Notícias

Homem mata cão com golpe de foice após animal comer galinha no Paraná

Um homem de 70 anos foi detido na segunda-feira (12) após matar um cachorro com golpes de foice em Ponta Grossa (PR). Ele afirmou, segundo a Guarda Municipal (GM), que o animal era da família e foi morto porque estava comendo galinhas que vivem na propriedade da irmã dele.

Imagens registraram a agressão (Foto: Guarda Municipal/Divulgação)

A Guarda Municipal foi acionada pela filha do acusado e um boletim de ocorrência foi registrado. As informações são do G1.

Ao chegar no local, os guardas descobriram que o cachorro já havia sido enterrado. O homem foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Ponta Grossa e foi liberado após prestar depoimento.

Aos policiais, o homem contou que não conseguia ter um cachorro que matava galinhas porque gastou dinheiro para tê-las. De acordo com a Polícia Civil, o acusado demonstrou que não sabia que matar o cão era errado. Ele responderá pelo crime de maus-tratos a animais.

Por meio de rede social, o prefeito Marcelo Rangel (PSDB) afirmou que a Prefeitura de Ponta Grossa vai autuar o homem por crime ambiental.

A Guarda Municipal informou que 193 casos de maus-tratos foram registrados em 2019 na cidade.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Tutora denuncia homem por matar cachorro com golpes de foice na PB

Maria Zélia Fernandes de Araújo, de 63 anos, denunciou à Polícia Civil um vizinho pela morte de um cachorro tutelado por ela. De acordo com a tutora, o homem, que não teve a identidade revelada, desferiu golpes de foice contra o cão. O caso aconteceu na cidade de Uiraúna, na Paraíba.

O cachorro foi socorrido e, após ser levado a uma clínica veterinária, foi submetido a uma cirurgia. Mas, apesar dos esforços, ele não sobreviveu.

(Foto: Maria Zelia / Arquivo Pessoal)

“Ele (o suspeito) estava em um roçado na frente da minha casa e quando saiu o meu cachorro começou a latir. Ele deu dois golpes de foice no meu bichinho. Eu ainda gritei para ele parar, mas ele continuou e deu outro golpe”, denunciou a tutora de Rubico, como era chamado o cão de porte pequeno.

A tutora procurou a Polícia Militar, que iniciou as buscas pelo agressor. O homem foi encontrado a caminho de casa ainda com a foice na mão. Levado à delegacia, ele prestou depoimento, mas, devido à falta de rigor da legislação que pune maus-tratos, foi liberado.

Maria Zélia diz que o homem era próximo à família dela. “Eu já tinha chamado ele várias vezes para poder as árvores da minha casa. Inclusive, ele tinha contato com o animal. Meu Rubico nunca mordeu ninguém”, lamentou a tutora, que denunciou ainda o fato de não ter conseguido uma cópia do boletim de ocorrência, o que é direito de qualquer pessoa após o registro de uma ocorrência. As informações são do portal G1.

(Foto: Reprodução / Facebook / Apaz Uirauna)

De acordo com Maria Zélia, após o boletim ser feito, ela solicitou uma cópia do documento, mas recebeu do escrivão a informação de que teria que buscá-lo no dia seguinte, pois o delegado precisaria assinar o boletim. A mulher conta ter retornado à delegacia na data combinada, mas, segundo ela, ao se encontrar com o delegado, a autoridade policial se recusou a entregar a vida dela do documento.

“Ele (o delegado) disse que não era crime e que o rapaz (suspeito) tinha agido em legítima defesa, mas meu cachorro não atacou ele. O delegado disse que iria entregar o inquérito ao Ministério Público e disse pra eu ir pra casa”, contou. Danillo Charbel é o delegado responsável pelo caso.

Entidade lamenta morte de cão

A Associação de Protetores de Animais (Apaz) de Uiraúna publicou uma nota em rede social por meio da qual demonstrou repúdio à agressão brutal cometida contra o animal, que lhe custou a vida.

(Foto: Reprodução / Facebook / Apaz Uirauna)

“Meu Deus, até onde vai a crueldade ‘humana’? Por quê tanta maldade, falta de amor ao próximo. Vejam o que esse monstro visto como “ser humano” fez com esse inocente, por motivos banais, simplesmente o matou com dois golpes de foice do pescoço e na cabeça por causa que o cachorrinho por extinto [sic] latiu para ele, tudo isso diante se sua dona que aos gritos implorava para que ele não fizesse isso com o seu animalzinho tão amados por todos!
Por favor compartilhem amigos, para que a justiça seja feita, pois a família está lutando na justiça para que esse crime não fique impune cometido por esse monstro aqui da cidade de Uiraúna-PB, que tem como profissão cortar as plantas da cidade…. Que a justiça seja feita para que pessoas como esse Mostro [sic] não cometam mas crimes contra inocentes”, escreveu a associação. 

