Destaques, Notícias

Faminta e subnutrida, cadela devorada viva por larvas é resgatada em Itupeva (SP)

Hope conheceu o lado mais sórdido do ser humano. Sem água, comida e cuidados, ela agonizava em uma casa, sob o olhar de seu tutor, com larvas devorando-a viva. No início do mês de abril, foi resgatada em Itupeva (SP), no local onde vivia, por uma protetora que, dias antes, soube do caso.

Além das medidas judiciais cabíveis terem sido tomadas, uma campanha de arrecadação de fundos para garantir o tratamento médico da cadela está sendo realizada (confira os dados bancários ao final desta notícia).

Divulgação

Após o resgate, a cadela foi levada a uma clínica veterinária, onde foi diagnosticada com subnutrição grave e leishmaniose. Segundo Cris Patinhas, como é conhecida na cidade a protetora de animais que resgatou Hope, o rosto da cadela estava tomado por miíase – uma infecção de pele causada por larvas de moscas, popularmente chamada de “bicheira”.

“Ela perdeu um dos olhos por causa da bicheira e corre o risco de perder o outro”, explicou Cris, em entrevista exclusiva à Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA).

No momento do resgate, o tutor da cadela se negou a entregá-la e alegou que estava cuidando dela. No entanto, a protetora conseguiu resgatar o animal com a ajuda da Guarda Civil Municipal e de outras pessoas que estavam presentes – dentre elas, Ângela Cavalcante, do grupo Tomba Lata, e a denunciante, que também alimentou e medicou Hope até que o resgate ocorresse.

“Ela estava sem cuidado algum, num local imundo. Quem estava alimentando era a pessoa que me pediu ajuda para resgatá-la. Ela está magra e ficava sem água, sem comida, no meio de suas fezes, com aquela bicheira gigante no rosto. Infelizmente é isso”, contou Cris.

O objetivo das pessoas envolvidas no resgate é deixar o sofrimento apenas no passado de Hope. No entanto, a batalha a ser enfrentada ainda é grande e a cadela corre risco de morte, já que seu quadro de saúde é grave.

Após receber os cuidados necessários em uma clínica veterinária, Hope foi levada para o santuário Shambala. O local se tornou o novo lar da cadela desde que Andrea Freixeda, bióloga fundadora do santuário, decidiu adotá-la.

Divulgação

Andrea contou à ANDA que abriga um número limitado de animais no santuário porque mantém o local com seus próprios recursos e não tem condições de receber todos os animais abandonados e vítimas de maus-tratos. “Bem que eu gostaria, mas não posso porque, até então, mantinha o santuário com recursos próprios”, explicou. Excepcionalmente para o caso de Hope, que demanda investimentos financeiros maiores devido à gravidade do seu estado de saúde, Andrea teve que passar a contar com a solidariedade da sociedade para arrecadar fundos para o tratamento.

Apesar de ter limitações no que se refere à adoção de animais, Andrea foi tocada pela história de Hope e decidiu adotá-la. “A empatia para mim é assim: são seres de luz que me moldam, que me  fazem ser melhor. A gente exercer a bondade, poder tratar de um animal que precisa é algo maravilhoso. Pessoas também? Também, quando precisam sim. Mas um animal é mais do que isso, porque ele não se comunica e está à mercê. Então, dentro de quatro paredes sou eu e o animal. Quando eu posso dar o meu melhor para ele, eu tenho certeza que eu estou fazendo a melhor coisa do mundo, porque não tem ninguém para assistir e eu estou sendo tão sincera que é uma coisa diretamente com Deus. Para mim, é quase como um sacerdócio poder tratar desses animais, servi-los. Eu sou uma pessoa que serve essas criaturas e para mim não tem coisa mais santa do que fazer isso”, disse a bióloga, que também é terapeuta e já atuou como perita judicial em casos de maus-tratos a animais.

O Shambala, para onde Hope foi levada, é um santuário dedicado a abrigar animais doentes, idosos e, muitas vezes, em estado terminal. “Aqui só têm animais especiais. E é gostoso ter um lugar assim, que nasceu da necessidade de ter um espaço para adequar o que eu tinha para oferecer aos animais. Com a ajuda de amigos veterinários, ofereço tratamentos aos animais, como acupuntura, homeopatia, florais, radiestesia, cromoterapia e ozonioterapia”, explicou Andrea.

