Notícias

Tartarugas são soltas em alto-mar

Uma força-tarefa foi montada na tarde de ontem, na praia de Piedade, em Jaboatão, para levar os animais

Defensores do meio ambiente montaram ontem à tarde, na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, uma verdadeira força-tarefa na beira-mar do bairro para tentar salvar 145 tartarugas da espécie Eretmochelys imbricata, também chamadas de tartarugas-de-pente ou de escamas. No primeiro nascimento desses animais em praias urbanas da cidade do ano, salvaram-se 68 do total.

A sobrevivência dos filhotes, que começaram a deixar os ovos por volta das 9h, só foi possível graças à intervenção dos bombeiros, que usaram bote inflável e jet ski para levar os animais a uma distância de um quilômetro da faixa continental. A ação foi necessária para ajudar os filhotes a venceram a maré, que ultrapassou a altura de dois metros no meio da tarde. Antes disso, as tartarugas não estavam conseguindo passar as ondas.

Até serem levados ao mar, a área onde os animais estavam ficou isolada com grades de ferro e madeira. A operação em Piedade contou com a participação de membros do Grupamento de Meio Ambiente (Gama), reunindo também voluntários, curiosos e professores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), como a médica veterinária Rosilda Barreto Santos, com pós-doutorado em tartarugas marinhas.

“Em casos como esse o ideal é que as pessoas não toquem nos animais, porque eles estão tentando ir, sozinhos, para o mar. Ninguém deve levá-los para casa, nunca”, ensina a professora. A cidade tem ainda outros cinco ninhos, um inclusive em área já isolada, perto do local onde os 68 filhotes nasceram. São dois em Candeias e outros dois em Piedade. Até 5 de abril, 300 animais devem nascer nestas localidades.

A tarde de ontem foi de muito trabalho, mas também de alegria para o voluntário Adriano Artoni. Ele acompanhou o traslado das tartarugas ao mar. “Cheguei a me arrepiar. Foi muito emocionante cuidar e soltar os animais. Depois de serem deixados na água, eles passaram a viver pelas leis do mar”, informou. O voluntário, que está acampado em Boa Viagem há 45 dias, protegendo outra desova, chegou à Praia de Piedade por volta das 9h.

Foi ele quem localizou o ninho. “Foi uma alegria total. Primeiro, encontrei uma tartaruga viva, depois o ninho todo”, resumiu. Quem também esteve no local foi o educador Aldo Brasileiro, 43, que mora em Boa Viagem. “Sou desta região e fico, todos os dias, monitorando esses locais. Uma eclosão como essa é da maior importância. Dei proteção à 1ª desova”, explicou.
Espécie

Tartarugas da espécie Eretmochelys imbricata são animais que chegam a viver até um século. Alimentam-se basicamente de crustáceos, além de peixes e anêmonas, contribuindo para o equilíbrio entre as espécies. “Esses animais são de suma importância porque controlam populações de caravelas, que, em excesso, poderiam tornar um banho de mar bem difícil”, disse Rosilda Barreto Santos.

Tartaguras desta espécie, em que apenas uma sobrevive a cada 500 que nascem, retornam para desovar no local onde nasceram.

Fonte: Diário de Pernambuco

​Read More