Notícias

Galo entra no quintal de uma família para pedir ajuda e ganha um novo lar

Chaz Sanders com Ronnie em seu ombro | Foto: Reprodução

Uma família estava relaxando em casa no início de setembro quando perceberam que havia um galo vagando em sua propriedade.

Segundo uma entrevista dada ao site The Dodo, a família Sanders se surpreendeu, pois, os vizinhos mais próximos que tem ficam a cerca de 3,5km de distância da propriedade deles e não imaginavam como a ave tinha chegado ao local.

O galo, mais tarde chamado de Ronnie, manteve distância no início, mas depois de alguns dias ele decidiu que esta era sua nova casa e ele não iria a lugar nenhum.

“Certa manhã, abrimos a porta, permitindo que os cães entrassem e saíssem, olhamos para cima e ele estava na sala de estar”, comenta Sanders.

A família definitivamente não estava planejando adotar um galo, mas quanto mais eles conheciam Ronnie, mais o amavam.

Galo Ronnie andando pelo seu novo lar | Foto: Reprodução

“Eu imediatamente me apaixonei por ele”, disse Sanders. “Eu cresci perto de animais, mas nunca tive qualquer tipo de pássaros/galinhas. Ronnie nos segue como um cachorro e adora atenção. Nos primeiros dias ele manteve distância e não nos deixou tocá-lo, mas depois que ele entrou em casa ele se abriu para nós e agora faz o que quer. ”

A família já é tutora de dois cães, Addy e Merle, e eles rapidamente aceitaram Ronnie como seu novo irmão.  De acordo com seus tutores, ele se dá muito bem com os irmãos, mas nem sempre é fã de seguir as regras da casa – ele prefere fazer as suas próprias.

“[Ele é] atrevido, mas definitivamente leal para uma galinha”, disse Sanders. “Às vezes ele age como um adolescente. Ele grita se não conseguir o que quer e vai fazer o que você mandar, mas é preciso que você diga a ele algumas vezes. ”

Ronnie brincando com sua tutora | Foto: Reprodução

Ronnie adora especialmente ficar em lugares altos, onde sua família não pode alcançá-lo facilmente, como o lustre ou o ventilador de teto. Ele adora acompanhar seus irmãos cachorros, e por vezes agir como eles, mas no fundo ele é um galo e como um, não dispensa acordar sua família o mais cedo possível todos os dias.

A família conta que foi necessário pesquisar mais sobre a melhor forma para cuidar de Ronnie e a família decidiu adotar outras galinhas para que lhe fizessem companhia.

Atualmente eles tutelam cinco galinhas e ainda ninguém tem ideia de onde Ronnie veio ou por que escolheu entrar no quintal da família.

O que seus tutores definiram como: “Definitivamente ele estava destinado a estar em nossa família”, finaliza Sanders.

Ronnie imponente em seu lar | Foto: Reprodução

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cachorro e porquinho têm um encontro marcado para brincar juntos toda semana

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

As amizades mais improváveis são as vezes as mais gratificantes, Carlton e Colt estão aí para provar isso. Os dois são diferentes em muitos aspectos, mas eles têm uma coisa muito importante em comum – eles se amam de todo o coração.

Para o que aos olhos de muitos seria incompatível, foi amizade à primeira vista.

“A amizade deles foi instantânea!”, Disse Amanda Quick, tutora de Carlton, ao The Dodo. “Colt não conseguia tirar os olhos de Carl. Eles estavam fazendo brincadeiras, barulhinhos e pastando juntos, até lutando e brincando nas pilhas de folhas”.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

Ambos os animais são resgatados, abandonados por suas famílias anteriores. Carlton foi originalmente vendido como um “mini porco” – também conhecido como porcos micro ou xícara de chá – uma raça que não existe realmente. Quando viram que ele estava crescendo demais, sua família o largou em uma fazenda na zona rural do Texas (EUA).

Quando Quick viu pela primeira vez uma foto de Carlton, ela soube que o lugar dele era ao lado dela: “Eu sempre quis resgatar um porco, meus dois cães são resgatados”, disse Quick. “Assim que vi seu doce rosto de bebê, soube que ele era único. Eu dirigi uma hora para pegá-lo naquela noite.

Quando o porco de boa sorte não está jogando tigelas de cachorro ou derramando o café de sua mãe, ele gosta de aconchegar-se com seus irmãos cães”.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

“Ele é um causador de problemas nato. Pensei em mudar o nome dele para `Que droga Carl´, porque digo essa frase umas 100 vezes por dia”, disse Quick. “Ele está me fazendo rir ou me dando os melhores aconchegos o tempo todo. O que mais eu poderia querer?”

Um dia, Quick resolveu levar Carlton com ela para seu treino semanal de canto com sua amiga Mary. Mal sabia ela que Carlton encontraria sua alma gêmea, um cachorro chamado Colt, lá.