De acordo com a bióloga, todos os animais que recebem cuidados do ser humano são agradecidos, mas aqueles que são mais frágeis e sofrem mais são ainda mais gratos. “São os que eu gosto de me dedicar mais. Um cachorrinho bonitinho todo mundo quer, mas um animal na situação da Hope ninguém quer, muitas pessoas têm nojo, inclusive. E eu não. Eu me sinto bem podendo fazer o bem para um ser que realmente necessita”, relatou.

Divulgação

Embora seja doloroso ver o sofrimento de um animal, a alegria em poder ajudá-lo, vivenciada por Andrea, é compartilhada pela protetora Cris. “Para mim, ter retirado a Hope daquele lugar, mais que salvar a vida dela, foi resgatar a dignidade de um anjo. Hope é um anjo, que foi negligenciada durante meses por quem deveria ter cuidado dela. Em seu olhar, ao me ver chegando, eu tive a certeza de ver: ‘meu sofrimento acaba aqui'”, disse.

Campanha de arrecadação de fundos

O tratamento para a leishmaniose é de alto custo. Sozinhas, a protetora Cris e a bióloga Andrea não conseguem arcar com os gastos do medicamento e, por isso, iniciaram uma campanha de arrecadação de recursos destinados ao tratamento de Hope.

O remédio que a cadela necessita para sobreviver custa R$ 1,2 mil e, segundo Cris, não é possível saber ainda por quanto tempo a cadela precisará ingeri-lo, “mas estimamos seis meses”.

Através de uma publicação no Facebook (confira clicando aqui), Andréa iniciou a campanha de arrecadação. Interessados em colaborar, doando qualquer quantia, devem destinar os valores para uma conta do Banco Itaú em nome de Andrea Filomena Freixeda. Os dados bancários são: agência 7977 e conta corrente 09378-5. Doadores que necessitarem do CPF da bióloga para fazer a transferência devem solicitá-lo pelo Facebook de Andrea ou através do WhatsApp, por meio do número 11 97016-6157.

Confira um vídeo do momento do resgate de Hope (as imagens são fortes):


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Ursa polar desnutrida que revirava lixo atrás de comida passa por tratamento e se recupera

Martha atualmente | Foto: Aleksandr Kuznetsov
Martha atualmente | Foto: Aleksandr Kuznetsov

Uma ursa polar magra e desnutrida que foi encontrada vagando pelas ruas de uma cidade russa depois de caminhar por quase 1.000 milhas de seu lar e habitat no Ártico -no auge do verão – se recuperou e está pronta para voltar pra casa.

Imagens da ursa que sofria de “desnutrição extrema” correram o mundo depois que ela foi fotografada vasculhando o depósito de lixo na cidade de Norilsk em junho.

Mas a ursa – que foi batizada de Martha – agora está saudável novamente. Para poder tratá-la os especialistas tiveram que sedá-la e levá-la em um vôo por cerca de 1550 quilômetros para Krasnoyarsk, para que ela pudesse ser reabilitada.

Infelizmente o único local que contava com os equipamentos, medicamentos, profissionais e alojamento adequado para atender Martha no país era o centro de reabilitação em um zoológico.

Em junho, a ursa pesava apenas algo em torno de 100 kg. Seu peso aumentou para 152 kg depois que ela recebeu uma dieta especial de carne crua, peixe fresco e codornas.

Novas fotos recentes de Martha agora mostram a ursa parecendo mais feliz e brincando em sua própria piscina.

Um porta-voz do centro de reabilitação onde ela foi tratada, Royev Ruchei, disse: “Durante meses, os veterinários literalmente lutaram por sua vida”.

Uma dieta especial foi elaborada juntamente com o tratamento recomendado para ela. Seu peso era verificado diariamente.

A ursa quando foi encontrada, revirando lixo | Foto: Zapolyarnaya Pravda/The Siberian
A ursa quando foi encontrada, revirando lixo | Foto: Zapolyarnaya Pravda/The Siberian

“Hoje ela pesa pouco mais de 150 kg, está se sentindo muito, muito melhor, como se pode ver”, disse o porta-voz.

Agora ela está oficialmente “fora de perigo”, embora a data de sua volta à natureza ainda não tenha sido divulgada.

Um vídeo feito na cidade de Krasnoyarsk mostra como a ursa melhorou.

Ainda não está claro como foi que a ursa polar apareceu tão longe de casa na costa do Ártico quando se aventurou em Norilsk e foi filmada na cidade.

Ela foi o primeiro urso polar visto na cidade em meio século.

Ursa vagando pela cidade russa | Foto: Zapolyarnaya Pravda/The Siberian
Ursa vagando pela cidade russa | Foto: Zapolyarnaya Pravda/The Siberian

Uma teoria é que ela percorreu pelo menos 335 milhas para o interior do continente – o que esses animais geralmente não fazem.

