Leitão extremamente doente e à beira da morte foi resgatado por ativistas (Foto: DxE)
Home [Destaque N2], Notícias

Ativistas enfrentam 60 anos de prisão por salvar leitão à beira de morte em matadouro

Cinco ativistas em defesa dos direitos animais estão enfrentando injustamente 60 anos de prisão. A acusação é por terem removido um leitão doente e à beira da morte de uma fazenda industrial em Utah, nos Estados Unidos.

Ativistas da rede de direitos animais Direct Action Everywhere [DxE] visitaram fazendas e registraram em vídeo denúncias de maus-tratos contra animais em março de 2017.

De acordo com o grupo, a Procuradoria Geral de Utah apresentou as acusações após o lançamento de um vídeo gravado na fazenda Smithfield Foods’ Circle Four, em Milford. As acusações são de roubo, pois cinco homens ativistas teriam levado dois leitões de três semanas de idade das instalações.

Leitão extremamente doente e à beira da morte foi resgatado por ativistas (Foto: DxE)
Leitão extremamente doente e à beira da morte foi resgatado por ativistas (Foto: DxE)

A acusação alega que o vídeo de 11 minutos do DxE foi usado pelos promotores para identificar os ativistas, bem como a localização específica da fazenda.

Desviando o foco

O co-fundador da DxE, Wayne Hsiung, é  um dos cinco acusados, e comentou ao Plant Based News que essas ações são parte de uma tentativa de impedir que o público saiba mais sobre as condições cruéis dos animais em fazendas industriais. “Porcos bebês estão sofrendo mutilação, fome e abuso em Smithfield, e a empresa não quer que o público saiba sobre isso”.

A fazenda Smithfield ainda não se manifestou sobre o caso, mas Wayne acredita que alegar roubo é a principal forma de distorcer a informação que deveria, de fato, estar sendo divulgada, que são os maus-tratos. “Esta é uma tentativa de intimidar os ativistas que estão mostrando ao público a verdade sobre o que acontece nas fazendas industriais”.

​Read More