Agora, seus encontros se tornaram uma tradição amada e muito aguardada.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

“Desde a primeira vez, Carlton espera na porta todas as segundas-feiras”, disse Quick. “Ele sabe quando é hora de partir. Ele vai do carro até a porta da frente de Mary e Colt começa a pular no segundo em que entramos. Mesmo depois de semanas, eles ainda estão tão empolgados em se ver toda segunda-feira”.

Para Colt, essas visitas o mantêm jovem, de acordo com Quick: “Ele não fica tão empolgado com os cachorros em casa. Ele tem 8 anos e é bastante artrítico, então guarda a energia para Carl”.

Foto: Amanda Quick
Foto: Amanda Quick

Quick capturou recentemente essa alegria em um vídeo que ela postou no Facebook na quarta-feira (11). Você pode assistir ao vídeo adorável aqui.

A mãe de Carlton não está surpresa que o porco especial tenha tantos amigos únicos: “Ele é apenas uma boa alma”, disse Quick. “Ele estende o amor a qualquer espécie e tem o dom de saber quem mais precisa”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Atleta vegana quebra nove recordes em campeonato de levantamento de peso

Foto: Yolanda Presswood
Foto: Yolanda Presswood

Yolanda Presswood, atleta vegama de levantamento de pesos, alcançou nove recordes incríveis nos recente encontros da categoria “USPA Drug Tested Nationals” em Las Vegas, nos Estados Unidos.

O encontro esportivo ofereceu à atleta a chance de continuar as conquistas surpreendentes que a levaram a ganhar títulos e bater recordes após um curto período de tempo no esporte.

Após a competição, Presswood saiu com recordes nos níveis estadual, nacional e mundial, tornando-se campeã nacional na categoria M1 (40-44) de 60 kg. Seu desempenho também deu a ela uma classificação de “Atleta de Elite”.

Perda de peso

Presswood decidiu que mudaria de categoria de peso (de um levantador de peso de 67,5 kg para 60 kg) logo após se qualificar para o evento, uma vez que um peso menor permitiria que ela tentasse 12 recordes – incluindo quatro recordes mundiais.

Restringir calorias e caminhar parecia estar funcionando até que ela sofreu uma tensão intercostal. “Felizmente, com a ajuda da minha personal trainner e amiga Natasha Barnes, eu fui capaz de continuar a levantar pesos apesar da tensão dolorosa que me afetou”, disse ela à GVA – Great Vegan Athletes.

Outras dificuldades apareceram e Presswood passou e experimentar uma perda de força. Ela teve dificuldade em continuar com a perda de peso. A atleta sofre de TEPT (transtorno de estresse pós-traumático) e experimentou o que descreve como “o pior ataque de pânico da minha vida. O tipo em que você pensa que está morrendo enquanto se prepara para o encontro”.

Mudando de tática para incluir jejum e corte de carboidratos, ela finalmente passou a pesar 59,5 kg alcançando seu objetivo.

Recordes

A levantadora de pesos vegana agora detém 11 recordes em duas categorias de peso.

“A magnitude dessa conquista para mim é enorme”, disse ela. “Parti com isso como meu objetivo e foi exatamente o que conquistei”.

Yolanda também sentiu que tinha aprendido com o processo de perda de peso.

“Eu não consideraria perder peso se não tivesse uma chance de bater quatro recordes mundiais. Nunca mais o farei. Não o recomendo a levantadores novos ou mais novos. Apenas pratique com o peso que estiver!”

Uma década de veganismo

Presswood, que é vegana há quase 10 anos, mudou seu estilo de vida depois de se conscientizar da natureza cruel dos produtos de origem animal e pesquisar mais sobre o assunto.

“Eu decidi que iria olhar para a situação mais a fundo e peguei o livro de Alicia Silverstone, ‘The Kind Diet’ (A Dieta Compassiva). Foi nessa leitura que meus olhos foram abertos para as atrocidades que os animais sofrem todos os dias”, disse ela anteriormente à GVA.

“Eu não conseguia desviar o olhar do livro. Como vocês sabem, como veganos, começamos com o óbvio e continuamos aprendendo à medida que avançamos em nossas vidas. Minha casa é vegana para os animais, incluindo nossos dois filhos adolescentes de 16 e 20 anos. Escolhi ser vegana por amor à vida, a todas as vidas. Corações fortes. Mentes fortes. Corpo forte”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Cavalo resgatado de matadouro se apaixona por égua em santuário

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

A vida mudou completamente para um belo cavalo branco chamado Logan.
No início deste ano, Logan estava em um famoso matadouro da Louisiana, nos Estados Unidos, um lugar onde os cavalos indesejados acabam pouco antes de serem enviados para a morte.

Felizmente, uma mulher gentil interveio e o resgatou. Mas ele só ficou seguro por alguns meses antes de precisar ser salvo novamente.

