Notícias

1150 galinhas resgatadas de avícolas viajam de avião para santuários

(da Redação)

Foto: YouTube
Foto: YouTube

Em uma aventura sem precedentes, 1150 galinhas resgatadas viajaram de jato particular pelos Estados Unidos da Califórnia a Nova York, levadas por resgatadores a santuários que irão oferecer-lhes lares permanentes ou disponibilizá-las para adoção. As informações são da Care2.

As galinhas, que foram inicialmente resgatadas pela ONG Animal Place, da Califórnia, foram enviadas via aérea de Hayward para Elmira em Nova York, e chegaram em segurança na manhã de terça-feira no que se acredita ter sido o primeiro voo transcontinental de galinhas de todos os tempos.

“Esta é a primeira vez que pássaros adultos desta espécie são transportados de avião pelo país”, disse Kim Sturla, diretora executiva da Animal Place, a respeito do resgate épico. “Uma doação generosa foi oferecida para viabilizar isso e nós aproveitamos a oportunidade”.

Esse grupo de galinhas de dois anos de idade são parte de uma operação ampla de resgate conduzida pela Animal Place desde o fim de Julho, quando a organização teve acesso a 3 mil galinhas através de um produtor anônimo que havia recebido informações sobre os esforços de resgate.

Marji Beach, diretora educacional da Animal Place, disse ao Sacramento Bee que aproximadamente 12 mil galinhas foram entregues desde que a ONG começou a pedir aos fazendeiros que eles não as matassem e que deixassem que elas fossem resgatadas.

Antes de serem liberadas, todas estas galinhas passaram suas vidas inteiras em gaiolas tão pequenas que mal podiam se mover ou esticar as suas asas. Elas também tinham as unhas severamente crescidas e os seus bicos removidos – algumas de forma tão cruel que faltava-lhes também parte das suas línguas que foram arrancadas junto com os bicos.

Já não produzindo mais ovos e muito magras para serem mortas para alimentação humana, estava programado para estas galinhas serem asfixiadas em câmaras de gás e terem seus corpos jogados em aterros sanitários como se fossem lixo, o que é uma prática comum na indústria de ovos para galinhas nesta situação.

Graças aos esforços da Animal Place e inúmeras organizações de resgate da comunidade, elas estão tendo uma nova chance de vida e poderão viver o resto de seus anos aproveitando para sentir a terra sob seus pés e a luz do sol em seus corpos.

“Estas galinhas tiveram uma vida muito sofrida”, disse Jamie London, diretor da Animal Care, que acompanhou as mesmas em seu voo.

“E como cães salvos de fábricas de filhotes, estas galinhas foram libertadas de uma vida de miséria e irão aproveitar o resto de suas vidas em paz”.

As nove organizações que receberam as galinhas na Costa Leste incluem a Farm Sanctuary, a Woodstock Farm Animal Santuary, Catskill Animal Sanctuary, Happy Trails Farm Humane Society of Greater Rochester, VINE e Coming Home Animal Sanctuary.

As galinhas que permaneceram na Califórnia estarão disponíveis para adoção através da Animal Place.

Veja o vídeo que mostra as galinhas chegando a um santuário, pisando na terra e esticando seus corpos pela primeira vez em suas vidas:

Nota da Redação: Estas galinhas tiveram a sorte de poder pisar na terra e caminhar, agora em liberdade. Ocorre que uma infinidade de outras galinhas exploradas pela indústria de ovos passam tanto tempo presas, sentadas em uma gaiola, que quando são soltas não conseguem andar – elas caem, pois suas pernas estão atrofiadas. Estas nunca terão a oportunidade de saber o que é caminhar na terra.

Esse é mais um apelo ao veganismo, que é a única forma de poupar os animais da horrenda exploração a que são submetidos em suas vidas e o subsequente descarte dos mesmos como lixo ou alimentação humana.

​Read More
Notícias

Abrigo de animais matou cães que prometeu salvar

Um abrigo de animais na Geórgia, EUA, lançou um programa de adoção – o “Lucky Dog” – e enganou várias pessoas, prometendo não matar os seus animais, em troca de 75 euros. No entanto, muitos animais foram abatidos em vez de adotados, escreve a Reuters.

Lowanda “Peanut” Kilby, ex-diretora do abrigo, vai ter de responder em tribunal por cerca de 60 crimes. Entre eles roubo, roubo por engano, extorsão e, ainda, uso indevido de fundos.

Um dos principais motivos que levava os donos de animais a recorrer ao Boggs Mountain Humane Shelter era o facto de este não mandar abater os animais. Bastava pagar a caução. Mas a realidade era outra.

Às vezes, os proprietários dos animais recebiam e-mails e cartas a dizer que estes tinham sido adotados, mas na verdade, já estavam mortos.

O ministério público começou a investigar o caso após a divulgação de uma reportagem na estação de televisão de Atlanta, WAGA.

No início da investigação, Kilby foi afastada do centro e este passou a ser gerido por um grupo sem fins lucrativos. Nessa altura, numa entrevista à WAGA, Kilby, negou as acusações. Após ser confrontada com um caso concreto, justificou a morte do animal com o seu “coração fraco”.

Fonte: tvi 24

​Read More