Outra é que ela foi capturada por caçadores como filhote e criada em cativeiro, e depois fugiu ou foi libertada, o que pode explicar porque ela não tinha medo de humanos quando estava na cidade.

Quando capturada pela primeira vez em junho, a ursa estava surpreendentemente calma e à vontade ao ser colocada na jaula.

Martha atualmente, expressão renovada | Foto: Aleksandr Kuznetsov
Martha atualmente, expressão renovada | Foto: Aleksandr Kuznetsov

Isso poderia significar que a Martha enfrentará dificuldades se ela for devolvida à natureza.

Alguns especialistas aventam a possibilidade dela viver em cativeiro caso seja considerada muito mansa para ser mandada de volta ao Ártico.

No entanto nenhuma informação oficial foi divulgada até o momento segundo o Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorrinha perdida reencontra tutora após 12 anos de separação

Foto: Press Association
Foto: Press Association

Uma cachorrinha da raça fox terrier miniatura que desapareceu da casa de sua família na Flórida, Estados Unidos, em 2007 foi reunida com sua tutora depois de ter sido encontrada a mais de 1.600 quilômetros de onde desapareceu.

A cachorrinha de 14 anos, chamada Dutchess (Duquesa), foi encontrada com fome e tremendo incontrolavelmente em um galpão em Pittsburgh, Pensilvânia, na segunda-feira (14).

O dono da propriedade levou a cachorrinha a um centro local de resgate de animais, onde os funcionários puderam microchipar o animal e localizar sua tutora, Katheryn Strang.

Strang mora em Boca Raton, Flórida, e ficou surpresa ao saber que Dutchess havia sido descoberta depois de mais de uma década desaparecida.

A dedicada e exultante tutora do animal viajou 1130 milhas até Pittsburgh na sexta-feira (11) para se reunir com a cachorrinha amada, e o momento emocionante foi capturado em vídeo.

No vídeo comovente, Strang aparece à beira das lágrimas enquanto olha para Dutchess antes de tomá-la em seus braços e abraçá-la.

“Eu senti tanto sua falta!”, Strang diz antes de dar um beijo no nariz de Dutchess.

O tutora que é natural da Flórida disse aos repórteres que ela e sua família estavam morando em Orlando quando a cachorrinha desapareceu.

Foto: Press Association
Foto: Press Association

Ela explicou que o filho abriu a porta depois de voltar da escola e a cachorrinha disparou para fora correndo.

Stang acredita que Dutchess pode ter sido atropelada por um carro, pois a casa da família ficava perto de uma estrada movimentada.

No entanto, ela procurou nos abrigos locais todos os dias durante semanas após o desaparecimento da cachorrinha.

Mesmo com o passar dos meses e anos, Strang continuou com a esperança de que ainda veria sua companheira peluda novamente.

Foto: Humane Animal Rescue
Foto: Humane Animal Rescue

Ela continuou a pagar a taxa anual no microchip, além de atualizar suas informações de contato sempre que se mudava.

“Eles são como filhos desaparecidos. Você não perde a esperança nunca”, disse Strang, radiante.

O fato de Dutchess ter acabado tão longe de casa e como ela sobreviveu por mais de uma década sozinha permanece um mistério.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Zebra faminta é flagrada comendo as próprias fezes em zoo

A ONG Peludos Al Aire En Sintonia Por Los Que No Tienen Voz, gravou o vídeo documentando a cena que se passa no zoológico de de San Juan de Aragon, na Cidade do México


 

Zebra come as próprias fezes no zoo de San Juan de Aragon, na Cidade do México | Foto: CEN/peludosalairelaguna
Zebra come as próprias fezes no zoo de San Juan de Aragon, na Cidade do México | Foto: CEN/peludosalairelaguna

Imagens chocantes compartilhadas nas redes sociais mostrando uma zebra comendo o que pareciam ser suas próprias fezes, causaram revolta e indignação nas redes sociais

As fotos e o vídeo foram capturados em um zoológico mexicano, suspeita-se que o animal não esteja recebendo o suficiente para comer e por isso estivesse comendo seus excrementos.

Relatos afirmam as cenas perturbadoras foram gravadas no zoológico de San Juan de Aragon, na Cidade do México, que já é acusado de negligencia e maus-tratos e onde muitos dos animais cativos, estavam com problemas de saúde.

Imagens de vídeo flagrando a situação foram divulgadas por uma organização de proteção aos animais mexicana que revelou ainda que os animais do zoológico estão morrendo por falta de comida.