“Esta senhora mora a cerca de 100 quilômetros de nós e, devido às dificuldades da família, recentemente precisou vender todos os seus cavalos”, Jamie Lee Robinson, fundadora e CEO da ONG OPKIT Kitty Sponsorship Program e Tails Up No-Kill Animal Haven da OPKIT, disse ao Dodo.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

Jamie tem se concentrado em ajudar centenas de gatos do abrigo a encontrar casas – mas ela também tem experiência em treinar e resgatar cavalos.

“Tarde da noite no Facebook, vi a foto de Logan e sabia que ele era especial”, disse ela. “Eu apenas sabia”.

Jamie estava muito ansiosa para adotar Logan porque ela tinha um plano.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

Em fevereiro passado, uma égua esquelética e exausta foi encontrada solto ao longo de uma estrada na Flórida.

A égua, agora conhecida como Starlight, havia sido resgatada pelo departamento de polícia, e depois de ser salva passava semana após semana em um abrigo no condado.

“Eles precisavam de um grupo de resgate para levá-la”, disse Jamie. “Ela não era saudável o suficiente para adoção. Eles estavam postando e implorando em todo o Facebook por um grupo de resgate de cavalos para pegá-la, mas ninguém se apresentou”.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

Foi quando Jamie tomou a decisão de receber um morador incomum no santuário de gatos: um cavalo.

“A égua corria o risco de ir a um leilão do condado, então tive que ajudá-la”, disse Jamie. “Temos um pequeno pasto, mas não estávamos preparados para cavalos, então fiquei ocupado construindo um pequeno celeiro. Starlight chegou muito magra, assustada, desconfiada das pessoas, desconfiada e com uma cicatriz velha de uma corrente que ficava em seu nariz.”

Jamie construiu um lar para a Starlight enquanto ela também estava construindo o relacionamento delas. “Passei meses trabalhando com ela, estabelecendo confiança”, disse ela. “Ela ficou feliz e saudável, mas os cavalos não devem viver sozinhos”.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

Então, algo estalou quando Jamie viu a foto de Logan. E ela se moveu rapidamente.

“Comprei Logan sem ser visto imediatamente, algo que normalmente não faria, mas não queria que ele escapasse”, disse Jamie. “Eu sabia que ele era certo para a Starlight”.

A intuição de Jamie acabou se provando perfeita.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

“Ele chegou há apenas alguns dias”, disse Jamie ao The Dodo. “E eles se apaixonaram instantaneamente. Starlight estava tão animada e feliz, Logan traz calma e conforto para ela”.

Starlight e Logan têm aposentos um ao lado do outro, e eles poderão viver o resto de suas vidas no santuário, na companhia um do outro.

“Eles sempre estarão aqui conosco. Ambos encontraram suas casas para sempre”, disse Jamie.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

Jamie anunciou a um grupo fiel seguidores no Facebook: “Nosso lindo menino e mais novo morador já está aqui. Ele e Starlight estão apaixonados”.

Os cavalos são animais que andam em bandos, salientou Jamie, então ela sempre soube que precisaria encontrar um amigo para Starlight. Mas o fato de que os cavalos se ligaram tão rapidamente deve ter algo a ver com suas disposições particulares.

“Logan é um cavalo muito brincalhão e confiante”, disse Jamie. “Já Starlight é insegura e hesitante – então eles são o par perfeito: um completa o outro”.

Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven
Foto: Tails Up No-Kill Animal Haven

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
hiena-malhada
Notícias

Turistas registram um raro encontro entre hipopótamo e hiena, na Zâmbia

Momento foi observado por turistas que passavam no local.


Por Heloiza Dias


Um raro encontro entre dois animais foi observado por turistas e um orientador do Parque Nacional Luangwa do Sul, na Zâmbia. Um hipopótamo se aproximou calmamente de uma hiena-pintada que estava dormindo, ao despertar a hiena apenas o observou e os dois chegaram a tocar os focinhos.

“A hiena não correu e os dois começaram a cheirar um ao outro, quase como se beijassem um ao outro”, disse Njobvu – chefe da Shenton Safaris , à National Geographic.

Os animais permaneceram se cheirando por cerca de vinte minutos, a hiena rolava de um lado para o outro enquanto o hipopótamo a observava de perto.

hiena-malhada
Hiena-malhada na Reserva Nacional de Masaai Mara, no Quênia. Foto: Frans Lanting, Corbis

Especialistas especulam que esse é um caso de curiosidade juvenil, animais nessa idade normalmente estão recolhendo dados sobre o ambiente que vivem e com quem o partilham.

A hiena foi surpreendida pelo hipopótamo que apenas apresentava certa curiosidade sobre ela, o fato de nenhum dos animais ter fugido é devido a maneira como essa situação foi dada, ambos não apresentavam comportamento agressivo.

Arjur Dheer – especialista em hienas-pintadas do Tanzânias’s Ngorongoro Crater, uma área de conservação ambiental – afirma que havia interesse mútuo dos animais, mas não descarta o medo que eles sentiam um do outro.

As hienas são os predadores mais bem-sucedidos da África, porém os hipopótamos são animais bastante perigosos, sendo responsáveis por muitas mortes de humanos todos os anos.

