Notícias

Homem é preso após estrangular cachorro e animal é adotado por policial

Reprodução

Um filhote de 5 meses de idade foi resgatado após ser agredido e estrangulado por seu tutor na Califórnia, nos Estados Unidos. Meses após o crime, o filhote foi adotado pelo policial que o salvou.

Joshua Weskamp recebeu uma denúncia após o homem estrangular o filhote na rua, diante de testemunhas. Ao chegar no local para averiguar a situação, o policial encontrou o cão jogado em uma caçamba de lixo. O agressor havia se escondido em casa.

Decidido a fazer justiça, Joshua abriu um processo contra o antigo tutor do cão com base nos relatos das testemunhas. No dia do crime, ele também resgatou o filhote, levando-o a uma ONG.

Na SPCA, entidade de proteção animal, a atitude do policial chamou atenção. Os voluntários do abrigo ficaram surpresos com o empenho de Joshua para punir o agressor do filhote, que, graças ao seu empenho, foi preso.

Mas ter salvo a vida do cachorro e levado o agressor para a cadeia não bastava. Joshua queria adotar o pequeno animal. No entanto, inicialmente isso não foi possível. O filhote era uma “prova viva” do crime e só poderia ser disponibilizado para adoção ao final do julgamento.

Joshua esperou e, meses depois, levou LEO para casa. O nome foi escolhido em referência à expressão “Law Enforcement Officer” (Oficial da lei, em tradução livre). Usando as iniciais da frase, o policial deu um novo nome ao cão e transformou sua vida através da adoção.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Médico salva cachorro que ficou com a coleira presa em porta de elevador

Foto: Faris Awad/Facebook
Foto: Faris Awad/Facebook

Imagens fortes mostram o momento em que um médico salvou a vida de um cachorro depois que a coleira do animal ficou presa em uma porta do elevador quase matando o cão sufocado.

O incidente aconteceu no domingo (29), quando as portas do elevador de um prédio de apartamentos da Flórida (Estados Unidos) se fecharam na coleira de um cachorro e arrastaram o animal em direção ao teto.

Mohammed Awad, um médico que vive na região, é visto nas filmagens no saguão do Olympus Harbour Island Apartments, na cidade de Tampa.

O cachorro, de cor marrom, caminha em direção à porta do elevador e seu tutor parece não perceber sua falta, pois o animal fica preso entre as portas do elevador.

Momentos depois, o elevador se move e o cachorro é arrastado para cima e sufocado pela coleira.

“O cachorro estava basicamente engasgado, sufocando e sendo estrangulado”, Awad disse ao jornal KHOU.

Foto: Faris Awad/Facebook
Foto: Faris Awad/Facebook

Awad e os aparentes tutores são vistos nas filmagens tentando freneticamente tirar a coleira do cachorro antes que ambos caiam no chão.

“Eu estava basicamente tentando quebrar a coleira do pescoço do cachorro”, disse Awad.

“Você pode ver no vídeo, minha primeira tentativa, eu não consegui, e olhei para cima e pensei por um segundo, eu não posso fazer isso, é muito difícil, mas vou tentar mais uma vez e dar tudo o que tenho”.

“Eu pulei de novo e basicamente consegui no último minuto. O cachorro tinha basicamente um ou dois segundos restantes de vida”.

O irmão de Mohammed, Faris, postou o vídeo junto com a legenda: “Meu irmão salvou a vida de um cachorro”.

Foto: Faris Awad/Facebook
Foto: Faris Awad/Facebook

As imagens geraram uma enorme reação nas mídias sociais, com os usuários elogiando o pensamento rápido e a atitude de Awad.

Não está claro se a mulher era a tutora do cachorro ou estava apenas cuidando dele.

Nem o cão nem o médico foram feridos durante o incidente. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pássaro morre estrangulado por corda de balão

Foto: News4/Reprodução
Foto: News4/Reprodução

A praia de Sandbridge Beach no estado de Virginia (EUA) é onde Liz Romero Kibiloski caminha duas milhas todos os dias ao nascer do sol.

“Este é o meu presente, esta é a minha maneira de retribuir”, afirmou.

Seus passeios não são apenas de caminhadas relaxantes e imersão no ar salgado do oceano; cada passo serve a um propósito mais profundo.

“Eu costumo pegar alguns sacos de lixo pelo caminho, os turistas deixam muito para trás”, disse ela.

Plástico é geralmente o que Romero-Kibiloski procura no chão e coleta todos os dias.

