Notícias

Cachorro cego e idoso encontra um novo lar em Esteio (RS)

Na nova casa, que dividirá com outros oito animais, o cachorro desfrutará de um espaço reservado especialmente para ele


Francisco, um cachorro idoso e cego que foi levado ao Canil Municipal de Esteio, no Rio Grande do Sul, após ser atropelado em dezembro do ano passado, encontrou um novo lar.

A dona de casa Clarisse Lenz, de 52 anos, ficou comovida com a história do animal e decidiu lhe dar uma chance. Francisco foi para seu novo lar na última terça-feira (4).

Reprodução/Revista News

Emocionada, Clarisse contou que soube que o cachorro estava para adoção ao conversar com uma protetora da ONG Grupo Amigos e Tratados dos Animais (Gata). As informações são do portal Revista News.

“Na hora que me falaram do Francisco, eu já quis ficar com ele. Amo os meus bichinhos e sei da dificuldade de achar um lar para um cão idoso, ainda mais deficiente. Aqui ele ficará dentro de casa e será muito amado”, explicou.

No novo lar, Francisco terá a companhia de outros oito cachorros. Ele também desfrutará de um espaço reservado especialmente para ele na casa.

Atualmente, o Canil Municipal abriga 50 cachorros à espera de adoção. Todos castrados, vacinados e vermifugados.

“Atendemos muitos animais. Alguns precisam ficar mais tempo para receber cuidados. Porém, após tratados, é necessário que eles sejam adotados para que não voltem para rua e para que possamos atender outros animais que necessitam de atenção”, afirmou a coordenadora do Departamento de Bem-Estar Animal, Luciane Baretta.

Interessados em adotar um animal em Esteio podem acessar o site Catioro Go!, criado em 2016 pela administração municipal, e ver as fotos e informações sobre os animais que procuram um lar.

Após escolher um animal no site, é preciso ir até o canil, localizado na Av. Luiz Pasteur, 7275, Bairro Três Marias, junto ao Galpão da Cootre. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. O telefone para contato é o (51) 3433-8180.

Para adotar um animal do canil é necessário ter mais de 18 anos, apresentar RG, comprovante de residência e assinar termo de adoção responsável.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Você é o Repórter

Terceira edição da Campanha Natal Animal de Esteio acontece no próximo dia 07

Adriane Pereira
falecomadriane@gmail.com

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Natal Animal de Esteio é uma Campanha que está em sua terceira edição e visa arrecadar ração para cães e gatos em vulnerabilidade.

O evento será realizado no próximo dia 07 (sábado), na Rua Garibaldi (conhecida como Rua Coberta de Esteio), das 8h às 19h, para a entrega das doações.

Contato: Adriane – (51) 9958-3739

 

​Read More
Você é o Repórter

Protetora pede ajuda para gatos cujos tutores se mudaram e os deixaram para trás, em Esteio (RS)

Tati Grahl
tati.grahl@uol.com.br

Foto: Divulgação

Uma casa foi derrubada aqui na cidade de Esteio, RS, porém os gatos da família ficaram. Não sobrou nada da casa, passei lá para ver a situação e os gatos estavam procurando comida e uns dormiam num bueiro. A situação é bem crítica. Esta uma sujeira. Ficaram a gata preta e branca e alguns malhados. Não posso mais pegar nenhum, pois já tenho 13 gatas castradas e quatro cadelas, não tenho mais espaço. Estou aqui fazendo um apelo para ver se alguém da região poderia resgatá-los.

Contato: Tati Grahl – tati.grahl@uol.com.br

​Read More
Você é o Repórter

Campanha de arrecadação de ração para animais abandonados será realizada em Esteio (RS)

Adriane Pereira
falecomadriane@gmail.com

Foto: Divulgação

No dia 31/03/12 (Sábado), estaremos realizando, aqui em Esteio, a Páscoa Animal – Campanha de Arrecadação de Ração para os Animais de Rua na Rua Garibaldi – Rua Coberta, a partir das 08h até às 19h.

Venha e participe trazendo 1Kg de ração.

Os animais agradecem a colaboração de toda a comunidade e desejam uma Feliz Páscoa a todos.

Contato: Adriane Pereira (51) 9958-3739

​Read More
Você é o Repórter

Campanha de arrecadação de ração será realizada em Esteio (RS)

Adriane Pereira
falecomadriane@gmail.com

Foto: Divulgação

Foi lançada a Campanha Páscoa Animal aqui em Esteio.