Acesse a notícia na íntegra.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Estudo revela que gatos criam vínculos profundos com seus tutores

O estudo, publicado na revista Current Biology por pesquisadores da Oregon State University, nos EUA, envolveu tutores e seus companheiros felinos e afirma que os vínculos desenvolvidos por gatos são semelhantes aos cães e crianças


 

Foto: Pixaby
Foto: Pixaby

Às vezes, os gatos podem parecer indiferentes, ariscos e totalmente desapegados de seus tutores, mas um estudo recente mostra que essa pode não ser realidade por trás das aparências.

Pesquisadores descobriram que, assim como crianças e cães, os gatos criam laços emocionais e se apegam aos seus cuidadores, incluindo algo conhecido como “ligação de segurança” – uma situação em que a presença de um cuidador os ajuda a se sentirem seguros, calmos, seguros e confortáveis o suficiente para explorar seu ambiente.

“Apesar de existirem menos estudos relacionados aos gatos do que aos cães, pesquisas sugerem que podemos estar subestimando as habilidades sócio cognitivas dos gatos”, escrevem os autores do estudo.

O estudo, publicado na revista Current Biology por pesquisadores da Oregon State University, nos EUA, envolveu tutores e seus companheiros felinos participando de um exercício simples.

Cada tutor passou dois minutos com seu gatinho, após o que eles deixaram a sala por dois minutos e depois retornaram para um encontro de dois minutos. O comportamento de 70 gatinhos foi monitorado durante todo o tempo que durou o estudo.

Os resultados revelam que 64% dos animais pareciam menos estressados durante a reunião com seu tutor do que durante a separação e, durante o encontro, mostravam um equilíbrio entre vaguear pela sala e estar em contato com seu guardião – uma resposta que a equipe afirma ser evidência de “ligação de segurança”.

Os autores afirmam que os 36% dos gatinhos restantes apresentaram marcas de “ligação de insegurança” – permanecendo estressados após a reunião, com a maioria deles buscando carinhos e os outros evitando contato ou parecendo estar em conflito sobre o que fazer.

Uma divisão semelhante no estilo de ligação segura versus insegura foi observada em 38 gatos adultos, e a equipe afirma que essa divisão também foi vista em pesquisas anteriores envolvendo crianças e cães com seus cuidadores.

Experimentos posteriores mostraram que o treinamento e a socialização subsequentes de um subgrupo de gatinhos tiveram pouco ou nenhum efeito sobre o tipo de ligação. Os pesquisadores dizem que isso sugere que, embora essas medidas possam influenciar o desenvolvimento de um estilo de ligação, para começar, uma vez estabelecidos, esses estilos são bastante estáveis.

“Isso pode sugerir que fatores hereditários, como temperamento, também influenciam o estilo de ligação e podem contribuir para sua estabilidade”, eles escrevem.

No entanto, o professor Daniel Mills, especialista em medicina comportamental veterinária da Universidade de Lincoln, que já estudou relações entre humanos e gatos, disse que a pesquisa tem falhas, incluindo que a equipe não explorou outros tipos possíveis de vínculos e não repetiu seus experimentos com estranhos. Isso, ele disse, significa que os gatos podem estar respondendo de maneira mais geral ao apoio social da presença humana, em vez de mostrar uma ligação especial com um indivíduo em particular.

“No momento, até onde sabemos, as respostas dos gatos quando próximos do tutor que parecem um vínculo de afeto são muitas vezes o resultado de reforços anteriores”, acrescentou.

Embora Mills tenha acrescentado que os gatos demonstram um vínculo de afeto com a mãe, ele ainda não tem certeza se eles formam uma ligação semelhante com seus tutores.

“Acho que os gatos se vinculam emocionalmente com seus guardiães, só não acho que atualmente tenhamos evidências convincentes de que essa seja uma forma de ligação psicológica no sentido psicológico padrão”, disse ele.

Lauren Finka, da Universidade de Nottingham Trent, concordou.

“Para espécies que passam grande parte de seu tempo na proximidade de seres humanos específicos, pode ser muito vantajoso formar laços com eles”, disse ela. “No entanto, diferentemente das crianças e potencialmente dos cães, é menos provável que os gatos tenham uma necessidade inata de formar vínculos fortes e seguros com seu cuidador, principalmente quando adultos – portanto, os sinais disso estão mais provavelmente enraizados em fatores como personalidade, socialização precoce e como os criamos”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Vitória histórica para os elefantes em conferência internacional de proteção à vida selvagem

Ramadiba no zoológico de Johannesburg | Foto: Sarah Koning
Ramadiba no zoológico de Johannesburg | Foto: Sarah Koning

Uma votação na 18ª reunião da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas em favor da limitação do comércio internacional de animais vai mudar a regulamentação atual que permite que quatro países da África Austral – Zimbábue, Namíbia, Botswana e África do Sul – vendam seus elefantes a zoológicos e parques de vida selvagem em outros continentes.

