foto mais atentamente que percebeu que o enorme macaco estava fazendo um gesto obsceno com o dedo para ele.

“Tirei a foto e me sentei para tomar café da manhã e, quando olhei para a foto, pensei que bela foto, depois ampliei o zoom e consegui ver o que ele estava fazendo”, disse ele ao Daily Mail Australia.

“Ele não parecia muito feliz de estar ali. As pessoas costumam dar comida para ele quando ele tira uma foto, mas eu pulei essa parte e tirei a foto sem ter dado comida, então acho que ele não gostou muito”, especulou o turista.

A foto rapidamente se tornou viral depois que Roles a compartilhou nas mídias sociais, com dezenas de pessoas comentando a imagem inusitada.

Enquanto muitas pessoas se divertiam com a fotografia, Kobe Steele, presidente da fundação australiana de orangotangos, disse que a imagem na verdade era o retrato da “face sombria da indústria do entretenimento”.

Foto: Facebook/Ian John Roles
Foto: Facebook/Ian John Roles

A especialista disse que o orangotango provavelmente teria aprendido o gesto de um criador, que explorava sua imagem para poder ganhar dinheiro à custa do animal: “Essas criaturas são tão inteligentes. Aprender um gesto como este não significa nada para ele, é algo muito simples perto da capacidade desses primatas”.

Ela ainda disse que os orangotangos em cativeiro geralmente são forçados a aprender gestos e comportamentos para fins de entretenimento.

“É sempre tão triste ver bebês tão pequenos sendo usados em atrações turísticas. Em particular, sabendo que provavelmente sua mãe foi morta para que eles pudessem ser vendidos. Esses animais estão destinados a uma vida em cativeiro, sendo comercializados como produtos por meio do tráfico de animais”.

Foto: dogcatselfie
Foto: dogcatselfie

Os orangotangos são nativos da Indonésia e da Malásia e compartilham 97% de seu DNA com os seres humanos.

Eles são estudados há décadas por suas habilidades de aprendizado e inteligência.

Infelizmente, os especialistas preveem que os grandes símios serão extintos na natureza dentro de 10 anos em Sumatra e logo depois em Bornéu.

Extração de madeira, incêndios, plantações de óleo de palma e caçadores furtivos representam as maiores ameaças para os belos animais.

Foto: WORLD ANIMAL PROTECTION/ANDI S
Foto: WORLD ANIMAL PROTECTION/ANDI S

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More