No vídeo, a zebra, chamada Karo, pode ser vista dentro do zoológico, comendo suas próprias fezes do chão.

A ONG escreveu nas mídias sociais: “Esses animais não tem muito tempo, eles estão morrendo de fome. É importante livrar-se desses trabalhadores incompetentes e cuidar dos animais”.

A zebra chamada de Karo com ferimento sem tratamento no pescoço | Foto: CEN/@peludosalairelaguna
A zebra chamada de Karo com ferimento sem tratamento no pescoço | Foto: CEN/@peludosalairelaguna

A entidade Peludos Al Aire En Sintonia Por Los Que No Tienen Voz, como são conhecidos, afirmam que muitos dos animais estão em más condições de saúde, dizendo que a zebra no vídeo está sofrendo de uma doença de pele e que um gnu (espécie de antílope) morreu no mesmo zoológico na semana passada.

Os funcionários também se queixaram das mortes de outros 10 animais, segundo a ONG de proteção animal.

As mortes de dois elefantes, um deles chamado Ely e outro Maggie ambos falecidos em 2016 estão sendo investigadas pelas autoridades da cidade, segundo a mídia local.

Fezes foram vistas espalhadas pelos cativeiros dos animais, especialmente no compartimento da zebra, de acordo com a ONG | Foto: CEN/@peludosalairelaguna
Fezes foram vistas espalhadas pelos cativeiros dos animais, especialmente no compartimento da zebra, de acordo com a ONG | Foto: CEN/@peludosalairelaguna

A administração do zoológico ainda não comentou o caso, mas a prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, admitiu que a última vez que o governo investiu no zoológico foi durante a primeira metade do governo 2000-2006.

Segundo a prefeita existem especialistas trabalhando no zoológico para evitar que os animais sejam abusados e verificar suas condições de vida.

Sheinbaum disse ainda que está previsto um investimento no zoológico no próximo ano, porém que o governo local anunciou um corte no financiamento para os jardins zoológicos no início deste ano, segundo o Daily Mail.

Relatos dizem que o zoológico de San Juan de Aragon sofreu vários cortes no orçamento este ano seguindo as regras do programa de austeridade do governo local.

Os demais animais que vivem no zoo também passam fome, segundo a ONG | Foto: CEN/@peludosalairelaguna
Os demais animais que vivem no zoo também passam fome, segundo a ONG | Foto: CEN/@peludosalairelaguna

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como
esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Homem sai do carro e quando volta encontra uma cachorra sentada no banco do passageiro

Foto: Angela Shaver
Foto: Angela Shaver

Quando viajava de volta para casa depois de uma viagem de férias no Arkansas (EUA), Bill encostou o carro em uma parada rápida, para jogar fora o lixo interno e usar o banheiro. Ele não estava planejando demorar muito, por isso deixou o carro ligado e com a porta aberta – mas quando ele voltou, teve uma surpresa: encontrou um cachorro sentado no banco do passageiro da frente.

O animal era na verdade A pobre cachorrinha estava pele e osso, e Bill rapidamente ofereceu-lhe um pouco de pronto, a única comida que ele tinha com ele no carro. Observando-a devorar a comida e se encolher em seu carro, Bill sabia que a cachorra estava procurando por alguém para ajudá-la, e decidiu que ele seria essa pessoa. Ela parecia tão ansiosa, e não havia como ele virar as costas para aquele rosto doce.

Foto: Angela Shaver
Foto: Angela Shaver

Ele e sua esposa recebem animais em dificuldades em casa e o pobre animal não tinha absolutamente nenhum sinal de ter tido um tutor ou uma família, e então ele mandou uma mensagem para ela com a foto de sua nova companheira de viagem, e ela concordou imediatamente com a decisão dele de manter o cão.

“Perguntei a ele qual era o nome do nosso novo cão”, disse Angela Shaver ao The Dodo. “Nós decidimos chamá-la então de River por causa de onde ele o encontrou.”

Foto: Angela Shaver
Foto: Angela Shaver

Shaver e seu filho saíram para cumprimentar o novo membro da família assim que o casal de viajantes chegou em casa, mas River se recusou a sair do carro. Ela não tinha medo de sua nova família, mas parecia se sentir segura no carro, já que era provavelmente um dos primeiros lugares em que alguém já havia sido gentil e amoroso.

Assim sendo, Bill carregou River gentilmente para fora do carro, e ela foi apresentada aos seus novos irmãos cachorros e gato, um por um, para que ela não ficasse muito sobrecarregada. A família já tinha três cães de resgate e um gato de resgate, e estavam mais do que felizes em adicionar outro à matilha.

