Notícias

Países liberam Groenlândia para caçar baleia jubarte

A Comissão Internacional da Baleia (CIB) aprovou ontem uma cota de caça de nove baleias jubartes por ano para a Groenlândia nos próximos três anos. É a primeira permissão para caça da espécie em 24 anos. Em contrapartida, foi reduzida a cota de caça de baleias da espécie fin para o mesmo período de 19 baleias para 16.

A moratória para a caça comercial de baleias começou em 1986 e, desde então, a Groenlândia tem caçado baleias das espécies minke e fin. A decisão foi tomada na reunião da CIB que terminou ontem em Agadir (Marrocos). A Groenlândia ameaçava deixar a CIB se sua demanda não fosse atendida, alegando se tratar de questão de sobrevivência.

Muitos países latino-americanos, incluindo o Brasil, fazem objeção à caça. Conservacionistas defendem que as baleias sejam objeto apenas do turismo de observação. Mas a discussão sobre o fim da moratória foi suspensa por um ano.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Nota da Redação: É compreensível que haja necessidade de determinadas negociações políticas, em determinadas situações. No entanto, neste caso, os componentes da CIB são revestidos de tamanha prepotência que a comissão nos parece ser composta por deuses, poderosos a ponto de negociar vidas e decidir quais e quantas são importantes e merecedoras da existência. Animais não são objetos a serem tratados como números e nenhuma vida é mais ou menos importante do que a outra.

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Baleia é encontrada morta no Litoral Sul de Santa Catarina

A baleia apresentava coloração esbranquiçada devido o estágio avançado de decomposição  Foto: Divulgação/PBF-Brasil
A baleia apresentava coloração esbranquiçada devido o estágio avançado de decomposição Foto: Divulgação/PBF-Brasil

Uma baleia do tipo rorqual foi encontrada morta neste domingo no costão da Praia de Itapirubá, entre Imbituba e Laguna, no Litoral Sul de Santa Catarina. O animal, de cerca de 15 metros de comprimento, estava em adiantado estado de decomposição e sem a cabeça.

De acordo com a bióloga do projeto Baleia Franca, Audrey Amorim, a baleia, encontrada por moradores, foi trazida já morta pela maré. O Centro de Mamíferos Aquáticos (CMA Sul), vinculado ao Ibama, é o órgão que vai providenciar a retirada da carcaça. Isso será feito por meio de uma embarcação que vai levar o animal até uma praia mais afastada onde ele possa ser enterrado.

Audrey comentou ainda que devido as condições do mamífero, não foi possível fazer o reconhecimento da espécie:

— Trata-se de uma baleia rorqual, que significa ser possuidora de um conjunto de pregas na pele do ventre. Entre as baleias rorquais estão a Baleia-de-Bryde, Minke, Azul, Jubarte, Fin e Sei, cetáceos pertencentes à família Balaenopteridae. A identificação exata da espécie ainda não foi possível devido à posição em que o animal se encontra.

Fonte: Jornal de Santa Catarina

​Read More