A imagem mostra um corredor repleto de galinhas enjauladas.
Destaques, Notícias

Empresas canadenses são processadas por abuso e tortura de galinhas

Na província canadense da Colúmbia Britânica, duas empresas enfrentam dezenas de acusações de crueldade contra animais, relacionadas a atos de tortura contra galinhas flagrado em um vídeo perturbador filmado por uma câmera oculta.

A imagem mostra um corredor repleto de galinhas enjauladas.
Foto: Getty Images

A Agência Canadense de Inspeção de Alimentos (CFIA) disse que, como resultado de sua investigação, trinta e oito acusações foram feitas contra a Elite Farm Services, seu presidente Dwayne Dueck, e a empresa controladora da Lilydale, Sofina Foods, sob o Regulamento da Saúde Animal.

A CFIA alega que houve “espancamento de galinhas e transporte inadequado, de forma a causar ferimentos ou sofrimento”, contrariando os regulamentos estabelecidos. As acusações estão relacionadas a um vídeo capturado pelo grupo de direitos dos animais Mercy for Animals em junho de 2017.

O vídeo mostra funcionários da Elite Farm Services, uma empresa contratada pela Sofina Foods, atirando, chutando e matando galinhas. Na época, a empresa transportava as aves para um matadouro da Lilydale.

Marcie Moriarty, diretora de prevenção e supervisão da British Columbia Society for the Prevention of Cruelty to Animals (BC SPCA), disse que a filmagem expõe atos cruéis como o desmembramento de uma galinha, chutes de galinhas para o alto, e atos sexualmente explícitos.

Após o lançamento do vídeo, seis funcionários da Elite Services foram demitidos e a empresa tornou obrigatório que pelo menos um supervisor e dois funcionários em cada celeiro usassem câmeras de vídeo em seus coletes de trabalho.

Essa medida atraiu uma reprimenda da agência de privacidade da Colúmbia Britânica, que disse que a empresa estava violando os direitos de seus trabalhadores ao registrar constantemente imagens dos funcionários.

Em um comunicado, a Sofina Foods descreveu a Elite como uma “terceirizada independente” da empresa e disse que estaria revisando as informações fornecidas pela CFIA.

​Read More