Notícias, ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Florianópolis (SC) é exemplo de programa de controle populacional

Florianópolis esteriliza 25 animais por dia e tem 1,5 mil outros na fila de espera para o procedimento. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde da cidade, 20 mil procedimentos foram realizados como estratégia de controle da superpopulação de cães desde 2005, quando o programa de esterilização canina começou na cidade.

O sucesso da ação levou a coordenadora do projeto Bem Estar Animal, Maria das Graças Dutra, a receber representantes de outras cidades do país para conhecer de perto o programa. “As pessoas não sabem como resolver o problema da superpoluação de cães em suas cidades. A nossa forma de controlar a população canina virou modelo para outras administrações municipais. Já estive em Santa Maria (RS), Canoas (RS), Porto Alegre, Niterói (RJ), Jundiaí (SP) e Juiz de Fora (MG) apresentando o projeto.”

Cidade catarinense fez 20 mil castrações em quatro anos e meio (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)
Cidade catarinense fez 20 mil castrações em quatro anos e meio (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)

Na semana passada, o prefeito Herótodo Bento de Mello, de Nova Friburgo (RJ), visitou a cidade de Florianópolis para conhecer o projeto Bem Estar Animal. “Este é um bom exemplo de como resolver esta questão de forma correta e respeitando a vida. Estou aqui para aprender e copiar”, disse o administrador carioca.

O secretário de Saúde de Florianópolis, João Candido da Silva, afirmou que a cidade optou por não exterminar os animais vivos. “O foco passou a ser o controle da população de cães por meio de cirurgias gratuitas de castração, além da realização de campanha de educação de jovens sobre o assunto, nas escolas.”

Maria das Graças disse que um casal fértil de cães é capaz de gerar 67 mil descentes em seis anos (período médio considerado como produtivo) e 60 filhotes diretos. Ela citou dados da World Society for the Protection of Animals(WSPA), segundo a qual são registrados 15 nascimentos de cães e 30 de gatos para cada humano no mundo.

Prefeitura de Florianópolis mantém cerca de 70 cães para adoção (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)
Prefeitura de Florianópolis mantém cerca de 70 cães para adoção (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)

“O programa catarinense atende tutores de cães de baixa renda e o animal é retirado de casa e levado de volta, sem custo. Até mesmo o número de acidentes com cães, seja atropelamentos ou até mesmo ataques contra as pessoas, foi reduzido após o trabalho de castração”, disse ela.
 
Sem preconceito
“Quebramos o tabu de que castração é ruim para o cachorro. O que fazemos em Florianópolis agrega a sociedade. Fazemos controle de zoonose com esterilização e o segredo do nosso sucesso é que isso é feito em ritmo constante”, afirmou Maria das Graças.

Segundo ela, a média de 25 cirurgias por dia é o número de procedimentos indicado para uma população de 400 mil de habitantes. “Pretendemos aplicar microchip em todos os cães da cidade em até três anos e meio. Para isso, contamos com cerca de 400 voluntários, que cadastram os animais da cidade.”

Animais são levados para canil da cidade, onde podem ser adotados (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)
Animais são levados para canil da cidade, onde podem ser adotados (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)

Maria das Graças disse que não exagera quando diz que vai esterilizar todos os cães da cidade. “Temos uma fila de espera de 1,5 mil cães para a esterilização. E essa fila nunca diminui. Antes, nós que procurávamos os tutores de cães para esse tipo de trabalho. Hoje, são eles que nos procuram.”

Cães são retirados da rua, castrados e colocados para adoção em Florianópolis (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)
Cães são retirados da rua, castrados e colocados para adoção em Florianópolis (Foto: Divulgação/Bem Estar Animal de Florianópolis)

Ela afirmou que a população está consciente da importância do controle de zoonoses. “Os cães que circulam na cidade têm tutores e são identificados.”

Fonte: G1

​Read More