Notícias

Gatinho com expressão zangada conquista a internet

Foto: Caters News
Foto: Caters News

Conheça Juno. Ele não está absolutamente furioso com nada, nem incomodado, ou apenas desapontado. Esse é apenas o rosto dele. E essa carinha tem lhe rendido uma fama enorme e muitos fãs e seguidores nas redes sociais.

O doce gatinho Juno é secretamente adorável e muito carinhoso, mas sua expressão facial pode levar quem não o conhece de perto a pensar que ele esta com raiva ou bravo – suas características fazem com que ele pareça um vovô rabugento pronto para repreendê-lo.

Felizmente, seus olhares furiosos não afastam as pessoas, ao contrário disso o gatinho zangado já alcançou mais de 185 mil seguidores no Instagram.

Os seguidores do Juno são fãs tão dedicados que até exigiram que o gato trouxesse sua própria conta (que ele agora tem).

A tutora do gatinho, Dominique Teta, 21, de New Jersey, EUA, decidiu criar uma conta exclusiva para o gato depois de ver as reações daqueles que o conheciam. Dominique disse: “Juno parece bravo 95% do tempo”.

Foto: Caters News
Foto: Caters News

“Achamos que isso se deve principalmente à mistura de raças estranha que deu origem a ele, porque Juno é realmente um gatinho tranquilo e não tem raiva de nada”

“Juno é principalmente uma mistura de gato-do-himalaia, acreditamos que sua mãe seja uma gata-do-himalaia marrom e seu pai nos disseram que era metade gato-do-himalaia e metade burmese.

“Estamos atualmente esperando os resultados de DNA para especificar isso melhor, mas eu conheço Juno desde o dia em que ele nasceu, e eu acho sua história engraçada – ele foi a único gatinho a nascer de sua mãe, o que é muito incomum e completamente inesperado.

Nós achamos que a raça gato-do-himalaia esta muito presente nele – todo esse pelo enorme torna Juno parece bastante intimidante.

Mas na realidade, ele não está nem um pouco irritado ou bravo.

“Apesar de suas características faciais, Juno é um gato muito carinhoso”, diz Dominique.

Foto: Caters News
Foto: Caters News

“Ele gosta de brincar sozinho à noite na cozinha, achamos que por ser o único gatinho em sua ninhada ele aprendeu a brincar sozinho.”

“Ele sempre tem que estar por perto e, de vez em quando, vem no seu colo para ganhar uma coçadinha no queixo, é só o rosto dele que parece irritado”.

“A única vez que ele mia é enquanto está brincando ou se ele ouve nós humanos discutindo, ele entende e então ele fica preocupado e mia olhando bem na sua cara.”

Como Juno se tornou uma celebridade na internet, Dominique teve que se adaptar a fama do gatinho e se tornar uma influenciadora digital de meio período.

A fama tem seu preço e a de Juno, não para de crescer.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cão com expressão de tristeza no olhar comove casal que cruza o país para adotá-lo

Foto: Jessica Williams
Foto: Jessica Williams

Quando Jessica Williams e seu namorado, Jared, se mudaram para um apartamento que permitia cães, eles não hesitaram em planejar adotar um filhote. Jessica estava tão animada que começou a procurar na internet em vários abrigos.

Foi então que Jessica se deparou com um cachorro que comoveu seu coração ao extremo, um animal que obviamente precisava de ajuda imediata.

Benji foi resgatado das ruas de Los Angeles (EUA) e levado para um grande abrigo público. O filhote era incrivelmente cauteloso com as pessoas, assustado, arredio e sofria de uma alergia severa a pulgas, o que o fez com que ele perdesse a maior parte de seu pelo.

Foto: Jessica Williams
Foto: Jessica Williams

“Ele estava no abrigo há 10 dias e não estava lidando bem com a situação ou com o ambiente”, disse Williams. “Eu nunca tinha visto um cachorro tão triste e sabia que não poderíamos deixá-lo lá”.

Williams e seu namorado moram em Sacramento e Benji estava em Los Angeles, uma distância considerável separa as duas localidades, mais de 600 km. Então o casal levou seis horas para chegar até ele e conseguir adotá-lo.

Foto: Jessica Williams
Foto: Jessica Williams

De alguma forma, eles sabiam que o cachorro valeria a pena.

Foi amor à primeira vista

Quando a família chegou ao abrigo, eles expressaram seu interesse pelo animal deprimido. No entanto, os voluntários não pareciam ter muita fé em Benji e tentaram persuadir o casal a adotar outro cão.

