Notícias

Proibição de animais em circo entra em discussão após morte de domador na Itália

Por Rafaela Damasceno

Quatro tigres reagiram sob intenso estresse e violência psicológica ao atacarem um domador de animais em Triggiano, na região italiana de Puglia. Ettore Weber tinha seu próprio circo e era reconhecido principalmente pelo seu trabalho com os tigres. Ele morreu antes que os médicos chegassem ao local.

O domador de animais de costas para a imagem, com um tigre indo em sua direção.
O domador de animais se apresentando em Budapeste | Foto: Attila Kisbenedek/AFP

Segundo o The Guardian, todos os oito tigres presentes no circo foram presos pela polícia, gerando protestos por parte das associações dos direitos animais.

O fato fez a pauta da proibição do uso de animais em circos voltar a ser discutida pelo parlamento italiano, após ser negada em 2017. Também há uma pressão feita pela Anti-Vivisection League (LAV), que pede para que os tigres envolvidos na morte não sejam punidos. “Os tigres devem ser salvos e realocados em um ambiente adequado às suas necessidades naturais”, disse a LAV em uma declaração.

A morte de funcionários de circos e similares causadas pelos animais não é novidade. Mesmo os animais capturados na natureza e criados em cativeiro são selvagens e possuem necessidade de liberdade. Além disso os maus-tratos são frequentes nesse tipo de ambiente, já que os animais são forçados a obedecerem e treinados para fazer coisas que nunca fariam naturalmente. Dessa forma, é comum que uma hora se rendam aos seus instintos e ataquem àqueles em volta.

Um tigre na natureza, sentado sobre uma pedra.
Foto: iStock

Este caso da Itália não é isolado. Em março deste ano um domador foi atacado por um leão na Ucrânia, quando se apresentava em um circo. A plateia, grande parte composta por crianças, assistiu a todo o ataque. Mesmo ferido, ele ainda insistiu em continuar a performance. Em 2015, três elefantes na Dinamarca fugiram de um circo após agressão e atacaram carros e pessoas na rua. Em junho do ano passado, um urso foi espancado após atacar seus treinadores em uma apresentação na Rússia.

Apesar dos riscos, tanto para os humanos quanto para os animais, a associação italiana circense ainda protesta a favor do uso dos animais para o entretenimento humano.

No Brasil, há diversas leis locais para a proibição da prática, mas a federação nunca emitiu uma lei válida para todo o país. Alguns estados que adotam a proibição são Rio de Janeiro, Pernambuco, São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás, Paraná etc. O projeto de lei 7.291, que visa erradicar a prática em todo o Brasil, corre no Congresso desde 2009.

​Read More