Estes locais são finalmente considerados inadequados e inaceitáveis, graças aos quarenta e seis países que votaram a favor da decisão.

Juntos, os quatro abrigam quase metade dos elefantes africanos do mundo e têm menos restrições comerciais do que as nações onde os paquidermes estão sob grave ameaça. O Zimbábue enviou dúzias de elefantes pequenos para a China nos últimos anos e disse em junho que está aberto para vender sua vida selvagem a quem quiser.

A diretora e bióloga de elefantes da Humane Society International (HSI) África, Audrey Delsink, estive presente na conferência e reiterou que a exportação de elefantes selvagens vivos, animais que já não prosperam em cativeiro, “não serve para fins de conservação e é combatida por numerosos biólogos especialistas em elefantes”.

“A captura de filhotes de elefantes é horrivelmente cruel e traumática para as mães, seus filhos e seus rebanhos que são deixados para trás. Os bebês sofrem danos físicos e psicológicos quando tomados de suas mães. Os zoológicos e outras instalações em cativeiro forçam esses filhotes a viver em um ambiente não natural e insalubre que não atende às suas complexas necessidades”, explicou Delsink.

Os elefantes em Botswana e no Zimbábue, no entanto, tinham uma anotação específica que permitia ao comércio “destinos apropriados e aceitáveis”, explicou a HSI.

Botsuana e Zimbábue dizem ter elefantes demais e querem que Cites relaxe algumas de suas regras, incluindo uma moratória sobre as vendas de marfim, que será discutida na convenção ainda esta semana. Os países abrigam as duas maiores populações de elefantes do mundo, com mais de 200 mil vivendo nas duas nações no total.

Somente nos últimos sete anos, o Zimbábue capturou e exportou mais de 100 filhotes de elefantes, muitos dos quais morreram posteriormente devido a traumas e abusos.

A HSI, juntamente com a African Elephant Coalition, formada por 32 países membros que garantem o bem-estar dos elefantes e a proteção do comércio de marfim, saudaram a decisão da CITES.

A 18ª Conferência da CITES está sendo realizada em Genebra, na Suíça, de 17 a 28 de agosto.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Internet muda a vida de cachorro abandonado em abrigo que adoeceu de tristeza

Foto: Sophie Spenia
Foto: Sophie Spenia

Quando a família de Ritter infelizmente perdeu sua casa, eles não podiam mais cuidar dele ou de seu irmão cachorro, Corky. Mesmo que isso tenha partido seus corações, eles tiveram que entregar ambos os cães ao abrigo da Humane Society para Hamilton County, em Indiana, nos Estados Unidos – e assim que sua família o deixou para trás, o pobre Ritter simplesmente não conseguiu conter sua tristeza.

“Como acontece com muitos cães, ele estava petrificado, nervoso e muito triste”, disse Megan Bousley, especialista em comunicação e marketing da Humane Society, em Hamilton County, ao The Dodo. “Eles não entendem onde sua família foi e estão confusos e assustados com o ambiente novo e barulhento.”

Assim que ficou sozinho em seu canil, tudo que Ritter pôde fazer foi sentar-se encostado na parede, olhando para o chão, muito chateado e confuso com sua nova realidade.

Foto: Sophie Spenia
Foto: Sophie Spenia

É claro que todos no abrigo fizeram o possível para que Ritter se sentisse tão amado quanto era humanamente possível – mas ainda assim não é o mesmo que ter um lar e uma família.

“Ele recebeu muito amor e atenção da equipe”, disse Bousley. “Enquanto ele está acuado e nervoso em seu canil, ele fica cheio de alegria lá fora, apenas querendo brincar e ser amado.”

Foto: Sophie Spenia
Foto: Sophie Spenia

Todos no abrigo puderam ver como Ritter estava de coração partido e não aguentavam vê-lo assim, e então postaram sua foto no Facebook, esperando que alguém o visse e abrisse sua casa para o doce e triste filhote.

O post foi compartilhado mais de 3 mil vezes – e em pouco tempo, uma mulher viu o rosto doce de Ritter e soube imediatamente que tinha que adicioná-lo à sua família.

Foto: Sophie Spenia
Foto: Sophie Spenia

Sophie Spenia estava querendo adotar um cachorro há algum tempo, mas estava esperando até que tivesse uma casa e mais espaço, porque sabia que provavelmente queria um cachorro grande. Assim que ela comprou sua primeira casa, ela começou a olhar na página da Humane Society for Hamilton County e a página do Facebook todas as manhãs, e quando ela viu a foto de arrancar o coração de Ritter, ela soube que ele tinha sido o escolhido.

“Quando vi a foto e a descrição de Ritter postadas às 6 da manhã, eu mandei uma mensagem para minha irmã e disse que precisávamos buscá-lo logo depois do trabalho”, disse Spenia ao The Dodo. “Duas horas depois, minha irmã me mandou uma mensagem sobre o post do Facebook avisando que ela notou que ele estava se tornando viral. Então eu disse ao meu chefe a situação e ele me disse para sair e ir até o abrigo! Ele é amante de cães também”.