Apesar da natureza distante e reservada de Benji e das advertências do abrigo, o casal decidiu dar uma chance ao filhote.

Foto: Jessica Williams
Foto: Jessica Williams

A viagem de carro de volta a Sacramento foi difícil, pois Benji ainda estava muito confuso sobre o que estava acontecendo. Quando todos chegaram em casa, o cão assustado mantinha alguma distância de seus pais. No entanto, com o passar dos dias, algo começou a mudar.

Assim que Benji percebeu que estava realmente em segurança, começou a sair de sua concha. O cachorro aterrorizado se transformou no cão doce e brincalhão que seus pais sempre souberam que ele seria.

“Ele gosta de lamber nossos rostos e brincar com seus brinquedos”, disse Williams.

Foto: Jessica Williams
Foto: Jessica Williams

Agora, Benji adora passar o tempo com sua família e seus pais estão felizes em ter ajudado um filhote em necessidade.

Toda a reserva e distância de Benji era na verdade medo e insegurança de sofrer tudo pelo que passou novamente. As ruas são duras com os cães abandonas e sem lar.

Ao pensar em aumentar a família com um membro peludo lembre-se sempre de adotar nunca comprar cachorros, afinal animais não são produtos para serem comprados.

Foto: Jessica Williams
Foto: Jessica Williams

Muitas ONGs e abrigos possuem milhares de animais à espera de um lar, e esses seres sencientes são capazes de sentir e oferecer um tipo de amor único: o incondicional.

Permita-se desfrutar a vida ao lado de um animal, a sensação de carinho e o vínculo desenvolvido são incomparáveis. Somente quem vive isso, é que pode dizer.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

A expressão zangada desse gato está fazendo dele uma estrela da internet

Foto: LouisandMonae/Instagram
Foto: LouisandMonae/Instagram

A expressão de raiva e braveza do gato Louis engana muita gente, mas é tudo só aparência pois ele é um amor em todos os aspectos.

O gato persa de 6 anos de idade, que ostenta uma carranca permanente desde que era um gatinho filhote, está ganhando fama no Instagram graças à sua expressão zangada.

E enquanto nunca poderia haver outro “Grumpy Cat”, isso não impediu que os fãs o chamassem exatamente desso nome.

A expressão de Louis, com boca virada para baixo e os grandes olhos amarelos apertados, que ele tende a piscar frequentemente, fazem com que o gato pareça um “velho mal-humorado”, de acordo com sua mãe, Michelle Alexis. Mas quando se trata da personalidade de Louis, a aparência pode ser enganadora.

“Louis é agora chamado de o novo “Grumpy Cat”, falecido em maio último, disse Alexis ao LADbible. “Mas ele é realmente muito doce, feliz e brincalhão”.

Foto: LouisandMonae/Instagram
Foto: LouisandMonae/Instagram

“Ele adora se aconchegar na gente e esfregar a cabeça; ele persegue lasers e brinca com seus brinquedos o dia todo”, acrescenta ela.

Alexis é frequentemente questionada se a expressão dramática de Louis é o resultado de uma deformidade genética. No entanto, nariz arrebitado de Louis e bochechas rechonchudas são apenas como ele é mesmo.

Seu longo e esvoaçante pelo precisa de uma boa quantidade de escovação diária e o ocasional “corte de leão”. Mas ele tem um guarda-roupa cheio de suéteres e camisas para mantê-lo quente e confortável quando seu pelo está mais curto.

Foto: LouisandMonae/Instagram
Foto: LouisandMonae/Instagram

Louis mora com sua mãe em Austin, Texas (EUA), e gosta de sair em aventuras ao ar livre e brincar com sua irmã, Monae.

No entanto, quando Monae se juntou à família em 2015, a gatinha resgatada da ONG Austin Pets Alive atormentou seu irmão mais velho.

Felizmente, os dois cresceram e se tornaram os melhores amigos, felizes em ficar juntos no pé da cama de sua mãe ou se unir para pedir guloseimas. “Ela até provoca e aborrece ele”, disse Alexis, “mas na verdade ela o ama”.

Louis atualmente tem mais de 4 mil seguidores no Instagram e está a caminho de se tornar uma sensação na Internet (quer esteja satisfeito com isso ou não).