River e Bill | Foto: Angela Shaver
River e Bill | Foto: Angela Shaver

“Uma vez que todos decidiram que ela estava bem, ele [Bill] a trouxe para um banho”, disse Shaver. “Ela estava coberta de lama, sangue e carrapatos. Depois que ela foi seca e alguns carrapatos foram retirados dela, River ganhou uma boa refeição. Bill fez uma cama para ela em nosso quarto ao lado do aquecedor. Ela dormiu lá a noite toda.

River acordou em sua nova casa na manhã seguinte e cautelosamente começou a explorar tudo ao seu redor. Ela correu para fora, no quintal com seus novos irmãos, mas nunca se afastava muito de seus pais, lentamente se acomodando a sua nova vida.

Sua família notou imediatamente que ela parecia estar triste em determinados momentos, o que significa que ela pode ter tido uma família em algum momento de sua vida antes de acabar como uma cachorra em situação de rua.

River e seus irmãos | Foto: Angela Shaver
River e seus irmãos | Foto: Angela Shaver

“Tivemos um acidente em casa na primeira noite”, disse Shaver. “Mas estava perto da porta. Ela tinha que ir, mas não sabia como nos dizer, pobrezinha”.

A nova família de River levou-a ao veterinário para ser examinada, e descobriu que ela tinha vermes, parasitas e feridas no pescoço e no rosto que pareciam ser de algum tipo de briga. O veterinário deu-lhe remédios e limpou todos os seus ferimentos, e River permaneceu calma e doce durante todo o tempo da consulta. Depois do que quer que tenha passado, a cadelinha parecia estar agradecida por finalmente estar segura.

River e seus pais | Foto: Angela Shaver
River e seus pais | Foto: Angela Shaver

River está agora se saindo muito bem com sua nova família e já está começando a evoluir. Ainda há algumas coisas que ela não sabe muito bem como fazer, como brincar com brinquedos e brigar com os irmãos, mas ela está levando um dia de cada vez, e sua família adora ver sua confiança crescer pouco a pouco.

“Ela corre no quintal como se perseguisse algo invisível com Winston, senta-se para comer biscoitos com Ginger e se aconchega na cama com Butters”, disse Shaver. “O gato ficou muito insatisfeito com a presença dela nos primeiros dias, mas finalmente ele está se aproximando”.

Quando River entrou naquele carro, ela escolheu sua nova vida, e tanto ela como sua família não poderiam ficar mais felizes com essa decisão.

E assim estão até hoje.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Galinha é salva após ficar 3 dias presa entre duas paredes em Ibirité (MG)

Uma galinha ficou presa entre duas paredes por três dias em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, e foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros, numa ação que durou uma hora. O acidente aconteceu no bairro Durval de Barros. O local em que o animal estava preso tinha menos de 50 centímetros.

Foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação

Como ficou dias sem receber água e comida, a galinha estava visivelmente debilitada no momento do resgate. O caso indignou o pedreiro Daniel Machado, que chamou os bombeiros.

“É uma sacanagem deixar a bichinha lá. Se não tem amor ao animal, porque que cria? Judiação”, disse Daniel, que mora em frente à casa do tutor da galinha, que não foi encontrado para comentar o caso.

Foi a primeira vez que o sargento Gleison de Freitas Minelli, há 29 anos no Corpo de Bombeiros, resgatou uma galinha. As informações são do portal G1.

“Já participei de resgate de cachorro, de gato. A gente estava no pelotão, no nosso dia-a-dia, à espera dos chamados. Foi aí que veio esse resgate da galinha. A gente achou estranho, mas fomos cumprir com o nosso dever”, disse Minelli, que participou da ação com o Cabo Milagre e o Cabo Bosque.

Foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação

Para salvar o animal, os bombeiros tiveram que tirar três tijolos do uro da marcenaria vizinha. “Eu até me prontifiquei a consertar a parede. Mas deixar ela lá é uma sacanagem”, disse o pedreiro.

Viva, porém faminta, a galinha foi retirada do local. “Os tutores não apareceram. Um senhor chegou e disse que a entregaria para os tutores. Aí fomos embora”, contou Minelli.

Daniel também não sabe o que aconteceu com a galinha, pois teve que trabalhar e, por isso, não conseguiu acompanhar o final do resgate. O medo, agora, é que ela tenha caído em mãos erradas que possam mata-la, já que na mesma rua onde ela foi resgatada há um matadouro de aves.

“Espero que ela esteja bem. Sofreu muito”, disse Daniel.