Foto: Sophie Spenia
Foto: Sophie Spenia

Quando Spenia chegou ao abrigo, ela estava um pouco nervosa porque sabia o quão triste e confuso Ritter estava após perder sua família, e ela não sabia como ele reagiria a sua presença – mas assim que ele entrou na sala, tudo se encaixou.

“No minuto em que ele chegou na área de visitantes, ele correu até mim e colocou sua cabeça grande e fofa no meu colo e eu poderia dizer que ele estava me dando um recado: quero ir com você”, disse Spenia. “Eu tinha que tê-lo ao meu lado!”

Foto: Sophie Spenia
Foto: Sophie Spenia

Spenia imediatamente se candidatou para adotar Ritter, e na quinta-feira ela finalmente conseguiu pegá-lo e trazê-lo para sua nova casa. Ele não conseguia parar de sorrir para sua nova mãe no caminho de casa, e agora está se adaptando maravilhosamente a sua nova vida.

Ritter era o filhote mais triste do mundo quando chegou ao abrigo, mas em poucos dias ele encontrou a melhor tutora que poderia desejar, alguém que se certificaria de que ele esteja feliz e amado o tempo todo pelo resto de seus dias.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cachorrinho que passa o dia sozinho em casa recebe uma carta com um presente surpresa

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Há alguns meses, após se mudar para um novo apartamento no Brasil, Maria Luiza Valcazara adotou um lindo e doce filhote chamado Chips. O par feliz rapidamente se tornou inseparável.

Mas naquelas ocasiões em que Chips precisava ser deixado em casa sozinho, sua tristeza não passava despercebida.

Como muitos filhotes dedicados e que amam muito seus tutores, Chips sente-se um pouco ansioso e solitário enquanto sua melhor amiga e guardiã está longe, latindo e choramingando enquanto esta sozinho até que ela finalmente retorna.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Maria Luiza, que ainda não conhecia seus vizinhos, esperava que os sons inquietos de seu filhote não atingissem os ouvidos de ninguém de maneira perceptível.

Então, um dia, ela encontrou uma carta com um pacote do lado de fora da porta.

“Na época, eu fiquei com medo”, disse Valcazara ao The Dodo. “Eu me perguntei quem poderia ter deixado aquilo ali na porta, já que eu tinha pouco contato com as pessoas no prédio.”

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Após uma inspeção mais minuciosa, no entanto, Maria Luiza descobriu que a carta estava realmente endereçada a Chips – e que ela havia sido “escrita” por outro cachorro, chamado Corote.

Quanto ao pacote? Continha alguns brinquedos para cães.

Aqui está o que a carta dizia:

“Olá, meu amigo.

Tenho notado que você tem chorado muito quando está sozinho e já passei por essa fase também.

Eu conversei com minha mãe ontem e juntos decidimos dar-lhe esses brinquedos, então você tem uma distração quando se sentir sozinho.

Estou aqui para te fazer um convite: eu moro sozinho com a mamãe e, por causa disso, tenho um quarto só meu para andar a cavalo o quanto eu quiser, então você pode passar um tempo aqui comigo! Nós podemos fazer muita festa juntos !

Esperamos que você aproveite as coisas que lhe demos!

Muitos beijos de Corote e da minha mãe Nichole”.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Chips, como se pode ver elas fotos, gostou desses presentes surpresa – mas foi Maria Luiza quem foi o mais emocionada de todos.

“Quando comecei a ler a carta, eu chorei muito”, disse ela.

Embora nem Chips nem Maria Luiza tenham encontrado seus vizinhos, Corote e Nichole, estavam ansiosos por um encontro. Mas à luz desse convite adorável, logo uma boa introdução estava em andamento.

“Eu levei o Chips para o apartamento de Nichole para que pudéssemos conversar e nossos dois cães pudessem se encontrar”, disse Maria Luiza.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Os filhotes e seus tutores se deram bem instantaneamente.

“Nichole se ofereceu para me ajudar com Chips sempre que eu precisasse”, disse Maria Luiza. “Ela me deu algumas dicas que aprendeu criando Corote.”

Agora, as coisas estão melhores do que nunca.

Não apenas as dicas de Nichole ajudaram a tutora de Chips a aliviar a ansiedade de separação do cachorrinho, como as novas amizades que eles formaram tornaram o tempo que passam estão juntos ainda melhor. Quase todos os dias desde então, os quatro se encontram para brincar no gramado em frente ao seu prédio.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

E tudo começou com uma carta gentil de um estranho para outro.

“Concluí que ainda existem pessoas boas em nosso mundo”, disse Maria Luiza. “Foi um belo gesto que Nichole teve conosco. E tenho certeza de que outras pessoas podem se beneficiar de amizades por meio de seus animais também. Eu sou um exemplo disso. Além de ter uma vizinha, agora tenho uma amiga maravilhosa também!”