Será dia 31/03/12 (Sábado) na Rua Garibaldi – Rua Coberta de Esteio a partir das 08h até às 19h.

Colabore doando 01 Kg de ração para os nossos animais de rua, com certeza eles agradecem de coração.

Contato: (51) 9958-3739

​Read More
Você é o Repórter

Vanguarda Abolicionista realiza seu tradicional protesto em frente à Expointer

Marcio Bueno
marcio@musicatri.com.br

Quase 100 mil visitantes estiveram na Expointer durante os dois primeiros dias

vanguarda abolicionista
Foto: Marcio de Almeida Bueno

Durante este domingo, dia 28 de agosto, a Vanguarda Abolicionista e uma dezena de seus apoiadores estiveram promovendo a já tradicional manifestação em frente à Expointer, em Esteio. A 34ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários, uma das maiores feiras do mundo no setor, reúne em cerca de dez dias um panorama completo da exploração animal não-humana. Gado para reprodução, laticínios ou abate, o rodeio Freio de Ouro, exposição de animais, concurso de carcaças, doma, couro, lã, aves engaioladas, abate, montaria, comércio de todo tipo envolvendo animais, chinchilas para extração de pele, galinhas poedeiras, cachorros de raça e até mesmo gado bovino premiado que ouve violinista e posa com autoridades para fotos, ano após ano.

expointer
Fotos: Alexandre de Souza Rebello

Público teve acesso às propostas do anti-especismo, veganismo e libertação animal

Como sempre, a intenção dos ativistas é apresentar sua opinião contrária ao uso de animais como produtos, pela não-exploração. Diversos banners foram instalados na porta de entrada da Expointer – tratando de abate, couro e pró-veganismo, com distribuição de cerca de 5000 panfletos informativos. Dezenas de milhares de pessoas acorreram à feira no domingo e puderam, muitos pela primeira vez, tomar contato com uma outra verdade, mantida longe dos holofotes oficiais. Alguns se interessaram e buscaram mais explicações sobre o posicionamento dos manifestantes.

vanguarda abolicionista
Cartazetes com frases de impacto, e maior mobilidade em meio à concentração de público, também foram utilizados

Neste ano, o diferencial foi a utilização de desenhos de animais da pecuária – porco, frango, vaca – na calçada frontal, manchados com sangue falso, confeccionados especialmente para o protesto pelo ilustrador Johann Fischer. O efeito teatral chamou a curiosidade de diversos passantes que, juntamente aos impressos pedagógicos distribuídos, perceberam a intenção de denúncia da violência contra os não-humanos. Também, cartazes com os dizeres ‘sou gaúcho mas sou contra a exploração animal’, para desmistificar a tradição pela tradição, como justificiativa para obter lucro via escravidão, tortura e morte de animais não-humanos.

expointer
Ícones de animais e sangue falso intrigaram e indignaram muita gente

Veja um vídeo da ação em http://www.youtube.com/watch?v=JAtG2gHHWyc.

​Read More
Desobediência Vegana

Propaganda enganosa, por todos os lados

“Uma pessoa omissa, ainda dá para tolerar. Agora, uma nação inteira,
160 milhões de engabelados, isto é um fenômeno intolerável!”
(Ezio Flavio Bazzo em A arte de cuspir ou
A dialética dos porcos
, 1994) 

Novas propostas para velhos problemas: ativistas pedem votos pelos animais.


Observem a propaganda política e a quantidade de candidatos ligados à religião e ao exército.

Observem algumas cidades que falam muito em turismo, mas que não têm a menor vocação turística, praticamente espantando os visitantes…

Estas e outras observações dizem muito sobre o rumo do país nos últimos tempos.

Sou natural de Esteio, a cidade da Expointer, e há alguns anos passo frequentemente de metrô pela cidade e também no interior dela, onde se nota visivelmente que a cidade continua a mesma desde uns vinte anos atrás mais ou menos. As pequenas favelas na frente da Expointer continuam iguais, o lixo derramado por todos os lados, invadindo os trilhos do trem.

A maior feira do agronegócio, que alguns da área do turismo defendem com a própria alma, e à qual mídia inteira só faz elogios, trouxe poucas mudanças para a cidade que a abriga; até mesmo os que visitam a feira, na sua maior parte, se hospedam em Porto Alegre.