​Read More
Histórias Felizes

Gatinha encontra maneira inusitada de convencer casal a adotá-la

Foto: One Green Planet/Reprodução
Foto: One Green Planet/Reprodução

Animais dependem dos seres humanos para se alimentar, beber água e ter abrigo e, em troca, eles são capazes de oferecer amor incondicional por toda a vida. Sem mencionar a coletânea de momentos únicos que constroem a ligação entre animal e seu tutor.

Quem já compartilhou a vida com um animal doméstico vai se reconhecer nessa história da gatinha abandonada que de forma esperta e inusitada “implorou” a um casal que a levasse para casa.

A gatinha perdida estava andando por uma estrada de terra sozinha, sua mãe não estava em nenhum lugar próximo ou ao alcance da visão. Quando de repente ela viu um casal andando em sua direção e soube exatamente o que fazer: implorar para que eles a levassem para casa.

Foto: One Green Planet/Reprodução
Foto: One Green Planet/Reprodução

Como o usuário do Imgur explicou, ela entrou na frente do casal subitamente, mas eles acharam que a pequena tentaria fugir quando chegassem perto. A gatinha parecia saber que eles eram um porto seguro pois ela os deixou pegá-la e ainda mais: não se moveu um centímetro até que isso acontecesse.

Eles levaram a filhote para casa e deram-lhe um banho quente e comida, coisa que ela esta realmente precisando. “Às vezes você adota um gato ou às vezes eles adotam você”, conta o casal.

Ela tem uma lesão no lábio e gengiva que se parece com uma bifurcação, mas ela esta se recuperando muito bem. O casal deu a ela o nome de Tiger Lily e garantiu que ela vai estar segura e feliz a partir de agora!

Foto: One Green Planet/Reprodução
Foto: One Green Planet/Reprodução

Esta história não é apenas um conto real com final feliz, mas também é um alerta sobre a importância individual de cada um em acabar com o problema dos animais em situação de rua. Nos Estados Unidos por exemplo cerca 2,7 milhões de cães e gatos são sacrificados todos os dias devido à superlotação de abrigos e aos fundos limitados para lidar com a questão, mas atitudes individuais podem ajudar a impedir isso.

Salvar um animal pode não resolver o problema do abandono em sua totalidade, mas para essa gata, a vida foi transformada para sempre.

Ao cogitar adicionar um membro de quatro patas à família, é importante ter em mente que adotar é a melhor opção, pois animais não são produtos para ser comprados.

​Read More
Histórias Felizes

Grupo salva raposa faminta ilhada em bloco de gelo

Divulgação

Um pequena e indefesa raposa-do-ártico foi encontrada em uma situação periclitante. Ela estava sozinha, ensopada e muito faminta ilhada em um bloco de gelo cercado por águas gélidas e profundas próximas a Labrador, no Canadá.

Ela foi avistada por um grupo de pescadores, que rapidamente se dirigiu até o local para tentar salvá-la. Eles encontraram o animal muito encolhido, tremendo de frio e de medo. Caso o resgate demorasse mais um pouco, a raposa poderia não sobreviver.

Divulgação

O mamífero não confiava nos homens e evitou o resgate temendo por sua vida. O grupo sabia que precisaria pensar e agir estrategicamente para salvá-la. Logo, tiveram a ideia de quebra o bloco de gelo e assim capturá-la com o auxilio de uma rede. A iniciativa deu certo e poucos minutos depois a raposa estava em um barco a caminho de terra firme.

Divulgação

A raposa foi cuidadosamente depositada em uma caixa forrada com serragem para que ela se aquecesse e pudesse ter um pouco de conforto. Ela foi alimentada com salsichas e segundo informações do portal Hypeness, após muitos cuidados, o animal foi devolvido ao seu habitat em segurança.

Divulgação

Um dos membros do grupo, Alan Russell, afirma que a ultima vez que viu a raposinha ela estava correndo feliz por ter sua liberdade devolvida. Ele disse também que ficou muito surpreso ao encontrar a raposa em alto mar, pois nunca viu ou ouviu relatos de um animal terrestre tão longe da costa.

​Read More
Gata e seus três filhotes
Histórias Felizes

Gata desnutrida faz surpresa incrível para homem que a alimentou

Michael Shinkle adora acampar com o filho. Um dia, quando eles estavam em um local isolado, encontraram outro campista que queria fazer alguns amigos.

Era uma gata magra, que rapidamente ficou apegada à dupla.