“Eu acho plástico, tecido, tudo – até pequenos pedaços de micro plásticos que as aves podem comer”, explicou ela.

Mas no dia seguinte ao Dia das Mães e também um fim de semana cheio de formaturas, ela encontrou muito mais do que apenas plástico.

“A primeira coisa que vi foram três balões enormes”, disse ela. “Então logo depois eu encontrei um ganso-patola do norte (Morus bassanus). Ele tinha uma fita de balão enrolada em seu pescoço e estava morto”.

Essa ave marinha é a maior entre as espécies da família de gansos e é nativa da costa do Oceano Atlântico. Elas se reproduzem na Europa ocidental e na América do Norte. A espécie é listada na Red List da IUCN em um status antes do vulnerável: least concern (menor preocupação).

Um membro da vida selvagem que morreu estrangulado pelos restos esfarrapados de um balão que alguém na intenção de celebrar uma data especial soltou como forma de recordação.

“Fiquei triste ao pensar que alguém soltou o balão imaginando que de alguma forma ele estava indo para o céu, como homenagem ao dia das mães, mas sem sonhar que algo tão belo poderia prejudicar e matar a vida selvagem”, afirmou Lisa.

“É realmente fácil para animais selvagens e animais domésticos confundir balões com comida, é algo que pode ficar preso em suas gargantas”, disse Mike Lawson, da Virginia Beach SPCA.

Ambientalistas afirmam que os balões podem levar anos para se decompor, viajando centenas ou milhares de quilômetros, depois voltando para a terra e causando estragos na vida selvagem.

“Todos somos presenteados com este belo planeta. Não há outro planeta e nem um plano b, e há outras maneiras de lembrar uma data especial, torna-la inesquecível ou homenagear alguém. Experimente criar um cata-vento, plantar um jardim ou dedicar um banco a esta pessoa ou data”, disse Romero.

Lisa encontrou 11 balões na segunda-feira de manhã e espera que eles sejam os últimos que ela venha a encontrar.

As aves, junto com outras espécies, muitas delas marinhas, já são altamente ameaçadas pelos resíduos e lixo plástico que termina no oceano todos os anos. Iludidas pelas cores fortes, elas acabam comendo esses resíduos ou usando para fazer ninhos e alimentar seus filhotes.

Muitas morrem de fome, por não conseguirem se alimentar uma vez que o plástico preenche totalmente seu estômago e não é digerível. Outras morrem envenenadas ou intoxicadas.

Não são raros os casos de baleias, tartarugas e golfinhos que chegam mortos às praias por conta de material plástico em seu estômago.

Não bastasse isso ainda há a ameaça dos balões soltos aos milhares em comemorações e festas que representam uma fonte de perigo constante aos pássaros e fazem novas vítimas cotidianamente.

​Read More
Notícias

Americano confessa ter estrangulado cachorro da ex-namorada por vingança

Foto divulgada pela promotoria do condado de Westchester, em White Plains, no estado americano de Nova York, mostra o cãozinho yorkshire Libra. (Foto: AP)


Jonathan King, de 21 anos, ex-namorado da tutora de Libra, admitiu no tribunal que matou o cãozinho como vingança. Ele foi considerado culpado por crueldade agravada contra animal, pelo crime ocorrido em 6 de abril do ano passado.

Jonathan King (Foto: AP)

King disse que matou intencionalmente Libra, na casa da ex-namorada, quando não havia ninguém no local. Ele apertou a coleira do cão até estrangular o animal, que foi achado escondido sob uma secadora de roupas.

King foi identificado pelo sangue encontrado nas garras do cão.

A sentença sai em 19 de maio, e ele pode pegar até dois anos de prisão.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Cão morre estrangulado em desfile de moda para animais

Um cão morreu estrangulado na sexta-feira à tarde, em um desfile de uma feira profissional de animais, em Madrid. A denúncia partiu da Associação Protetora dos Animais El Refugio.

O evento contava tanto com a participação de “modelos” sem raça definida quanto de cães de raça. Alguns dos participantes do desfile eram cães abandonados. Todos desfilaram com pijamas e agasalhos da marca Dog Model.

O cão assassinado sentiu-se apertado com a roupa que lhe foi imposta e, segundo a agência Europa Press, foi agonizando até deixar de respirar. Era um cão abandonado de dois anos, branco e preto.

O presidente da associação El Refugio, Nacho Paunero,  declarou: “Foi uma desgraça presenciar o desfile e a sensação de impotência foi horrível”, disse.

Com Informações do Correio da Manhã

​Read More