Socorro Abrantes, presidente da entidade, afirmou que está prestando assistência à tutora do animal para exigir que providências sejam tomadas e o responsável pelo crime seja punido.

​Read More
Notícias

Cadela ferida com foice tem dezenas de candidatos a adoção em Portugal

Mais de 30 pessoas se candidataram para adoção da cadela Estrela, além das dezenas de pessoas que estão ajudando com doações para bancar o tratamento. A história viralizou após a veterinária Ana Barros compartilhar nas redes sociais a foto da cadelinha resgatada.

Cadela recebendo atendimento após resgate
Cadela foi encontrada na rua de Marco de Canaveneses com foice presa no pescoço (Foto: Reprodução / Notícias ao Minuto)

“Recebo mensagens todos os dias, até do Brasil já me pediram para ficar com a cadelinha. O alcance da publicação que fiz foi uma total surpresa para mim”, contou, ao portal português CM, Ana Barros, a diretora da Clínica Veterinária do Marco que está tratando a cadela. “As pessoas querem contribuir, ajudar de alguma forma. A Associação Animarco está encarregada do caso. Claro que não vão poder ficar todos com a ‘Estrela’, mas há tantos outros animais que precisam de ajuda”, acrescentou.

O caso de violência extrema foi denunciado à Guarda Nacional Republicana (GNR) de Portugal, que informou que já iniciou as investigações. “Já recolheram a foice e os nossos depoimentos. Mas eu acho que nunca vai aparecer um culpado”, desabafou a veterinária.

Caso viral nas redes

A publicação da veterinária e diretora da clínica Ana Barros, já conta com mais de 55 mil compartilhamentos. Os internautas se mostraram revoltados com as imagens e com o depoimento que pede o fim de tais atitudes tão brutais contra animais inocentes.

 

​Read More
Notícias

Cadela é resgatada com foice presa no pescoço em Portugal

Uma mulher encontrou a cadela, vítima da maldade humana, em uma rua da cidade e a levou para receber atendimento na Clínica Veterinária do Marco. A cadela teve que passar por um procedimento cirúrgico para retirar o objeto do corpo.

Cadela aparece com objeto atravessado no pescoço já recebendo atendimento veterinário
Cadela foi encontrada na rua de Marco de Canaveneses com foice presa no pescoço (Foto: Reprodução / Notícias ao Minuto)

“Felizmente não atravessou nenhuma das estruturas vitais do pescoço, apenas pele e músculo”, conta a veterinária Ana Barros, ao portal português Notícias ao Minuto. Ela também garantiu que em cerca de 15 dias, o animal estará totalmente recuperado.

A veterinária Ana Barros, que tratou a cadela, fotografou a imagem de quando o animal chegou na clínica, e compartilhou nas redes sociais para denunciar o caso. Ela disse que seu objetivo é tentar identificar o responsável pelo crime para prestar queixa na delegacia.

A partir do compartilhamento, muitas pessoas ficaram sabendo da história da cadelinha e resolveram adotá-la. “Temos recebido imensos pedidos de pessoas a disponibilizarem-se para ficar com o animal”, conta.

A veterinária disse também que a cadela foi batizada com o nome Estrela e que está se recuperando muito bem. “A estrela está bem de saúde se recuperando! Já comeu e bebeu bem e não sofre mais dores”, informou a clínica.

​Read More
Notícias

Idoso mata cadela com golpes de foice na frente da tutora: 'Assassino'

Lassie foi morta a golpes de foice após se aproximar de idoso (Foto: Veronica Rodrigues / Arquivo Pessoal)
Lassie foi morta a golpes de foice após se aproximar de idoso (Foto: Veronica Rodrigues / Arquivo Pessoal)

Uma cadela foi morta a golpes de foice em Itanhaém, no litoral de São Paulo, na frente de suas tutoras. De acordo com relatos de testemunhas o caso aconteceu no bairro Gaivotas e o animal, que estava acima do peso e se locomovia com dificuldades, foi farejar o suspeito, que passava pela rua, quando foi atacado.

A profissional de relações públicas Veronica Rodrigues de Oliveira afirma que estava na frente de sua casa esperando a filha adolescente chegar quando o caso ocorreu. “Eu moro em uma rua em que não vive praticamente ninguém porque muitas das casas são de veraneio. Nesse dia eu estava varrendo a rua e retirando lixo quando esse senhor passou de bicicleta e minha cadela, a Lassie, se aproximou dele”, afirma.

Tutora de Lassie diz que não deixará suspeito ficar impune (Foto: Veronica Rodrigues/Arquivo Pessoal)
Tutora de Lassie diz que não deixará suspeito ficar impune (Foto: Veronica Rodrigues/Arquivo Pessoal)

O idoso, que de acordo com Veronica possui 63 anos, carregava uma foice nas costas e desceu da bicicleta antes de atacar a cadela. “Ele levantou e passou a foice na barriga da minha cachorra, que morreu na hora. Quando eu percebi o que estava acontecendo fui pra cima dele com minha vassoura e ele veio pra cima de mim com a foice. Meus outros cães viram o que estava acontecendo e foram tentar me defender e nisso ele tentou matar eles também”.