Gata faminta
Foto: Michael Shinkle/Imgur

“Meu filho começou a trabalhar para alimentar o gato, uma vez que só trouxe comida suficiente para o jantar e café da manhã”, escreveu.

Como ele não teve  sorte, os dois deram a ela um pouco do pão envelhecido que tinham levado. Depois do jantar, eles também lhe ofereceram todas as sobras do que tinham comido.

Aparentemente satisfeita, a gata desapareceu na noite. Eles decidiram que era hora de dormir, mas depois de algumas horas, ouviram ruídos lá fora novamente.

O filho de Michael com a gata
Foto: Michael Shinkle/Imgur

Algumas horas mais tarde, o pai acordou para verificar o barulho e, ao invés vez de notar dois olhos observando-o,  havia 8 olhos brilhando, refletindo a luz de seu telefone, segundo o Holidog Times.

A mamãe gata tinha voltado com seus três bebês, que também receberam comida do pai e do filho.

Com tudo o que tinham passado juntos, Shinkle sabia que não podia deixá-los para trás e decidiu adotar a família.

Gata deitada ao lado de filhotes
Foto: Michael Shinkle/Imgur

Ela é uma gata muito feliz agora. Não há nenhuma maneira de que não tenha sido domesticada porque ansiava por atenção humana.

A gata tem sido examinada para garantir que não possui um microchip. Caso isso seja confirmado,  ela e seus filhotes terão um lar definitivo.

Gata e seus três filhotes
Foto: Michael Shinkle/Imgur

Shinkle também criou uma página GoFundMe para financiar seus cuidados veterinários e quase quadruplicou sua meta. O dinheiro extra será usado para castrar os gatinhos quando crescerem o suficiente.

​Read More
Notícias

Cachorra faminta é resgatada depois de lutar para proteger filhotes recém-nascidos

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: A-Team Elite Rescue Dogs

Uma cachorra abandonada e extremamente magra estava tentando desesperadamente sobreviver nas ruas de San Antonio, Texas (EUA). Sua vida não era a única que estava em risco.

“Ela era só pele e osso”, afirma Cindy Droogmans, fundadora da A-Team Elite Rescue Dogs, um novo grupo de resgate localizado em Long Island que salva cães carentes de abrigos superlotados.

Foto: A-Team Elite Rescue Dogs

Droogmans recebeu uma mensagem de um amigo em San Antonio que estava desesperado para ajudar a cachorra – mais tarde nomeada Aluscia – e seus seis filhotes recém-nascidos.

Aluscia tinha sido encontrada encolhida na rua dentro de um cano de esgoto, onde deixou seus bebês recém-nascidos para mantê-los seguros. Enquanto as pessoas se aproximavam para ajudá-la, ela estava aterrorizada.

Foto: A-Team Elite Rescue Dogs

“Quando eles a pegaram, seu corpo inteiro tremia de medo. Ela era uma mãe assustada fazendo o seu máximo para proteger seus bebês”, disse Droogmans.

Aluscia e seus filhotes foram levados para um abrigo superlotado e a família se amontoou em uma gaiola, de acordo com o The Dodo.

Os filhotes mamavam enquanto seu futuro estava por um fio. O abrigo tinha uma alta taxa de mortes induzidas, de acordo com Droogmans. As vidas de cada membro da nova família corriam perigo.

Por isso, quando ela foi informada que a cachorra e os filhotes podiam ser mortos a qualquer momento, imediatamente entrou em ação. Ela providenciou a transferência deles para o North Star Animal Hospital, para que eles pudessem se recuperar. Dentro de algumas semanas, Droogmans os levará até Long Island, onde os cães terão novas vidas.

Foto: A-Team Elite Rescue Dogs

Os filhotes – Angelique, Amy, Anton, Azi, Andie e Ajax – e a mãe serão colocados para adoção. “Por favor, não se esqueçam da nossa pobre Aluscia”, ressalta Droogmans, já que muitas vezes cachorros bonitos são acolhidos com facilidade pelos adotantes, enquanto as cachorras mães são negligenciadas.

“Sou muito protetora com eles, os vejo como meus próprios filhos”, finaliza Droogmans.

​Read More
Destaques, Notícias

Centenas de pessoas se mobilizam em todo o mundo para salvar elefanta desnutrida

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Lek Chailert

Quando Lek Chailert viu um bebê elefante em perigo, ela sabia que tinha que agir rapidamente. A elefanta de três meses era tão magra e desnutrida que era possível contar suas costelas. Se ela não obtivesse uma nutrição adequada logo, iria morrer.