Conheço pessoas que lá trabalham. São sempre as mesmas pessoas, e a maior parte vem de outros lugares do Estado.

A mídia se empenha em mostrar que a exploração dos animais na feira é um grande investimento para o Estado. Mas esquece de alertar que apenas alguns poucos têm acesso a estes investimentos. Alguns políticos se agarram à Expointer, esperando votos da população.

O vereador Adeli Sell, do PT de Porto Alegre, recentemente vem denunciando corajosamente irregularidades no Acampamento Farroupilha, gastos exorbitantes, e cobrando prestações de conta, que ao que tudo indica já foram feitas. Mais um evento “turístico” que interessa apenas a uma pequena parte da população, mas seguramente não a toda população.

Apostar (e muito) dinheiro público em atividades como esta apenas leva adiante o negócio de poucos, mas não a prosperidade do Estado a longo prazo.

Estes eventos, onde os animais são coisificados e explorados à luz do dia, não deveriam ser orgulho de uma população que tem diversos problemas em outras áreas da sua vida.

Na hora de votar, deveríamos considerar projetos mais adequados às nossas necessidades, e pessoas isentas de apego ao conservadorismo religioso e militar. Para não falar nos candidatos ligados a times de futebol e tradicionalismo. Como se o fato de pertencer a este ou aquele time, esta ou aquela tradição fosse garantia de bom caráter e de que a pessoa fará algo para o povo e não para ela mesma apenas.

Pois o país continua importando trigo, por exemplo, enquanto exporta gado (e com ele os milhões de litros de água, poluição e desperdício em termos ecológicos e financeiros que a criação de animais representa ao Brasil).

Algumas cidades continuam com os mesmos buracos, embora a propaganda política esteja cheia de candidatos que já foram governantes por anos nestas cidades.

Vote em candidatos que se preocupem realmente pelos animais e pelas pessoas, mas antes dê uma busca por seus trabalhos e projetos, pois tem muita gente dizendo que apoia os animais.

De fato, há um ponto positivo. Talvez agora, que nós, ativistas, colocamos a questão animal em evidência, as pessoas tenham mais coragem de defender esta proposta política abertamente, pois do contrário estaria passando por “radical”. Todos nós já ouvimos esta palavra, típica de um povo que passou por um regime militar, onde naquela época, tudo o que era defendido com atitude era considerado “radical”. Quem vive chamando os outros de radical deveria questionar de onde vem esta palavra e por que ela é tão usada aqui no Brasil.

E quem ainda não se decidiu por quem votar, observe atentamente o clima de conservadorismo e, por que não, retrocesso em algumas das propostas que os candidatos apresentam.

​Read More
Notícias

Cavalos gaúchos são levados para participar de vaquejadas no Nordeste

 Trinta e cinco cavalos crioulos – entre 4,5 e 15 anos – foram selecionados para participar de provas de Vaquejada no Nordeste. Criadores, treinadores e ginetes que vieram de Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Ceará e Piauí estiveram segunda-feira no parque Assis Brasil, em Esteio (RS) para avaliar os animais.

A escolha foi feita com o aval da chamada Comissão de Vaquejada da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). A intenção da entidade é abrir um novo mercado para a raça. “Cerca de 20 mil animais competem por final de semana nas vaquejadas”, justifica o inspetor técnico da ABCCC, Romeu Koch.

Dois vaqueiros chegaram a trazer seus arreios para fazer em solo gaúcho o “test drive“. Somente após verificar o desempenho in loco é que foi feita a seleção. O tour do grupo incluiu o Bocal de Ouro e visita a Cabanha Infinito.

Fonte: Jornal Zero Hora

Nota da Redação: Absurdo!  A crueldade estreita as fronteiras. Como se já não bastasse esses animais serem usados de forma desumana no seu lugar de origem, ainda serão submetidos às más condições de viagem no trajeto até os estados do Nordeste, onde serão objetos de mais exploração. As vaquejadas nada mais são do que palco para tortura de  animais. Essa prática cruel tem que acabar.