Esse é um sentimento que Chips e Corote, sem dúvida, compartilham também.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Gatos se vêem todos os dias pela janela dos apartamentos e se apaixonam

Simon vendo Theo | Foto: Mackenzie Coffman
Simon vendo Theo | Foto: Mackenzie Coffman

Simon nunca esteve muito interessado em fazer amigos.

O gato laranja malhado tinha muitas oportunidades para se socializar com os outros gatos como residente do Crumbs & Whiskers, um café de gatos em Los Angeles (EUA). Em vez disso, ele escolheu se guardar em si mesmo.

“Ele está definitivamente acostumado com outros animais”, disse Mackenzie Coffman, a mãe de Simon, ao The Dodo, “mas nunca brincou com os outros gatos no café”.

Theo vendo Simon | Foto: Twitter/Theothecat5
Theo vendo Simon | Foto: Twitter/Theothecat5

Mas tudo mudou quando Simon colocou os olhos em seu vizinho do outro lado da rua.

“Eu estava na cama e acordei com Simon choramingando e miando em frente a janela”, disse Coffman.

Olhei para cima e, para minha surpresa, vi um gato sentado na janela do meu vizinho. Eu moro neste apartamento há dois anos e nunca havia visto o gato deles”.

Simon ficou instantaneamente apaixonado pelo misterioso felino, mas não ficou claro se o objeto de sua afeição sentia o mesmo. Essa indiferença inicial não impediu Simon de tentar conquistar o carinho do outro gato.

“O outro gato nunca olhou para Simon ou prestou atenção nele, era totalmente indiferente”, disse Coffman. “Então Simon pulava para cima e para baixo no peitoril da janela para tentar chamar sua atenção”.

Coffman nunca tinha visto Simon se comportar assim antes, e decidiu intervir como uma espécie de relações públicas para seu animal doméstico apaixonado.

Inspirada no videoclipe de “You Belong With Me”, de Taylor Swift, Coffman colou um pequeno cartaz com uma mensagem, na brincadeira, no vidro de sua janela.

Mensagens trocadas pela janela | Foto: Mackenzie Coffman
Mensagens trocadas pela janela | Foto: Mackenzie Coffman

Logo depois, inesperadamente os vizinhos penduraram seus próprios cartazes em resposta. Coffman descobriu que a adoração de Simon não passara despercebida.

“Eles abriram a janela, se apresentaram e eu disse a eles que Simon sempre espera por Theo”, disse Coffman. “Eles disseram que sempre vêem Simon, mas não sabem como chamá-lo, então o chamam de Chester”.

A obsessão de Simon por Theo só ficou mais forte desde a troca de mensagens nos cartazes, mas Theo ainda insiste em jogar duro com Simon.

Mensagens trocadas pela janela | Foto: Mackenzie Coffman
Mensagens trocadas pela janela | Foto: Mackenzie Coffman

“Quando Simon vê Theo, ele toca na janela, se cola no vidro e anda pelo peitoril”, disse Coffman. “Theo, por outro lado, olha para Simon talvez duas vezes no máximo e depois continua a olhar na direção oposta indiferente”.

Coffman então resolveu compartilhar a história de amor de seu gato no Twitter, escrevendo: “Meu gato Simon está apaixonado pelo gato do meu vizinho e espera o dia todo por ele. Manterei a todos atualizados”.

Em apenas dois dias, seu post recebeu mais de 200 mil curtidas e quase 100 mil retweets. E, a partir dos comentários, parece que todas as mídias sociais estão torcendo pelos dois gatos.

A repentina popularidade do tweet levou Coffman a colar outro cartaz na janela – dessa vez dizendo a Theo que o relacionamento deles se tornou viral. Theo escreveu de volta, e os dois se tornaram amigos no Twitter.

Agora, depois de semanas de saudade através da vidraça, Simon finalmente encontrará seu amado.

Coffman e seus vizinhos organizaram um meet-and-greet (encontro para se conhecerem) para os gatos, e Simon não poderia estar mais animado.

Acho que teremos que esperar e ver se o amor é mesmo real.

​Read More
Notícias

Príncipe Charles tenta convencer Trump sobre a importância de agir contra as mudanças climáticas

Donald Trump resistiu à defesa do Príncipe Charles de que é preciso agir ainda mais contra as mudanças climáticas (Fotos: Getty)
Donald Trump resistiu à defesa do Príncipe Charles de que é preciso agir ainda mais contra as mudanças climáticas (Fotos: Getty)

Por David Arioch

Hoje, durante encontro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o Príncipe Charles passou a maior parte do tempo tentando convencê-lo sobre os perigos das mudanças climáticas, segundo o jornal britânico The Guardian.

No decorrer do encontro em Londres com duração de 90 minutos, o príncipe ressaltou que hoje em dia uma das suas principais preocupações é o aquecimento global, e que é preciso agir contra as mudanças climáticas.

Trump defendeu que os Estados Unidos não têm culpa disso, mas sim países como China, Rússia e Índia, além de outras nações.