O Grumpy Cat nunca poderá ser substituído, mas talvez Louis e seu rosto peculiarmente furioso possam ajudar a preencher o vazio deixado por ele.

Como Louis diz em um post no Instagram: “Deixe-me tranquilizá-lo. Estou muito longe de ser mau-humorado, mas pode me chamar assim se quiser”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Juiz classifica proibição de filmagens em indústria de pecuária como violação

O Tribunal de Apelações do Nono Circuito dos Estados Unidos determinou que a lei que proíbe registrar condições em fazendas industriais e matadouros violaria os direitos de liberdade de expressão.

O estado de Idaho inicialmente aprovou uma lei em 2014 que proíbe práticas de filmagem em operações de pecuária.

A decisão foi tomada após a organização de direitos animais Mercy For Animals divulgar imagens de crueldade contra animais no Bettencourt Dairy de Idaho.

Em resposta, a indústria de laticínios de US $ 2,5 bilhões reclamou que os vídeos “prejudicaram injustamente” seus negócios.

Elaborada pela Associação dos Leiteria de Idaho, a lei teria criminalizado o jornalismo investigativo de interesse público.

Um processo foi aberto no mesmo ano por uma coalizão de grupos de interesse público e jornalistas liderados pelo Animal Legal Defense Fund (ALDF) e tem sido uma batalha judicial em andamento desde então.

Uma lei proposta criminalizaria filmagens e exposições de indústrias pecuárias e crueldade animal (Foto: VegNews)

“Idaho está buscando a supressão de um modo de discurso – gravações de áudio e vídeo de operações agrícolas – para manter a controvérsia e suspeitar de práticas fora dos olhos do público”, decidiu o tribunal.

Idaho foi condenada a pagar US $ 260.000 para a ALDF e outros envolvidos no caso.

“A decisão do Nono Circuito envia uma mensagem forte para Idaho e outros estados com leis que não podem atropelar as liberdades civis em benefício de uma indústria”, disse o diretor-executivo da ALDF, Stephen Wells.

A ALDF também derrubou com sucesso uma lei semelhante de Utah em 2017 e tem casos pendentes contra leis em Iowa e na Carolina do Norte.

​Read More
Notícias

Gatos têm seu próprio jeito de dizer ‘eu te amo’

como-os-gatos-falam-eu-te-amo-piscar-devagarIsso mesmo, os gatos falam “eu te amo”. Na verdade eles falam várias coisas, o tempo todo, nós humanos é que temos um pouquinho de dificuldade para entende. Porque, claro, eles não falam com palavras, falam do jeitinho deles: com gestos.

E é com um gesto que eles falam “eu te amo”: olhando para você e piscando os olhinhos, bem devagar.

Só isso. Bem sutil como quase tudo o que eles fazem, mas bem profundo também. Para os gatos, que são tão preocupados com segurança e adoram se esconder em tocas, fechar os olhos na presença de outro animal (ou humano) é uma demonstração imensa de confiança. Então quando fazem isso por querer e bem devagar, olhando para você, é porque definitivamente querem dizer algo: que te amam muito e se sentem seguros com você.

Quem desvendou a piscadinha dos gatos pela primeira vez foi a comportamentalista americana Anitra Frazier. E ela descobriu mais: se piscarmos “eu te amo” para nossos gatos, eles podem piscar “eu te amo” de volta! Fofo assim!

Para aprender a piscar direitinho, a dica vem do Jackson Galaxy: pratique no espelho! E enquanto pisca, fale mentalmente E-U-T-E-A-M-O, bem devagar, assim você não apressa demais as coisas. E depois, pisque para o seu miau e espere a resposta!

Outro jeito de aprender é, claro, observando os gatos. Existe uma chance grande de seu gatinho estar declarando o amor dele todo dia e você não estar percebendo. Só não vale confundir “eu te amo” com os olhinhos fechando de sono!

E se seu peludinho ainda não estiver pronto para “falar”, não desanime! Ele pode demonstrar o amor dele de outros jeitos: indo te cumprimentar na porta, pedindo agrado, ficando perto de você, deitando no seu colo, na sua cama, no seu teclado. É que para alguns gatos o “eu te amo” é simplesmente mais difícil de sair!