Ela afirma que nesse momento usou a vassoura que levava nas mãos e começou a empurrar o idoso para longe dela e de seus animais. “Fui empurrando ele com a vassoura e ele ainda ficou ofendido porque empurrei a foice dele. Tenho vídeos de várias testemunhas de pessoas ao meu favor”, afirma.

Em seguida, ela acionou a polícia e afirma que registrou um boletim de ocorrência antes dos próprios agentes terem ido até a casa do suspeito, que afirmou ter sido ferido pela mulher. “Ele ainda enrolou uma faixa no braço para dizer que tinha sido ferido. Ninguém suporta esse homem aqui, ele se acha no direito de fazer o que quiser só porque é idoso. Já ficamos sabendo que ele uma vez matou um gato atirando ele para um outro cachorro porque não queria que o animal ficasse perto da casa dele. É um assassino, um demente”.

Veronica afirma que ficou assustada com a atitude do homem e diz que tem receio de que ele possa repetir o feito ou até mesmo atacar outras pessoas. “Uma pessoa que anda com uma foice e mata um cão de maneira tão cruel com certeza pode matar outra pessoa. Quero me mudar daqui agora, mas isso não pode passar em branco, se ele sair impune, ele pode fazer isso com qualquer pessoa”, conclui.

O crime chamou a atenção de diversas associações protetoras de animais e o caso acabou sendo divulgado por meio das redes sociais, onde um abaixo-assinado online reúne assinaturas para que o Ministério Público abra um inquérito para que o suspeito seja localizado pelas autoridades e punido pelo crime.

Um boletim de ocorrência foi registrado e a polícia apura o caso. A reportagem tentou entrar em contato com o aposentado que atacou o animal mas, até o fechamento desta reportagem, não houve retorno.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Cadela é brutalmente agredida com golpes de foice

(Foto: Polícia Militar SC / Divulgação)
(Foto: Polícia Militar SC / Divulgação)

Uma cadela da raça Boxer foi brutalmente agredida com múltiplos golpes de foice neste fim de semana, na cidade de Xanxerê, no interior de Santa Catarina. Acionada, a Polícia Militar interveio e conseguiu evitar que o animal fosse morto pelo homem de 44 anos que o agredia.

As cenas de maus-tratos aconteceram por volta das 16h do sábado (7), em uma propriedade do bairro Pinheirinho. A cadela, no cio, estava solta pela cidade e foi levada ao terreno por uma criança, o sobrinho do agressor. Lá, passou a perseguir algumas galinhas, causando a fúria do dono da casa. A raça Boxer é conhecida por ser extremamente dócil e gostar de interagir com pessoas e outros animais, especialmente aves.

A polícia, então, foi acionada. “Recebemos uma chamada via 190 e imediatamente enviamos uma guarnição que fazia patrulhamento na região; felizmente conseguimos chegar a tempo e levamos a cachorrinha para uma veterinária voluntária, que nos recebeu e cuidou do animal, já bastante debilitado”, explicou o comandante da PM, o capitão Ademir Barcarollo.

​A veterinária à qual se refere o policial é Juliana P. da Silva, que trabalha na Clínica Veterinária Espaço Animal – Wustro, em Xanxerê. “Ela chegou com quadro de desidratação e hemorragia, estava apática e com medo. Recebeu golpes profundos na face esquerda, que a fizeram perder a visão, na face direita, no focinho e outro que provocou um corte lacerante na altura do joelho direito, fora alguns cortes menores espalhados pelo corpo”, contou.

Após quase três horas na mesa de cirurgia, “Princesa”, como está sendo chamada pelos funcionários da clínica, já estava bem melhor. No domingo, ainda sentia muita dor, mas apresentou melhora nesta segunda-feira(9). “Ela é muito dócil, está super bem, comendo direitinho, tomando água e com as feridas cicatrizando com a ajuda de medicação específica, mas ainda é cedo para dizer se ela voltará a enxergar com o olho esquerdo”, afirmou a veterinária.

Juliana acredita que “Princesa” tenha cerca de 5 anos e um tutor, que ainda não compareceu à clínica para buscá-la, talvez por ainda não saber do ocorrido. Está bem alimentada, com o pelo brilhoso e boa saúde.

O agressor, de nome não revelado pela polícia, foi levado à delegacia, onde assinou um Termo Circunstanciado (TC) por maus-tratos contra animais. O documento é utilizado em crimes considerados de menor potencial ofensivo. Ele deverá comparecer a audiência na Justiça, onde receberá a possibilidade de reverter uma possível punição criminal com serviços prestados, doação de cestas básicas, multa ou semelhante.

Fonte: Terra Notícias

​Read More