Chailert, o fundador do Elephant Nature Park, um santuário de elefantes na Tailândia, visitava outro orfanato de elefantes em Myanmar quando encontrou a pequena elefanta faminta.

Foto: Lek Chailert

Não se sabe o que aconteceu com a mãe da elefanta ou como ela acabou no orfanato, mas ela recebeu o nome de Eyeyarmay.

Eyeyarmay não é a única de sua espécie no orfanato. O elefante Yuyu, de sete meses, e a elefanta Mary, de quatro meses, também moram lá, de acordo com o post de Chailert no Facebook.

Todos os três órfãos precisarão de cuidados especiais, mas Chailert parece especialmente preocupado com Eyeyarmay.

Foto: Lek Chailert

“O bebê precisa de cuidados diretos neste momento e acompanhamento materno. A nutrição de um bebê é muito delicada porque sua vida nesta fase é muito frágil”, escreveu Chailert no Facebook.

De acordo com o The Dodo, em Myanmar, assim como outras partes de Sudeste Asiático, cada elefante é especialmente importante. Os elefantes asiáticos estão atualmente classificados como ameaçados pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (UICN). As ameaças incluem a caça, a destruição do habitat e o conflito com seres humanos.

Foto: Lek Chailert

Salvar a vida de Eyeyarmay não será fácil. Agora ela realmente precisa de leite, mas Chailert explicou que é difícil obter leite de fórmula para elefantes em Myanmar . Além disso, como o orfanato é novo, não há financiamento para importar a fórmula de outro país.

Chailert disse que os cuidadores têm recorrido ao leite de vaca para alimentar o bebê, mas isso pode causar disenteria e outros problemas de saúde.

No entanto, a situação de Eyeyarmay está melhorando. Após o post no Facebook, centenas de pessoas se ofereceram para ajudá-la e com todos os esforços combinados, a vida da pequena elefante pode ser salva.

Foto: Lek Chailert

Chailert está pedindo doações de dinheiro para ajudar a obter a fórmula de elefante para o orfanato de Myanmar.
“Uma caixa pode ajudar a salvar a vida dessa elefanta”, escreveu ele.

Para ajudar Eyeyarmay a obter a fórmula de que ela precisa, é possível fazer uma doação para a Save Elephant Foundation. Outra possibilidade é enviar a fórmula diretamente para o acampamento. O endereço do local está no post do Facebook de Chailert.

​Read More
Notícias

Crueldade: cachorra doente e faminta é encontrada com ferimentos graves similares a queimaduras

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

RSPCA
RSPCA

Uma cachorra foi encontrada ensanguentada, morrendo de inanição e coberta de bolhas após ser resgatada de uma residência no oeste de Sydney (Austrália).

A cachorra de Staffordshire nomeada Tilly foi salva por um oficial da RSPCA após uma queixa de crueldade. O inspetor encontrou Tilly faminta, tremendo e desidratada e levou-a para uma veterinária no abrigo Yagoona.

Laura Taylor disse que ela parecia “uma vítima de queimaduras” e estava tão fraca que mal conseguia levantar a cabeça. Sua tutora Paige Pamela-Ruth Dean foi considerada culpada da acusação de crueldade contra animais. Ela foi multada e não está autorizada a tutelar outro animal nos próximos cinco anos.

RSPCA
RSPCA

O inspetor da NSW, James Arentz, disse que Tilly não tinha quase nenhuma pele, 90% de seu corpo estava coberto por sarna e sangrando, ela tinha um odor forte e seus olhos estavam repletos de secreção.

“Suas pernas estavam empoladas, as unhas do pé extremamente longas e ela era incapaz de andar e teve que ser levada por um dos moradores da casa para que o inspetor pudesse examiná-la de perto”, disse a RSPCA.

A inspetora Arentz disse que a cachorra não tinha pelos e estava tão magra que era possível ver seus ossos e crânio. “Ela parecia uma vítima de queimaduras, não teria sido capaz de sobreviver por muito tempo no estado em que estava”, disse Taylor.

RSPCA
RSPCA

A tutora alegou que Tilly estava em “condições ruins” há mais de dois meses, não ia a um veterinário há cerca de um ano e também não havia sido tratada para parasitas intestinais e pulgas desde janeiro. Ela disse que não a levou a um veterinário porque seu parceiro estava doente no hospital.

Tilly esteve na Unidade de Cuidados Intensivos durante três semanas e foi transferida para uma ala geral para mais cuidados, recuperando 46% do seu peso corporal após sete semanas.

Insp Arentz, que está temporariamente cuidando de Tilly, espera que ela consiga uma nova família em breve, segundo o Daily Mail.

​Read More