Apesar da recente criação de uma divisão especial para animais domésticos, a indústria de carne de cachorro não para de crescer na Coréia | Foto: Wan
Notícias

Coréia do Sul cria a primeira divisão de políticas para animais domésticos no país

Apesar da recente criação de uma divisão especial para animais domésticos, a indústria de carne de cachorro não para de crescer na Coréia | Foto: Wan
Apesar da recente criação de uma divisão especial para animais domésticos, a indústria de carne de cachorro não para de crescer na Coréia | Foto: Wan

O Ministério da Agricultura, Alimentação e Assuntos Rurais da Coréia do Sul anunciou, nesta quarta feira última (dia 6), que está criando uma divisão interna dedicada a políticas de Bem-Estar animal especial para animais domésticos. A nova divisão ficará sob a secretária de pecuária. Questões desse tipo, eram atribuídas anteriormente, a uma equipe da secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar animal.

A nova divisão, criada para absorver a demanda surgida com o crescente número de lares na Coréia com animais domésticos, funcionará como um departamento a parte, porém muito requisitado, encarregado de cuidar de assuntos e políticas relacionados apenas aos animais domésticos.

A Divisão de Políticas de Bem-Estar Animal atuará em demandas importantes como: prevenir acidentes com animais, protegê-los do abandono e maus-tratos e aprimorar as diretrizes éticas em testes com animais, relatou um funcionário do Ministério da Agricultura em um comunicado público. “Acreditamos que essa nova divisão será um dos departamentos mais ocupados do Ministério da Agricultura, Alimentação e Assuntos Rurais”, afirmou ele.

De acordo com o jornal Korea Joongang Daily, o ministério divulgou a criação da nova divisão em conjunto com algumas estatísticas impressionantes.

Segundo o governo, o número de domicílios no país que possui animais domésticos aumentou em mais de 20% em apenas dois anos, de 4,57 milhões em 2015 para 5,93 milhões em 2017.

O número de animais em laboratórios, infelizmente, também aumentou 18%, de 2,51 milhões para 3,08 milhões, enquanto o número de animais em fazendas (pecuária e afins) cresceu cerca de 1.000 durante o mesmo período de tempo.

Embora a criação de um departamento dedicado exclusivamente a questões e políticas relacionadas aos animais domésticos na Coréia seja um passo positivo, o país ainda tem um longo caminho a percorrer quando se trata de proteger seus cães.

Para horror mundial, os cães ainda são mortos por sua carne no país. Existem mais de 17.000 fazendas de carne de cachorro em toda a Coréia do Sul.

A indústria de carne de cachorro assassina milhares de animais inocentes todo ano | Foto: Twitter
A indústria de carne de cachorro assassina milhares de animais inocentes todo ano | Foto: Twitter

A ONG Soi Dog, está trabalhando junto a altos funcionários do governo sul-coreano, para sancionar leis mais fortes pelo bem-estar animal, tendo por fim, a proibição total e definitiva da indústria de carne de cachorro.

De acordo com o site, essa parceria já conseguiu proibir a morte de cães no Mercado Moran, o maior mercado de carne de cachorro da capital, Seul.

A Soi Dog, com sede na Tailândia, e várias outras organizações de bem-estar animal do mundo, como a Animal Hope and Wellness Foundation na Califórnia (WAN, na sigla em inglês), continuam a desafiar a posição da Ásia sobre a indústria bárbara e desnecessária de carne de cachorro, conscientizando as pessoas sobre a crueldade envolvida e número de animais assassinados.

A WAN reza para que não só a Coréia, mas muitos outros países no mundo, continuem o movimento em direção a medidas mais fortes para proteger nossos preciosos animais.

​Read More