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Polícia Federal desarticula quadrilha especializada em tráfico de animais no RS

Cinco pessoas foram presas na região metropolitana do Rio Grande do Sul – duas em Canoas e uma em Esteio – durante operação da Polícia Federal, em conjunto com o Ibama, que desarticulou nesta terça-feira quadrilha especializada em fraudar o sistema de controle de pássaros silvestres no Estado. Eles falsificavam as anilhas (anéis que identificam os animais) e traficavam animais silvestres.

O Ibama investigou o esquema durante três anos. Nos últimos três meses, junto com a PF, montou a operação Cantoria. A fraude servia para inscrever os pássaros em concursos de canto, onde animais com bom desempenho chegavam a valer até R$ 50 mil. Segundo a Polícia Federal, os pássaros silvestres têm o canto mais forte do que os de cativeiro. Os presos serão indiciados por falsificação de selo ou sinal público, formação de quadrilha, caça de animal silvestre e maus-tratos a animais.

Fonte: Diário de Canoas

​Read More
Notícias

Grupos protestam contra a Expointer

No domingo de forte calor, 30 de agosto, ativistas de diversos grupos estiveram em Esteio, RS, em frente à Expointer, uma das maiores feiras agropecuárias do mundo, para o já tradicional protesto. Às 10h da manhã, nove integrantes da Vanguarda Abolicionista (VAL) se instalaram em frente às bilheterais, com faixas, banners e posteres pró-libertação animal. Apesar do ambiente pesado e hostilizados por alguns cambistas, seguranças e taxistas, os manifestantes iniciaram panfletagem maciça, em meio ao tumulto da entrada do evento, usando máscaras contra a gripe suína.

Foto: VAL
Foto: VAL

O material informava sobre escravidão animal, veganismo e pecuária industrial, entre outros pontos, além do contra-senso de se prestigiar um evento daquela natureza enquanto a saúde pública padecia com a gripe suína. A VAL recebeu apoio do grupo Vida Universal, da Alemanha, que enviou lotes de folderes, cartazes, cartões, livretos e panfletos de conscientização.

Foto: Fernando Pereira
Foto: Fernando Pereira

Quem parava para conversar e alegava que não havia porcos em exposição, era lembrado de que a inédita decisão foi tomada para evitar que os suínos eventualmente fossem contaminados por algum humano infectado – e ainda assim, muitos defenderam os pecuaristas e debocharam dos materiais apresentados.

Em torno das 14h, chegaram o Grupo Pela Abolição do Especismo (Gaepoa), Sociedade Vegetariana Brasieleira (SVBPoa) e SVB-Canoas, além de ativistas independentes. Foi feito um ‘paredão’ de faixas e banners na calçada em frente às bilheterias, e alguns usaram máscaras de porco, alegorias e outros chamativos. Em um determinado momento, um pai parou para ler os cartazes, e sua filha de cerca de 2 anos interessou-se por uma máscara de porco. A criança ganhou a máscara e o pai recebeu o folder ‘8 Mentiras Sobre Nutrição – O que tem olhos, pessoas inteligentes não comem’. “Ah, é bom um dia ela saber disso, pois atualmente ela fala aquela coisa de ‘porquinho cor-de-rosa’, etc”, explicou o interessado pai.

Foto: Rafael Santini
Foto: Rafael Santini

As atividades se estenderam até as 17h, após um dia de corpo-a-corpo com o público que acorria à Expointer como lazer e entretenimento – a grande Imprensa inclui também o ‘contato com os animais’, falácia de quem está subjugado aos interesses econômicos, e que cumpre à risca seu papel na subordinação social e incapacidade de reação frente à esquizofrenia moral da humanidade em relação aos animais.

Fonte: Vanguarda Abolicionista

​Read More
Colunistas, Desobediência Vegana

Expointer: a feira da coisificação humana e animal

exp09

A Expointer, evento que começa hoje em Esteio, é a menina dos olhos do Rio Grande do Sul, onde todos se voltam para festejar o sucesso do agronegócio, com a presença dos veículos de comunicação, a propaganda e a divulgação de diversos tipos de produtos. Todos aproveitam o espaço da feira para encantar as milhares de pessoas que por lá passam. O governo se faz presente e é um desfile de autoridades e atrações artísticas.

A Expointer é o maior exemplo de como o ser humano coisifica tudo em função do lucro. Os animais lá expostos valem milhões, boa parte deles recebe um tratamento exemplar, outra boa parte servirá de cadáver para os incontáveis churrascos e há também os que são obrigados a ser exibidos nas feiras,rodeios e outras modalidades de exibicionismo tanto dos que participam quanto dos animais que sofrem as mais diversas formas de agressão.