“Eles não têm um ar muito bom, a água não é muito boa e há uma sensação de poluição. Se você vai a determinadas cidades, você nem consegue respirar, e agora esse ar está subindo. Eles não assumem a responsabilidade”, disse durante participação no programa Good Morning Britain, da iTV, em entrevista ao jornalista Piers Morgan.

“Ele realmente está por dentro das mudanças climáticas, e eu acho ótimo. Ele quer que as futuras gerações tenham um bom clima, em oposição a um desastre, e eu concordo”, disse Donald Trump em referência ao encontro com o Príncipe Charles.

Por outro lado, o presidente disse que não acha que os EUA têm que fazer mais do que já têm feito em relação às mudanças climáticas, e defendeu que os Estados Unidos têm um dos melhores climas, “segundo todas as estatísticas”.

Questionado se reconhece os estudos científicos sobre as mudanças climáticas, Donald Trump disse que acredita que “há uma mudança no clima”, e lembrou que antes a mudança climática era chamada de aquecimento global, mas que, segundo ele, como não estava atraindo a atenção houve uma mudança.

O presidente dos EUA não pareceu muito à vontade falando sobre o assunto e quando Morgan perguntou se o Príncipe Charles conseguiu convencê-lo a dar mais importância ao assunto, ele desconversou e disse apenas que o que o comoveu foi a paixão do príncipe pelo futuro das próximas gerações.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Advogados e juristas do mundo todo se reúnem em conferência para discutir os direitos animais

Foto: The Vegan Society
Foto: The Vegan Society

A proposta do parlamento europeu de proibir o uso de rótulos como ‘hambúrguer’ e ‘salsicha’ de serem usados para descrever produtos vegetarianos e veganos é uma das questões que serão discutidas por especialistas legais em uma conferência pioneira de direitos animais e veganos na Itália.

As propostas, se aprovadas, significariam que produtos como hambúrgueres vegetarianos e veganos poderiam ser chamados de “discos” e salsichas de “tubos”.

À luz dessas questões e assuntos semelhantes, advogados e juristas veganos de todo o mundo se reunirão em uma conferência jurídica anual para discutir como influenciar a lei em benefício dos animais e do planeta. O evento é organizado pela Aliança Internacional dos Direitos Veganos (IVRA) e pela The Vegan Society, com a primeira fusão oficial para se tornar a Rede Internacional de Direitos da Sociedade, no dia 31 de maio.

O tema da Conferência da IVRA deste ano – que acontece na Universidade de Milão, Itália, de 31 de maio a 1 de junho – é como os direitos veganos podem ajudar a criar uma sociedade que respeite, em vez de explorar, os animais.

A Dra. Jeanette Rowley, fundadora da IVRA, falará em seu discurso de abertura sobre o uso da lei dentro do movimento vegano e criticará as recentes propostas da UE para proibir certas denominações de produtos veganos.

A Dra. Rowley disse: “O veganismo na lei interrompe a ideia de direitos exclusivos de proteção apenas para os seres humanos.

“Ele enfatiza nossa capacidade natural de ser responsável, zeloso e compassivo em resposta à vulnerabilidade, injustiça, opressão e sofrimento dos animais.

“Promover o veganismo na lei ajudará a trazer a mudança de paradigma de que precisamos para garantir que os animais recebam a proteção de que precisam e merecem.”

A fundadora da IVRA também dirige o serviço de direitos da Sociedade Vegana, que ajudou com casos como na ajuda a crianças em idade escolar, pacientes de hospitais e prisioneiros a terem acesso a comida vegana; garantir permissões para os alunos usarem materiais amigáveis aos veganos em suas avaliações; e conseguir que os trabalhadores tivessem acesso a uniformes amigáveis aos veganos. Este é o único serviço legal gratuito dessa natureza atualmente em execução.

Louise Davies, Chefe de Campanhas, Políticas e Pesquisas da The Vegan Society, disse: “Estamos muito felizes por estar assumindo o importante trabalho da IVRA. “Esperamos trabalhar com toda a nova Rede Internacional de Direitos para liderar na defesa de veganos vulneráveis e, por extensão, proteger e promover os direitos dos animais”.

Os participantes ouvirão especialistas veganos que viajam da Inglaterra, Escócia, Irlanda, Estados Unidos, Canadá, Itália, Portugal, Alemanha e França, e compartilharão suas experiências com lobby de vários governos e se envolverão em casos legais relacionados ao veganismo.

Os palestrantes da conferência também incluem Sandra Higgins da Go Vegan World, cuja campanha de cartazes “inumanos” foi aprovada pela Advertising Standards Authority e Mark Banahan, da The Vegan Society, falando sobre sua revolucionária campanha Catering for Everyone para opções veganas em cardápios do setor público.

Os detalhes da conferência podem ser encontrados nesta página e informações sobre a Rede Internacional de Direitos da Sociedade Vegana podem ser encontradas aqui.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More