Fonte: Gatinho Branco 

 

 

​Read More
Notícias

Escritora descreve em sua obra o significado de cada gesto dos cães

O que um cachorro quer dizer quando levanta as orelhas e a cauda e, de boca aberta, encara o seu tutor? A resposta a essa pergunta pode ser simples: sorrir. E também pode levar a níveis mais profundos de informação sobre o universo canino. É esse o ponto que tenta acessar a escritora Sophie Collins no livro Cachorros Falam – Entenda a Linguagem Corporal dos Cães, que chega ao país pela Ediouro (128 páginas, 24,90 reais).

“Pesquisando, descobri que uma série de sinais usados pelos cães eram considerados universais por especialistas, mas pouco conhecidos dos tutores”, conta a autora, que buscou, durante os ensaios fotográficos realizados para o livro – a obra é estampada por dezenas de fotos – exemplos dos sinais identificados em seus seis meses de pesquisas. De acordo com Sophie, cada posição da cauda ou da orelha e cada tipo de olhar tem um significado, que pode ser redefinido pelos sinais que o acompanham. Orelha para trás, por exemplo, pode significar desconforto ou apreensão. Se vier junto com um rosnado, é agressividade na certa. Orelhas para frente, por outro lado, representam curiosidade e interesse, assim como cabeça inclinada e cauda erguida e parada.

Quanto à cauda, o livro quebra conceitos. O tal rabo entre as pernas não significa necessariamente medo. A raça greyhound mantém a cauda naturalmente recolhida. Mais: cauda de pé, abanando, nem sempre representa vontade de brincar. Só se o abano for lento e suave. Um abanar amplo e intenso equivale a uma saudação efusiva, e uma vibração curta pode ser sinal de alerta, como ocorre quando o animal se mostra possessivo em relação a um brinquedo.

Os olhos também transmitem mensagens diversas. Se voltados diretamente para outros olhos, podem expressar desafio – pela etiqueta canina, cachorros costumam olhar outros cães ou pessoas de forma indireta.

Como um sinal pode ser ressignificado por outros, é importante ler sempre mais de um antes de se chegar a um veredito. Uma boca aberta pode representar agressividade, se os dentes estiverem aparentes. Mas, se o que estiver à mostra for a língua, e não os dentes, então, o cachorro está tranquilo e pode até querer brincar. Aproveite para testar seus conhecimentos no teste preparado pela VEJAvocê sabe interpretar os sinais do seu cachorro?

É importante, também, observar cada cão para conhecer seus pormenores e aprender a ler as entrelinhas do seu discurso. Segundo a autora, tanto raça como personalidade acrescentam nuances à fala dos cachorros. “Embora os principais códigos sejam os mesmos para todos, diferentes raças têm diferentes características de linguagem corporal. Um terrier jovem, que se empolga com facilidade, pode ter uma ‘fala’ rápida e prolixa, enquanto um velho labrador provavelmente falaria de maneira mais vagarosa e moderada”, diz Sophie. “E, é claro, a personalidade individual influi na linguagem, também, assim como acontece com as pessoas.”

Fonte: Veja

​Read More
Olhar Literário

Tu não verás, Marília

Este artigo propõe, em linguagem literária, uma variação em torno da Lira III da “Marília de Dirceu”, obra composta por Tomás Antônio Gonzaga em fins do século XVIII.  Sem qualquer pretensão, evidentemente, de alcançar a magnitude dos versos decassílabos do nosso grande poeta árcade, o presente texto é apenas uma licença poética em homenagem ao amor e ao sonho dos que acreditam em tempos melhores.

“TU NÃO VERÁS, MARÍLIA”

Tu não verás, Marília, o triste lamento
da floresta devastada, nem a terra
corrompida pelos homens, porque no teu peito
um rio de águas límpidas ainda impera.

Não verás despencadas as árvores
com seus ramos e cores verdejantes.
Porque no coração, Marília, trazes o sol,
irmão da lua que sorri em teu semblante.

Não mais verás os céus assim enevoados
pela fumaça que se espalha de repente.
Os dias do futuro serão outros dias, Marília,
dias e noites sem passado nem presente.

Verás renascer a vida, vida revivida
em pequenos gestos e cores e sons.
Vida que floresce, na mágica sabedoria
de uma deusa que não perde os seus dons.

Verás, Marília, aves soltas pelos ares,
bichos da floresta, peixes e outros tantos animais.
Livres como um dia tu sonhares,
bem no fundo dos teus loucos ideais.

E se porventura acordares desse sonho,
fecha os olhos, Marília, somente mais uma vez.
Que então um mundo novo ressurgirá em ti
um mundo bem mais belo e menos triste talvez…   

​Read More