Ninguém se dá conta disso.Grande parte dos visitantes que pagam ingressos absurdos e lá dentro gastam até R$ 8,00 por um cachorro-quente, por exemplo, está lá apenas para passear, para achar o que fazer, para ver esta ou aquela atração, para exercitar a sua fantasia de “homem do campo”, para encontrar conhecidos e sair do normal. A grande maioria não sabe que está sendo manipulado, incentivado a participar de um jogo onde poucos saem ganhando.

Só para se ter uma ideia, este ano os porcos não estarão presentes na feira. O motivo parece claro, mas não é: para que os porcos não peguem a gripe suína dos humanos!

As notícias de que na grande feira haverá dispositivos de gel para que seus frequentadores façam a sua higiene parece piada, pois sabemos que, embora a higiene seja importante, o H1N1 é transmitido principalmente através do ar contaminado por aquele que tem a doença.

Evitamos boa parte do contágio tendo boa higiene (que é recomendada, afinal, para todo tipo de enfermidade), mas há outras formas de contágio e num ambiente com grande circulação de pessoas fica difícil confiar apenas no gel – que inclusive deve ter uma boa graduação para ser efetivo. Sabemos que a maioria dos desinfetantes com gel tem mais água do que álcool em sua composição.

Ilusões à parte, os animais não são nem lembrados, a menos que isso implique riscos econômicos, como foi o caso de retirar os porcos da feira.

O grande enfoque que se dá ao fato de que comer carne de porco não causa mal nenhum não contamina o consumidor com H1N1 (ou Gripe Suína, nome que não é nem um pouco agradável aos criadores de porcos!) é um bom exemplo de que as informações são passadas apenas pela metade. Mesmo que ao consumir a carne não se contraia a doença, deveríamos ser informados que a Gripe Suína surgiu numa grande indústria de criação de porcos, mantida por uma corporação multinacional americana em Veracruz, México. Neste local onde os animais são confinados e estressados pela vida miserável que levam, recebem bombas de antibióticos e outros medicamentos até mesmo proibidos por lei, e desenvolvem enfermidades que podem sofrer mutações e ser transmitidas ao homem.

Juntando A+B, quem tem um neurônio que funcione em seu cérebro pode vir a se dar conta de que as condições de todos os criadouros de porcos podem ser as mesmas, senão piores. Que ao consumir esta carne, ou qualquer outra (visto que os animais são criados da mesma forma), estarão contribuindo para um grande número de enfermidades novas e incuráveis. Já sabemos pela AIDS (vírus que surgiu da mutação de um tipo de vírus presente no chimpanzé – notem a coincidência – e até hoje ninguém sabe exatamente em que condições o vírus surgiu, se foi na exploração de animais de laboratório ou pelo contato do animal com humanos) que vírus sofrem constantes mutações e a cura torna-se praticamente impossível.

A grande quantidade de esterco que a suinocultura libera é um número astronômico diário, com o qual os criadores não sabem o que fazer, ou nem mesmo se interessam em fazer algo. O número cresce a cada dia, e a velha ideia de adubar a terra com esterco funciona no quintal, mas essa quantidade infinita de esterco vem sendo responsável pela poluição de mananciais de água, poluição do ar e outras consequências…

A humanidade não quer mudar seus hábitos de maneira alguma, esta é a verdade. E quer iludir-se com a farsa da “cultura”, que na verdade é um mesclado de interesses, um mosaico de arremedos que nada tem a ver com a realidade da população gaúcha.

Amanhã, na frente da Expointer, ocorre a manifestação do Grupo Vanguarda Abolicionista – VAL, que pretende mostrar aos visitantes o outro lado da criação de animais, ligada a muitos males da humanidade como a fome e doenças diversas, incluindo a Gripe Suína, e degradação ambiental, como o aquecimento global, desmatamento, poluição da águae demais tipos de poluição que a pecuária provoca, mas que ninguém divulga com medo das forças que movem este poderoso negócio.

O grupo estará na frente da Expointer das 10 horas até o final da tarde, distribuindo panfletos e materiais cedidos pela entidade da Alemanha Vida Universal que está apoiando este manifesto.

Para saber mais visite: http://www.vanguardaabolicionista.com.br/

​Read More